1. Spirit Fanfics >
  2. Meu ódio amoroso por você >
  3. Shopping

História Meu ódio amoroso por você - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Tô tendo prova adoidado e se eu não manter a mesma frequência de antes é pq eu tô morrendo de tanto estudar.


galerinha estuda que faz bem, boa noite.

Capítulo 23 - Shopping


Fanfic / Fanfiction Meu ódio amoroso por você - Capítulo 23 - Shopping

 

 

 

Catra se remexe na cama, sentindo seu sonho começar a entrar em colapso. Algo que a garota na verdade gostou, pois estava tendo um pesadelo, um bem ruim.

Ela finalmente acorda em um pulo, assustando Adora ao seu lado. A morena ofegante passa a mão pelos longos cabelos, tentando se acalmar.

— Pesadelo? – Adora pergunta colocando sua mão no ombro da garota.

— Infelizmente – Catra responde se jogando novamente nos travesseiros fofos de Adora.

A loira pega o celular na cômoda ao lado e abre o Twitter, passando por algumas páginas aleatórias. Logo a morena fica intrigada com os risinhos da menina.

— Catra, saca só – Adora mostra o telemóvel para a namorada. Era um vídeo curto, de baixa qualidade, de uma barata rodando e o som com autotune.

Catra literalmente começa a chorar de rir.

Adora começa a gargalhar junto da garota por causa de sua risada. Nessa altura já eram duas debilóides chorando de rir.

— aI MANO, MINHA BARRIGA TÁ DOENDO!! – Catra fala se jogando na cama enquanto Adora imitava a Peppa Pig de tanto rir.

Depois de alguns minutos caóticos e cheios de dores abdominais, as duas se aquietam.

— Ai, cara... Tô com tanquinho agora de tanto rir – Adora fala botando a mão na barriga.

— Você já tinha antes – Catra fala se deitando ao lado da loira, que fica totalmente envergonhada com a afirmação da outra.

— E-eh, vou ir preparar o café da manhã – Adora sai da cama, mas é impedida de ir pelas mãos de Catra na sua. Ela olha para a morena surpresa.

Catra se sentia um pouco mal pela noite passada. Simplesmente tinha chegado naquele estado deplorável e mesmo assim Adora lhe acolheu. Achava justo contar o ocorrido para a loira, principalmente porque se sentia confortável de contar para ela.

— Adora, sobre a noite passada eu... – Ela engole em seco, mas é encorajada pelo olhar doce de Adora – Eu vou te contar o que aconteceu.

 

 

Adora fica meio chocada. Sabia do estado em que Catra se encontrava na Zona do Medo, mas não sabia que era tão ruim assim, tão perigoso.

A loira abraça Catra, que já voltava com o semblante triste.

— Ugh, como a Sombria pôde fazer algo assim?! – Adora exclama exaltada. Sombria não era exatamente a melhor pessoa do mundo, mas se envolver com o tráfico já era praticamente suicídio!

— Adora, você vai me prometer que não vai contar pra absolutamente ninguém!

Mas...-

— Eu estou te pedindo, Adora. Ninguém – Catra fala firme, deixando Adora nervosa com q situação.

— Ok, mas por favor, fique longe desse negócio. Eu não quero que nada ruim aconteça com você – Adora cede, mas ainda relutante.

— Ei, relaxa. Eu sei me cuidar – Elas se abraçam novamente, mas as palavras de Catra não confortam o coração inquieto da loira.

 

Adora decide marcar algo com Bow e Glimmer, para tentarem dar uma animada em Catra, que ainda estava abatida com tudo. Eles marcam de se encontrarem no calçadão da praia.

Chegando lá, todos correm para a barraquinha de água de coco mais próxima, se refrescando no calor de 37° graus celsius.

— Ughhh, acho que vou virar slime de tão quente que tá... – Glimmer resmunga sentada no banco, quase que derretendo.

— Por que a gente não vai pro shopping? Lá tem ar condicionado – Bow sugere e todos ficam de acordo, indo em direção ao Shopping Eternia.

