1. Spirit Fanfics >
  2. Meu melhor amigo é trans?! (CAMREN) >
  3. Say So

História Meu melhor amigo é trans?! (CAMREN) - Capítulo 40


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Madrugada para todos!

Assim, como quase nenhum da uma atenção aqui nas notas, saiba que serei breve ok? Galera cuidem de suas saúdes por favor, anda insano aqui em SP.

Capítulo 40 - Say So


Fanfic / Fanfiction Meu melhor amigo é trans?! (CAMREN) - Capítulo 40 - Say So

Clara estava de saco cheio de ter que arcar com as consequências de seu filho, mas mesmo assim nada a impedia de tramar contra demais pessoas, sendo estás próximas do filho bastardo que teve. Para dar inicio a seu plano, a mulher telefonava para diversas pessoas em um piscar de olhos, contratando tais homens e ordenando, o que só sabia fazer, ordena. Em seu jato particular, a mulher degustava de uma taça de vinho já que se encontrava entre as nuvens naquele momento.

 — Senhorita, aceita mais um pouco de vinho?

Um dos seguranças que tinha lhe chamado mais atenção em alguns dias atrás tinha perguntado para mesma, que aceitou de prontidão, o homem lhe servia sem hesitar. A mulher sorria de canto, levando a taça até seus lábios, bebendo do líquido turvo. Estava indo direto para Havana, mas tinha em mente outras coisas para fazer enquanto não tinha chego até a terra cubana. Clara por mais tivesse já aquela idade, sabia se entreter muito bem com seu dinheiro. Em seu jatinho tinham alguns homens e mulheres bebendo e dançando a vontade ao som de Doja Cat. Com alguns seguranças nas portas do mesmo, clara se levantava de sua poltrona, deixando a taça já vazia na mesinha diante a duas poltronas de frente uma para outra. Com aquela música soando perfeitamente naquele fim de tarde, a mulher retirava de seus pés aqueles saltos que lhe maltratavam.

 — Hey, babe.. por que não dança conosco? 

Um rapaz havia chegado perto de Clara, seu sorriso travesso, havia chamado atenção da milionária. O homem de melanina escura tinha rodado seus braços por volta da cintura da mulher, puxando-a para o centro de onde o pessoal dançava sincronizados uns com os outros. Clara apenas fechava seus olhos e com suas mãos vazias, o homem entregava um copo com um cor azulada, sendo uma mistura fortíssima de vodka e mais algumas bebidinhas surpresas. A mesma resolveu dar um gole do copo, sem fazer alguma careta e entregava para o homem que dançava consigo beber. Os dois dividiam o mesmo copo enquanto dançavam um colado no outro.

 — Finalmente encontrei alguém que tenha um ritmo bom..

No jatinho estava acontecendo umas resenhas particulares da mulher, algumas mulheres eram suas amigas empresárias, os o homens sendo alguns doutores, DJ’s e empresários que eram próximos dela. Sempre estavam juntos para onde a madame ordenava, sendo seu “grupinho”.

 (Hunf, quem diria que essa coroa vadia teria amigos?)

No outro lado do oceano que atravessavam, em Havana.

Naquele fim de tarde, todos estavam no lado de fora da casa curtindo o bom frescor da ventania que estava tendo, enquanto Alejandro assava alguns pedaços de carne e linguiça, e claro que não podia faltar o queridinho de Sinuhe, o pão de alho. O moreno estava em frente a churrasqueira enquanto a musica tocava em um volume agradável.

— E ai maninho,não vai sair desse celular não? — Taylor amava implicar com seu irmão, ainda mais quando estava quieto demais. Gostava de ver o mesmo irritado, parecia um vulcão jorrando lava por todo lado.

Lorenzo revirou seus olhos, desligando a tela de seu celular, o rapaz estava pousando em uma cadeira de sol qualquer enquanto conversava com seus “amigos” de Harvard.

 — O que você quer comigo, Taylor? Diz de uma vez.

— Aaaai! Que irritado. Vai trocar de roupa, eu e a tia compramos uma bem bonita pra ti!

 O rapaz estranhou. Uma roupa nova pra ele?

— A tia quer que eu use ela?

 — Sim, Sim! —Mentiu.

Respirando fundo, convencido de que sua tia quisesse vê-lo com a roupa nova, se levantou rapidamente e saiu da aréazinha’ e foi direto pra dentro. Passou pela sala e cozinha indo até as escadas, onde as subiu correndo - já que era costume seu - foi direto para o quarto em que estava dormindo, e viu a sacola em cima da cama, sorriu ao saber que não era uma das pegadinhas de Taylor dessa vez.

— Não é que aquela beste tinha razão? Vamos ver o que temos aqui pra mim..

Com a sacola sob sua cama, se sentou ao lado da sacola e a pegou, pondo em seu colo e abrindo a mesma. De dentro da sacola tinha um conjunto de shorts e camiseta branca com desenhos em todo parte de aliens verdinhos. Sua irmã estava de brincadeira, não? Aquilo parecia mais com um pijama do que uma roupa para se usar em vários lugares.

