1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Ômega >
  3. III. Apenas Nós Dois

História Meu Ômega - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


oi, oi, meus bebês, como estão?
desculpa a demorakk, eu sempre demoro mais para escrever quando se trata de lemon e muita pegação, sorry. bom, novamente eu quero agradecer a todos vocês pelo apoio, e amor que estão dando a mim e essa história, é sério, sou boiola demais por todos vocês, nha. quero agradecer também ao Artur e a Ana pela luz que me deram nesse capítulokk, obrigado meus amores <3. boa leitura! 💞.

[capítulo não corrigido]

Capítulo 4 - III. Apenas Nós Dois


Fanfic / Fanfiction Meu Ômega - Capítulo 4 - III. Apenas Nós Dois

Com uma pressa anormal, as mãos dele pousaram-se contra o balcão, respirando aceleradamente, e seu corpo parecia ruir em adrenalina e a mais feroz raiva; como aquele ômega pôde o rejeitar daquela forma? Ou melhor, como ele ousou fazer aquilo? Ele era o alfa, e consequentemente seu esposo, ele não podia simplesmente não aceitar sua “ajuda”. 

Os olhos escuros do acizentado percorreram pelo estabelecimento, vendo as pessoas já cheias de álcool esfregando-se umas nas outras na pista de dança; mas, por mais que aquilo fosse muito atrativo, a imagem do Uzumaki não lhe saía da cabeça, o seu cheiro, e a sua necessidade… porra, porque só depois de seis meses veio perceber o quanto Naruto era um porre de mal caminho?

Contudo, teria de haver um motivo para que o ômega estivesse diferente; será que ele viu algo de “errado” quando foi na empresa naquela manhã? 

— Se veio só para olhar para o nada e encher a cara de bebida, não deveria ter me ligado. — O Hatake balançou a cabeça, dispersando-se de seus pensamentos. 

— Sem drama, Obito, por favor —, revirou os olhos, pegando a garrafa de bebida que estava na mão do Uchiha. 

— Drama? Ah, nem vem, acha que eu sou o que? Disque entrega para estar sempre disponível para você? Se toca né — grunhiu, se levantando prestes a sair, mas sendo impedido pelo Hatake. 

Seus corpos se juntaram de forma abrupta, e logo, o cheiro ômega invadiu as narinas do acizentado, cheiro este que ele já conhecia de có e salteado que não era mais uma tentação irresistível; apenas o lembrou do quanto o cheiro do seu esposo era melhor, e engoliu em seco. 

Obito era um dos sócios do Hatake; sendo ele o primeiro ômega a virar dono de uma empresa multibilionária, o que era empoderado e encantador, e foi esse um dos motivos para Kakashi ter caído em suas graças, ele era de certa forma amedrontador e independente, mas ao mesmo tempo que era assim, ficava todo manhoso quando era o acinzentado que estava com ele. 

Não estava nos planos de Kakashi, trair seu esposo; longe disso, ele amava Naruto. Mas, ele foi fraco e não resistiu quando ouviu seu amigo sócio lhe pedindo ajuda com a chegada de seu cio. Foram seis meses em que se perdeu nas curvas daquele Uchiha, e sentia-se incapaz de olhar no rosto do esposo.

Sentia-se sujo.

Kakashi sempre soube que não era a pessoa certa para Naruto, e agora ele apenas tinha certeza. O acinzentado não sabia nem mais como conversar com o Uzumaki, tudo isso se perdeu quando ele o traiu pela primeira vez. 

— Me larga —, o moreno rosnou, novamente trazendo Kakashi de volta. 

— Não —, retrucou, apertando o braço do outro com mais força, o puxando para a sua frente, abaixando um pouco o rosto, juntando suas testas; Obito ainda mantinha o rosto fechado, em uma expressão fofa de raiva. — Me desculpe… eu estou… me sentindo realmente muito ruim hoje. 

Contou a ele? — a voz saiu quase como um sussurro, e por um momento, os olhos do ômega brilharam. 

Obito em seis meses se viu preso em seus sentimentos por Kakashi; estava amordaçado pelo o amor incontrolável que estava sentindo, e tudo isso piorou quando, em um ápice de muita bebida e prazer, o Hatake ter atado um nó entre eles. No início o próprio alfa ficou confuso com tudo que estava acontecendo, mas Obito sabia, e de certa forma ficou feliz — mesmo que de forma inconsciente —, Kakashi o tenha escolhido. 

