História Meu melhor amigo - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Candice Accola, Ian Somerhalder, Joseph Morgan, Nikki Reed, Nina Dobrev, Paul Wesley
Tags Nian
Visualizações 152
Palavras 2.339
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês , espero que gostem . Bjs 😘 com nutella e boa leitura!

Capítulo 7 - Você não é meu irmão


Fanfic / Fanfiction Meu melhor amigo - Capítulo 7 - Você não é meu irmão

    “De baixo, olhando para cima

O luar despedaçado sobre o mar

Reflexos ainda parecem os mesmos pra mim

Como antes de eu afundar

E é pacífico lá no fundo

Porque de qualquer maneira você não pode respirar

Sem necessidade de rezar, sem necessidade de falar

Agora que estou no fundo

E está arrebentando sobre mim

Mil milhas em direção ao leito do mar

Achei um lugar para descansar minha cabeça

Nunca me deixe partir, nunca me deixe partir

Nunca me deixe partir, nunca me deixe partir”.

                      - Florence anda the Machine - Never let me go.

                    

             (Nina POV)

Na manhã seguinte eu acordo às 08:00 em ponto. Me levanto , tomo meu banho e faço minhas higienes matinais , troco minha roupa e desço para tomar café. Minha mãe já estava no andar de baixo preparando nosso pequeno desjejum, e pelo cheiro que exalava na cozinha , nossa pequena refeição se tratava de panquecas com calda de morango.

- Oi mãe - digo me sentando na bancada da cozinha.

- Oi filha , dormiu bem? - Péssima - Claro, como um bebê - digo.

- Mãe? Me dá uma panqueca? - digo fazendo carinha de gato de botas . A esperança é a última que morre, não é mesmo?

- Desculpa filha , mas só depois que todas estiverem prontas - diz - Mas e aí? Como foi a pizzaria ontem? Você chegou tarde .

- Foi legal , não poderia ter sido melhor - minto - Ian e Nikki estavam lá - digo .

- Estavam? Mas eu pensei que iriam somente você e Liam - fala confusa.

- Era pra ser , mas antes do nosso pedido ficar pronto os dois chegaram e pediram para se sentar conosco. E como eu recebi a melhor educação da melhor mãe do mundo , eu deixei.

- Ah ... Que ótimo que aprendeu , mas não adianta ficar me bajulando não . Já disse que as panquecas ainda não estão todas prontas -diz e eu desmancho o sorriso - Mas agora me conta , e você e Liam?

- Como assim ele e eu ?- pergunto confusa.

- Não se faça de desentendida. Eu vi o olhar que ele te deu , esse menino está afim de você , tenho certeza - diz.

- Não sei do que você está falando - digo.

- Vai filha me conta.

- Não tem nada entre Liam e eu . E nem deu tempo de ter ontem já que Ian e Nikki apareceram - faço uma careta e minha mãe ri.

- Nossa , que pena . Mas e na volta? Não aconteceu nada ? - pergunta surpresa. Em seguida me entrega uma prato bem generoso de panquecas com bastantes cobertura de morango.

- Não foi ele quem me trouxe - informo - Ian veio trazer Nikki e acabou me trazendo também - digo - Aliás , eu tenho que ligar para Edna - digo limpando a boca .

- Tem? Por que? - pergunta confusa.

- Também não sei ao certo , só sei que ela pediu pra Ian me informar de que ela precisava conversar comigo - digo.

- Por que será?

- Não faço ideia , mas já descubro - digo me levantando.

Terminado meu café eu subo para o meu quarto , escovo meus dentes e em seguida ligo para Edna.

Ligação on.

- alô? - ela atende.

- Oi Dona Edna , é a Nina . O Ian me disse que a senhora gostaria de falar comigo.

- Oi querida , é que eu realmente gostaria de falar com você . Você estaria disponível a vir aqui em casa agora?

- Claro , já estou indo . Daqui a pouco chego aí , bjs.

- Estarei te esperando. Bjs

Ligação off.

Troco minha roupa rapidamente e desço as escadas. Vejo que minha mãe já está saindo para trabalhar e aproveito o momento para lhe pedir carona.

- Oi filha , eu já estou indo para só trabalho .

- Eu sei mãe , mas será que a senhora poderia me dar uma carona até a casa do Ian? Dona Edna me pediu para ir lá agora .

- Está bem , vamos ?

- Vamos .

