1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Primeiro Ataque

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia, boa tarde e boa noite...

eu espero que estejam gostando.

boa leitura!!!

Capítulo 7 - Primeiro Ataque


Minha primeira aula seria de porções. Todos os alunos já estavam sentados e eu lógico, vim o mais rápido que pude, antes de que meu pai aparecesse. Ao meu lado estava um garoto também da Sonserina. Charlotte e Arabella logo atrás.

Ficamos conversando um pouco, ele era bem simpático. Havia feito as perguntas mais frequentes em minha vida. "Você é filha do professor Snape?", "Como é ter um pai como professor também?", "Ele briga muito com você?".

Logo ouvimos a porta ser aberta brutalmente e todos ficarem quietos. Meu pai apareceu na sala como uma furacão. Como esperado.

— Antes de começarmos, quero deixar bem claro que não permito brincadeiras com as varinhas e muito menos feitiços idiotas na minha aula— todos os alunos estavam paralisados escutando— eu não espero que a maioria de vocês apreciem a minha aula, mas para a minoria que queira aprender de fato. Eu posso ensinar muitas coisas, como enfeitiçar a mente de alguém confundir seus sentidos. Como engarrafar a fama, cozinhar a glória e até por um fim na morte.

Vendo assim até parecia ser um discurso já pronto, talvez pelo o fato dele demonstrar que já estava acostumado com aquelas palavras.

A aula foi um completo silêncio, todos estavam atentos e sei que a maioria era por medo e até mesmo eu que nunca tinha visto de perto esse lado. O lado professor de Hogwarts.

Após o término da aula, tivemos que ter aula de voo, para aprender os comandos básicos para dar com a vassoura, truques e dicas para pilotar.

Eu gostei muito das aulas a única que não me chamou tanta atenção Astronomia, porém, querendo ou não preciso ter boas notas. Tem alguém muito exigente com isso e sei que se não fizer, possíveis castigos viram.

Estávamos indo agora para o segundo andar, agora teríamos D.C.A.T. Alguns alunos murmuravam que o professor desta matéria, não era grande coisa, porém tenho certeza que será mais interessante.

Chegamos na sala e nos sentamos em nossos lugares. O professor logo apareceu no topo da escada sorrindo. As meninas que estavam na sala, pareciam encantadas com ele e eu apenas tentando entender o que havia de encantador. Cabelos loiros e ondulados, dentes particularmente retos e brancos e vestes exuberantes. Eu diria cafona.

— Quer dizer que teremos uma celebridade como professor?— ouço Charlotte dizer
— Celebridade?— pergunto
— Sim— Arabella responde— minha mãe adora ele. Famoso autor de sucesso, em todas as suas viagens, quando voltava para Grã-Bretanha, junto trazia um livro novo consigo.
— Ele recebeu muitos prêmios também, pelos os supostos atos descritos em seus livros— Charlotte continua

Olhando para ele, não parecia ser o tipo de cara mais corajoso, mas quem sou eu para julgar? Ainda mais sabendo que nem o conheço.

— Gilderoy Lockhart— se apresentou— ordem de Merlin, terceira classe. Membro honorário contra as forças do mal e eleito cinco vezes, pelo semanário dos bruxos. O sorriso mais atraente, porém isso não vem ao caso.

Lockhart ficou um tempo falando de suas várias aventuras e momentos nós quais ele precisou enfrentar algo perigoso. Assim como alguns estava ficando entediante, um cara exibido e para outros encantador.

E como esperado a aula foi um desastre, Lockhart aparentava mal saber do que se tratava.

Já havíamos sido dispensados pelo o horário. Alguns alunos se encontravam em suas salas comunais, outros pelos corredores ou até mesmo ao lado externo do castelo.

Eu, Charlotte e Arabella, estávamos próximos ao campo de quadribol. A sonserina e a Grifinoria estavam treinando e pelo o visto Malfoy fazia parte do time. Porém Harry não estava e mais cedo eu havia o visto, junto de seus amigos, um deles não parecia nada bem.

Após o jantar, eu Charlotte e Arabella, começamos a andar pelos corredores do primeiro andar. Eu usei como pretexto também, pois eu havia percebido a ausência de Harry hoje mais cedo e eu queria falar com ele.

