História Meu meio irmão - Shawn Mendes - Capítulo 37


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Shawn Mendes
Visualizações 195
Palavras 886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amores eu iria postar os capítulos hoje, mas infelizmente deu um bug no meu celular e apagou os capítulos, tenho que reescrever todo de novo e não é fácil fazer um capítulo TOP KKK

Capítulo 37 - Thirty seven


P.O.V Shawn Mendes

Depois de acabar a conversa com Amanda, peguei uma blusa e sai. Fui até o apartamento do Justin Bieber, eu teria que para-lo e era capaz de Amanda fazer uma loucura pra sua mãe não descobrir, toquei a campainha e depois de dois minutos ele abriu.

— O que você quer moleque? – diz ele após abrir a porta.

— O que você quer com a Amanda, seu desgraçado. – digo encostando em seu peitoral, o empurrando tentando entrar.

— Sai da minha casa, moleque. – ele diz tentando proibir minha passagem.

— Me responde seu otário. O que você quer com a Amanda. – falei assim que consegui entrar.

— Eu quero ela ue.

— Você não tem noção não? Ela é filha da Pâmela seu idiota, você quer pegar as duas?

— Ué, você é bem engraçado né. – ele debocha. — Você pega sua irmã e tá nessa? Eu não sou absolutamente nada dela, apenas pego às vezes, quero mesmo é a Amanda.

— Você é um idiota, se você não deixar-la em paz vou ter que sujar minhas mãos de sangue. – falei nervoso

— Sério? Logo você? – ele debocha

— Não debocha de mim, seu filho da puta.

— Cara olha o seu tamanho, você é um filhinho de papai ainda, não tem capacidade pra matar alguém. – ele rir debochando

— Já falei pra parar de debochar de mim, seu desgraçado.

— Se eu não parar, vai fazer o que? – ele rir. — Ah, falando da Amanda ela é muito gostosa né, tem uma boceta que só Deus.. é aquele gemido. Só serve pra isso mesmo, para o sexo, porque é uma vadia.

— Cala a sua boca, não vou admitir que fale assim dela. – falei já impaciente e soltei um soco em sua cara

— Você está fodido, moleque. – ela diz e em seguida devolve o soco. E ali ficamos se pegando na porrada, eu não iria admitir que ele falasse aquelas coisas dela e eu estava muito bolado.

— Para com essa porra os dois, caralho. –  a voz da Amanda ecou pela sala e logo ela separou nós dois. — Caralho, vamos pra casa. Não era nem pra você vir nessa merda.

— Já que está aqui, podemos ir ara o quarto né gostosa. – disse Justin limpando o sangue que escorria dos seus lábios.

— Vai se foder, Justin Bieber! – falou Amanda o olhando com ódio

— Você quer que eu vá quebrar sua cara novamente, seu otário. – falei saindo dos braços de Amanda, mas ela foi mais rápido e me segurou pelo braço.

— Vem. – ele disse debochando novamente. Esse cara merece morrer de tanto debochado que é. Amanda me tirou dali e fomos pra nosso apartamento.

— O que aconteceu, meu Deus? – perguntou Pamela se levantando do sofá assustada quando entramos

— Foram saltar ele, mãe, então ele reagiu por sorte dele não estavam armados. – Amanda mentiu, foi a melhor forma que ela encontrou e não daria pra falarmos que briguei com Justin por causa dela.

— Meu Deus, nunca mais faça isso Shawn e se eles tivessem armados? Você poderia está morto agora. – ela falou exaltada.

— Mas estou vivo, isso que importa. – disse.

— Senta aí Shawn, vou pegar o kit de primeiros socorros pra limpar isso aí. – ela disse e saiu.

Depois de alguns minutos ela voltou e sentou ao meu lado, pegou um algodão e o álcool e começou a passar no canto da minha testa.

— Aí porra, isso dói. – disse afastando um pouco minha cabeça

— Quem mandou arrumar briga. – ela sussurrou

— Anda, limpa isso logo. – falei.

Ela terminou de limpar tudinho e depois fui tomar um banho. Quando sai ela já estava no quarto, então lembrei de perguntar porquê minhas roupas não estavam na mala.

— O Amanda, por que minhas roupas estão no guarda roupa? Esqueceu que vou embora? – falei passando a toalha em meu cabelo

— Você não vai mais, liguei para nosso pai e ele deixou você ficar mais um tempo até eu decidir ir também. – ela disse e eu não consegui controlar o sorrisão que estampou em meu rosto e minha vontade de ir lhe abraçar.

— Que bom, obrigado por isso. — falei lhe abraçando. Ficamos ali por alguns minutos, logo nossos olhares se cruzaram e em seguida nossas bocas fazia tempo que não sentia o gosto do seu beijo e não pude me conter. Depois do que ela fez por mim, pude perceber que ela gosta realmente de mim e parece que mudou, por que não arriscar?

Encerramos um beijo com selinho e sorrimos um para o outro.

— Que saudades do seu beijo. – ela disse e eu concordei. — Será que poderíamos fazer algo a mais?

— Hoje não, vamos com calma. – falei. Eu não iria transar naquele momento com ele, por mais que estivesse com vontade eu tenho que testa-la mais um pouco não quero ser apenas seu brinquedinho sexual.

A soltei e ela sentou na cama e eu ao seu lado.

— Não acredita em mim né? Que eu gosto de você. – ela disse

— Claro que acredito, mas não quero ser apenas um brinquedinho, ah sei lá Amanda tenho que confiar mais em você.

— Tudo bem, eu espero. – ela disse

— Que bom que me entende. – virei seu rosto pra mim e lhe dei um selinho em seguida deitei em meu colchão e fiquei pensando o que faria com minha relação com a Gabi.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...