1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. A Verdade Sobre O Garoto Arrogante

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 59


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia pessoas. Boa tarde e boa noite.

Eae? Tudo bom?

Capítulo de hoje um pouquinho mais aperfeiçoado no casal da história, espero que gostem e boa leitura!!!

Capítulo 59 - A Verdade Sobre O Garoto Arrogante


Corremos todos pela outra saída da sala, mas mesmo assim o grupinho recrutado por Umbridge já estava a espera e com isso muitos foram pegos. Harry segura em minha mão e tentávamos nem olhar para atrás, mas o mesmo havia sido atingindo por um feitiço e caído no chão.

— Harry!— me agacho
— Vai Serena! Se eu pai não gostará se você estiver envolvida— me levanto e corro

Enquanto eu virava mais um dos corredores, percebo que mesmo assim havia alguém atrás de mim. No mesmo instante sinto alguém me puxar por trás me impedindo de gritar. O mesmo havia me arrastado até a sala de adivinhação e fechado a porta.

Estava tudo escuro, então não havia como eu dizer de quem se tratava, mas apenas o toque e o cheiro já entregavam.

— Me solta!— me viro para tentar empurra-lo— eu te odeio Draco, como pode...— Antes que eu podesse terminar, sinto seus lábios pressionaram os meus agressivamente

Me entreguei, esquecendo até mesmo o que eu iria dizer. Era curioso, mesmo que já havíamos nos beijado outras milhares de vezes, esse era diferente.
A paixão continha um tipo de conservante que não nos deixava livres, tornando nosso beijo ainda mais necessitado. Agarro sua nuca e o puxo pela cintura, fazendo com que nossos corpos ficassem mais colados. Suas mãos exploravam meu corpo delicadamente ao mesmo tempo, me fazendo morder os lábios devagar.

O que menos importava naquele momento era o tempo de duração, se tornando o fator mais insignificante para mim. Não foi preciso de muito e eu já estava completamente delirante ao seu corpo. Seus lábios deslizavam pelo meu pescoço, depositando leves selares, enquanto uma de suas mãos apertava o interno de minha coxa, e eu por impulso sem pensar nem um pouco, abria lentamente os botões de seu paletó.

Eu queria decorar como é se sentir totalmente presa por ele, à ele. Queria lembrar o cheiro e a textura do pescoço dele. Ele segurava meu rosto entre suas mãos e eu tentava dar o máximo de mim naquele beijo. Nessa hora, não existia nenhuma mágoa de ninguém; só o que demonstravam eram as coisas boas que sentiam, a pureza apaixonada, a inocência.

— Me perdoa— sussurra e sinto algo escorrer entre nossos rostos

O mesmo se afasta e estranho, pego a minha varinha e sussurro para a mesma. "Lumos". Só poderia ser um grande delírio de minha parte, Draco estava chorando. Seguro suas mão e com a outra seguro seu rosto, acariciando sua bochecha.

— Draco o que aconteceu?— pergunto
— Eu não queria que fosse assim Serena.
— Quer falar sobre isso?
— Eu tenho certeza que você pensa milhares de coisas ruins sobre mim, mas eu preciso te dizer que eu não faço nada disso por vontade própria, eu me sinto obrigado a fazer. Meu pai ele...
— É difícil?— o vejo concordar— Draco, eu não posso dizer que consigo compreender ainda, porque eu não sei o que acontece com você e seus pais, não sei o que se passa com você, mas acredito eu, que seja totalmente desgastante e frustrante. Você precisa manter a reputação da família e tenho certeza que sendo filho único, isso deve ser horrível. E seu pai, sinto que ele coloca muita pressão em você, estou certa?
— Sim— responde

Eu jamais imaginei que um dia viria Draco dessa forma, claro já vi milhares de vezes ele irritado, frustrado e cabisbaixo por conta de seu pai, mas nunca até então o vi desse jeito, ta o aberto a dizer algo e demonstrar estar mal e sofrendo por alguma causa.

— Como eu não posso me redimir para os outros, irei me redimir a você, porque sei que é a única que poderá ver em mim o que outros jamais conseguiriam ver, é uma qualidade excelente sua e que creio ter herdado. Sinto muito por tudo o que já fiz com seu irmão, sinto muito pelas vezes que matratei o Weasley e a Granger, confesso que algumas vezes foi por inveja.
— Inveja?— pergunto surpresa— Draco? Se você soubesse o quão incrível é.
— A maioria de nós age desse jeito, alguns por motivos bem pessoais e outros por pressão dos pais.
— Conheço muitas pessoas que foram da sonserina, mas pensam exatamente ao contrário ou agiram de forma contrária, sua tia é um exemplo disso.
— Sim, Andrômeda foi deserdada da família por ter se casado com um nascido-trouxa.
— Não se preocupe mais com isso, quando se tratar de mim— depósito um selinho em seus lábios— não é fácil para você.
— Precisamos ir, a Umbridge deve estar me esperando em sua sala.
— Mas, haviam outros alunos da Sonserina que foram pegos.
— Você acha que prejudicaria a minha casa? Claro que não Serena, por mais que eu não goste de Will.
— Mas, estava trabalhando com ele não é?— revira os olhos
— Existem momento que não posso evitar. Meu pai tem relação direta com a escola, se por acaso ele ficar sabendo do envolvimento de vocês, eu não gostaria que ele passasse a odiar principalmente você.

Eu estava tão confusa, ainda parecia ser mentira. Ele realmente havia demonstrado algo tão forte.

Saímos e claro eu precisei ir para não ter problemas, infelizmente, mas ainda sim queria ir até a sala de Umbridge, pelos os outros, não queria deixar com que fosse prejudicados, claro que tenho certeza que muitos conseguiram escapar.

Eu havia encontrado Hermione que por acaso não estava na sala de Umbridge, estranhei obviamente, mas a mesma me contou o que havia acontecido. E de alguma forma, Cho havia contada sobre "A Armada de Dumbledore". Foi como a cara de sapo descobriu e apenas Harry foi levado para sua sala.

Estava tarde e claramente se ficássemos mais um pouco perambulando pelos corredores, a coruja de Umbridge, no caso Filch, seria capaz de nos encontrar e sair corrednoboara contar.

Achei melhor voltar a sala comunal, eu estava bem cansada e ainda muito pensativa. Quando havia voltado, Arabella e Charlotte já estavam em seus vigésimos sonos.

Nuvem por outro lado estava acordada e assim que me viu a mesma desceu da pequena parede próximo ao vitral e veio até mim. Faço algumas coisas pelo o quarto antes de dormir e pego nuvem no colo e a levo para dormir junto a mim, eu estava precisando ficar um pouquinho com ela, pois sei que pela amanhã a confusão estará ainda pior. Conhecendo a cara de sapo, isso não seria o suficiente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até a próxima!!!♥️🦁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...