— Que incrível, então você é irmã da grande celebridade do mundo mágico— diz Arabella
— Como é ter um irmão famoso?— Charlotte pergunta
— Meninas, ele me conheceu recentemente. Nós ainda não temos tanta intimidade assim, mas posso garantir que ele parece ser uma pessoa legal e simpática.
— Você tem razão— Charlotte concorda— eu esqueci.
— O que?— pergunto
— Eu não fiz a lição de Herbologia. Preciso ir— diz voltando
— Vamos Serena?— Arabella pergunta
— Pode ir— respondo— voltarei para a sala comunal daqui a pouco.
— Okay.

Prossigo para o segundo andar e acabo encontrando os amigos de Harry, quer dizer eu acho que eram eles. Me aproximo dos dois, que aparentemente estavam procurando algo.

— Oi?— digo
— Oi— a garota de cabelos castanho muito espesso disse— você é Serena não é?— pergunta
— Sim sou eu. Serena Snape— seguro sua mão
— Prazer sou a Hermione Granger e esse é o Rony— aponta para o ruivo
— Então quer dizer que você realmente é irmã do Harry?— pergunta e apenas concordo— fascinante— diz
— É...vocês viram o Harry?—pergunto
— Estamos justamente esperando ele— Rony responde
— Aconteceu algo?— pergunto
— Harry está de detenção na sala do Senhor Lockhart.
— Aahh Lockhart— me sento ao lado dos dois

Ficamos conversando por um tempo, por incrível que pareça o corredor estava vazio o que me fez estranhar, pois geralmente há um grande movimento.

Logo vejo Harry saindo da sala, todos levantamos e fomos ate ele que parecia estranho.

— Harry...— chamo
— Vocês ouviram?— pergunta
— Ouvimos o que?— Rony me olha
— Essa voz— responde olhando ao redor
— Voz? Que voz?— Hermione pergunta

Olho para atrás me verificando que não havia ninguém próximo a nós.

— Eu ouvi primeiro na sala do Lockhart e ouvi de novo agora— ele parecia distraído enquanto olhava para os lados como se houvesse alguém— está se afastando.
— Harry não há nada aqui— falo
— Eu acho que vai matar alguém— se afasta de nós seguindo o corredor de volta
— Harry?— Hermione o chama
— Matar?— Rony pergunta e todos corremos atrás do mesmo
— Harry! Espera vai devagar!— peço

Paramos no corredor a direita e continuamos o seguindo, até que ele para e todos olhamos para uma fila de aranhas que andavam uma atrás da outra. Ficamos as observando, que seguiam caminha para fora da janela.

— Estranho...— Harry diz— nunca vi aranhas se comportando assim– continuamos a olhar
— Eu não gosto de aranha— olhamos para Rony que parecia afobado
— Eu também nunca vi elas se comportarem assim— comento

Havia uma poça de água sobre o chão, no qual todos percebemos o reflexo de algo escrito. Nossos olhares se voltaram para o mesmo lugar.

— O que é isso?— Rony pergunta

Seguimos o reflexo no qual estava a ser refletido da parede. Começamos a ler sem entender do que se tratava.

— A Câmara secreta foi aberta. Inimigos do herdeiro, cuidado— Hermione leu alto e claro— foi escrito com sangue...
— Quem fez isso?— pergunto

Enquanto observamos e estar tentando entender qual era o sentindo daquela frase. Harry se direcionou a outro lugar, que assim que percebo dou um passo a frente junto.

— Aahh não...— sussurra

Hermione estava boquiaberta com o que estava logo a sua frente. Não seria possível? Seria?

— É a gata do Filch— Harry para em frente a ela— é a madame Norra— afirma vendo a gata de cabeça para abaixo imobilizada sem movimento algum

Logo ouvimos passos se aproximando logo atrás de nós. Nos viramos e havia milhares de alunos caminhando em nossa direção.

Estávamos todos horrorizados e se perguntando o que havia acontecido com a gata do zelador.

— Inimigo do herdeiro cuidado— Draco encara Hermione— serão os próximos sangues-ruins— diz sendo desnecessário como sempre

Ouvimos a voz de alguém, pedindo para que todos saíssem da frente. Era o Senhor Filch, que ao perceber do que se tratava se aproximo de Harry.

