1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Oclumência

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 61


Escrita por:


Notas do Autor


Eae pessoas? Tudo bom? Boa madrugada para vocês.

Voltei, e voltei com a cena no qual o Snape quase mata o Harry em a Ordem da Fênix.

Espero que gostem e boa leitura!!!

Capítulo 61 - Oclumência


Eu disse a Harry que ficaria por perto, enquanto meu pai o ensinava a controlar sua própria mente. Apenas garantia de que ele não o mata-se, conhecendo meu pai, tenho certeza que ele o torturaria. Meu pai apenas deixou claro que não queria que eu interrompesse, caso ao contrário ele me expulsaria daqui.

— Está sentindo saudade?— ouço meu pai dizer

E mais uma vez Harry voltar ao normal. Tenho certeza que meu pai estava se divertindo com isso, enquanto eu estava preocupada, vendo Harry várias e várias sendo testado, porém parecia que ele estava aceitando ou se segurando mais, pois já não gritava tanto.

— É particular— responde
— Não para mim e nem para o Lord das Trevas, se não melhorar— vejo se aproximar de Harry, que ficava cada vez mais assustado— toda memória que ele tem acesso é uma arma que lê vai usar contra você. Não duraria dois segundos se ele invadisse sua mente. Você é igual ao seu pai— o encaro, torcendo para ele não começar a tocar nesses assuntos— lerdo e arrogante.
— Não se atreva a falar mal do meu pai— Harry o enfrenta
— Fraco— ele parecia querer irritar Harry e estava conseguindo
— Eu não sou fraco!— grita
— Então prove!— ou talvez, estivesse motivando de um jeito muito ruim— prove. Controle suas emoções e discipline sua mente. Legilimete!— e mais uma vez
— Para!— Harry pede
— É isso que você chama de controlar.
— Estamos aqui a horas, posso pelo menos descansar.
— Ele está certo— falo
— O Lord das Trevas, nunca descansa— corre até o mesmo

Harry encosta sobre a mesa ao meu lado, preocupante tudo isso.

— Você e Black são iguaizinhos....
— Pai, não— peço
— Crianças choronas, sempre reclamando como a vida tem sido amarga e injusta com vocês. Talvez, não tenha notado, mas a vida não é justa. Seu querido pai sabia disso, na verdade ele foi em várias vezes...
— Meu pai foi um grande homem!
— Seu pai era desprezível!— o vejo puxar com brutalidade e empurra-lo para cadeira de volta
— Legilimete!— vejo Harry atingir meu pai com o feitiço
— Harry!— grito

Isso não acabaria bem, nada bem. Meu pai agora mataria o Harry de vez.

— Chega...— ouço meu pai dizer— chega...— agora quem estava mal era meu pai— suas aulas chegaram ao fim.
— Eu não...
— Saia daqui, agora!— o vejo soltar Harry

E não penso duas vezes antes de ir atrás dele para saber o que ele tinha visto.

— Serena, você fica— curso os braços
— Papai, eu já volto.
— Fica!— corro atrás de Harry

Era melhor deixá-lo um pouco sozinho, acho que não me faria bem, lidar com o senhor Snape bravo.

— Harry— seguro seu braço— o que você viu?— pergunto e o mesmo me puxa pelos corredores
— Serena— paramos perto do pátio— eu vou pedir para que em hipótese alguma você fale com ele sobre isso ou para qualquer outra pessoa. Eu quase morri, se ele descobrir que eu te contei, então eu morro de vez.
— Fale logo— peço
— Eu vi Serena, as lembranças dele.
— Eu sempre quis saber algumas coisas, porém não imaginava que seria desse jeito.
— Ele era excluído, meu pai, Sirius, maltratavam ele, humilhavam. Não sei o que pensar.
— Isso explica muita coisa— falo pensativa— talvez, venha disso a pequena relação de ódio com você— me encara— desculpa, esqueci que agora a pouco vocês dois se enfrentaram. Bom, Harry vá dormir, você deve está cansado depois dessa aula aterrorizante.
— Eu já irei— me abraça— boa noite.

Antes de ir, percebemos que não estávamos sozinhos. Os gêmeos e mais uma criança que parecia estar chorando, perceberam também a nossa presencia.

Deixo Harry para atrás e me aproximo de um dos alunos do primeiro ano, me agacho em sua frente e seguro sua mão, vejo Jorge sorrir para mim e não consigo evitar e retribuir.

— Qual o seu nome?— Fred pergunta
— Michael— responde entre soluços
— A sua mão vai ficar boa— Jorge diz e acaricio devagar
— Não é tão ruim quanto aparenta— falo
— Veja já está sumindo— Fred aponta— nem da para ver mais as nossas e a dor passa depois de um tempo— mais um aluno torturado certamente

Ouvimos alguém se aproximar e não era ninguém menos que a cara de sapo, todos olhamos e vejo que o pequeno Michael abaixar a cabeça e ficar quieto. Nós três nós levantamos e Harry se aproxima de nós.

— Como eu já disse senhor Potter. Crianças travessas merecem ser punidas— se afasta com aquele leve sorriso falso estampado na cara
— Sabe Jorge, eu sempre achei que os nossos futuros estavam fora do mundo acadêmico— começo a rir com a conversa dos dois
— Sabe Fred, eu venho pensando exatamente na mesma coisa.
— Estão com caras de quem irão aprontar algo— falo 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até a próxima!!♥️🦁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...