1. Spirit Fanfics >
  2. Meu jovem mestre. (Sebasciel) >
  3. Mansão Trancy.

História Meu jovem mestre. (Sebasciel) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Hoje o capítulo vai ter meu mozão siiim. :3 💙
Boa leitura. 💙

Capítulo 15 - Mansão Trancy.


Fanfic / Fanfiction Meu jovem mestre. (Sebasciel) - Capítulo 15 - Mansão Trancy.

Ciel começa a despertar e vê que está nos braços de um homem todo de preto, por um momento pensa ser Sebastian até que se lembra de tudo que aconteceu, então começa a se debater loucamente.

- Ciel: ME LARGA!!!

- Claude: Não tome ações desnecessárias.

- Ciel: Mas o que...

Não demorou muito e Ciel avistou uma mansão gigantesca atrás de um jardim imenso, quando chegaram o lugar parecia exalar escuridão, a mansão possuia um estilo gótico um tanto parecido com uma catedral, não passava conforto algum, fora seu tamanho assustador.

- Claude: Voltei, mestre.

O mordomo solta Ciel que logo vê um garoto loiro de olhos azuis se aproximando que o olha dos pés até a cabeça demonstrando superioridade, ele desvia o olhar sério para Claude.

- ...: O que é isso, Claude?

- Claude: Pois não, mestre?

-...: Por que ele está nessas condições? por acaso tirou ele do banho e aproveitou para brincar um pouco?

- Claude: Não, isso é...acho que foi obra de seu mordomo.

- ...: Obra de um demônio...hum, entendo.(Sorri maliciosamente para Claude que apenas fecha os olhos e abaixa a cabeça).

Toda aquela seriedade vai embora quando o menino se aproxima com um sorriso enorme perto de Ciel.

- ...: Muito prazer em conhecê-lo, eu estava ansioso por isso...Ciel Phantomhive.

- Ciel: Quem é você?

- ...: Poxa, não precisa ser tão sério, enfim...bem-vindo a mansão Trancy, me chamo Alois Trancy.

- Ciel: Você... o mesmo que foi nomeado a aranha da rainha.

- Alois: E você é o cão de guarda da rainha, estou certo?

Ciel apenas acena com a cabeça.

- Ciel: Por que me sequestrou? eu não diria que foram ordens da rainha.

Alois sorri e o olha, dava para sentir a maldade de longe nos olhares do garoto.

- Alois: Apenas interesses pessoais.

- Ciel: Que tipo de interesses? 

- Alois: Assim como eu você tem contrato com um demônio, isso chamou minha atenção.

- Ciel: Você sabe que ele não vai parar até me encontrar, né?

- Alois: Estamos esperando ansiosamente.

- Claude: Devo levá-lo ao quarto de hóspede, mestre?

- Alois: Não, leve-o para meu quarto e o vista, já irei subir.

O mordomo apenas acena com a cabeça e leva Ciel antes que tivesse a chance de reclamar.

- Claude: Venha, me deixe te vestir.

- Ciel: Se afaste de mim, não preciso de você, droga...

- Claude: Você não consegue ao menos abotoar sua camisa, poupe meu tempo e pare de reagir.

Ciel fica parado ao ver a alteração de humor do mordomo e decidi não irritá-lo, depois de um tempo Alois entra no quarto.

- Alois: Ainda está aqui, Claude?

- Claude: Desculpe-me mestre.

- Alois: Tudo bem, conte-me como foi na mansão Phantomhive. (Olha para Ciel e sorri).

- Claude: Fiz tudo o mais rápido possível, antes que notassem minha presença.

- Alois: Bom...ele não parece ter aceitado vir, como não houve complicações?

- Claude: Quando me aproximei não houve muita reação da parte dele.

- Ciel: Está falando da parte em que provou meu sangue e começou a me olhar sedento me impedindo de ter coragem de fazer qualquer coisa?

Alois vira um olhar mortal para o mordomo parado em seu lado.

- Alois: Como é, Claude?

- Claude: Não pude impedir, seu sangue estava em minha pele, decidi prová-lo e até mesmo demônios tem suas preferências. (Olha para o loiro com um olhar de desprezo).

- Alois: O que quer dizer com isso, merda...então é assim que as coisas são para você, se não te agrada você simplesmente acha outra que considera melhor, você é meu e de mais ninguém entendeu? Não pense que faz o que quer comigo e depois pode agir como se não sentisse nada.

Alois começa a ter uma recaída e o mordomo percebe ao vê-lo cabisbaixo e rangendo os dentes, então tira sua luva se aproxima e coloca sua mão com a marca do contrato sobre a boca do garoto como se tentasse lembrá-lo que não deve agir de tal maneira, pois alguém que possui contrato com um demônio não deveria se deixar levar pelas emoções.

- Claude: Enquanto estivermos unidos por esse contrato, não sairei do seu lado até que sua alma seja completamente minha.

Seus olhos não escondiam a tristeza que sentia, mesmo assim Alois o olha sorrindo, como se estivesse aliviado em saber que não iria perdê-lo.

- Alois: Claude...

Enquanto isso na Mansão Phantomhive...

Sebastian estava na cozinha com Bard e se da conta de que já fazia um bom tempo que se retirou do quarto e Ciel ainda não havia o chamado.

*Sebastian*

Será que ainda está mal-humorado? talvez seja melhor conferir como ele está, sinto uma sensação estranha...

*Toc toc*

- Sebastian: Bocchan...posso entrar?

Ele estranha a falta de resposta, mesmo que Ciel estivesse morrendo de raiva não iria ignorá-lo, até que nota a ausência do garoto e entra no quarto.

- Sebastian: Bocchan...

O mordomo fica inquieto e o procura, não estava em lugar algum, até que algo o incomoda...

- Sebastian: Esse cheiro...não é possível, não me diga que...droga...

O ódio estava estampado em seu rosto, seus dentes rangendo e suas mãos fechando com toda a força que tinha, os olhos se tornando vermelhos e suas sobrancelhas franzindo, em pensar que seu mestre estava nas mãos de outro demônio...nunca havia se sentido tão vulnerável.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Opa opa, espero que tenham gostado. :3 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...