1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Uma Conversa

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


espero que gostem 💛⚔

Capítulo 6 - Uma Conversa


Quando acordei, Charlotte e Arabella já estavam acordadas e prontas para irem ao salão principal.

— Acordou bela adormecida— Charlotte diz
— Bom dia— falo
— Aonde esteve ontem a noite?— pergunta
— Acho que vocês já imaginam, estive com meu pai.
— Será que teremos aula com ele hoje?— Arabella pergunta
— A primeira— respondo

Logo após as aulas de hoje, eu tentaria andar um pouco pelo castelo sozinha, apenas para conhecer o lugar, já que na noite anterior não foi tão possível assim.

Eu e as meninas fomos até o salão principal. Nos estamos na mesa da Sonserina. Assim como na noite anterior, alguns dos alunos também da nossa casa ficaram a conversa com nós, eu acho que era uma tentativa de enturmar os novatos, porém em alguns eu talvez tenha estranhado a conversa.

Minha tia sempre me disse que havia uma rivalidade entre as casa e que era ainda maior entre a Sonserina e a Grifinoria, mas eu acho que o fato de insultarem os os outros alunos que são mestiços e nascidos trouxas me incomodou. Eu sou mestiça, meu pai é mestiço e minha mãe, bom ela era nascida trouxa.

— O que teremos hoje?— Arabella pergunta
— Poções, História da Magia, Herbologia e Astronomia— olho para as anotações de Charlotte— porções será com a Grifinoria.

Observo a professora McGonagall se aproximar de Harry. O mesmo deixa seus amigos e a acompanha e em seguida meu pai.

— Senhorita Snape— todos haviam parado o que estavam fazendo— o diretor me pediu para acompanhá-la até sua sala.
— Aahh tudo bem— viro a taça que estava meu suco de abóbora e caminho atrás de meu pai

O sigo em silêncio sem dizer nada. Eu não conseguia pensar no que o diretor gostaria de falar comigo, quer dizer tenho certeza que não é sobre meu pai e eu.

Parecia tão longe, que eu já não sabia mais em que parte do castelo estava. Estávamos em uma parte aonde já não se via quase ninguém.

— Pai?— o chamo
— Sim...
— Aonde estamos?— pergunto
— Segundo andar, final dele.Aqui fica a torre do diretor, a sala de d.c.a.t e a sala do professor Lockhart.

Paramos em frente a uma estátua de uma gárgula, observo sem entender até que ouço meu pai dizer.

— Gota de limão.

A gárgulas se afasta, após meu pai dizer acho que a possível senha. Uma escada em movimento circular é revelada, que por sua ver estava ocultada pela gárgulas de pedra.

Antes olho para atrás me certificando de que não havia ninguém por perto e em seguida seguro em sua mão. Ele não esbolsalva surpresa, então me senti um pouco mais aliviada, por mais que ações assim, mesmo sendo gestos simples me causem um pouco de timidez. Talvez seja o contato que não tivemos, assim digo pessoalmente.

Antes de entrarmos meu pai bate na porta e logo em seguida a abri.

— Bom dia diretor— diz e logo em seguida solta a minha mão
— Entre Severo— o diretor Dumbledore ordena

Antes que eu prestasse atenção. Na sala estavam a professora McGonagall e ninguém mais, ninguém menos que Harry.

Um misto de sentimentos surgiu, complementados com ansiedade e inseguranças. Eu supostamente já presumida do que se tratava.

— Fale Serena— ouço meu pai dizer
— Bom dia diretor, bom dia professora— eu estava tão envergonhada

Enquanto entrávamos eu acabei fazendo uma análise bem rápida do local. Uma sala circular, com muitas janelas e vários quadros espalhados, no qual eu presumo que sejam de antigos diretores, porém a de Dumbledore era a maior na sala. Provavelmente por ser o diretor atual.

— Serena? Sente-se jovem, não precisa se sentir tão tímida— havia serenidade em sua fala
– Obrigado— faça o que pede ficando de frente para o mesmo em sua mesa

Meu pai estava ao lado da mesa, assim como a professora McGonagall, eu as vezes o olhava procurando alguma expressão em seu rosto que me fizesse me sentir menos intrigada.

— Professor?— Harry o chama— por qual motivo o Senhor me chamou aqui?
– Aahh sim Harry. Eu precisava trazer você aqui, para que pudesse conhecer alguém e claro te contar algo— responde e em seguida me encara— Harry está é a Senhorita Snape– olho para Harry— você consegue identificar alguma semelhanca nela?— pergunta
— Tem os olhos verdes senhor, assim como os meus— responde e logo volta a olhar para o professor Dumbledore— porém, se eu não me engane, o Senhor disse que ela se chama Snape, então creio que ela seja parente do professor Snape— sua fala se transforma em sussurro após pronunciar meu sobrenome o que me pareceu estranho
— Você está certo Harry.
— Eu ainda não entendi– Harry diz
— Harry eu deixarei com que Severo conte a você— professor Dumbledore aponta para o meu pai e em seguida se levanta deixando sua mesa

O diretor caminhava de um lado para outro em sua sala, enquanto meu pai contava a história no qual eu conhecia bem.

