História Meu melhor amigo - Imagine Jungkook - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook)
Tags Romance
Visualizações 26
Palavras 2.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOOOII GENTE FIQUEI ESSE TEMPO TODO SEM POSTAR POIS ESTAVA CRIANDO ESSA SURPRESINHA PARA VOCÊS!!!
Espero que me perdoem por demorar tanto ok? AMOOO VOCÊS bjs

Capítulo 15 - Recomeçando


Estava desembarcando normalmente, fui em uma das cafeterias do aeroporto e pedi um cappuccino e fiquei esperando o táxi chegar, o taxista que eu pedi está fazendo uma rota então vou esperar até ele chegar, fiquei esperando sentada em uma mesa do café observando as pessoas passarem, tinha crianças pulando de felicidade, pessoas se despedindo e chorando, pessoas sozinhas e tristes, e... casais se beijando e se abraçando. Aquilo foi dolorido de se ver, fiquei pensando em tudo o que aconteceu até aqui e as vezes me pergunto “Por que”, por que eu fui para a Coréia, por que eu não fiquei no Brasil, por que fui me apaixonar pelo Jungkook, por que me entreguei para ele e “Por que eu o deixei ir” essa frase martelava em minha cabeça o tempo todo e quando percebi uma lágrima solitária saia de meus olhos, depois dela vieram muitas outras de dor e arrependimento. Estava me lamentando pelo que fiz da vida até que um moço chega em mim...

Xxx: Ei moça não chore... moças bonitas como você devem sorrir pois o sorriso apura mais a beleza -  não sei porque mais me senti feliz pelo que ele me falou e na mesma hora soltei um sorriso sincero. - Isso mesmo! Estas mais linda ainda! - sorriu para mim.

- Obrigada...?

Xxx: Matheus! Meu nome é Matheus - sorriu sem graça - E o seu?

- Obrigada Matheus! – nossas mãos se abraçaram em forma de comprimento – Meu nome é (S/N)!

M: Nossa que nome bonito! Combina com a dona! – a cada palavra que o maior falava me deixava mais corada ainda. Eu e Matheus nos conhecemos e ele estava vindo passar 1 ano em New Jersey. Ficamos hospedados no mesmo hotel e quando o táxi chegou fomos juntos, eu insisti em pagar o táxi mas de tanto ele pedir eu deixei ele pagar.

- Vou ficar te devendo uma Mori – decidi que vou chama-lo assim pois seu nome é Matheus Morimura.

M: Já disse que não precisa mas já que insiste tanto você pode me dever uma. – deu uma piscadela para mim enquanto o elevador fechava. Ele me deixou em meu quarto e foi para o seu que por coincidência ficava ao lado do meu.

Quando entrei em meu quarto notei que senti um vazio novamente, sei lá quando eu estava com o Mori me senti feliz e esqueci todo o sofrimento que tive até aqui, era como se só existisse apenas nós dois e acabou, mas quando ele foi embora e nós nos despedimos me senti incompleta e vazia. Infelizmente não posso deixar que esse sentimento chamado amor volte a me dominar por completo, eu não quero me ferir novamente, só quero recomeçar uma nova vida longe de decepções amorosas e se for possível longe desse sentimento doloroso.

Como eu cheguei cansada nem arrumei minhas malas apenas tomei banho, fiz minhas higienes pessoais, coloquei uma blusa de Jungkook e dormi. Aí você deve estar se perguntando “Porquê diabos você tem uma blusa do Jungkook” antes dele destruir a minha vida, quando ainda éramos amigos, dormirmos juntos pelo fato de eu ter medo de trovões, então ele me emprestou sua blusa para quando estivesse chovendo e trovejando eu usasse e me sentisse segura com o seu cheiro.

...........

Já estava anoitecendo e meu celular não parava de apitar no criado mudo ao lado da cama do hotel, então me espertei um pouco vi uma mensagem de Jungkook:

 

MENSAGEM ON

Doador de esperma: Oi (S/N) nós estamos preocupados com você, fomos em todos os lugares possíveis, mas não achamos você... 21:49

 Por favor fala onde você está 21:49

Min-Jung só pergunta sobre você... 21:50

E nós precisamos conversar.... Sobre nós 21:51

NÓS não existe Jungkook! 21:56

E NÓS não temos mais nada para conversar ok? 21:56

Você já deixou bem claro que me odeia 21:57

Não precisa jogar mais nada na minha cara tá bom? 21:58

E não se preocupe comigo eu estou bem 22:00

Mande um beijo pra minha bb e pros meninos também 22:00

 

MENSAGEM OFF

Era só o que me faltava! Jungkook querer conversar comigo depois de tudo que ele fez! Ele tirou o meu bem mais precioso, Min-Jung era tudo para mim, ela me motivou a viver, quando descobri que estava grávida tive a certeza que o Bebê era de Jungkook, ele foi o primeiro a quem me entreguei de corpo e alma. Passei por dificuldades na gravides mas superei tudo por que queria dar vida a esse serzinho que eu chamo de filha, mas até isso ele me tirou!

