1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Meio Irmão (Harry Potter) >
  3. Voto Perpétuo

História Meu Meio Irmão (Harry Potter) - Capítulo 83


Escrita por:


Notas do Autor


Eae meus amores! Boa noite pra vocês.

Como estão?

Capítulo surpreendente de momento no qual eu já estava esperando muito. Próximos capítulo contendo a conversa de Serena e Draco, junto de Snape, lembrando aqui ele não contará toda a verdade porque não pode, além do mais contar tudo é arriscar tudo também, pois Draco trabalha para o Lord das Trevas e não tem como ele falar que é um agente duplo.

Logo após tudo isso, capítulo de Natal contendo um presente importante a Serena.

De acordo?

Espero que gostem e boa leitura!♥️🦁

Capítulo 83 - Voto Perpétuo


Dezembro havia chegado, eu estava anciosa para algumas coisas. Por algum motivo no qual eu não consigo compreender nem um pouco, meu pai aceitou o convite dos Malfoy's.

Hermione estava muito afastada, por conta de Rony que agora só vive grudada em Lilá. Tudo bem, quando eu e Draco começamos o nosso namoro, geralmente estávamos sempre juntos, mas nessa dessa forma.

— Ei— me sento ao seu lado— vamos conversar?— pergunto
— Como está Serena?— pergunta
— Hermione, vamos lá você não pode ficar assim pra sempre não é?— pergunto
— Como pode ser tão idiota?— pergunta e olho para atrás vendo os dois abraçados
— Garotos são assim mesmo, alguns levam tempo até perceberem o que estão perdendo— respondo e me aproximo da mesma
— Draco foi assim também?— pergunta
— Bom, levou um tempo sim, porém ele só percebeu quando eu comecei a me afastar dele.
— Garotos são tão idiotas.
— Mas, são deles mesmos que gostamos— a vejo deitar em meu ombro— deveríamos estar pensando em outras coisas.
— Bom, Harry está ocupado com Dumbledore e a todo momento sistemático com seu namorado— toda vez a mesma sensação sobre esse assunto, me sinto mal por estar mentindo— vamos lá Hermione, acontecerá a festa de Natal do professor Slughorn, você chamou alguém?— pergunto
— Eu já tinha alguém para chamar, mas o idiota está ocupado com aquela garota— seguro sua mão
— Se anime Granger, não poderá ficar assim, estou aqui.
— Você está certa Serena.

Mais tarde naquele mesmo dia, Harry me pedirá para acompanhá-lo até a biblioteca, ele me contaria as conversas enjoativa que Rony vem tendo com ele sobre Lilá.

— Rony é livre para beijar quem ele quiser— diz ela devolvendo os livros de volta às seus lugares— eu não tô nem aí para isso. Se eu achei que eu e ele iríamos juntos para a festa de Natal do professor Horácio, achei. Agora, depois de tudo isso é claro tive que chamar outro par.
— É mesmo?— Harry pergunta
— Quem é?— pergunto
— É, por que?— Hermione pergunta
— Eu pensei que já que nenhum de nós vai com gostaria, poderíamos ir juntos como amigos— olho surpresa para Harry
— Por que eu não pensei nisso?— Hermione pergunta
— Com quem você vai?— Harru pergunta para a mesma que parecia aborrecida
— Aahh é uma surpresa. Agora, temos que nos preocupar com você, não pode ir com qualquer pessoa.
— Eu até iria com Harry, mas sabe por mais que Draco tenha recusado, eu já encontrei alguém.
— É claro, acho que todos aqui se pudessem ter uma oportunidade de estar com você não recusaria— concordo com Harry
— Tá vendo aquela garota ali?— aponta entre os livros— é a Romilda, acho que ela está tentando fazer uma poção do amor para você.
— Não gostei— falo
— Sério?— Harry pergunta olhando para a garota
— Lógico que não Harry— estrala os dedos na frente de seu rosto, fazendo com que presta-se atenção— ela só está interessada em você, porque acha que você é o eleito.
— Mas eu sou o eleito— Hermione taca o jornal na cabeça de Harry e começo a rir— Tabom, desculpa, é brincadeira— podemos ter enfrentado um Basilisco, Harry lutado com o Lord das Trevas, brigado com o Salgueiro Lutador, enfrentado um lobisomem, mas nada se compara com a Hermione brava. Todos temem— eu vou, eu vou convidar alguém que eu goste. Alguém legal.