— Madame Norra...— sussurrou— você assassinou a minha gata— acusou Harry

Harry não sabia o que falar, mas sabíamos que não foi ele, então não tinha o que temer, eu acho.

— Não foi ele— falo
— Eu te mato— Filch diz e sua expressão muda completamente, era assustador

Rony e Hermione que estavam paralisados, estávamos logo a frente de todos que assistiam o Senhor Filch altamente nervoso.

Filch empurra Harry enquanto segurava a gola de sua blusa o ameaçando e repetindo as mesmas palavras. "Eu te mato".

— Argo!— ouvimos uma outra voz surgi— Argo!— era o diretor Dumbledore

Os professores o estavam acompanhando e logo pararam observando a gravura na parede aparentemente feita com sangue.

Meu pai logo me direcionou um olhar, que me fez abaixar a cabeça no mesmo instante.

— Eu quero que todos vão para seus dormitórios agora mesmo— Dumbledore diz

Olha o para Hermione e não pensamos duas vezes, começamos a caminhar na direção contrária, até que.

— Todo mundo menos— paramos e nos viramos— os quatro— aponta para nós

Suspiro baixo, presumido o que poderia acontecer de agora em diante, para ser sincera eu estava mais preocupada com outra coisa.

Vejo todos sairem, voltando para suas salas. Enquanto ficávamos olhando a gata de Filch.

— Ela não está morta Argo— professor Dumbledore afirma— apenas petrificada.
— Aahh eu sabia— diz Lockhart— pena que eu não estava aqui. Sei exatamente o contra feitiço que a teria salvado— o encaro descaradamente após ouvir aquilo

Nenhum dos professores e inclusive o diretor parecia convencido com suas palavras, que o mesmo logo se afastou ficando quieto.

— Mas, como foi petrificada eu não sei dizer— Dumbledore termina de falar, já que haveria sido interrompido
— Pergunte a ele— Filch aponta para Harry— foi ele que fez isso, viu o que ele escreveu na parede.

Olhamos para Harry, esperando que dissesse algo e logo após para Dumbledore, que mesmo com o corrido ainda sim, aparentava estar calmo.

— Não é verdade senhor— Harry diz— eu não toquei na madame Norra.
— É mentira!— Filch parecia cuspir suas palavras
— Diretor...— Meu pai estava a me olhar— se me permite, talvez eles só estivessem no lugar errado e na hora errada— Hermione e Rony olhavam surpresos com o que meu pai acaba de dizer— com tudo, as circunstâncias são suspeitas— caminha lentamente até nós— eu por exemplo, não me lembro de ter visto Potter no jantar.
— Receio que por minha causa— Lockhart interrompe— Harry estava me ajudando com as cartas dos fãs.

Agora era a hora de falar, por mais que eu saiba que haverá uma conversa logo após isso, com toda certeza.

— Por isso senhor eu Rony e Serena fomos procura-lo— Hermione prossegue
— Nós o encontramos saindo da sala do professor Lockhart— continuo
— E ele disse...— Hermione parecia pedir permissão a Harry para falar
— O que senhorita Granger?— meu pai pergunta
— Eu disse que estava com fome— Harry continua, porém não com a resposta que esperávamos— Estávamos indo para o salão comunal, quando achamos a madame Norra.

Meu pai estava a encara-lo até que se virou, voltando seu olhar para o diretor Dumbledore.

— Inocente até que se prove o contrário Severo— Dumbledore diz
— A minha gata foi petrificada. Quero que alguém seja punido!— Filch ainda sim estava indignado com o que havia acontecido
— Vamos conseguir cura-la Argo, não se preocupe. Enquanto isso, eu recomendo que todos tenham a máxima cautela.

Fomos liberados no mesmo instante e corremos até as escadarias. Hermione havia feito vários questionamentos, assim como eu também. Isso tudo era muito estranho e era ainda mais estranho a questão em que Harry, apenas ele havia escutado uma voz e logo em seguida encontramos a madame Norra petrificada.


Notas Finais


espero que tenham gostado

até a próxima 💛⚔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...