 

O quarteto ficou só vadiando pelo shopping, olhando vitrines e zoando qualquer mínima coisa que acontecesse. Seus estômagos começam a roncar e decidem ir para a praça de alimentação.

Glimmer vai em um restaurante japonês comer sushi, Catra vai no MacDonalds e Bow e Adora vão no Burger King.

Depois de encherem o buxo, todos ficam conversando na mesa.

Catra percebe que seu refrigerante tinha acabado.

— Bow, vai lá no refill do BK

— Eu não, o tempo de refill já acabou – O moreno fala apoiando os braços na mesa.

— Fala sério, ninguém segue a regra da uma hora de refill!

— Eu sigo – Bow olha para a morena travesso – Quem mandou você escolher o MacDonalds ao invés de grandioso Burger King? – Bow fala defendendo seu restaurantes favorito.

— Burger King tem batata com gosto de sabonete – Catra provoca, fazendo Bow ficar genuinamente abismado.

— Como ousa ofender o Rei do Hamburger?! – Bow exclama sentado ao lado de Adora, que lhe dá tapinhas nas costas.

— Você já comeu sabonete pra saber do gosto? – Glimmer indaga segurando o riso.

— Já – Catra fala simples, fazendo Glimmer rir de vez.

A morena fica olhando para seu copo vazio por alguns segundos, até que uma Ideia Brilhante™ aparece.

— Muleque, me dá teu copo – Catra pega o copo de Bow e coloca o seu dentro do dele, fazendo assim que a logo do MacDonalds ficasse escondida, camuflada pelas gigantes letras do BK.

Todos na mesa se assustam com Catra quebrando o sistema.

Ela volta do refill e se senta na mesa normalmente, ainda sendo fuzilada pelos olhares espantados.

— Parem com isso. Eu trouxe coroas como brinde – Catra joga as coroas de papelão na mesa, sendo automaticamente perdoada pelo seu pecado de mais cedo.

— Ugh, não consigo deixar mais apertada... – Adora fala mexendo no papelão, quase rasgando a coroa.

— Coloca assim que é mais legal – Catra fala enfiando a coroa larga na cabeça, que desliza para a metade do seu rosto, Adora faz o mesmo, dando risadinhas abobadas.

Glimmer já trata de tirar uma foto das duas retardadas e colocar no seu Instagram.

— Aê, bora tentar ir até o refill com isso na cabeça – Catra sugere o desafio.

sIM! – Adora aceita sem pensar duas vezes.

E lá vão as duas. Andando pelo shopping lotado, totalmente vendadas pelas coroas do Burger King. Elas andavam de mãos dadas para não se perderem uma da outra. Andando bem devagar, tateando literalmente tudo que podiam, até mesmo pessoas.

Bow e Glimmer estavam se cagando de rir das duas, que voltavam com o líquido na beira do copo, ocasionalmente deixando respingar um pouco.

— Conseguimos! – Adora exclama fazendo um soquinho com Catra.

Porra, mas a gente pegou Fanta Laranja – Catra resmunga pois pegaram o refri errado, mas, bem, estavam vendadas.

— Pode deixar que eu cuido disso! – Bow pega o copo de 500ml e entorna em menos de um minuto. Todo mundo vai a loucura.

 

Já eram quase 15:30 e eles ainda estavam no shopping, já começando a ficarem entediados.

— Ei, vamo assitir um filme – Glimmer fala e todos sobem as escadas rolantes correndo.

Eles analisam os filmes em cartazes, alguns não eram estreias, na verdade filmes bem antigos já.

— Vamos assitir esse! – Adora aponta um dos cartazes que estavam nas estrimidades do mural.

Velozes e Furiosos? Sério? Desde quando você é hétero top, Adora? – Catra fala de braços cruzados.

— Por favor, não me ofende assim, né – A loira responde de brincadeira.

— Vai, Catra! Velozes e Furiosos! Velozes e Furiosos! – Bow inicia o coro, que logo é gritado pelas outras duas. Catra, já não aguentando mais passar vergonha, aceita.

— Ok, vamos ver o preço das entradas – Glimmer vai em direção ao preços e volta de lá pálida.

