1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Um Final de Semana

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 43


Escrita por:


Notas do Autor


oiiiii pessoinhas

vocês estão bem? Espero que sim

Capítulo de hoje, apenas para descontrair um pouquinho, antes de entrarmos em todo o clima tenso que começa a Ordem da Fênix.

Espero que gostem.

Boa Leitura!!!

Capítulo 43 - Um Final de Semana


Os meses de julho e agosto foram tão rápidos. Em breve voltariamos. Todos pareciam estar melhor sobre o ocorrido em Hogwarts em janeiro, mas boatos e boatos começaram a surgir sobre você-sabe-quem e claro como já é de se esperar. A culpa sempre cai para o lado mais fraco, muitos diziam que Harry estava mentindo sobre o que virá quando tocará o cálice, que ele só havia usado isto como desculpa para não passar como assassino de Cedrico, mas quem convive sabe que ele nunca faria algo assim ou mentira sobre algo tão importante.

Houveram muitas coisas e uma delas me deixou de coração partido, Dumbledore nós proibiu de enviar qualquer carta ou tentativa de comunicação com Harry no mundo dos trouxas. Isso me deixará tão triste durante este tempo todo. Eu apenas conseguia pensar nas coisas que neste momento se passavam pela sua mente, sem notícias sobre nenhum de nós. Poderíamos tentar fazer algo, mas acabariamos sendo descobertos de alguma maneira, então é muito melhor evitar problemas, já que Dumbledore assegura que Harry está bem, não sei como.

Atualmente não sabemos o que ministério está planejando, apenas que no Profesta Diário, Cornélio insisti em afirma que não há perigo algum, que é mentira, essas coisas todas.

— Venha Serena— minha Tia chama e me sento ao seu lado deitando em seu colo
— Serena, você já não é mais criança— ouço Dora dizer— você contou a mamãe o que havia me dito Serena?— a encaro
— Aahh eu não quero falar sobre isso— respondo
— É sobre o que?— Tia Andromeda pergunta— algum garoto?— vejo Dora concordar
— Ei!— chamo sua atenção
— Quem é?— pergunta— eu conheço.
— Claro que a senhora conhece mamãe, está próximo demais de nós— Tia Andromeda olhava em meus olhos a procura de respostas enquanto eu sorria— será que teremos uma futura senhora Malfoy?
— Dora!— escondo meu rosto com a palma das minhas mãos
— Serena? Isso é verdade? Você está de namorinho com o meu sobrinho?— pergunta
— Tia, eu não quero falar sobre isso não.
— Mas por que?— pergunta— tenho certeza que você não conseguiria falar com o seu pai sobre.
— Ele nem sabe ainda— respondo
— Como não Serena?!
— Tia...— levanto— a senhora sabe como é difícil, eu falar com o meu pai sobre algo assim e eu nem sei se isso entre mim e o Draco é algo que terá futuro.
— Por que diz isso? O que houve ele te fez algo?

E assim lembro do que Harry havia me dito sobre o Lucio Malfoy, antes de entrarmos de férias. Ele era um comensal da morte, assim como Igor. Eu fiquei preocupada, quer dizer se o Lucio Malfoy estava junto do Lord das Trevas, então a intenção é matar meu irmão e Draco nunca me falou sobre isso. Eu tenho dúvidas, ele disse que tinha algo no qual precisava me contar, mas não estava pronto por não se sentir seguro o suficiente para dizer e eu tenho certeza que é algo relacionado a isso. Nos encontramos muito pouco durante as férias e claro se papai saber, como eu havia dito não contei a ele nada sobre nós dois e eu ainda nem sei se haverá futuro. A cada semana uma carta chega de Draco, eu tento pelo menos com ele ter contato é meio complicado, ainda sim eu queria que tivéssemos contato um pouco mais presencial, porém não sei o que ele tanto faz que não pode estar presente, em que ele anda tão ocupado.