Eu estava no meu dormitório, terminando de me arrumar, quando ouço alguém bater na porta.

— Entre— peço enquanto tentava olhar no espelho de costas na tentativa de passar os laços do meu vestido
— Está bonita— olho para frente e sorrio
— O que faz aqui?— pergunto e caminha em minha direção
— Vim ver você e claro pedir para que não fique brava.
— Está tudo bem— fico de costas para o mesmo e deixo com que me ajude— não faz mal.
— Divirta-se e por-favor tome cuidado com Will.
— Ele não seria capaz de fazer algo Draco.
— Mesmo assim Serena. Pronto— me viro, ficando de frente para o mesmo— esse foi o vestido que minha mãe te deu?— pergunta
— Sim— respondo alisando em meu corpo— ele ficou perfeito, tem um bom gosto.
— É a minha mãe.

Will me acompanhou até a festa, que aconteceria na sala do professor Horácio.

O teto e as paredes tinham sido forrados com panos esmeralda, carmim e dourado, para dar a impressão de que se encontravam embaixo de uma vasta tenda. A sala estava cheia e abafada, imersa na luz vermelha que o ornamentado lampião dourado projetava do teto, onde esvoaçavam fadinhas de verdade, cada qual um pontinho brilhante de luz. Uma cantoria, aparentemente acompanhada por bandolins, subia de um canto distante; uma névoa de fumaça de cachimbo pairava sobre vários bruxos idosos absortos em conversa, e numerosos elfos domésticos se deslocavam entre uma floresta de joelhos, sombreados pelas pesadas travessas de prata com comida que seguravam, parecendo mesinhas móveis.

Alguns conhecidos de Will estavam aqui e logo mesmo se afasta de mim, me deixando sozinha por alguns minutos.

Dessa vez Harry não havia como escapar, ele tem evitado de inúmeras maneiras as reuniões de Horácio, porém agora ele pediu para que Hermione para verificar as noites livres dele, e assim marcaria a festa numa noite em que ele podesse ir.

— Harry— aceno
— Está bonita Serena— diz
— Obrigado. Olá Luna— cumprimento, ela estava acompanhando meu irmão— você está linda.
— Agradeço, digo o mesmo sobre você. Será que tem pudim?— pergunta
— Acredito que sim— respondo e a vejo se afastar
— Draco não veio mesmo?— pergunta
— Não, ele me deu uma desculpa muito incoerente, porém não questionei. Não quero brigar.
— Ele deve estar tentando algo.
— Harry! Serena!— ouço a voz do professor Horácio
— Aahh boa noite professor— falo
— Boa noite, vejam vocês dois. Vamos registrar uma fotografia— seguro no braço de Harry e seguimos Horácio

Nos posicionamos um a cada lado do mesmo. Nunca gostei muito de fotos, mas como preciso agradar, então não poderia recusar.

— Ótimo! Eu vejo vocês depois— diz e se afasta
— Bebida?— olhamos para atrás
— Olá Neville— diz Harry
— Eu não entrei para o clube do Slughorn, é tudo bem não é?— pergunta
— Quer algo Serena?— Harry pergunta é discordo— está tudo bem Neville, muito obrigado.

Vemos uma sombra atrás das belas cortinas, fomos ver de quem se tratava.

— Hermione o que você tá fazendo?— Harry pergunta
— O que aconteceu com você?— pergunto
— Eu fugi— responde
— É o que?— pergunto
— Quer dizer, eu deixei o Cornaco...
— Cornaco?— perguntamos juntos— foi ele que você convidou?— Harry pergunta
— Foi para deixar Rony com raiva.
— Que péssima escolha— falo
— Ele tem mais tentáculos que uma planta...
— Querem algo?— um dos alunos que estavam servindo de garçom nos encontra
— Não, obrigado estou satisfeita— diz Hermione
— Melhor assim, porque isso aqui da um bafo horrivel— rimos
— Pensando bem— Hermione puxa bandeja de sua mão— isso aqui deve manter o Cornaco longe— encaro enojada— ele tá vindo— diz ela
— Se abaixe— a empurro

Cornaco atravessa as cortinas justamente a procura de Hermione, que agora já sumira daqui.