Naquela noite, Kakashi não o marcou, até porque ele nem sabia ao certo o que estava fazendo; o que só dava mais “felicidade” ao ômega, por aquilo ser a primeira vez que Kakashi fazia aquilo, e melhor, era com ele. Mas Obito quase foi marcado, isso já era um ponto positivo, certo?

Tudo que aquele ômega queria, era… ser totalmente de Kakashi. Mas é claro que ele nunca admitiria isso sem que soubesse que isso fosse realmente viável.

— Não — ele sussurrou, quase sem voz.

O Uchiha sentiu novamente seus sentimentos escorrendo pelo ralo, e ele se soltou do aperto de Kakashi; aquilo estava o matando, quando ele poderia chamar o Hatake de seu? Será que um dia também seria apenas dele? Ou como sempre seria o amante rejeitado, porque o traidor não consegue deixar o esposo? 

— Eu disse para me ligar, apenas se você me escolhesse, Kakashi — bufou, e o Hatake suspirou pesado, sua cabeça estava lotada. — Se quer ficar com seu esposo… — respirou fundo —, fique! Apenas pare de me deixar como segunda opção sempre… eu estou cansado!

— Obito, por favor, aqui não é lugar nem hora… vamos, parar com-

— Parar? — riu irônico. — Porque não me disse isso a seis meses atrás? Assim pouparíamos essa conversa! — bufou. — Já disse isso, mas vou dizer mais uma vez, ser sempre a segunda opção cansa, então, se você não escolher quem de verdade você quer, acho melhor se acostumar a não me ter.

— Por favor, não fala assim… — Kakashi levou suas mãos ao rosto, suspirando, o que ele faria agora? — Vamos conversar em outro lugar, pode ser? 

— Não temos nada-

— Ahh…. — uma voz coberta de ironia surgiu no meio da conversa, fazendo com que os dois homens se calassem no mesmo instante, virando seus rosto em direção a voz. — Então é por isso que você anda distante, certo? — Kakashi arregalou os olhos ao ver Gaara, com deboche os olhando incrédulo.

— D-do que está… falando?... — o acinzentado queria contrariá-lo, mas nem sabia quanto tempo ele estava ali, observando toda aquela cena; era culpado e agora tinha alguém de prova. 

— Nem adianta tentar me enrolar, eu estou olhando esse negócio nojento aqui a muito tempo — urrou irritado, as pessoas que estavam ao redor dos rapazes, contando com um que era um alfa desconhecido; provavelmente acompanhava o ruivo cabeça quente. — Seu cretino! — Gaara gritou, quase saltando em cima do pescoço do Hatake, mas o homem ao seu lado lhe segurou.

— Ei! — Kakashi rosnou, se preparando para ir para cima, recebendo um olhar furioso do homem de roupas verdes que segurava o Sabaku; Obito estava estático, ele não queria que a conversa tomasse essas proporções. 

— Me larga, Shikamaru! — esperneava o ruivo. — Me deixe… — continuava a debater para sair dos braços fortes do Nara. — Me deixe quebrar a cara desse idiota! 

— Se controla, amor, por favor… — o homem revirou os olhos, já entediado e com vergonha de toda aquela cena. — Vai Gaara, nós só vinhemos nos distrair… não brigar com as pessoas… 

O Sabaku se acalmou ao ouvir o que o alfa lhe disse, ajeitando-se em sua postura, e também arrumando sua blusa de gola alta; ele passou as mãos em seus cabelos, como gesto falho para trazer sua sanidade. O ruivo suspirou, encarando o outro com seriedade.

— Obrigado —, disse baixo para Shikamaru, este que apenas soltou um sorriso de lado. — Enquanto a você… — seu tom voltou a ser irônico e ríspido, olhando para o Hatake e o Uchiha com indiferença. — Se você tocar um dedo sequer no Naruto, eu juro… mas eu juro —, Gaara reinou estapear aquele rosto pálido do Hatake, — que eu te quebro na porrada! 

— Quem você pensa que é anão de jardim? — Kakashi já estava sem paciência para aturar aquele ômega abusado. — Acha mesmo que pôde comigo, um alfa? — disse com sarcasmo. 

— Kakashi… — Obito falou temeroso ao ver a feição do ruivo ficar ainda mais séria e assombrosa.

