1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Falsas Esperanças

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 49


Escrita por:


Notas do Autor


Eae? Boa noite pessoas.

Eu precisava, necessitava postar esse Capítulo logo, eu escrevi revoltada e tenho certeza que você também irão ficar, mas é claro o amor tudo supera, então boa leitura.

Capítulo 49 - Falsas Esperanças


No dia seguinte quando acordei, papai já havia acordado e apenas estava me esperando.

— Bom dia— falo
— Bom dia Serena, como se sente?— pergunta
— Sem ânimo— respondo
— Mas, você precisa ir, sua primeira aula será com a Umbridge e não deve se atrasar— levanto

Tento me arrumar o mais rápido possível, tenho certeza que estavam sentindo falta de mim, mas como Draco estava junto de meu pai e agora me lembro de perguntar o qur os dois estavam fazendo, porém voltando, tenho certeza que ele tenha avisado.

— Papai?— o chamo no meio do corredor
— Fale Serena.
— O que o senhor e o Draco estavam fazendo juntos ontem?— pergunto começando a me sentir ansiosa e com medo
— Achou que eu não sabia Serena?
— Não sabia o que?— pergunto assustada
— Serena, você pode tentar esconder o que for, mas nada passará despercebido. Você e o Draco...— paramos no meio do corredor— estão juntos.
— Papai por-favor? Eu iria te contar, eu juro que iria te contar, mas eu estava com medo o senhor havia dito um dia que não...
— Serena, eu acho isso muito precoce. Aos meus olhos você continua sendo uma criança, a minha menininha, mas a minha resposta você já sabe. Eu não irei permitir.
— O senhor sabe que eu não irei me separar dele?— pergunto séria
— Sem gracinhas Serena. Eu não estou pedindo.
— Isso nao me importa, o Senhor achou que eu nunca fosse crescer? Pois bem, pelo ao contrário. Irei deixar algo bem claro senhor Snape, se interferir em algo entre mim e Draco ou tentar qualquer coisa, pode me esquecer.
— E eu irei deixar algo nem claro a você. Preste muita atenção no que faz, eu não quero saber absolutamente de nada, não quero ver os dois grudados perto de mim, sem brincadeiras pelos corredores, você entendeu Serena? Eu não quero saber de vocês dois juntos.
— Pois então, sinto muito em informa-lo, mais eu não farei— segura meu braço com força— me solta.
— Me desafie e será pior.
— Vai me deixar de castigo?— pela primeira vez olho fixamente em seus olhos sem desviar— vai me bater?
— Serena não brinque comigo. Você nao imagina do que sou capaz.
— Acha que me ameaçando vai conseguir algo?— consigo me soltar e me viro sem dizer nada
— A sua garota abusada— me empurra na parede— quando eu estiver falando com você, não vire-se para mim— ele estava nervoso, sua pele pálida agora ganhava uma tonalidade avermelhada em suas bochechas— eu ainda sou seu pai e voce querendo ou não deve me obedecer.
— Então, se me vê assim apenas como um animal que recebe ordens e faz tudo o que manda, poderia ter me deixado para morrer quando a mamãe...— sinto sua mão atingir meu rosto rapidamente
— Você nunca mais pense em me dizer isso Serena.
— Eu te odeio!— o empurro e saio correndo

Vejo o mesmo entrar em sua sala para começar a aula e eu apenas continuo a caminhar até o segundo andar para a sala de D.C.A.T.

Eu estava muito nervosa e ainda sim chateada e brava, eu queria saber o que os dois haviam conversado, Draco não me contou porque sabia que eu não iria querer e muito menos deixar ele fazer isso, pois no fundo mesmo havendo esperanças eu já imaginava que sua resposta seria não. O senhor Snape é muito imprevisível, você nunca sabe o que ele está pensando e muito menos consegue compreender a complexidade de suas ações. É um verdadeiro enigma, ele controla muito bem suas emoções.

A aula toda eu fiquei quieta sem dizer absolutamente nada e apenas queria chorar. Meus amigos haviam percebido que algo de errado estava acontecendo comigo, mas eu não tenho certeza se queria conversas. Já não bastava o que havia ocorrido, aquela mulherzinha com cara de sapo, passou a aula inteira me provocando, eu ainda iria me vingar dela. Até parece que eu vou deixar algo assim passar em branco. Cruel, arrogante e totalmente desprezível.

Hoje eu teria treino do quadribol, porém eu estranhei algo, já que o time da Grifinoria faria parte também. Pedi para que me deixassem apenas a assistir, eu não estava com ânimo para absolutamente nada.

No vestiário, enquanto estava fechando meu armário sinto alguém atrás de mim, me viro e encosto no mesmo. Eu já imaginava quem era e precisava mudar essa minha cara de deprimida.