“A tia quer ver você usando a roupa!”

Lorenzo respirou fundo e decidiu-se trocar de roupa. Tirou as etiquetas do conjunto e resolveu vestir o mesmo. Não tinha espelho algum no quarto em que estava, mas dava pra perceber que a roupa tinha lhe cabido bem.

“Eu mereço”, logo pensou.

Sem chinelos mesmo, saiu do quarto com o celular em mãos e foi para onde todos estavam, a música estava um pouco alta, e o cheirinho de carnes sendo assadas na brasa deixava o rapaz faminto. Nem queria mais fazer algum suspense da roupa nova que estava usando, decidiu se aproximar de vez.

— Hmm! Que cheirinho bom é esse ai seu Alê?

Alejandro que estava retirando as asinhas de frango e pondo em um prato com farofa temperada, se virou dando de cara com lorenzo que estava usando o conjunto. O homem quase que riu de sua cara, mas não o fez. Sabia que aquilo poderia ser uma obra de sua pequena irmã, Taylor.

— Poxa, até que enfim! Onde estava?

 — Pondo essa muda aqui... tay me disse que a tia queria que eu usa—

 — TÁ’ BONITÃO HEIN MANINHO!

 Lorenzo se virou, vendo taylor cair na gargalhada. 

 — SABIA QUE ISSO TINHA DEDO SEU!

 — Olha eu só dei um empurrãozinho.. só isso!

— ORA SUA...!

Lorenzo estava prestes a avançar em Taylor quando Sinuhe e Camila surgiam com alguns pratos e talheres, deixando o rapaz totalmente envergonhado.

 — Ora querido, está de pijama essa hora?

Lorenzo virou um pimentão essa hora. Sinuhe e camila passavam pelo garoto enquanto riam do mesmo.

 — Vou acabar com a taylor.. — De olhos fechados, tinha seus punhos fechados, se virava e ia atrás de sua irmã que estava escorada nos tijolos que davam uma ótima vista das ruas. — Não acredito que caí nessa furada sua!

— Querido, acredite não foi o único nessa.

Ficou confuso.

 — Como assim?

 — Olhe para trás, idiota. 

Com a música tão alta, nem sequer tinha percebido que naquela lagezinha’ tinha chegado algumas pessoas que o garoto nem sabia quem eram, mas pela forma de como ouviu a turma falando com Sinuhe e Alejandro, percebeu que eram seus amigos, pois estavam falando espanhol normalmente.

 — São os amigos deles, a tia me disse algo relacionado de viriam curtir um pouquinho com a gente..

 Mas essa era a questão, Lorenzo não estava lá para curtir nada. Queria sua casa, sua cama.

— Não gosto disso. Nem os conheço.

 Taylor lhe deu um tapa no braço. 

— Ai! Por que me deu um tapa?

— Porque mereceu, mal-educado! Devem ser amigos bem antigos do senhor Alejandro, vai que precise deles num futuro próximo quando estiver tomando conta da empresa?

Lorenzo fez uma careta. Entendendo mais nada.

 — Acha mesmo que vou precisar da ajuda deles? 

— Acho. E minha intuição nunca falha, maninho.

Por mais que fosse besta, acreditava em sua irmã quando citava de sua intuição, taylor sempre esteve certa em relação a tudo, se duvidasse seria algo totalmente idiota.

 — Sei que esta putinho por conta da sua roupa, mas dá uma olhada na Camila ali, rapidinho.

— HEIN?

 Recebeu um outro tapa no braço. 

— Fale baixo.

— Por que eu tenho que olhar pra ela?

 — Olha logo!

Contra sua vontade, lorenzo resolveu encarar Camila que estava no outro lado perto de seus pais conversando com os convidados, que estavam dançando lentamente enquanto estavam beliscando uns pedacinhos de carne cortadas em cima da mesa. Todos ali estavam com roupas mais curtas, por conta do calor que estava fazendo já naquela noite. O branquelo fez o que sua maninha tinha pedido e procurou por camila. A latina estava bebendo uma latinha de energético enquanto ria com a conversa que estava tendo com o pessoal. Bastou a morena desviar seu olhar, que seu olhar e de Lorenzo se encontraram mais uma vez.

 — Er.. pronto! Ela está ali ó — Desviou o olhar rapidamente. 

Camila tinha rido do ato de Lorenzo, mesmo nem sendo amigos, achava suas atitudes fofas quando isso acontecia entre eles. Taylor que estava ao seu lado, tinha se levantado de onde estava, e saiu de perto do irmão e foi se apresentar para o pessoal que estava lá, deixando lorenzo sozinho sentado na cadeira.

Todos começavam a dançar juntos, sinuhe e Alejandro estavam juntos dançando já com seus copos de água de coco em mãos, curtindo seu momento juntos. Os convidados comiam do churrasco e voltavam a dançar, mesmo alguns parecendo velhos demais para aquilo, metade eram jovens curtindo. Sem perceber que estava em sua própria bolha, bastou um estalar de dedos em sua frente, que o fez acordar de sua “brisa” rapidinho. Piscou assustado duas vezes, olhando em sua frente, era Camila. A Latina estava usando a mesma roupa que a sua, um pouco diferente, o shorts era mais curto que o seu, e invés de uma camiseta, era um cropped. Estavam usando roupas personalizadas esse tempo todo?!