— Bom Potter— Harry encarava atentamente meu pai— todos sabemos, como seus pais faleceram, mas há outra parte da história no qual muitos não a conhecem e eu preferi mante-la em segredo por um tempo. Quer dizer, até que Serena completasse seus onze anos— em nenhum momento até agora vi meu pai desviar seu olhar de mim— sua mãe Lily, ela engravidou mais uma vez após seus cinco meses e em setembro de mil novecentos e oitenta e um, nasceu seu segundo filho.
— Como ninguém nunca me contou isso?— Harry agora olhava para professor Dumbledore, procurando que disse-se algo
— Algumas coisas não são tão fáceis Harry, tudo tem seu tempo— responde
— Mas, então se minha mãe teve outro filho. Aonde ele está?— pergunta
— Ao seu lado— professora McGonagall responde

Harry me olhava com uma expressão assustado, com uma grande dúvida sobre. Eu poderia jurar que neste momento, sua mente estava uma bagunça.

— Potter essa é Serena— meu pai diz— Serena Evans Snape. Minha filha e de Lily.
— Impossível— sussurra
— Harry, eu sei que não houveram tantas vezes nos quais você teve acesso a alguma fotografia de sua mãe— professora McGonagall diz— mas, apenas preste atenção aos detalhes. Serena é idêntica a Lily.
– Apenas o cabelo não deixa tão evidente— sussurro

Ouço a risada de Dumbledore, que fez com que eu me sentisse menos tensa e logo volto a minha atenção a Harry, que ainda estava a compreender está situação.

— Eu tenho certeza que a senhorita Snape estava ansiosa para te conhecer— Professora McGonagall parecia tentar fazer com que Harry não ficasse tão espantado— não é mesmo?— pergunta com o olhar direcionado para mim e apenas concordo
— Mas professor— Harry se vira para meu pai— então, minha mãe traiu meu pai certo?— pergunta
— Harry, não fique chateado com isso— professor Dumbledore diz
— Eu creio que isso não importa tanto— meu pai diz— não precisamos entrar em tantos detalhes assim.
— É sobre a minha mãe— Harry responde— eu preciso saber de tudo.
— Então senhor Potter, sim sua mãe traiu seu pai, comigo quando você era apenas um bebê— meu pai parecia frio em suas palavras
— Acho que já está bom— professor Dumbledore diz
—Vocês dois terão aula daqui a pouco, acho melhor que voltem— professora McGonagall sugere
— Sim claro, eu pedirei que vocês crianças, nos deixem a sós agora. Eu preciso conversa com Minerva e Severus— professor Dumbledore diz
— Certo— me levanto
— Harry— Dumbledore o chama— acompanhe Serena, eu tenho certeza que ela irá gostar de te conhecer melhor apartir de hoje.

Mentalmente eu estava pulando de alegria com a ideia de que, sim eu tenho um irmão mais velho e sim ele está aqui agora e sim nos conhecemos, porém ainda havia uma grande insegurança. Eu não sabia como iria reagir daqui pra frente e meu medo era ainda maior com a incerteza de que ele poderia me odiar pelo o fato de nossa mãe ter traído seu pai com o meu.

Enquanto descíamos as escadas, ele me esperou e caminhamos devagar entre os corredores.

— Você está bem?— pergunto, tentando quebrar o gelo
— Eu acho que sim, só é muita informação— diz
— Eu sinto muito por isso— peço— eu não esperava com que algo assim acontecesse.
— Mais cedo ou mais tarde eu iria ficar sabendo, não é mesmo?— pergunta
— Sim— respondo— você está chateado?— faço outra pergunta ainda mais óbvia
— Eu não diria chateado, mas sim com a mente um pouco perdida.
— Eu compreendo você— respondo— além do mais, fui criada afastada por motivos nos quais, não entendo muito e quase não sei sobre, principalmente quando envolve a nossa mãe. Eu quase não sei muito sobre ela.
— Eu sei como é isso. Serena— paramos no meio das escadas— eu passei doze anos da minha vida, acreditando que a minha única família era com a tia Petunia. E então, chega um dia é descubro que eu tenho uma irmã mais nova?
— Eu sei que é difícil, mas pense Harry pelo o lado bom disso, não está sozinho. Não julgue o passado e muito menos fique se torturando com esse fato no qual eu também estou envolvida.
— Você está certa— o encaro assustada pelo o que acabei de ouvir, ele realmente concordou comigo?— eu não posso questionar sobre isso, mas acredito e não irei negar. Será legal, ter alguém que esteja ligado a mim no modo sanguíneo.
— Eu sempre quis te conhecer. A ideia de ter um irmão mais velho a algum tempo me parecia incrível— sorrio
— Fico feliz, acredito que será divertido ter você por perto— o abraço— vendo agora, você realmente se parece um pouco com mamãe.
— Todo mundo me diz isso— sussurro
— O que vocês dois ainda estão fazendo aqui?— ouço a voz de professora McGonagall e me separo de Harry

Eu e Harry viramos para atrás, aonde estavam meu pai e a professora, nos olhando na ponta de uma das escadas.

— Me desculpe professora, já estávamos indo— Harry responde
— Já deveriam estar em sala— meu pai fala
— Desculpe— peço e eu e Harry descemos correndo, enquanto mentalmente eu pedia para que as escadas não mudassem antes de entrarmos no térreo 


Notas Finais


espero que tenham gostado.

Até a próxima 💛⚔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...