1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Ele É Apenas Um Garoto

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 82


Escrita por:


Notas do Autor


Boa madrugada para vocês maravilhosos.

Agora sim, estou no horário certo. Postando aqui e já indo de berço, porque não dá véi. EAD tá acabando comigo.

Capítulo um pouquinho mais confessional, Serena e Draco juntos. Próximo capítulo entramos na trama da Hermione e do Rony, que agora estará junto de Lilá. Harry com ciúmes de Gina que não vai nada bem com Dino e claro a festa de Natal do clube do Slughorn, esse capítulo vai ser uma bomba relógio para a Serena.

Espero que gostem e boa leitura!!!

Capítulo 82 - Ele É Apenas Um Garoto


Grifinoria havia ganhado o jogo hoje, com isso todos estavam muito contentes com a estreia de Rony e claro com a vitoria.

— Você está bem?— Draco pergunta
— Claro que estou— encosto na parede— por qual razão não estaria?— pergunto
— Sonserina perdeu hoje para os idiotas da Grifinoria— cruzo os braços analisando— me desculpe— pede
— Senhor Malfoy...— me aproximo— você não muda mesmo não é?— me empurra de volta e coloco minhas mãos sobre seu peito— deveríamos ser mais discretos, não acha?— pergunto
— Eu queria te fazer um convite— diz e o encaro curiosa— bom, natal será mês que vem e papai e mamãe, pediram para eu convidar você para passar conosco.
— Isso é sério?— pergunto surpresa— o senhor e a senhora Malfoy me convidando para passar o Natal com eles? Olha Draco eu sinceramente, não sei é que tem o meu pai, eu não queria deixá-lo...
— Não se preocupe, meu pai disse que convidaria também, agora é saber se ele irá aceitar.
— Isso me parece interessante, mas seu pai ainda me traz receio.
— Em questão a isso não se preocupe também, além do mais são mágoas passadas, já faz muito tempo desde aquele ocorrido— agora ele passará a dizer mais baixo— minha mãe gosta de você Serena, ela meio que simpatizo e meu pai, você sabe como ele é. Rude...
— Duvido supere meu pai, arrogante, temido, seletivo.
— Talvez os dois tenham algumas características em comum.
— Os dois estudaram juntos Draco, foram da mesma casa, meu pai havia me dito que tinham uma certa proximidade quando mais novos.
— Acho que seja isso mesmo— concorda
— Estou tão feliz— falo
— Pelo o que?— pergunta
— Você voltou a conversar comigo, tem dado leves sorrisos um pouco mais. Eu estava muito preocupada, você estava tão fechado.
— Aahh isso— o vejo mudar de expressão— eu apenas estou tentando me distrair um pouco e me afastar desses pensamentos por pelo menos alguns minutos.
— Não faz isso— o abraço fortemente— pare Draco, se você soubesse o quão fica belo quando sorrir. Eu tenho medo por você, o que está fazendo ou tentando pode causar graves problemas nos quais eu não consigo nem imaginar, você é tudo pra mim.
— É minha obrigação agora Serena— sinto o mesmo afundar seu rosto em meu embro acompanhado de um choro

Olho para os lados e não havia ninguém que estivesse por perto presenciando aquela cena e eu não queria também.

O lado sensível de Draco agora acabará de der revelado para mim, eu nunca o presenciei chorar desse jeito. Ele estava com medo, sobrecarregado de pensamentos e possivelmente as ordens que tanto estão mandando fazê-lo. Querendo ou não, ele é apenas um garoto.

— Eu tenho medo— estávamos ao lado da sala de adivinhação

Me afasto e certifico de que a professora não estava dentro dela. Olho para atrás e seguro em sua mão.

— Alohomora— sussurro para a fechadura e vejo a porta ser aberta

Entramos devagar e a fecho no mesmo instante vejo Draco desabar, o mesmo se senta no chão combrindo próprio rosto.

— Colloportus— sussurro e me ajoelhou em sua frente— Draco, por-favor?— retiro suas mãos de seu rosto e seco suas lágrimas
— Eu estou cansado e com medo. Não quero fazer isso, mas...
— Não pode arriscar seus pais?
— Seus pais e você. Sabe como ele é, não tem um pingo de piedade e compaixão.
— Diferente de você. Eu compreendo que é errado, não deveria ser assim, mas você não tem escolha— puxo seu braço e subo a manga de sua blusa

Em seu braço agora havia uma marca negra, em fome de um crânio vivíssima. Deslizo meu dedo sobre e o vejo retirar a minha mão de cima.

— Não quero que veja— diz
— Draco, eu sinto muito por tudo isso. Juro a você que gostaria que tudo fosse diferente para você, me dói ver como está se tornando, ficando cada vez mais triste, mas eu quero que saiba que não fingirei que está certo o que fará ou o que está fazendo, mas também não o culparei, pois aqui também és uma vítima.
— Obrigado— ele parecia uma criança deitada em meu colo
— Eu amo você.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até a próxima!!🦁♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...