1. Spirit Fanfics >
  2. Meu (Ex) Melhor amigo >
  3. Capítulo 1 - É, eu oficialmente só me lasco Brasil!

História Meu (Ex) Melhor amigo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii Garelinha linda, chegay!

Espero que gostem ❤😘

Capítulo 1 - Capítulo 1 - É, eu oficialmente só me lasco Brasil!


E mais uma vez ele esta aqui em casa, com aquela calça de couro apertada que ele insiste em usar, sem ao menos saber o quanto aquilo tira minha sanidade quase por completo. Com aquela camiseta branca que fica grudada em seu abdômen muito bem definido, dando um vislumbre de um pedacinho do céu, ao meu ver. Com aquele cabelo loiro molhado, como o de quem acabou de tomar banho, mas que eu sei que na verdade ele só lavou na pia com o intuito de se refrescar já que acabamos de andar no sol forte até aqui. E principalmente com aquele rosto perfeito e angelical, que possue o sorriso que faz meu coração acelerar e aqueles olhos pequenos e profundos, dos quais eu me pego encarando várias vezes ao longo do dia.

É, esse é Park Jimin, o menino que as vezes eu acho ser fruto do lado mais doce e lindo da minha imaginação. Nenhum ser existente é tão perfeito assim, a não ser ele, claro.

Bem, pelo menos eu espero do fundo do meu coração que ele seja real.

Park, além de perfeito, também é meu melhor amigo, meu companheiro, meu confidente e secretamente, o dono do meu cú.

Por que secretamente? Simplesmente porque nunca contei nada a ele sobre o que sinto, tenho medo que isso estrague nossa amizade que é tão importante pra mim. Por mais que eu o ame muito, prefiro deixar as coisas como estão. Me acostumei á ser apenas o melhor amigo tímido dele.

Não que eu não queira que ele saiba algum dia, porque na verdade esse é meu maior desejo, mas não adianta ele saber agora, principalmente se o sentimento não for recíproco, coisa que eu sei que não é.

Pois é, ser melhor amigo do seu crush tem agumas vantagens, e olha que uma delas nem é tão vantagem assim:

1. Você provavelmente é a pessoa que mais o conhece no mundo, e isso é muito bom.

2. A maioria do seu tempo, você passa do lado dele.

3. Ele gosta de você, pode não ser do jeito que você queria, mas pelo menos já é alguma coisa.

4. Você sabe quem é o crush dele, pois ele confia inteiramente em você a ponto de lhe contar isso, o que é péssimo. A ignorância é uma benção, e esse pequeno detalhe é a prova viva disso.

O foda de se apaixonar pelo melhor amigo, na maioria das vezes não é nem o fato de ter medo de estragar a amizade, óbvio que isso também é horrivelmente horrível. Só que o pior é sofrer mas ter que dar um jeito de disfarçar toda santa vez que o bendito te conta de alguma ficada que ele deu. Por mais que você esteja com o coração quebrado, não quer o magoar ou o fazer achar que não liga pra ele, então finge estar feliz. Pior ainda: muita das vezes sofremos sozinhos, sem poder contar com ninguém, porque o bendito do seu melhor amigo, ou seja, a (Única, no meu caso) pessoa em quem você confia nesse mundo é também a porra do seu crush! Argh!

Sabe, essa situação que acabei de descrever só me faz pensar como seria se fosse eu a beijar seus delicados e carnudos lábios ou segurar sua bunda avantajada enquanto trocamos carícias ou apenas andar de mãos dadas com ele no shopping ao invés de qualquer um que apenas foi considerado "bonitinho" ou "gente fina" o suficiente pra fazer isso.

As vezes me sinto um burro por gostar da única pessoa no mundo por quem eu não poderia me apaixonar. Mas confesso que esse sentimento passa quando o vejo sorrir pra mim e sei que o motivo fui eu. Me sinto até mais leve quando ele exibe aquele eye smile maravilhoso, quase fechando os olhinhos. Me dá vontade até de sorrir junto, ou de parar no tempo só pra poder apreciar aquela obra prima perfeita que por algum motivo que eu não compreendo, está fora do museu.

