História Meu melhor amigo-Park Jimin❣ - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Chanyeol, Jackson, JB, Jung Hoseok (J-Hope), Lay, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Xiumin
Tags Amizade, Amor, Park Jimin, Romance
Visualizações 109
Palavras 1.703
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei! Nem sei se vou ficar, mas trouxe um cap para não desanimar vcs.


Bjs e deem muito amor a essa história.
Amos vcs ^^

Capítulo 32 - Acontecimentos...


Fanfic / Fanfiction Meu melhor amigo-Park Jimin❣ - Capítulo 32 - Acontecimentos...

SEOUL 15:45 PM

CASA DA S/N.


- Já estou indo. - digo descendo as escadas.

- encontrar com o Jimin? - ele já sabia a resposta e pelo seu tom acho que não era o que ele queria.

- sim! Ele ficou com a Luna e passaremos o resto da tarde juntos. - digo um pouco. Apenas um pouco, desconfortável.

Minha história com o Min já fora resolvida desde que sai de New York. Bom, pelo menos pra mim. Eu realmente gosto do Yoon, um pouco mais do que eu deveria poderia dizer mas, não como amo o Jimin.

Ele continua com essa história de ser o cara certo para mim. Sei que ele é maravilhoso e reconheço que sou muito sortuda em ter um homem desses ao meu lado.

Já tenho 21 anos, não sou mais aquela garota que era manipulada por todos. Já sei bem quem é o amor da minha vida.

- por que ele? Ele não ficou do seu lado como eu e nem cuidou de você quando você precisou. - levantou de onde estava e segurou o meu braço.

- o que está fazendo? Sempre deixei bem claro que não queria ficar com você. Era você que insistia sempre. Nunca te dei nenhum sinal de que eu gostava de você. Não te iludi. - digo puxando o meu braço.

Sorria e balançava a cabeça aceitando que tudo que disse é a mais pura verdade. Nunca o fiz pensar que algo sério aconteceria entre nós, mesmo com todo aquele romance em New York. Sempre deixei claro que não era a garota certa para ele. Mas ele insistia, sempre partia dele qualquer aproximação.

Eu gosto dele, ele é o meu oppa. Nunca esqueci tudo que ele fez por mim. Mesmo depois dele ter se afastado quando eu era pequena, sempre pensei que ele voltaria, como ele fez. Mas não consigo ver quando foi que aconteceu essa mudança de sentimento. Ele era como meu tio, ou algo a mais, sempre cuidou de mim e fez a princesa dele. Mas nunca vi nada além de um olhar carinhoso e puro por parte dele.

Mas agora eu cresci e como ele mesmo me ensinou, sei quando alguém estar sentindo qualquer coisa.

Tipo agora, ele está com raiva e não está nem um pouco preocupado em esconder isso.

- divirta-se. - seu tom é tão arrogante. Não vou "tirar" a razão dele. Ele diz que me ama. Deve ser difícil ver essa situação.

- obrigada. - saio da casa e caminho até o carro.

Min Yoongi! O que fazer com alguém como você?

Entro no carro e dou partida, antes de sair olho para casa uma última vez, vendo o Min me olhando pela janela.

Sinto muito por não poder retribuir esse amor.

Dirijo até a casa do Jimin.

Assim que chego sou recebida com um abraço caloroso da minha filha.

- pelo jeito se divertiu enquanto estava fora hein? - digo sorrindo.

- comemos chocolate, pena que a senhora não tava aqui. - seu tom era para me causar inveja. Tão graciosa.

- Aigoo! Queria tanto um chocolate. - diz biquinho e ela me encarou recentida.

- eu guardei um pouco para a senhora Omma. - e sorriu. Simples e divinamente.

Sorri em resposta e me levantei saindo da posição em que me encontrava.

- que bom que chegou. - o maior sela nossos lábios em um singelo beijo. Terei que me acostumar com isso. Mas a cada movimento do Jimin, sinto como se eu fosse explodir de vergonha e felicidade.

Como se fossemos amantes a pouco tempo.

- tive uns probleminhas por isso demorei. - falo abobalhada enquanto encarava cada parte daquele lindo rosto.

- esquece isso vamos nos divertir como fazíamos antigamente. - seus olhos brilharam.

E os meus também, tenho certeza.

- mas agora temos uma nova intregante. - digo vendo a minha filha dançando uma música qualquer que passava na TV.

Ele sorriu e me puxou para a sala.

Sentei no sofá e fiquei assistindo os dois dançando as coreografias que assistiam.

Uma.

Duas.

Três horas de dança. E muita zueira é claro.

Não consigo imaginar de onde eles tiraram todo esse fôlego. Ela é só uma criancinha.

Só de olhar na primeira hora, já me sentia cansada.

Sou sedentária mesmo!

Enquanto eles descansavam jogados no chão, meu celular vibrou na minha bolsa.



você e sua filha têm que morrer. 



Mais uma! Que ótimo. Não gosto desta situação e terei que tomar as providências necessárias para não ter perigo de minha filha sofrer qualquer tipo de violência.

Ela é a única coisa boa que me aconteceu naquela noite.

Aquela desgraçada noite. Agora que posso, vou me vingar daqueles desgraçados, tudo em seu tempo.


Pai de Jimin

Rússia 20:00 PM



Acabo de chegar no meu último destino. Samara! Estou viajando para todas as filiais do grupo Império para manter a ordem e atualizar o presidente de tudo que está acontecendo.

- Thank you so much! - agradeço a recepcionista que me entrega o cartão do meu quarto.