Tudo isso só me deixava cada vez mais pensativa e insegura. No começo do ano, na noite em que Harry levou uma bronca de meu pai e sem querer acabou atrapalhando a conversa junto de Igor Karkaroff, ele disse que havia visto a tatuagem, a mesma tatuagem que o comensal Bartô que se disfarçou a maior parte Alastor Moody roubando as ervas do estoque de meu pai para tomar a porção polissuco, tinha em seu braço. Meu pai estava vendo essa tatuagem, então ele sabia de Igor, mas ainda sim eu não compreendia e as minhas dúvidas sobre o mesmo também ter sido ou ser comensal estão me deixando ainda mais pertubada.

— Olhe Serena, chegou uma carta de seu pai— Dora se aproxima com a carta em mãos e me entrega

Me levanto rápido para abri-lá e sorrio alegre ao terminar de ler.

— O que foi que Severus disse que te fez ficar tão feliz?— Tia Andromeda pergunta
— Ele disse que virá me vez este final de semana— respondo
— Ótimo— diz Dora— assim você pode matar a saudades dele e ficar menos deprimida aqui— me abraça— eu ainda não acredito que você cresceu tanto. Ainda não sei como lidar? Você acredita que eu ainda me lembro de quando seu pai te trouxe para morar conosco?— pergunta
— Era tão pequena, tão calma— minha Tia parecia estar emocionada se lembrando daquele momento— quando aceitei ficar com você, foi em um período tão complicado. Seu pai desesperado naquela época por conta de sua mãe. Eu nunca me senti tão mal ao vê-lo como ele ficou ao te entregar e olha que a versão que eu conheci de seu pai e a mesma que você vê em sala de aula.
— Eu não entendo o porquê ele é tão frio a maior parte do tempo, mas também é ainda mais óbvio o fato pelo o qual ele nunca me fala sobre.
— Um dia ele te contará tudo Serena.
— Esse dia só parece ser muito distante...

Como prometido ele viria passar a tarde comigo, porém Dora precisaria sair para resolver uns problemas e talvez não volte hoje e minha Tia também, imaginei que seria ao contrário, mas tudo bem.

Por mais que estivéssemos grandinhas, Dora e eu nunca perdemos o costume de fazer as nossas brincadeiras. Eu estava tão distraída que não havia percebido sua chegada até ouvi-lo.

— Oii— corro até o mesmo
— Você está bem?— pergunta
— Sim...— me afastou
— Bom, preciso ir— minha Tia se afasta— até mais tarde— fecha a porta

Surpreendentemente o mesmo me abraçar novamente. Me sinto confortável e segura agora, desde o último dia nós não nos encontramos e eu queria saber o que ele ficou fazendo esse tempo todo.

— O senhor não veio— falo
— Peço desculpas por isso Serena, mas houveram muitos problemas desde que Harry afirmou que o Lord das Trevas retornará.
— Que problemas?— pergunto
— Eu não posso te dizer, mas para que não fique preocupada, posso assegurar que está tudo bem.
— Eu nem tenho certeza disso— me afasto
— Serena, não dúvida estou falando a verdade.
— Então, por que não podemos enviar cartas ao Harry?— pergunto
— Dumbledore achou que fosse melhor assim.
— Por que?
— É complicado Serena e confidencial.
— Como sempre— respondo
— Eu queria poder te contar tudo...— desliza sua mão pela a minha bochecha— conforme você está crescendo tem se tornado cada vez mais impossível, mas não posso.
— Então, o senhor poderia me contar algo menos impossível— respondo
— Que seria?
— Sobre a mamãe, me fale mais sobre ela por-favor papai? O que custa? Não há nada demais.
— Certo...Eu irei falar algumas coisas sobre ela que eu me lembro muito bem— me sento novamente— mas, antes eu só queria dizer que por mais que ela não esteja presente fisicamente, eu a vejo todas as vezes que olho para você e até mesmo para o seu irmão, mesmo eu não tendo uma boa relação, é inevitável olhar em seus olhos e não me lembrar dela. Mesmo assim, ela ainda vive próximo a mim. Sempre...


Notas Finais


espero que tenham gostado.

Até a próxima!!!♥️🦁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...