Eu sei, sou bem meloso, mas acho que é isso que acontece quando guardamos um amor grande desses por tempo demais, procuramos uma forma um tanto discreta de demonstrar e pensamos como se estivéssemos em um filme qualquer desses de romance, que por sinal, o Jimin adora.

- Que cara é essa, Jungkookie? - Me perguntou enquanto se jogava ao meu lado no sofá, me tirando completamente dos meus pensamentos e me dando um pequeno susto, o que me fez encara-lo.

- Que cara? - Perguntei tombando a cabeça pro lado.

- Essa de peixe morto que você estava fazendo

- E eu vou lá saber como é a cara de um peixe morto?!

- É modo de dizer Ggukkie, é que você estava com os olhos meio arregalados e um biquinho no rosto

- Ah, tá, eu só estava ... Pensando

- Pensando em que? Aqui nós trabalhamos com informações, meu bem

" Em você" era o que eu verdadeiramente queria responder, mas a coragem é o que me falta pra tal ato.

- No acasalamento de cangurus -Respondi dando de ombros.

Não me julgue, respondi a primeira coisa que veio na minha cabeça, não sou muito bom com mentiras. Nada bom, pra falar a verdade.

- Você é estranho

- Um estranho reconhece o outro

- Ei! - Meu deu um tapa sem força no braço e eu desatei a rir - Eu não sou estranho!

- É o que você pensa

- É o que eu tenho certeza, meu caro- Disse e se deitou, colocando a cabeça no meu colo.

Usei isso como um pretexto pra iniciar um cafuné e poder tocar em seus cabelos lisos e sedosos, os quais possuem um leve e maravilhoso aroma de framboesa com hortelã, que eu chuto ser por causa do shampoo dele.

Pra deixar bem claro aqui, não é que eu fique cheirando o cabelo do meu melhor amigo assim, na cara dura e sem pudor nenhum só pra saber que cheiro tem, foi só uma vez... ou quatro. Mas juro que foi discretamente.

- Sua mãe virá pra casa hoje? - Me perguntou fechando os olhos.

- Provavelmente não, hoje ela tem plantão no hospital, pode ser até que ela chegue de madrugada, ou amanhã de manhã

- Vida de enfermeira não é nada fácil, sua mãe é guerreira Kookie

- Pois é... Vida de trabalhador em geral não é nada fácil, só piora um pouquinho pra mães solteiras de filhos adolescentes

- Por isso vou ser mendigo quando crescer

- Cruz credo Jimin, que exagero!

- Exagero nada, a vida é dura pra quem é mole, pequeno gafanhoto, e eu sou mole pra caralho- Se espreguiçou, ajeitando-se no sofá, abriu então os olhos e me encarou - Ow, pede pra sua Omma pra eu dormir aqui vai, mó preguiça de ir pra casa

- Eu não! Pede você! Se você pedir ela deixa, certeza

- E desde quando eu me ofereço pra dormir na casa dos outros, meu bem?!

- Você acabou de se oferecer pra dormir aqui, anjo - Comentei entre risos

- Nossa Jungkook, não precisava jogar na cara! Pois eu num quero mais também!

- Eu tô zuando Jimin, pode deixar até que eu peço pra ela daqui a pouco

- Graças a Deus, achei que eu realmente ia ter que pedir assim na cara dura

- Oi?

- Eu ia ficar de qualquer jeito Ué, você já deveria ao menos ter imaginado. Hum, melhor amigo... melhor amigo da onça, só se for

- Você me engana e eu sou o melhor amigo da onça?! Bom saber - Cruzei os braços, fingindo uma falsa tristeza.

- Deixa de ser assim, você sabe que eu te amo Ggukkie - Sorriu pra mim.

