História Meu Lar - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Emma Swan, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen
Visualizações 282
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláaa! Boa tarde!

Boa leitura!

Capítulo 19 - Emaranhando-se.


 

 

Quando as mãos de Emma alcançaram a cintura fina de Regina, os corpos se projetaram para frente e se chocaram contra o chão arenoso. As risadas eram soltas, sendo engolidas por cada onda que quebrava no mar. O olhar de Mills que, por baixo de Emma estava, refletia o brilho insistente da Lua que brilhava no Céu.

— Realmente, não sei o que é mais bonito... — segredou Swan, arrancando uma breve risada da namorada, que tentou esconder o rosto por entre as mãos. — Meu amor?

— Estou com vergonha! — disse em voz baixa.

— Pois não deveria. Olha pra mim... — Emma pediu, carinhosamente, enquanto acariciava as mãos da morena que, rapidamente, retirou-as de frente o rosto. — Ah, parece que é boba!

— Boba por você, só se for... — disse a morena, fazendo Emma se corar dos pés a cabeça. — Mesmo com tantos cheiros, eu ainda prefiro e consigo sentir o seu de forma veemente.

— Amor, eu quer...

— Não, você não quer nada. — Regina desviou-se dela, pôs-se de pé e voltou a correr pela areia. — Vem!

A loira foi correndo atrás dela, e logo chegaram perto das pedreiras da praia. Algumas pedras que formavam pequenas grutas. Regina olhou Emma, piscou um olho e adentrou uma fresta entre uma pedra e outra. A loira sorriu e foi até ela, já enlaçando-lhe o pescoço para que pudessem iniciar um beijo calmo, lento e cheio de umidade. A mão de Mills desceu para o meio das pernas da namorada, que as afastou para dar mais espaço.

— Se você me atiçar e depois sair, Regina... — Swan disse entre o espaço do beijo. — Eu juro que te jogo naquela água...

— Shhhhh! Aproveita, loira! — Mills não deixou que a mulher respondesse e foi logo invadindo sua boca com a língua, novamente. Emma foi tentando se livrar da blusa de Regina, mas a morena não deixou. Afastou-se da namorada e, lentamente, foi retirando suas peças de roupa, mesmo com Emma negando com a cabeça.

A morena balançava o quadril de um lado para o outro, dançando a música que as ondas ofereciam naquela noite tão silenciosa. A loira mordeu o lábio inferior, lutando contra seus sentidos para não puxar Mills de volta para os seus braços e amá-la intensamente sobre aquela areia, por entre aquelas pedras.

Regina jogou a cabeça para o lado e desceu até o chão, subiu empinando para Emma, que deu-lhe um tapa em uma das nádegas que, rapidamente, passou a carregar a marca dos dedos da loira.

— Está muito vestida, amor. — disse a morena, caminhando em direção a Swan. — Deixa que eu te ajudo.

— Você não tem medo de nos pegarem aqui? — questionou a loira, em meio a uma risada. Regina riu, negou com a cabeça e depositou um beijo em sua bochecha.

— Está com medo? — foi a vez da morena questionar, enquanto se livrava da parte de baixo da roupa de Emma. — Creio que a cidade esteja dormindo, e que outras pessoas estejam fazendo o que vamos fazer daqui a pouco.

— Hum... — as duas riram, antes de Regina sentar-se sobre o colo de Emma e abraçar-lhe pelo pescoço. A universitária sustentou o olhar da ex morada de rua, sentindo-se completa com o amor que enxergou através das íris morenas de Regina. Passou os dedos pelos fios negros da franja e os jogou para trás do ombro. Abaixou um pouco a cabeça e beijou toda a extensão da pele desnuda da morena, indo do pescoço ao ombro, e de um ombro ao outro, passando pelo colo.

A mão direita de Mills foi para a nuca da namorada, onde um carinho intenso se iniciou. A boca quente de Emma encontrou um dos mamilos da mulher a sua frente, e as chupadinhas tímidas logo se intensificaram. Regina tombava a cabeça para trás, mantendo os olhos fechados como forma de sentir com mais veemência os carinhos da loira em sua pele.