O que quero agora é apenas descanso.

Faz um mês que viajo sem pausas consideráveis, o que deixa qualquer velho acabado, não é mesmo?

Mas é minha obrigação como braço direito do presidente. Além do que, o presidente está muito ocupado com as coisas que andam acontecendo com a filha dele.

E o que me deixa mais desconfortável nisso tudo, é que o Jimin não sabe da escolha da S/n em querer representar o pai na máfia.

A S/n já deveria ter o contado, por mais que isso ponha em risco a minha relação com o meu filho.

Para ele, eu sempre fui um homem honesto e que trabalha duro para conseguir o que quer.

Ele nem imagina que tudo que acontece de errado para o presidente, sou eu quem concerto. Dou um jeito em tudo.

Posso ser chamado de carrasco.

Mas a única coisa que não quero é ver meu filho envergonhado pelo que o pai é.

Pensando bem agora, é melhor ele não saber de nada por enquanto. O melhor que se tem a fazer é poupa-lo de tudo isso.

- Alô? - atendo meu celular em frente ao quarto.

- como pode ser tão fácil conseguir contato com você? - reconheci a voz.

- você me conhece muito bem. Sabe que as coisas só acontecem quando estão favoráveis a mim. - digo passando o cartão e abrindo a porta.

- falou o homem que vive aos pés do presidente da Império. Hahaha! Faça-me o favor, você não é nada, e nem nunca será. E como tal pai é sempre tal filho, o Jimin com certeza seguirá os passos do pai e se tornará um grande Nada. - desgraçada! Como ela ousa ofender o meu filho.

- tenha bastante cuidado a partir de agora sua desclassificada, farei o possível e o impossível para que o presidente consiga te encontrar. E quando isso acontecer, farei questão de te mandar para o inferno. - vocalizo com toda a fúria que um dia derramarei sobre aquela vadia.

- sonhe enquanto pode. Perdi minha vontade de ser amigável então podem se preparar para o quem vem por aí, porque não vou livrar ninguém. - seu tom ameaçador quase me assustou, falei quase! - nem mesmo a nossa querida Luna. - terminou desligando em seguida.

Irei te achar! E você não vai tocar um dedo sequer na pequena Luna.

Tenho um pacto com o pai da S/n. Ele me ergueu quando eu precisei de alguém e todos me deram as costas.

O que não quero é ter um conflito entre nossas famílias.

Por isso farei de tudo para deixa-los seguros.

Sei que não sou o único empenhado a cuidar deles, o Suga é um perigoso e muito forte aliado.

Pena que não tem como saber mais de que lado ele está.

Já teve um caso com a mãe da S/n e por mais que ele diga que não tem mais contato com ela, ainda fico apreensivo ao pensar que ele já trabalhou para ela.

A S/n não sabe disso, e ele não vai contar.

Seria um baque com certeza. Ela não o perdoaria. Mas o que me mantém seguro momentaneamente é que ele ama a S/n, muito mais do que posso conjugar.

Teria a audácia de dizer que é uma doença o que ele sente por ela.

Ele respira ela, tudo é por ela mesmo depois dele ter se separado.

O que me incomoda é saber que o Jimin ama a S/n. Só eu sei o tormento onde ele se encontrava na época que ela se foi. Por causa do Min Yoongi.

Tenho medo do que o Suga possa fazer contra o Jimin para poder ter chances com a S/n.

Mas isso eles têm que resolver entre eles.

Não entrarei no meio deles.



Kisson

Tóquio - 22:35 PM



- A nossa filha é linda. - kook fala enquanto acaricia levemente os cabelos da Nyuca que dormia em seu colo.

Anos se passaram e minha filha cresceu muito rápido. Por mais que eu a trate como uma criança ainda.

12 anos com o mesmo rostinho de sempre.

- Puxou o pai. - comento sorrindo.

- com certeza se tornará a garota mais linda e dramática de todas graças a você. - me olhou esperando qualquer tipo de contrataque de minha parte.

Ele me provocou.

- como assim dramática? Me chamdno de dramática senhor Jeon? Não tem medo de morrer tão jovem? - meu tom era ameaçador mas meu sorriso mostrava que não tinha me ofendido.

- desculpa, acho que me empolguei falando a verdade. - continuava com sdu sorriso de coelho que simplesmente me deixa em êxtase extremo.

- idiota! - empurrou ele de leve, para não acordar a Nyuca.

- acho melhor acordar ela, amanhã viajaremos cedo. - assenti e ele faz.

- meu bem... acorda. Vá para sua cama. - seus sussurros me abobaram ligeiramente.

Nyuca se levantou com uma cara de sono muito engraçada, se despidiu e saiu cambaleando até seu quarto, que era ao lado do nosso.

- está com sono querida? - porque tinha que mexer tanto com o meu psicólogico?

- Nem vem, eu estou cansada e você também. Nada de virar a noite mocinho. - digo mostrando o dedo indicador.

- mas não quero passar a noite. Vai ser uma rapidinha, eu prometo. - falou como um gato pedindo carinho... um coelho!

- Ok! Mais bem rápido mesmo hein? Eu estou cansada. - disse me sentando no sofá vendo ele se aproximar.

- você não vai se arrepender. - seu olhar convencido só me deixa mais convencida de que sou totalmente apaixonada por este ser maravilhoso.

Me entregou o controle e daí começou a nossa Maratona de videogame.


Notas Finais


Desculpem a demora. Fugi um pouco da minha rotina de estudos para fazer esse cap da nossa xodó.


Bjs da @Park_Symin

I'm out!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...