          #Quebra de tempo#

Cerca de cinco minutos se passam até que chegamos​ à casa de Ian , até que foi bem rapidinho. Como todos já me conheciam na vizinhança eu entrei pelo portão direto. Paro em frente à porta e toco a campainha que se encontrava do lado da mesma. Edna em pessoa veio me atender , em relação à visitas a mesma nem sequer pede para que a governanta da casa atenda a porta.

- Oi Neens , como você está querida? - pergunta me abraçando de forma carinhosa.

- Estou ótima e você? - pergunto sorrindo.

- Estou ótima , venha vamos entrado - diz me dando passagem para entrar em sua casa . Hmm o cheiro que se instalava na casa era incomparável , era seu bolo de frutas vermelhas - Me acompanhe até a cozinha , fiz seu bolo preferido , já deve estar pronto- diz sorrindo. Adentramos a cozinha e uma das empregadas estava tirando o bolo do forno.

- Está com uma cara ótima, e aposto que o gosto está magnífico também - digo .

- Eu também acho - sorri e se vira para a empregada que por acaso se chama Victoria - Querida , você poderia servir um pedaço de bolo para Nina? Eu tenho que pegar uma coisinha - diz e Victoria balança com a cabeça em sinal de concordância. Victoria me serviu um belo pedaço de bolo e um copo com suco de morango , estava tudo realmente uma delícia. Edna volta pouco tempo depois e dá a permissão de que Victoria poderia se retirar.

- Então Nina , você deve estar se perguntando o porquê de eu ter te chamado até aqui - diz e eu balanço a cabeça em concordância - Certo , sua mãe me falou que você está em procura de emprego . Não se preocupe, ela não veio me pedir nada . Só estava comentando em sua dificuldade em achar algo. Mas enfim , lá na empresa eu realmente estou precisando de uma pequena ajuda , eu sei que você não pretende trabalhar com isso. Mas eu gostaria de saber se você estaria interessada em trabalhar comigo na empresa como minha assistente - Fiquei completamente sem palavras , Edna estava realmente me chamando para trabalhar com ela? - Então Nina , aceita trabalhar comigo na empresa?

- Eu aceito!! - digo alegre. A abraço e ela retribui.

- Que bom que aceitou - diz . Depois de nos separarmos do abraço a mesma continua - Que ótimo , fico muito feliz . E então , amanhã será que você poderia ir comigo lá na empresa? para acertarmos​ tudo?

- Claro , como quiser - digo.

- Perfeito , amanhã às 10:00 está bom para você ? - pergunta.

- Sim , está ótimo - digo sorrindo - realmente muito .... - Dói interrompida por uma voz que eu conhecia muito bem .

- Mãe! Cheguei - diz Ian gritando lá da porta . Merda! Ele chegou . Minha me repete isso várias e várias vezes.

- Estou na cozinha querido - diz Edna . Quando o mesmo entra eu até perco o ar . Deus que homem gostoso .

- Nina? O que faz aqui? - pergunta surpreso.

- Sua mãe pediu para que pudéssemos conversar , então eu vim até aqui como a mesma pediu - digo explicando.

- E o que a senhora queria com Nina mãe? - pergunta lhe dando um beijo na bochecha.

- Ian , eu lhe apresento a minha nova assistente da empresa - diz sorrindo enquanto aponta em minha direção .

- Sério? Que ótimo , fico muito feliz por você Neens - Ian diz me abraçando . Por um minuto eu permito me perder nesse pequeno ato inocente que faz com que todos os meus sentidos fiquem aguçados. Borboletas no estômago é o que eu estou sentindo neste exato momento. Quando Ian desfaz o abraço eu me sinto vazia, como se algo faltasse em mim.

- Nossa filho, parece que você está a parabenizando por uma gravidez - diz Edna em tom de brincadeira.

- Se fosse por uma gravidez ao invés de estar aqui eu estaria esganando o imbecil - diz com brutalidade.

- Tudo isso é ciúmes? - pergunta Edna com um ironia.

- Não , vocês sabem que Nina é como uma irmã pra mim . Eu só sinto o dever de protege-la - diz como se fosse óbvio. Só Deus sabe como essas suas palavras me magoam , é como um tiro em meu peito. Olho para Edna evitando o olhar do moreno . O sorriso que antes estava estampado em seu rosto, agora desapareceu.

O celular da mesma apita.

- Meninos me desculpem .Mas agora eu tenho que ir , e Nina amanhã nós conversamos, esteja aqui às 9:30 irei lhe dar carona para a empresa. Se tudo der certo segunda mesmo você pode começar . Diga para sua mãe que o trabalho não influenciará em nada que tenha a ver com colégio, ok? - concordo com a cabeça , ainda ignorando o olhar de Ian - Até amanhã querida - Edna se despede de mim e de Ian com um beijo e sai pela porta , desta forma nos deixando a sós com a presença de um silêncio ensurdecedor e um pedaço de bolo inacabado por conta da conversa.