— Que foi, Brilhinho? – Catra fala percebendo a alma da rosada sair do corpo.

— Vejam vocês mesmos... – Os três vão para o mesmo lugar e ficam igualmente pálidos.

 

45,00 reais

 

45,00 dolorosos reais.

 

— Mais que caralho, desde de quando que o shopping Eternia cobra tão caro?! – Bow fala indignado.

— Pera, vamos ver quanto temos de dinheiro. – Adora propõe e todos vão para uma mesa.

Adora abre sua carteira e joga algumas notas, igual à Glimmer. Bow tinha apenas algumas moedas e Catra tirou mais algumas cédulas amassadas do bolso, junto de alguns fiapos. Juntando tudo tinham a quantia exata de:

30 reais.

 

— Ugh, chegamos tão perto! – Glimmer fala derrotada – Bom, vamos deixar para a próxima então...

— Não – Catra se pronuncia – Nós vamos ver o filme.

— E como pretende fazer isso? – A rosada indaga.

— Nós vamos entrar de penetra! – Catra fala com um olhar maligno nos olhos. Glimmer fica animadíssima com a ideia problemática de Catra, diferente de Bow e Adora, que estavam relutantes. Depois da morena e da rosada insistirem bastante, os nerds concordaram com a ideia.

Adora se ofereceu para criar uma estratégia para entrarem escondidos. Ela pega um guardanapo e uma caneta, desenhando uma espécie de planta do shopping ali.

— Ok, a saída das salas de cinemas ficam interligadas com o corredor dos funcionários, da famigerada "porta de acesso restrito"! – Adora faz um drama – Esta porta, que por sua vez, está interligada com o corredor da saída de emergência. Então, o plano é entrar pela porta de emergência, andar pelos corredores até chegar na saída da sala do filme! – Adora termina de falar, jogando a caneta do alto e fazendo um barulho de explosão.

— Tá, mas e a pipoca? – Bow pergunta.

— Como? – Adora fica desestabilizada.

— A pipoca. Não podemos ver filme sem pipoca. – O garoto se explica.

— Bow, literalmente acabamos de comer na praça de alimentação! – Glimmer responde o moreno.

— Mas é pipoca, Glimmer. Dá pipoquinha po pai... – Bow faz carinha de cachorro abandonado para a garota.

— Vai ter pipoquinha, meu patrão! – Catra fala orgulhosa – Temos quase a quantidade para uma única entrada, né?

— Sim – Adora volta a contar o dinheiro.

— Falta quanto exatamente?

— Falta exatamente 15 reais – A loira já começava a suspeitar da namorada.

— Eu volto em uns 20 minutos – Catra fala e simplesmente vai embora, pra sabe lá Deus onde.

 

Depois de alguns minutos Catra volta, sua camiseta vermelha toda rasgada igual ao shorts.

— Catra, o que aconteceu com você? – Adora fala preocupada.

— Eu me fingi de mendiga – Catra fala com um sorriso ladino no rosto– Só precisei fazer uns rasgos aqui e ali, uma carinha de gatinho triste e... BUM! 15 conto na mão! – Catra estende alguns trocados na mesa. Adora conta tudo e constata o sucesso.

— Tá, mas mesmo assim é só uma entrada e lanche. – Glimmer fala curiosa com o plano da morena.

— Nós vamos nos disfarçar, usando o sobretudo daquela loja! – Catra aponta dramaticamente para a vitrine de uma loja.

— Não temos dinheiro pra comprar – Adora fala dessa vez.

— Por isso nós vamos pegar emprestado.

— Ei, gente. Isso já está indo longe demais, não vamos roubar nada! – Bow começa a ficar nervoso.

— Relaxa, a gente vai devolver depois – Catra tenta acalmar o garoto e todos vão para a tal loja.

Eles foram até onde estavam os sobretudos e procuraram pelo maior de todos.

Precisam de alguma ajuda? – O grupo se assusta com a voz tediosa da garota bem conhecida por eles.

— Mermista! Eaí, como vai? – Bow fala desajeitado. Como puderam esquecer que Mermista trabalhava justamente nessa loja!