— Eu acho que ela foi retocar a maquiagem— aponto para atrás
— A sua amiga é muito escorregadia— o encaro sem entender qual foi o senti do dessa resposta— ela não para de falar não é?— pergunta e começa a comer o que estava na bandeja— que isso que estou comendo?— pergunta
— Bolas de dragão— Harry responde

Vejo a cortina ser aberta novamente, mas dessa vez era o meu pai. Ele nos encara desconfiado e em seguida Cornaco se agacha em sua direção vomitando sobre aos pés de meu pai.

Me viro disfarçando para não rir na frente dele e aperto o braço de Harry.

— Você acabou de receber um mês de detenção.
— Venha— sussurra e seguro sua mão enquanto sorrateiramente deixavamos o local
— E pode esperar aí Potter e Serena— ouço dizer
— Ahh perdemos— falo para Harry e vejo meu pai logo atrás de nós
— Eu preciso voltar para a festa senhor a minha acompanhante— solto sua mão na mesma hora
— E eu tenho que encontrar o Will...
— Quietos os dois— essa não é uma hora agradável para levar sermão — pode com toda certeza, sobreviverem sua suas ausências por mais um minuto ou dois, já que estavam juntos e eu só desejo entregar uma mensagem.
— Mensagem?— perguntamos
— Do professor Dumbledore— o encaro sem entender, possivelmente não estava relacionado a mim— ele me pediu para que lhe transmitir seus votos de boas festas, como sabe, ele está viajando. E não retornará antes das aulas recomeçarem.
— Aahh que legal— falo
— Viajando para onde?— Harry pergunta e sem dizer nada meu pai se afasta
— Tire suas mãos de cima de mim— me viro ao reconhecer aquela voz— seu imundo, inútil.
— Draco?— chamo
— Olhe só professor— Filch estava arrastando Draco até o professor Slughorn— acabei de descobrir esse menino escondido no corredor lá em cima.
— Eu disse a você— Harry sussurra
— Ele afirmar ter sido convidado para...
— Tabom! Tabom! Tabom! Eu estava de penetra!— rapidamente desmente— satisfeito?— pergunta
— Eu acompanho você— meu pai passa a frente de todos— até a saída.
— Certamente— a coragem que eu não tenho, Draco tem. Eu que sou filha do professor Snape, até hoje não consigo olhar em seus olhos, nem ao menos responde‐lo, agora Draco tem toda essa audácia.

O vejo os dois sairem deixando o local e percebe Harry se afastar. Eu sabia o que ele iria fazer, o sigo também.

Caminhávamos pelos corredores devagar seguindo meu pai e Draco, chegando ao mesmo lugar que um dia madame Norra havia sido petrificada.

— Pare— Harry sussurra
— Posso ter enfeitiçado aquela tal de Bell, ou não— estávamos no sentindo contrário do corredor— o que você tem com isso?— pergunta

Me aproximo um pouco mais para ver o que acontecia, e vejo meu pai empurra-lo contra a parede.

— Eu jurei proteger você, eu fiz o voto perpétuo.
— Não preciso de proteção! Eu fui o escolhido, entre todos fui eu!
— Serena— Harry sussurra e o olho perplexa
— Eu não sei— respondo
— E não vou decepciona-lo.
— Você está com medo Draco, está tentando esconder, mas é óbvio. Deixe-me ajudar você.
— Não! Eu fui o escolhido! Esse é o meu momento!— Draco grita
— Eu vou...— seguro o braço de Harry
— Não— falo fazendo com que volte
— Serena, isso está óbvio, nítido. Eles estão trabalhando para o outro lado.
— E se você aparecer será pior. Deixe com que eu faça isso, agora vá para que eles não percebam que estavamos juntos e ouvindo. Eu prometo falar com você depois— ele ainda sim parecia com receio de fazer isso— Harry, vá.

O vejo se afastar rapidamente e apareço no corredor, os dois me encaram no final do mesmo e sorrio sínica.

— Então? O que os dois tem a me dizer?— pergunto tentando não demonstrar o quanto eu estava frustrada— vamos lá?— caminho em passos firmes até os dois— quem vai começar?— pergunto



Notas Finais


Espero que tenham gostado e até a próxima!!♥️🦁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...