Não me ilude assim não menino, que eu sou trouxa e caio nessa de verdade. E ainda caio como se tivesse levado uma voadora com as duas pernas bem no meio das costas!

- Acho melhor chamar o Jin pra ficar pelo menos um pouco também, se não ele vai fazer um escândalo do cacete quando descobrir que não chamamos ele e eu não tô muito afim de ouvir não - Ouvi ele dizer é concordei com a cabeça

- Vou ligar pra ele... - Peguei meu celular no bolso e começei a procurar o número do Kim.



[•••]

Eu e Jimin estavamos na sala assistindo um filme qualquer que passava na Tevê, quando a campainha soou.

Nos encaramos na hora.

- Vai lá atender, Kookie

- Por que eu?

- Por que a casa é sua Ué! Eu sou visita

- O Argumento até seria válido, se não fosse você á usar ele

- Como assim?!

- Você atende até a campainha da casa da minha vó quando é do seu interesse

- Acontece que... que... Ah, tsc, atende lá Jungkook, por favor! - Disse utilizando um tom manhoso na última parte.

Bufei e me levantei contra a minha vontade, indo ver quem incomodava, ou melhor, quem estava na porta.

Maldita coisinha fofa e manipuladora que torna quase impossível pra mim dizer não á ela

Abri a bendita e dei de cara com Seokjin, que tinha um número considerável de sacolas plásticas nas mãos e mexia distraído em seu celular.

- Hum Hum... - Pigarreei tentando chamar atenção do mais velho, o que não funcionou do jeito que eu esperava. Já que nem olhar pra minha cara o indivíduo olhou e continuou focado na telinha do celular - Jin... - O chamei, mas nada dele me notar - Jinnie-hyung! - Elevei minha vóz, observando então, ele finalmente notar minha presença.

- Oh! Finalmente você abriu essa desgraça, as sacolas estão pesadas cacete

- Mas Hyung, eu já abri faz um tempinho, você que não percebeu por estar olhando pra esse celular

- Ah, eu nem percebi mesmo ... - Arregalou levemente os olhos- Estava ocupado conversando com o Namjoon, sinto muito Kookie - Disse me empurrando pra dentro e fechando a porta ele mesmo.

Caralho mano, sou tão invisível que o povo não me vê nem na porta da minha própria casa!

- De boas, tô até me acostumando com isso ... - Admiti. Isso de as pessoas não me notarem acontece com bastante frequência na verdade.

- Onde eu coloco as sacolas?

- Pode colocar em cima da mesa, hyung. Mas só por curiosidade, o que tem nelas?

- Comida, o que mais seria?! - Perguntou irônico, andando até a mesa da cozinha e depositando as sacolas nela - Vem cá, Jimin está onde hein?

- Na sala, o preguiçoso não quis nem levantar a bunda do sofá pra ver quem era, se fosse alguém passando de porta em porta e dando mil reais grátis pra cada morador aqui do bairro ele não ganharia nenhum tostão o infeliz

- Carai que imaginação fértil Jungkook, meu Pai amado. Porem não julgo o Jimin, se eu fosse ele faria o mesmo

- Eu também tentei fazer, atendi a porta na força do ódio mesmo

- Estão falando do quê? - Perguntou Jimin, entrando na cozinha de repente e atraindo nossa atenção.

- Ih alá, ele descolou a bunda do sofá, que milagre. Ela já devia até estar ficando quadrada!

- Só não te dou uma má resposta Jin-hyung, por respeito os idosos, e também por que ela realmente estava... - Disse e acariciou as nádegas, o que me fez rir.

- Idoso seu cú cabeludo! Falou o menino de 5 anos gente... A sua altura pelo menos é igual a de um né

- Nossa Jin, sabe nem brincar sem apelar!

- Não sabe brincar não desce pro play, querido Jiminie - Exibiu um sorriso presunçoso, o que fez Jimin ficar vermelho, inflar as Buchechas, fazer um biquinho maravilhosamente fofo nos lábios e cruzar os braços.