— Só porque sou um “ômega” significa que não posso me defender, seu ridículo? — Gaara rosnou, e Shikamaru revirou os olhos, “E lá vamos nós”, pensou. — Saiba esses “rótulos” não definem ninguém, está me ouvindo? Você não pode simplesmente pisar em alguém por achar que sua categoria é superior. E sim, eu meto-lhe a porrada, seu escroto — cuspiu as palavras, fazendo a raiva do Hatake subir ao extremo. 

Kakashi se armou, e antes que Gaara pudesse dar as costas para ir embora; preparou-se e saltou para cima do ômega mas antes que suas mãos pudessem de fato tocar na pele alva do rapaz, seu rosto foi atingido, fazendo com que ele voltasse com tudo para trás, batendo as costas no balcão. Gritos e arruaça invadiram o bar, estes que já estava lotado de telespectadores. 

O Hatake demorou alguns segundos para conseguir entender o que estava acontecendo, e quando abriu os olhos viu o responsável por aquilo, Shikamaru, o acompanhante do Sabaku. Obito já estava ao lado do acizentado, totalmente inebriado e preocupado com o maior. 

— Bom, eu não duvido nem um pouco da surra que meu namorado pode te dar… — o Nara disse, enquanto estalava sua mão, mão esta responsável por socar a cara de Kakashi. — Mas… saiba que eu nunca deixaria você tocar suas mãos imundas nele, apenas faz o que ele mandou, tá legal? Não estou afim de perder meu tempo com você.

Tudo que Kakashi queria era se desestressar, mas acabou quase perdendo seu amante, se desmascarando e claro, com um olho roxo.

{ … }

Os olhos de Sasuke agora tomavam um tom de vermelho escuro; estava cada vez mais sedento ao seu instinto interior, sua respiração aumentava deliberadamente e o ardor subia por seu corpo. Ele estendeu a mão, segurando na maçaneta da porta, e como se ela não estivesse trancada ele a abriu. Os olhos azuis-piscina se direcionaram em sua direção, e um sorriso de alívio se formou nos lábios de Naruto. 

Sasuke caminhou devagar até o loiro, este que havia se sentado na beira da cama com pressa; estava afoito, e totalmente molhado. Naruto precisava mais do que nunca ser saciado, e isso deixava o Uchiha ainda mais entusiasmado. O moreno levou suas duas mãos aos longos fios loiros, prendendo-os em seus dedos, e os puxando para trás. 

O alfa se sentou sobre o colo do Uzumaki, enfiando seu rosto no pescoço do pequeno ômega que apenas gemia sôfrego; Naruto estava queimando, e parecia esquentar mais ainda depois que seu corpo instantaneamente se colou ao do Uchiha. Sasuke impôs mais força em suas mãos, fazendo com que o loiro caísse de costas sobre a cama. 

Naquela noite ele esqueceria que Naruto era casado, naquela noite Naruto seria inteiramente seu. 

Sasuke ainda por cima do corpo eriçado do ômega, começou a mexer seu quadril em movimentos circulares, fazendo com que seus membros se esfregassem um no outro; enquanto fazia isso, e ouvia os gemidos baixos do rapaz, ele se deitou sobre o seu corpo selando levemente seus lábios no pescoço inebriante de Naruto. Sendo mais uma vez invadido por aquele cheiro. 

O alfa começou então uma escadinha de beijos, descendo seus beijos do pescoço ao peitoral desnudo do ômega, sem deixar de rebolar sobre o membro ereto do loiro, fazendo com que o seu membro também já desse sinais de vida; Sasuke parou no pé da barriga do Uzumaki, quando sentiu suas mãos segurarem seus cabelos, ele elevou os olhos, encarando o rosto vermelho e excitado de Naruto.

— O que foi?... — sussurrou baixo, vendo Naruto respirar fundo. 

— Mais… Sasuke… — pediu, totalmente deslumbrado e excitado. 

Mais o que… Naruto? — Sasuke provocou, passando sua língua sobre a virilha do rapaz, e vendo o mesmo gemer abafado. — Diz… o que você quer? 

— Que-quero… — arfou ao sentir a língua de Sasuke deslizar sobre a base de seu pênis, deslizando-a ao redor da mesma.

O que você quer? — Sasuke rosnou. 

— Quero sentir você… — murmurou em um gemido arrastado, e Sasuke sorriu de canto.