— Boa tarde senhor Malfoy— falo
— Como se sente senhorita Snape?— suas mãos pressionavam o armário me encurralando
— Bem podemos dizer, mas você eu já não diria o mesmo. Você enlouqueceu Draco?— altero a minha voz— de onde surgiu a idéia de falar com meu pai sobre o nosso namoro sem me consultar? Não passou na sua cabeça que ele poderia ter te matado? Ou melhor nós dois?— pergunto
— Que isso Serena, que exagero meu amor— beija meu pescoço delicadamente— o professor Snape gosta de mim.
— Aahh claro— respondo
— Tenho certeza que se eu não tivesse feito nada, seu pai não ficaria sabendo tão cedo de nós dois.
— Eu iria contar a ele...— sussurro
— Iria mesmo? Ou você a diária mais alguns meses— seus beijos eram irresistíveis, para a nossa sorte não havia ninguém aqui— mesmo recebendo um não e uma baita bronca do seu pai, ainda sim não desistirei, pois você é a minha ambição.
— Draco, por que faz isso comigo?— coloco minhas mãos sobre a sua cintura
— Porque sei que você não consegui resistir— puxo seus cabelos e fico na ponta dos pés para alcança-lo
— Preciso ir— sussurro próximo aos seus lábios
— Só mais um pouco...— me empurra contra o armário me beijando
— Se caso eu me lembre, aqui não é lugar para fazerem isso— nos separamos rapidamente
— Bless— Draco rosna ao vê-lo— não estamos fazendo nada demais, apenas o que dois namorados fazem. Algum problema com isso?— ele parecia estar intimidando e percebo que Will havia se irritado com o mesmo
— Bom, por mim tanto faz, mas se algum professor, principalmente o professor Snape entrasse aqui e encontra-se vocês dois juntos, tenho certeza que não teriam bons finais.
— E por que está preocupado com isso?— Draco pergunta— não é problema seu.
— Draco, chega— seguro sua mão— vamos embora.
— Tome cuidado Malfoy— ouvimos Will dizer assim que saímos— ou pode acontecer algo que você não goste.
— Você está me ameaçando?— Draco solta a minha mão e camisinha em direção ao mesmo— o que foi Bless? Está com algum problema conosco? Ciúmes de Serena? Já não é de hoje que percebo as sua bipolaridade quando se trata dela. O que foi? Não consegue aceitar que ela gosta de mim e você ela só vê como amigo?
— Que história é essa?— pergunto sem entender— isso é mentira? Não é Will?— olho para ele que estava vermelho, ardendo em raiva
— Ora seu idiota, eu vou te matar— entro no meio dos dois
— Parou!— empurro Draco— enlouqueceram agora? Ninguém vai brigar aqui não. Você Will depois conversamos e você Draco, vem comigo— me encara— eu não estou pedindo— o mesmo me segue e seguro seu braço
— Não terminamos aqui— vejo Draco se virar e ameaçar Will
— Cala a boca Draco— falo

Nos sentamos no pátio e logo começo interrogatório por trás da discurssao de alguns minutos atrás. Eu queria saber o que estava acontecendo, além do mais para mim, nada daquilo fazia sentindo.

— Vamos Draco— falo de braços cruzados em sua frente— está esperando um convite?
— Não sei porque está brava— responde desviando seu olhar do meu
— Eu não estou brava Malfoy!— respondo alterada— eu estou falando com você.
— Me chamou pelo meu sobrenome Serena, você está brava— percebo que era verdade
— Me desculpe— peço e me sento ao seu lado novamente— mas, me diga o que foi aquilo.
— Bom— ele encarava o gramado— eu antes do baile de inverno, Will me confessou algo sobre você.
— Que seria?...
— Ele disse que estava gostando de você, mas não sabia como chegar para te dizer— o encaro sem reação, não havia palavras para dizer. Eu era meu amigo, não me lembro de ter dado a entender algo— mas, eu também estava gostando você e consequentemente ele ficou bravo comigo após eu ter te chamado para ir ao baile.
— Nenhum de nós tem culpa sobre isso. Eu não queria que isso tivesse acontecido.
— Como você disse não temos culpa, então não pense que foi por causa de você.
— Mas, ele criou esperanças sobre mim. Eu nunca dei a entender que queria algo.
— Por que faz isso?— pergunta
— Faz o que?— respondo com outra pergunta
— Coloca como se fosse a culpada de algo que você não teve intenção? Serena, você não precisa pensar desse jeito.
— Você tem razão— beija suavemente minha mão
— Me promete que você esquecerá isso?— pede olhando em meus olhos
— Prometo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Até a próxima!!♥️🦁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...