Se não mencionei antes, ele odeia perder uma discussão, mesmo que ela seja de brincadeira que nem essa, mas quem é o doido que gosta também né?!

- O que trouxe pra nós comermos, Jin? - Perguntei como quem não quer nada, com o intuito de mudar de assunto.

- Oh, me desculpe, era pra trazer pra vocês também?! - Perguntou se fingindo de desentendido, o que me fez o encarar com um olhar repreendedor - Eu estava brincando Kook, trouxe muitos tipos diferentes e deliciosos de doces - Disse animado, o que fez nós dois nos animarmos também, afinal, estamos falando aqui de doces!

- Que tipo de doces?! - Jimin se entrometeu na conversa, tão interessado e animado que nem parece que estava Puto a exatamente dois segundos atrás. Esse é o poder do doce, meus caros.

- Chocolates, balas, chicletes, pirulitos e eu consegui até achar aqueles feijõesinhos com sabores diferentes pra brincamos de sorte ou azar!

- Uhhh, eu quero brincar de sorte ou azar! - Eu exclamei, ansioso pra provar um dos feijõesinhos (bons). Minha prima comprou um pacotinho desses uma vez, mas eu não tenho uma lembrança muito agradável daquele jogo, já que ela achou um jeito de saber quais eram todos os ruins e me dar, e eu, inocente, comi só eles achando que estava com azar na brincadeira. Só descobri a filha da putagem que sofri uns quatro anos depois, e quis estrangular a bendita. Antes que perguntem, ela passa bem, eu não cheguei a fazer nada com ela. Bom, pelo menos não fiz nada sério.

Tá, ela foi parar no hospital com intoxicação alimentar porque eu fiz ela comer um punhado de areia em que um cachorro tinha feito xixi, mas em minha defesa eu não sabia do cachorro. Não que isso melhore muito a situação, já que hoje em dia a MiChan não olha nem mais na minha cara. Porém não posso dizer que me arrependo, porque seria inteiramente mentira, eu achei bem é justo na verdade, os feijõesinhos ruins não foram as únicas coisas que ela já me fez comer.

- De qualquer jeito, vamos deixar pra mexer com as coisas que eu trouxe depois, antes do doce tem que vir o salgado

- Você gosta de acabar com a diversão né?! Porra Jin - Park murmurou

- O salgado pelo menos pode ser a pipoca que íamos fazer pra comer assistindo filme ?!

- Hum... Acho que não tem problema nenhum se for- Sorriu pra nós - Eu preparo enquanto vocês vão escolhendo o filme! Vão, vão! - Jin nos expulsou da cozinha, nos fazendo ir pra sala á força.

- Que menino agressivo ele gente - Susurrou alto, com o intuito de fazer com que apenas eu ouvisse.

- EU OUVI, PARK JIMIN! - E parece que não funcionou muito bem.

- Vamos logo fazer o que ele mandou Jungkook, ou não sobrará nenhum de nós dois pra contar a história! - Disse com o semblante em um falso desespero, me fazendo rir novamente, e o seguir até minha estante pra escolhermos um DVD.


[•••]


Depois de detonarmos três baldes de pipoca enquanto assistiamos "A Espiã que Sabia de Menos", (filme cujo nos fez quase engasgar com os benditos dos piruás várias vezes de tanto que rimos) e enchermos o rabo até o talo de doces, nos encontramos agora quase caindo de tanto sono. Onde eu encostar eu durmo, Sérião, por isso me encontro parado no meio da sala, apenas tentando me manter em pé, quase sem forças até pra abrir os olhos.

- Você não vai me convidar pra dormir aqui, Jungkook? - Perguntou Jin, me fazendo tirar do quinto dos infernos, forças pra ncara-lo.

- Unh? - Foi a única coisa que eu respondi, por pura preguiça de abrir boca.