- AAAAHHH QUE ÓDIO – estava ficando louca – Preciso passear e me divertir um pouco, até porque amanhã tenho que procurar um emprego e só depois arranjar uma casa ou apartamento para morar – troquei de roupa e fui para o térreo do prédio na ala de alimentação. Muitas pessoas estavam comendo e sorrindo, se divertindo ao som de uma música tocada pelo pianista que estava em um pequeno palco, trajando roupas elegantes.

Fui ver o cardápio e só tinha comida chique, e tudo ficaria na conta do hotel quando eu pagasse no final da minha estadia, logo o garçom veio me atender e eu pedi frutos do mar com o melhor vinho que tivesse na casa. Estava distraída olhando os carros passarem pela enorme parede de vidro que em que minha mesa estava ao lado, quando uma pessoa se senta ao meu lado, fiz o favor de não olhar já sabendo que era algum homem tarado querendo dar alguma cantada mas estava enganada.

- O que você quer ?

M: Nossa desculpa se não quiser companhia é só falar – quando ouvi essa voz arregalei os olhos e o olhei imediatamente sem jeito.- Não Mori! Quer dizer desculpa, eu achei que fosse algum tarado querendo dar em cima de mim, por isso nem olhei!

M: Sim eu te entendo! Em lugares como esse existem muitos homens assim! – deu aquele seu sorriso que eu tanto amo e seus olhos ficam pequeninos. – Então quer desabafar? – o olhei sem entender o que o maior queria dizer – Eu ouvi seus gritos e fiquei preocupado mas quando fui te ver você já não estava mais no seu quarto, então fiquei vasculhando o hotel até te encontrar aqui.

- A gente nem se conhece direito e você ficou tão preocupado comigo! Obrigada mesmo Mori, e também obrigada por perguntar eu realmente quero desabafar. – então contei tudo para ele, desde quando eu fui para a Coréia até nós nos conhecermos no aeroporto, e eu já esperava que ele ficasse chocado aliás é muita coisa. – E é por isso que estou aqui, e você?

M: Bom eu... ah nem sei por onde começar. Eu... vim para cá porque meu pai quer que eu cuide dos negócios da empresa dele e... se eu conseguir organizar tudo e for um bom empresário por 1 ano  eu vou poder ficar aqui e assumir a empresa da família – deu seu belo sorriso que encanta todos. – É apenas uma empresa como qualquer outra e eu gosto de trabalhar nela. Só estou esse tempo no hotel porque a casa a minha família aqui está em reforma e eu acho que em uma ou duas semanas eu saio daqui.

- Nossa que legal, mas você não vai sentir falta dos seus pais?

M: Eles disseram que virão me visitar todos os meses, eles são os melhores pais do mundo! -  ver a empolgação dele ao falar dos pais me deu uma tristeza sabe, os pais dele apoiam ele em tudo, já os meus pais só sabiam me criticar e falar o quão má filha eu era, no fundo eu senti inveja dele por ter pais legais e que o apoiam em suas decisões, enquanto eu só queria a atenção de meus pais por apenas um minuto eles estavam ocupados pensando no dinheiro, no luxo e em coisas materiais. – O que foi? Porque esse rostinho lindo ficou tão triste de uma hora para a outra?

- Não foi nada Mori, então vamos comer?!

M: Vamos estou morrendo de fome.

Depois de jantarmos eu e Mori saímos do hotel e fomos dar uma passeada na cidade tomamos sorvete, brincamos no balaço e corremos na chuva. Fazia tempos que não me sentia tão livre assim, tempos que não sentia essa enorme felicidade tomar conta de mim por inteiro.

.

.

.

.

.

.

.

Bom! Já se passou uma semana e nesse pouco tempo consegui um emprego como garçonete, não se é lá muita coisa mas pelo menos consigo pagar um pequeno apartamento que aluguei para pelo menos ter onde dormir, quando eu digo que é pequeno... é minúsculo porque só tem dois cômodos: o quarto e o banheiro. Estava aproveitando o meu tempo livre no trabalho para procurar algum trabalho em que eu possa pelo menos pagar um lugar para morar dignamente, é horrível morar naquele lugar, é pequeno demais e os vizinhos são muito barulhentos durante a noite, e eu preciso dormir bastante para que eu consiga trabalhar no dia seguinte.