- Então Nina - Ian começa a falar . O mesmo me faz olhar para ele mesmo contra a minha vontade - O que está rolando entre você e o Liam? - pergunta assim mesmo no supetão.

- O quê? - pergunto assustada . Pelo jeito meu bolo inacabado continuaria desta forma , inacabado.

- Você sabe do que eu estou falando. Esse rolo aí de você, o que está rolando entre você e o Liam? Eu percebi. - pergunta novamente.

- Não tá rolando nada entre a gente , você está percebendo coisas demais aonde não tem e coisas de menos aonde tem - digo me referindo ao fato de Nikki estar traindo o mesmo . Vocês devem estar se perguntando como é que eu sei . Mas a pergunta real é “Quem não sabe disso?” é meus queridos o único cego aqui é o Ian . Eu só não falo isso para o mesmo por que ele não acreditaria em mim . Não é como aquele velho ditado “Uma imagem vale mais do que mil palavras” ,então, Ian tem que ver com seus próprios olhos para enfim acreditar no que se passa debaixo de seu nariz.

- Tem certeza? Ontem quando eu e Nikki chegamos , vocês estavam bem próximos - destaca o “bem próximos”.

- Sim estávamos , nós somos amigos e....

- Você sabe que ele gosta de você né? - diz erguendo uma sobrancelha.

- Sim , e é por isso mesmo que .... - me interrompe.

- E mesmo assim você vai continuar dando falsas esperanças para ele - diz.

Caralho! Será que ele vai me deixar terminar pelo menos uma frase?. E como assim falsas esperanças?!

- Como assim falsas esperanças?

- Sim , falsas esperanças pois você não gosta dele , e desta forma não terá um relacionamento sério , e isso é exatamente o que ele espera - diz e ao terminar me deixa indignada. Ele realmente acha que sabe sobre os meus sentimentos? E desde quando ele acha que pode decidir o que eu sinto ou deixo de sentir por alguém?

- E quem disse que eu não sinto exatamente nada por ele? - digo cuspindo as palavras com raiva.

- Você sente? - Ian diz parecendo ter acabado de levar um soco na boca do estômago.

Não

- Talvez , nós estamos nos conhecendo melhor , e podemos sim ter um relacionamento no futuro - digo exaltada.

- Se conhecendo melhor? Por que não me disse ? - pergunta se exaltando também.

- Isso é assunto meu não seu - digo.

- Assunto seu? Como assim assunto seu? Nós somos amigos, não é? Você deveria ter me contado , assim eu poderia ver se ele vale à pena - diz e eu fico mais puta ainda .

- Pra você ver se vale à pena ? Quem você pensa que é? Meu pai? Eu já te disse, isso é assunto meu e não seu . Sua opinião não irá mudar nada em quaisquer decisão que eu irei tomar - digo.

- Posso sim , eu sou seu melhor amigo . Praticamente seu irmão. Eu preciso saber quem está interessado em você . É minha responsabilidade cuidar de você - Mas que merda! Irmão pra cá e para lá! Essa droga de sentimento de irmão! Eu sou apenas uma irmã pra ele .

- VOCÊ NÃO É MEU IRMÃO! - Grito e o mesmo se assusta - E VOCÊ NÃO TEM A MERDA DO DIREITO DE SE INTROMETER NA MINHA VIDA! QUANDO VOCÊ COMEÇOU A NAMORAR A VAGABUNDA DA NIKKI VOCÊ NÃO PEDIU A MINHA OPINIÃO! - O acuso - E EU NÃO SOU OBRIGADA A PEDIR A SUA! - termino e o mesmo me olha chocado.

- Não fale assim dela .Eu era apaixonado por ela - ele diz calmo e ainda por cima a defendendo. Isso me irrita ainda mais.

- Ian sabe o que você faz? Vai se fuder - digo sorrindo irônica - abre o olho e vê a porra do que está se passando em sua frente , bem embaixo do seu nariz . Larga de ser imbecil - digo e me levanto para ir embora .

- Nos vemos segunda e por favor diga a sua mãe que eu estarei aqui amanhã - Nenhum de nós dois estava gritando mais .

- Eu posso te levar - diz se aproximando mas eu desvio.

- Não precisa - digo e vou embora.

Continua??


Notas Finais


Capítulo não revisado então me desculpem qualquer erro ortográfico.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...