- Pois você deveria, por que eu vou ficar

Eu só tenho amigo folgado, cruz credo.

Só não reclamo dele ter se oferecido pra dormir aqui porque o Jimin fez a mesma coisa hoje mais cedo. Um a mais não vai fazer diferença.

- Huuumm, Unh- Eu grunhi como resposta, oh, eu esqueci de abrir a boca pra falar, he he. Culpa da preguiça! Ou do sono, ainda não sei dizer.

- Tá dormindo em pé, Kookie? - Perguntou Jimin que estava deitado no sofá me encarando.

- Uhum... Quase - Murmurei baixinho com a vóz rouca e balancei a cabeça, afirmando.

- Então vamos dormir Ué! - Jin deu a ideia mais genial que já saiu da boca dele. Como ele é inteligente viu, até me surpreendo.

Mas, bom, mesmo assim fizemos o que ele disse, arrumamos as coisas que tínhamos bagunçado, colocamos um pijama e fomos pro meu quarto.

- Alguém vai ter que dividir a cama, aqui no meu quarto só tem a minha cama e um colchão extra - Avisei me jogando no acolchoado gostoso e maciu da minha King size.

- Eu quero dormir sozinho - Jin se pronunciou

- Todos queremos - Contrapois Jimin, com um sorriso de lado.

- Ah vai! Eu quero minha privacidade porra. E se Nanjoom souber que eu dividi a cama com outra pessoa do gênero masculino, posso me considerar um homem solteiro a partir de hoje. Outra, Vocês são melhores amigos, não vão se importar de dividir a cama por uma noite!

- Na verdade, vamos sim... Pelo menos eu vou- Argumentei nervoso.

Eu obviamente adoraria dividir uma cama com o Jimin, mas isso não seria nada, nada, mais nada bom pra minha sanidade!

Um Jimin, em sono profundo, me abraçando em quanto dorme é a minha perdição. E eu olhar pro lado quando acordar e o achar lá com aquela carinha angelical é o meu sonho de consumo, mas eu não quero me iludir tanto assim.

Eu sei que não há nada de errado em dividir uma cama com seu melhor amigo, mas ele não é apenas um melhor amigo pra mim! Ele é também a pessoa com quem eu gostaria de me casar e ter uma família grande e feliz. Não posso fazer isso comigo mesmo.

- Vai Jungkook? - Me perguntou, confuso - Por que?

-... Espaço... pessoal?

- Isso foi uma pergunta ou uma resposta?

- Uma resposta de uma pergunta - Eu acho...

- Há algo de errado em dividir uma cama comigo?

- Não Jimin! Não há nada de errado em dividir uma cama com você! Eu... Ah, eu só achei que você quisesse dormir sozinho!

- É, eu queria, mas agora não quero mais, agora eu quero te provar que não é tão ruim assim dividir uma cama comigo

- Eu nunca disse que era!

- Mas deu a entender

- Porra Jimin, você é o meu melhor amigo, por que caralhos eu acharia que há algo errado em dividir uma cama com você?!

- É isso o que eu tambem queria saber. Mas já que você diz, não vai se importar se dividirmos, não é mesmo?!

- Não! - Caralho, quando foi que eu fiquei tão masoquista assim?!

- Pois bem... Jin, você pode dormir sozinho dessa vez, vou dividir a cama com o Jeon - Disse e sentou ao meu lado na mesma.

Puta que o pariu, deu tudo errado!

É, eu oficialmente só me lasco Brasil.

Na verdade, não sei dizer muito bem se isso foi sorte ou azar, afinal, ele é o Jimin! E vai dividir uma cama comigo!

Mas no momento estou considerando um azar, tenho medo de fazer algo que dê a entender errado, bom, ou certo né, e se ele descobrir os meus sentimentos?!

Tá, além de meloso eu também sou inseguro, extremamente inseguro.

Essa vai ser uma longa noite...


Notas Finais


Foi isso, tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...