História Meu melhor amigo é um fantasma - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 1.376
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Esconderijo pt.2


Dn-Esconderijo? - falo olhando para casa abandonada - isso não serve nem pra um rato morar aí 

Ad-não tire conclusões precipitadas - fala me puxando para dentro da casa, quando estávamos perto da porta ele fica atrás de mim e tampa os meus olhos - vai ser uma surpresa 

Dn-se tu me fazer cair, eu vou te espancar 

Ad-não se preocupe raivosa - fala e eu pude ouvir rir baixinho, dou um chute em sua canela - tá parei - sinto ele abrir a porta é e entramos e tira as suas mãos do meus olhos, me surpreendi, que por dentro da casa era lindo, não era magnífico ou a melhor casa de todas mas só pelo fato de de ser uma casa "abandonada" aquilo estava ótimo 

Dn-quando você consegui fazer isso? - falo admirando a casa 

Ad-você sabe que meus pais são praticamente bilionário, então pedi para eles me emprestaram um pouco de dinheiro, as vezes é bom ter pais que não se preocupa muito com você, eu fazia quando agente não tava juntos - fala sorrindo, mas sei que está triste ele sempre fica triste quando fala dos seus pais, pelo fato deles terem nem aí para seu filho, ele ja me disse as vezes fica pensando como seria se ele tivesse pais normais, mas antes de eu falar alguma coisa ele pega em meu braço e me leva para outro cômodo - aqui é a cozinha, onde a gente vai fazer a Jessica de escrava - fala e eu rir, ele pega meu pulso novamente e me leva para outro cômodo - aqui é O seu lugar particular - olhei pra ele confusa 

Dn-lugar particular? Pra quê? 

Ad-Eu sei que você gosta de escrever suas canções em um lugar calmo onde nada consiga lhe perturbar, e também pra criar suas coreografias - fala sorrindo, eu observo o lugar com brilho nos olhos, tinha uma mesa com um cumputador com um fone e uma cadeira de rodinhas tinha umas esponjas na parede e o chão era um pouco diferente da outra parte, uma parte da sala que tinha espelhos,  avezes eu crio canções, e é uma vez na vida eu crio umas danças, o Andreu é único ouve as músicas que eu crio toda vez ele tenta me convese para posta no o YouTube mas eu não tenho muita certeza que as pessoas vão gosta 

Dn-e aquele vídeo game, eu não jogo

Ad-Mas eu jogo, as vezes eu vou querer ficar aqui então, tenha paciência com seu sorvetinho - fala sorrindo 

Dn-só você mesmo - falo rindo, ele de novo pega o meu pulso e me leva para o andar de cima - você tem certeza que é seguro andar numa casa que está caindo aos pedaços? 

Ad-Eu contratei pedreiros para reforçar algumas coisas 

Dn-tá e eles não falaram nada de um garoto de 11 anos ter contratado eles 

Ad-bom não foi exatamente eu que contratei eles pra construir - fala e eu olhei pra ele confusa - foi o meu tio - fala e eu olhei pra ele falando aahh, ele me leva para um cômodo onde tinha três camas e três cômodas - esse será o meu, seu e da Jessica nosso quarto - ele nos leva até as camas e percebo que uma delas era diferentes 

Dn-É essa cama aqui? - perguntou olhando pra mesma 

Ad-Bom essa é a sua cama, olha eu escolhi essa cama especialmente pra você, como você costuma dizer "sua felicidade" - fala rindo dou um tapa na sua costa, vejo ele fazendo uma cara de dor de verdade 

Dn-O que foi? - falo preocupada 

Ad-Nada de importante se me machuquei um pouco - ele pode enganar qualquer um menos eu 

Dn-tira a blusa - vejo ele fazendo uma cara maliciosa - pra isso não, seu idiota tira logo - vejo ele se dar por vencido e tirar a blusa - Meu Deus - falo vendo todas as suas feridas no corpo, sua costa e sua barriga 

Ad-tentei melhorar mas depois que eu passei o álcool piorou 

Dn-Você é Doido, não se deve passar álcool em feridas aberta - falo e pego em seu ombro e o boto na cama -tem algum kit de socorros? 