— Péssima. Sea Hawk não larga do meu pé. Por favor, finjam que eu estou ajudando vocês só pra ele não vir me encher o saco! – A morena fala meio desesperada.

— Uh, Adora pode ajudar vocês! – Catra empurra a loirinha pra frente.

Hahah, Catra?! – Adora fala em pânico.

Só distraia eles pra gente pegar o sobretudo! – Catra cochicha para que ninguém escutasse.

Catra, você sabe que eu não consigo atuar nem que seja para salvar a minha vida!

Você consegue, patroa! – Catra fala dando um beijo na bochecha da loira, que tem uma leve motivação para seguir em frente.

— Eu posso ajudar vocês – Adora fala travada.

— Ugh, por favor. Só convença ele que eu não entendo cantadas de marinheiro! – Mermista vai levando Adora pelo pulso até o balcão dos funcionários.

Bow, Glimmer e Catra tratam de arrumar um jeito discreto de tirar o sobretudo da loja. Por ser muito grande, não poderiam guardar em algum lugar. Decidiram então jogar o casaco no chão e ir chutando pelos cantos, os três ficando na frente da peça para que ninguém veja. Catra dá um último chute forte, jogando a roupa para fora da loja, atrás de um vaso de planta.

Eles vão embora discretamente, fazendo um sinal rápido para Adora voltar.

— Em conclusão, acho que vocês deveriam casar!! – Adora grita para Sea Hawk e Mermista antes de sair da loja.

— Virou casamenteira? – Glimmer olha debochada para Adora.

— Não comente nada! – Adora fala em relação à sua atuação.

Eles vão para um lugar afastado das câmeras e abrem o sobretudo. Como Adora era a mais forte, ela iria sustentar todo o corpo e andar. Bow abraça Adora pela frente, ficando agarrado na menina, fazendo como se fosse uma barriga gigante. Glimmer faz o mesmo, só que nas costas da loira. Por fim, Catra sobe nos ombros de Adora, sendo ela a cabeça de toda aquela figura confusa. Por sorte o sobretudo era bem grande e conseguiu cobrir todos.

A coitada da Adora estava no seu limite, carregando três pessoas, mas ela iria aguentar a barra. Andou com certa dificuldade até a entrada do cinema, indo na fila de pipoca.

Obviamente todos encaravam a monstruosidade passando por aí, mas ninguém comentou nada.

Adora enxergava por um pequeno buraco entre os botões, se posicionando na frente do caixa.

— Duas pipocas salgadas – Catra fala forçando a voz para ficar mais grave. O cara do caixa encarava a "pessoa" na sua frente meio assustado.

— Uh, qual tamanho? – Ele pergunta olhando para cima.

— Grande – Catra responde ainda com a voz forçada.

Um Chokito também – Bow sussurra da "barriga". Assustando o caixa.

Um silêncio desconfortável se instaura.

— Um Chokito, por favor – Catra fala desengonçada e o homem simplesmente faz o pedido sem questionar mais nada. Catra paga tudo e pega a entrada, se dirigindo para a sala do filme.

Depois que o filme já tinha começado e todas as luzes estavam apagadas, o grupo desmembrou sua antiga figura, cada um sentando em uma poltrona.

Os olhos deles estavam colados na tela, afinal, era Velozes e Furiosos.

Menos Catra, que tinha seus olhos pregados em outra coisa mais interessante do que a tela do cinema.

— Você é maluca, sabia? – Adora fala de supetão, assustando Catra que lhe encarava.

— Você é mais maluca ainda por ter concordado em participar – Catra responde travessa. Adora finalmente tira os olhos o filme e dirige as orbes azuis para o encontro dos olhos bicolores de Catra.

— Talvez eu seja maluquinha também... – Adora sussurra inclinando seu rosto para perto do de Catra.

A morena envolve o rosto da loira com as mãos e sela seus lábios, com um leve gosto de morango, bem na hora de uma cena de explosão no filme.


Notas Finais


o vídeo da barata do autotunekkk https://youtu.be/HxkmXnRQblE

esse cap foi dividido em 2, a próxima parte já deve sair amanhã


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...