História Meu Natsu - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 214
Palavras 1.845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem eu estou de volta com mais um capitulo, e eu espero que vocês gostem de, como vocês tem gostado dos outros.

Boa leitura.

Capítulo 3 - Surpresa


Diane tinha se sentado em uma posição indiana com uma expressão contente em seu rosto, Natsu tinha se estabelecido na palma da mão de Diane, onde ela o observava constantemente, e dava tapinhas ocasionais no topo de sua cabeça com seu dedo indicador.

Happy estava sentado no topo de um grande pedregulho. Já era o por do sol, e a dupla tinha passado as ultimas horas explicando tudo a Happy, e dizer que Happy ficou chocado era pouco para dizer.

Quer dizer que Natsu tinha uma noiva, isso desde que ele era somente uma criança, sendo que ela conhecia Igneel, e era do clã provavelmente extinto os gigantes. E isso basicamente a tornava mais forte do que os magos que eles conheciam, pois pelo o que ele entendeu, o clã dos gigantes alem de ser tão antigo e raro como os dragões, eram donos de um enorme poder.

Happy: Então, deixe-me ver se eu entendi, vocês dois são noivos, e são assim desde quando ele era criança? — ele apontou para Natsu querendo confirmação.

Natsu assentiu se sentindo envergonhado pela demonstração de afeto de Diane.

Natsu: Sim — ele disse meio embaraçado e Happy riu disso.

Diane: Ei fiquei muito tempo te procurando, mas finalmente eu te encontrei Natsuuuuu — ela sussurrou a acariciando sua cabeça.

Natsu ficou vermelho mais uma vez.

Happy: “Agora eu entendo por que ele nunca reparou em outras garotas” — ele pensou, sabiamente ficando em silêncio, depois de testemunhar a exibição de ciúmes de antes — mas — ele limpou sua garganta — como vocês se conheceram, e por que são noivos?

Natsu: Ela salvou minha vida, mas.......— ele coçou sua cabeça confuso — eu não me lembro muito bem o que aconteceu depois, eu era muito novo — eles olharam para Diane.

Diane: Eh.....p-por que vocês não me falam sobre sua vida? — ela disse tentando mudar de assunto.

Natsu: Oh claro, eu nunca disse o que eu estive fazendo durante esses anos — ele disse parecendo, felizmente não percebendo a esquiva obvia de Diane.

Happy: Por que não começamos pelo momento mais importante? Claro o meu nascimento — ele disse orgulhosamente, também felizmente inconsciente do que Diane fez.

Natsu: Não....... — ele disse inexpressivamente e Happy lhe olhou chocado.

Happy: Como assim não? — ele disse chocado, não horrorizado, que seu melhor amigo lhe negasse isso — quem não gostaria de saber a história do nascimento de alguém tão incrível quanto eu?

Natsu: A história de como eu chego a Guilda, é muito mais incrível — ele disse mostrando muita convicção em suas palavras.

Happy: Não, não é.

Natsu: Sim, e sim.

Happy: Não.

Natsu: Sim.

E assim eles começaram um argumento caloroso sobre qual história era mais incrível.

Diane não pode deixar de rir do argumento bobo entre eles, e também suspirar de alívio que ela pode desviar o assunto.

........

Já era noite, e os três estavam preparados para dormir. Natsu e Happy passaram o dia inteiro contando sobre sua vida para Diane, ela ficou fascinada por tudo o que ele fez nesses anos, e também ficou ciumenta depois de ouvir sobre tantas mulheres na vida dele.

Ela não gostou nada de saber, que ele estava rodeado de mulheres bonitas por tanto tempo. Nem gostou de saber que ele tinhas amigas tão próximas, mas ela não deixou transparecer, ela mascarou tudo com um sorriso.

Afinal era fácil sorrir, além de finalmente encontrar Natsu, ela tinha uma surpresa para ele amanhã.

Happy já á muito adormeceu, Natsu e Diane sendo os últimos a estarem acordados. Diane tinha se deitado no chão, e Natsu estava sentado em um de seus seios.