Ad-na segunda cômoda segunda gaveta - fala e eu vou pegar o kit, quando pego vou em sua direção e começo a cuidar de seus ferimentos - onde aprendeu a cuidar de ferimentos 

Dn-as vezes quando eu chegava em casa toda ferida por causa daquelas garotas, minha mãe cuidava dos ferimentos e eu ficava observando e acabei aprendendo - falo e ele pareceu indender, ficou um silêncio então resolvir soltar a pergunta que estava presa na minha garganta - foi ele de novo ne? - perguntou e vejo ele suspirar, bom vou falar um pouco mais sobre os pais dele, a mãe dele é uma idiota, vagabunda, puta, e tudo qualquer tipo de xingamento você pode achar que eu estou exagerando, mas ela é tudo isso sim, ela é uma drogada e alcoólatra já pegou todos aquele bairro inclusive o meu pai, e quando chega em casa sempre quer ter moral ela exige que o Andreu seja o filho perfeito , sinceramente nem sei como minha mãe foi amiga dela, o pai é a mesma coisa só que quando acaba de trabalhar vai para um bar e quando chega em casa quer bater no Andreu e quando acorda de manhã não se lembra de nada e vai até o Andreu pedi desculpas e falar que não vai se repetir 

Ad-Não sei porque ele ainda faz isso, já fiz tudo completamente tudo que ele mandou - fala e eu acabo de cuidar de seus ferimentos, deixo em cima da cômoda e dento do seu lado - acho que não estou fazendo o bastante, bom não é atoa que ele me chama de fracassado 

Dn-se você é um fracassado, o que eu sou na vida?! - falo e ele da uma risada anasalada 

Ad-Bom eu sou um completo fracassado, o que adianta ter dinheiro e não ser feliz? - fala e vejo os seus olhos lacrimejados - as vezes só queria que um deles chegassem pra mim e dissessem que eles nunca mais vão fazer isso, e que fosse verdade, mas não tudo se repete de novo e de novo - fala já chorando, me levanto e fico na sua frente e o abraço 

Dn-solte tudo, não segure isso pra si mesmo - falo e sinto mais e mais lágrimas em meu ombro - solte tudo - falo calma, ficamos um bom tempo ali assim que ele parou de chorar eu peguei em seu rosto olhei para seus olhos limpando ainda algumas lágrimas que insistiam a cair - bom você já sabe qual a minha opinião sobre isso, sei que você ainda tem esperanças que um dia ele vai chegar em você e vão pedir desculpas com toda a sinceridade possível, vou respeitar sua decisão, mas saiba que sou contra isso é não tenho certeza que eles vão fazer isso não sei se eles vão continuar com isso, a única certeza que eu tenho é que vou continuar sempre do seu lado - falo e o abraço 

Ad-odeio isso - fala e eu me solto do abraço confusa e sento na cama - você consegue que eu fique completamente vulnerável, assim me abrindo e fazendo eu chorar, não gosto que você me veja assim - fala fazendo um bico me fazendo sorrir 

Dn-mas assim mostra que eu sou importante 

Ad-mesmo assim - fala ainda com seu bico, mas parece pensar e abrir um sorriso - bora jogar vídeo game? 

Dn-haaa não você sempre ganha isso é chato - falo mas mesmo assim ele me puxa pra o meu "lugar particular" eu não querendo eu joguei e como sempre eu perdi bom o resto do dia foi basicamente jogando mostrei um passo que eu criei e umas letras de músicas pra ele, me perdi na hora e quando vi era tarde liguei pra minha mãe é pedi pra ficar na casa do Andreu bom foi uma guerra mas eu ganhei, quando acabei de falar com minha mãe eu fui durmo e ele também cada um em sua cama é bom aquela cama era completamente macia 
















Continua.......... 


Notas Finais


Desculpa pelos erros ortográficos 😶


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...