Dei um pulo da cadeira de onde eu estava quando V um anuncio dizendo que tinha um homem precisando de uma empregada, e a oferta era muito boa eu ganharia quase 4mil reais por mês, bom mas para cuidar de uma casa sozinha seria um grande desafio já que pelo salario a pessoa que oferecia a mesma deve ser rica e pessoas ricas costumam ter uma casa muito grande, já estava com um turbilhão de coisas na minha cabeça, tomei coragem e liguei para a casa e uma mulher me atendeu, sua voz parecia ser de senhora, a senhora me disse para aparecer na manhã seguinte e eu já estava ansiosa como sempre é claro.

Terminei meu expediente e fui direto para casa, quando cheguei de novo os vizinhos barulhentos e irritantes, o problema é que eu não posso fazer nada se não posso ser expulsa já que no início dessa semana eu pedi para abaixarem o volume e o povo veio com a maior ignorância para o meu lado, para o meu azar o dono do pequeno prédio estava na recepção e o pessoal disse que eu que comecei abrigar, ou seja, o dono disse que se isso se repetisse eu estaria no olho da rua então tenho que aguentar mais um pouco. Fui para dentro do meu quarto, peguei uma toalha e fui logo tomar meu banho já que eu estava toda suada de tanto andar para chegar em casa. Relaxei bastante no banho e não sei que milagre que aconteceu que os vizinhos desligaram aquele som dos infernos, pelo menos posso ter uma noite tranquila e sem ninguém para me encher o saco e me perturbar, finalmente as coisas estão dando certo para mim. Já estou começando uma nova vida e estou tentando esquecer Jungkoo mas Min-Jung não me sai da cabeça, afinal, nem sei se ela está bem se Jungkook e Jimin a tratam bem e com carinho, se eles dão a atenção devida a ela e o mais importante de tudo... se ela está com raiva de mim por tê-la deixado e ido sem avisar, fico com muito medo de Jimin ter falado mal de mim para ela, ele me odeia e com certeza ele deve ter colocado paranoias na cabecinha dela e é disso que eu tenho mais medo, que ela passe a me odiar como o Jungkook me odeia.

.

Acordei com o despertador tocando então tive que me animar logo pois não posso chegar quase caindo de sono na minha entrevista de emprego, essa é uma nova chance para me recomeçar.

Fui logo me arrumar com alguma roupa bonita não muito chamativa pois poderiam ter uma má impressão de minha pessoa, e eu preciso desse emprego não aguento mais trabalhar muito e ganhar pouco, preciso de uma casa de verdade para morar, eu quero achar uma nova pessoa para amar, para ter filhos, cuidar e ser feliz mas para isso preciso esquecer o idiota do Jungkook e é isso que eu vou fazer, vou seguir em frente.   

Estava olhando o endereço pelo celular e é um pouco longe de onde eu moro, dei graças a Deus quando cheguei em frente a casa e percebi que não é uma casa e sim um palácio, cheguei mais perto do portão e tinha dois seguranças.

Xxx: E aí mocinha o que você quer aqui?- Eu vim para a entrevista de emprego para ser empregada, ontem eu liguei para esse número e me mandaram esse endereço.

Xxx: Então se é assim pode entrar.

- Obrigada.

Segui o caminho e dei de cara com um lindo jardim, cheio de flores, era a coisa mais linda que eu já vi, fiquei encantada com a beleza daquele lugar, mas fui atrapalhada com uma senhora me chamando.

Xxx: Vamos logo não podemos deixar o patrão esperando por muito tempo!

Segui a senhora e continuei apreciando a beleza daquela casa que mais parecia um palácio. A senhora me levou até as escadas e seguimos um corredor e paramos em frente a uma porta, que pelo visto era a última do corredor. A senhora me mandou entrar e eu estava nervosa, fiquei mais nervosa ainda quando entrei e dei de cara com um homem, ele estava em uma cadeira grande e bonita e estava virado para a janela enorme que tinha a sua frente, aquele ambiente tinha um ar sério e um cheiro conhecido por mim, eu conhecia bem aquele cheiro de algum lugar, a cadeira virou e dei de cara com ele...

- Você?!!! 


Notas Finais


Então gente foi isso, desculpa qualquer erro amo todos vcs que curtem a fic e se possível por favor gente divulguem a fic.
AAAAH também quero que vcs me sigam no insta gente pra vcs saberem o meu jeito e como eu sou por trás disso tudo ok? Minha meta é chegar a 300 seguidores e eu conto com a ajuda vcs! É só ir lá no insta me seguir e me mandar direct dizendo que veio do spirit que eu sigo de volta!! É @srt,tsunade bjs!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...