Ambos estavam olhando para uma pequena fogueira a sua frente, bem pequena pelo menos para Diane.

Natsu: Onde você esteve esse tempo todo? — ele perguntou de repente — você sumiu antes mesmo de Igneel ir embora, você já tinha ido.

Diane: Eu estive resolvendo alguns assuntos, mas quando fui procurar você, eu não pude mais o encontrar — ela disse se esquivando do assunto, e Natsu soltou uma risada sem humor.

Natsu: Sempre se esquivando não é? — ele disse se virando para ela e Diane riu embaraçada.

Diane: Hehehe.....você sabe como eu sou — ela disse embaraçada, e tentou esconder  rubor em suas bochechas com uma de suas tranças.

Natsu: Mas sabe....... — ele disse se virando para o fogo — eu senti sua falta.

Diane: Eu também — ela disse em voz baixa, e cutucou o topo da cabeça dele com seu dedo indicador.

Natsu voltou a corar, e afastou seu dedo.

Natsu: Pare com isso — ele murmurou de canto — eu não sou mais criança.

Diane: Se você for comparar sua idade com a minha.......— ela disse brincando e deixou a ultima parte no ar.

Natsu: Ei — ele disse aborrecido, e depois de um momento ambos riram — o que você vai fazer agora? — ele perguntou depois que as risadas cessaram — eu posso voltar para te visitar toda semana, mas você vai ficar? — ela lhe olhou estranhamente.

Diane: O que você esta falando? — ela disse confusa — eu vou com você é claro, você acha que eu vou perder você de vista, agora que eu te achei depois de todos esses anos? — ela disse levemente emburrada.

Natsu: Errmm Diane — ele disse desajeitadamente ao coçar sua cabeça sem jeito — não fique brava, por favor, mas como você pode ir comigo, se você é desse tamanho? — ele disse cautelosamente, sabendo muito bem como ela era sensível ao seu tamanho.

Para a surpresa de Natsu no entanto, ela apenas riu.

Diane: Você vera, eu tenho uma surpresa para você, eu aprendi truques novos, te-he — ela disse brincando ao fechar seu olho direito e mostrar sua língua para ele de uma forma divertida.

Natsu ficou olhando para ela por uns bons três minutos, ele estava tentando descobrir o que ela estava escondendo, mas não era como se ele fosse ter sucesso.

Natsu: Tudo bem.......se você diz...........espera — ele disse de repente ficando branco — como eu vou explicar a todos que você é minha noiva? — ele disse já temendo as reações de todos, principalmente a de Erza.

Diane: De forma direta e simples — ela disse mostrando um olhar duro — não tem o que esconder, afinal eu lhe conheço a muito mais tempo do que eles — ela disse de forma emburrada.

E foi nesse momento, que Natsu foi lembrado de quão possessiva ela era.

Natsu: Tudo bem — ele disse suspirando derrotado. Não era como se ele pudesse argumentar contra ela, e se as coisas fossem para o sul, ele poderia se esconder atrás de Diane, afinal ela era super forte.

Diane: Bom menino — ela disse o cutucando na cabeça para o seu aborrecimento, e depois sorriu — e por ser legal, eu tenho um presente para você — ela disse e puxou algo de dentro de seus seios.

Natsu: O que é? — ele perguntou curiosamente vendo Diane estender sua mão em direção á ele.

Diane: Isso — ela disse abrindo sua mão revelando um grande travesseiro verde claro, com padrões retangulares pequenos verdes escuros espalhados por ele.

Natsu: Um travesseiro? — ele disse confuso o pegando e testando sua macies — hmmm macio.......ele é meio relaxante.........

Diane riu.

Diane: Ele é muito mais do que isso, esse travesseiro e muito especial.

Natsu: Como assim? — ele perguntou espiando por cima do travesseiro, e Diane riu de como ele parecia fofo o abraçando.

Diane: Isso é um segredo, mas o que eu digo, é que você sempre o carregue com você, ele pode salvar sua vida um dia — ela disse com sua voz assumindo um tom mortalmente sério.