 

 

Beijos de Hortelã – Ivete Sangalo ♪

 

 

“Quanto mais eu me vejo em você

Mais eu guardo um segredo

A vontade de dizer

Que é maior o que há em meu coração...”

 

 

Os olhares se encontraram novamente, e o sorriso fora inevitável. Mills beijava o rosto de Emma com carinho e calma, obrigando seus lábios a decorar toda a face da loira, para que jamais a confundisse com alguém. Ser de Emma, para Regina, não significava nada, como também tinha todo o significado do mundo.

Beijos...

Beijos gravam, viram lembranças e são capazes de curar feridas. Já beijou alguém hoje? Um beijo é capaz de demonstrar um amor silencioso ou o mais barulhento deles. Já beijou alguém hoje? Um beijo pode abrir uma ferida, mas também pode curá-la de dentro para fora.

Já beijou alguém hoje?

 

 

“...Que navega em sonhos

Pra te encontrar

E desperta um beijo, com desejo

Te roubar na luz do luar, beijos de hortelã

Mordiscar teu sono

Te amar, na luz da manhã...

 

 

Emma deitou-se sobre as próprias roupas, trazendo Regina consigo. A necessidade de senti-la era enorme, mas a de estar com ela, era ainda maior. Deitou-a sobre seu peito arfante, e permaneceu ouvindo o som de sua respiração. A morena entendeu e apenas relaxou sobre o abraço acolhedor que sua namorada tinha.

— "Quando a lua apareceu. Ninguém sonhava mais do que eu. Já era tarde. Mas a noite é uma criança distraída. Depois que eu envelhecer. Ninguém precisa mais me dizer. Como é estranho ser humano. Nessas horas de partida. É o fim da picada. Depois da estrada começa. Uma grande avenida. No fim da avenida. Existe uma chance, uma sorte. Uma nova saída. São coisas da vida. E a gente se olha, e não sabe. Se vai ou se fica. Qual é a moral? Qual vai ser o final. Dessa história? Eu não tenho nada pra dizer. Por isso eu digo. Que eu não tenho muito o que perder. Por isso jogo. Eu não tenho hora pra morrer. Por isso sonho..." — disse Emma, suspirando ao fim do poema.

— Que lindo, meu amor! — Regina levantou a cabeça para olha-la. — Afinal, qual é a moral dessa história?

— Se for estar com você, não me importo com o final dessa história. — disse Swan, dando um selinho demorado nos lábios da namorada, que deu outro, outro e outro, fazendo a loira rir.

 

 

“...Te roubar na luz do luar, beijos de hortelã

Mordiscar teu sono

Te amar, na luz da manhã

Vem pra mim...”

 

 

— Já está amanhecendo, sua beijoqueira. — Emma alertou. — Eu ainda quero te amar, mas não aqui. — olhou ao redor. Regina fez um bico divertido, fazendo com que a namorada a beijasse novamente.

— Sabia que eu te amo? — a morena questionou. — Eu te amo tanto...

— Eu também, muito mais do que você consegue imaginar nessa cabecinha. — Emma deu algumas batidinhas na cabeça da morena, que riu.

— Vamos?

— Não. — respondeu imediatamente. — Estou carente!

— Quando decidiu isso? — Regina ria.

— Decidi agora. Estou carente e preciso continuar sentindo o seu calor, enquanto faço carinho nessa maravilha... — disse Emma, segurando o riso ao perceber que Regina não havia notado que, em todo momento, a loira acariciava sua bunda.

— Amor, é tudo seu e você pode fazer isso no quarto do hotel... — disse.

— O que foi? Está com vergonha? — Emma riu. — Nem parece que fez uma dança sensual e se livrou de todas as roupas agora pouco.

— Eu fiz isso? — a morena a olhou, incrédula. — Céus, como bebi naquela boate... — brincou.

— Ah, com certeza deve ter bebido muito... — Emma revirou os olhos, recebendo um tapa no ombro. Beijaram-se uma vez mais, antes de se levantarem para se vestir e voltar para o hotel.

 

 

♥♥♥

 

 

 

 

 


Notas Finais


Já beijou alguém hoje?

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...