*tocando Say So de Doja Cat*

 — Vem.

Não entendeu nada. Camila desviou seu olhar do rapaz, e pegou em sua mão o puxando-o para se aproximar de si e irem para onde todos estavam dançando juntos.

 — Tá com medo de dançar comigo, é?

O branquelo engolia a seco. Claro que não tinha medo algum em dançar.

— Sério isso? Não tenho medo não..

 — Então prove.

— Ahn?

 — Baile conmigo.

Sem deixar que o garoto respondesse direito, camila pegou em suas duas mãos e ficou de costas para lorenzo, começando a dançar assim como todos estavam.

 Day to night to morning, keep with me in the moment

 (Dia, noite até a manhã, fique comigo no momento)

I’d let you had I known it, why don’t you say so?

 (Eu deixaria se eu soubesse, por quê não diz então?)

Didn’t even notice, no punches left to roll with

 (Nem percebeu, não consegue mais se adaptar)

 You got to keep me focused, you want it? Say so 

(Você tem que me manter focada, você quer? Então diga)

 Camila estava dançando consigo, colada em si, o que mais poderia fazer naquele momento? Sem escolha alguma, se dava por vencido naquela jogada da latina. Seguindo seus movimentos, dançava em sincronia com a morena.

 [...]

Já era madrugada, todos já tinham ido embora, os pais de Camila já tinham ido se deitarem, inclusive Taylor tinha ido dormir, depois de ter dançando horas e horas com um rapaz chamado Diego, um dos filhos do casal de amigos de Alejandro que tinha vindo. Com poucas luzes acessas ao lado de fora apenas enquanto soava uma bela música de fundo, continuavam a dançar em um ritmo lento, estando somente Lorenzo e Camila la lage dançando juntos, estavam entorpecidos devido ao tanto de bebida que tinham ingerido até aquela hora, já nem pensavam direito.

 — Já não sinto mais meus pés..

 Camila sorriu vago, se virando para o rapaz, parou de dançar consigo. E se afastou, foi caminhando até a mesa onde tinha uma garrafa que tinha sobrado, estava gelada. Lorenzo sem aguentar mais seus pés, tinha se sentado no chão mesmo, as cadeiras estavam longe para que usasse estás, tinha se sentado de forma desleixada enquanto a latina se aproximava de si, sentando entre suas pernas, abria a garrafa já dando seu primeiro gole da mesma. O sabor era forte, mas não deixava de ser gostoso, passava a mesma para lorenzo atrás de si.

 — Não sabia que tinha sobrado mais destas. — Deu um gole longo da mesma.

 O líquido gelado estava caindo bem naquele momento, com sua garganta seca e um tanto que suado, cabiam muito bem.

 — Tinha escondido essa.. sua favorita não?

— Sim.. mas como sabe disso?

 Deu de ombros.

— Você faz muitas perguntas em momentos que nem deviam, sabia?

 Lorenzo riu. Voltando a beber novamente da garrafa e então entregava para Camila. A latina tinha seu corpo derramado sob do rapaz praticamente, estavam bêbados, é claro. A morena pegou a garrafa de suas mãos e deu dois goles seguidos.

 — Seu rosto.. parece uma pimenta. 

— Uma pimenta?

 — Sim, está vermelho e .. quando que ficou vermelho assim? — Tinha levado uma de suas mãos até o rosto alheio, acariciando.

 — Nem eu sei.. mas quem está vermelho aqui é você, Camila.

 A latina riu. Os olhares se encontraram novamente. A música já se cessava, deixando-os num tremendo silêncio. Com os rostos próximos e suas bocas entreabertas, isso iria realmente acontecer..?

 — Camila.. eu..

Lorenzo tentava se afastar. Era perigoso aquilo. Muito perigoso.

 — ¿De qué tienes miedo?

 Sem entender bem do que a latina falava, sentia que depois disso iria se ferrar. Estavam tão próximos um do outro, talvez nem tivesse ter dançando tanto assim, suas pernas estavam dormentes já naquele instante. Tinha sido caçado por Camila.

 Engolindo seco, tentava se mover para se afastar de Camila que percebeu o que queria fazer. Dava um outro gole da garrafa, deixando-a de lado, rodeou seus braços pelo pescoço de Lorenzo, se aproximando do garoto.

 

 

 


Notas Finais


Músicas usadas no cap caso queiram ouvir:

1-

https://www.youtube.com/watch?v=6lPsC4g9p5I

2-

https://www.youtube.com/watch?v=pOKfHXVLnkY&list=LLBaX61PEG5sFLQ1Q5Te5hBw&index=2&t=0s


E por hoje é só pessoal, espero que tenham tido uma ótima leitura. Nos vemos sexta ou segunda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...