Natsu olhou confuso para ela, incerto se um travesseiro realmente poderia salvar sua vida, mas Diane nunca mentiu para ele, então ele iria acreditar nela.

Natsu: Tudo bem — ele abraçou o travesseiro mais apertado e bocejou — eu vou dormir — ele murmurou e se deitou.

Diane: Boa noite — ela disse sorrindo.

Natsu: Boa noite — ele disse sonolento 

Diane o observou adormecer com um sorriso, e depois de algum tempo ela adormeceu também. Natsu teve uma noite tranquila e sem preocupações, mas também que preocupações ele poderia ter nesse momento?

Nem mesmo ele estaria com o mínimo de perigo, pois quem o atacaria com Diane por perto?

.......

Já era o dia seguinte, era manhã cedo e estava na hora de partir de volta a Guilda, por mais que odiasse o pensamento, Natsu não confiava que seus amigos não seguiriam se ele demorasse muito a voltar.

Natsu segurando o travesseiro, e com Happy em seu ombro, estava olhando Diane com expectativa.

Natsu: Então, você disse que tinha uma maneira de ir comigo, mas o que é essa maneira? — ele perguntou curiosamente.

Happy: sim, por que do jeito que você es..hmmmm — ele não conseguiu terminar de falar, pois Natsu tampou sua boca e olhou Diane com um sorriso forçado.

Natsu: Então o que é? — ele disse nervosamente temendo que Diane se ofendesse com Happy.

Diane: Observe — ela disse ficando de pé em toda a sua altura. Ela então começou a brilhar um brilho branco forte.

O brilho foi diminuindo aos poucos de tamanho, mas para a confusão deles, Diane não estava começando a ficar a mostra, na verdade o brilho que tinha sua forma, estava se ajustando a ficar menor.

Isso continuou até que o brilho tinha o tamanho de Natsu, e foi sumindo aos poucos, revelando para o choque de ambos uma Diane do tamanho de um ser humano, mais precisamente do tamanho de Natsu.

E bem..........

.........ela estava nua.

Natsu: Ehhhhh D-d-di-ane? — ele gaguejou chocado para ela que balançou seus braços alegremente e correu para ele saltando em sua direção que por instinto a pegou no colo.

Diane: Yahoo Natsu, agora eu posso viver com você, e posso ter seus filhos não é ótimo — ela disse alegremente a um Natsu corando e confuso.

Continua.

.......

Prévia:

Natsu sabia que seria uma má ideia aparecer na Guilda de surpresa com Diane, e contar a todos o seu status. Mas ele nunca imaginou que as coisas ficariam assim.

Ele estava sendo encarado por todos em choque, com Diane se agarrando a seu braço, enquanto ele suava nervosamente com o olhar que ele estava recebendo de Erza.

Erza: Noiva......— ela repetiu calmamente como se essa fosse uma palavra estrangeira para ela, então olhou mortalmente para o casal — explique.

.......

Diane: Quer você goste ou não, eu sou sua noiva, e o conheço melhor do que você jamais vai conhecer — ela disse olhando para baixo em Erza que rosnou com raiva.

Erza: Pois bem então — ela retirou uma espada de sua dimensão de bolso — eu vou fazer você engolir suas palavras, eu te desafio á um duelo — ela disse para o choque de todos. Diane zombou e cruzou seus braços embaixo de seus seios grandes os deixando maiores e a olhou com um olhar superior.

Diane: Eu aceito — ela disse ferozmente e então sorriu maliciosamente — eu vou gostar de esmagar você, e quando eu terminar essa Guilda terá uma nova rainha.

Erza não tinha ideia de quão precisas poderia ser as palavras de Diane sobre a esmagar se ela quisesse.

Natsu olhou tudo isso impotente, com um rosto cansado.

Natsu: Por que chegou a isso? — ele perguntou a ninguém em particular.


Notas Finais


Então, o que vocês acharam? Vocês gostaram? Não? Por favor, me digam suas opiniões, elas vão me ajudad muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...