Não foi preciso dizer mais do que essas três palavras, o alfa passou sua língua no pênis do loiro debaixo para cima, até se encontrar com a cabeça do membro do ômega, e quando chegou naquela localidade, a lubrificou com os movimentos rotacionais de sua língua, Sasuke executava leves sucções naquela região enquanto brincava com os testículos do loiro, fazendo o garoto gemer abafado enquanto encarava o seu alfa com uma face desconcertada.

— Sas-sasuke —, urrou, enroscando suas mãos no lençol ao seu lado, sentindo espasmos passando pelo seu corpo com uma forte onda de adrenalina.

Aquela visão que Naruto fazia, era de tirar o fôlego, dando ao moreno uma excitação ainda maior do que a que já sentia, dessa forma, ele resolveu cessar por um momento as suas provocações, abocanhando assim o membro do loiro; colocando-o todo dentro de sua boca, subindo e descendo para provocar o máximo de prazer que poderia dar ao seu jovem e doce ômega. Seu. Era isso que ele queria. A destra do Uchiha, enquanto o mesmo trabalhava com sua boca no membro do Uzumaki, deslizou para baixo do loiro, encontrando-se com a entrada molhada e necessitada de atenção, penetrando um dedo ali. 

As costas de Naruto se arquearam quando mais um dedo de Sasuke lhe invadiu, o alfa continuava a chupá-lo com volúpia, hora ou outra parando sobre o falo inchado do rapaz e o sugando apenas ali. Os olhos escuros do Uchiha estavam fixos nas feições que o ômega fazia, pois ele queria poder registrar cada segundo daquilo. Mais algumas sucções foi o suficiente para que Naruto se desmancha-se na boca do Uchiha. 

Sasuke se ergueu, ficando de pé na beirada da cama, passando seu polegar no canto de sua boca, retirando alguns resquícios de gozo que saíram, e logo, levando-o até sua boca, deliciando-se com o sabor único e totalmente inebriante que o Uzumaki soltou. Naruto gemeu sôfrego quando as investidas dos dedos do alfa pararam, e o mesmo se levantou, sentando-se no canto da cama.

— Já quer mais? — indagou o Uchiha, sorrindo de lado, convencido. 

O rosto do loiro ficou totalmente vermelho, mas ele assentiu; não negaria nem por um segundo se aquilo fosse lhe trazer prazer e lhe saciar de todas as formas possíveis. Sasuke sorriu, estava amando tudo aquilo, por mais que soubesse que era apenas efeito do cio. 

— Então, levanta — pediu, e o loiro atentamente obedeceu.

O Uchiha se sentou, abrindo o zíper de sua calça e em um ato só a tirando juntamente sua cueca; fazendo com que seu membro ereto saltasse para fora, Naruto salivou, e Sasuke o encarou de maneira super sensual, sem tirar o sorriso malicioso de seu rosto; o loiro logo entendeu o que o alfa queria, e se abaixou, olhando para cima com uma cara inocente que apenas ele sabia fazer.

— Faz direitinho, tá bom? — Sasuke o olhou, levando suas mãos até os fios loiros do ômega. — Te recompensarei da melhor forma possível, está bem, dobe? 

Naruto assentiu, ajeitando-se entre as pernas do Uchiha, levando suas mãos até as coxas torneadas do alfa; o Uzumaki abriu a boca, levando sua língua ao falo inchado do Uchiha, delineado-o, para em seguida pô-la em sua boca. Naruto começou uma sucção leve na cabeça do membro do alfa, Sasuke segurou firme os fios loiros do ômega, sentindo o prazer aumentar gradativamente a cada chupão dado pelo ômega em seu pênis.

O Uzumaki levou suas mãos que antes estavam nas pernas do moreno, até a extensão do membro do mesmo, começando a masturbá-lo lentamente com suas mãos; aumentando a velocidade aos poucos, a cabeça de Sasuke tombou para trás quando Naruto abaixou mais sua boca, colocando todo o membro do alfa dentro de sua boca.

O loiro levou suas mãos até seus cabelos, unindo-as às de Sasuke, passando o controle de seus movimentos ao mesmo; o alfa logo entendeu, e entrelaçou seus dedos por entre os fios, puxando a cabeça do loiro para cima e para baixo de forma mais rápida, também ajudando as investidas com seu quadril, imitando estocadas na boca do ômega.

— I-isso, ahr — gemeu, tombando novamente sua cabeça, revirando os olhos ao começar a sentir a chegada de seu ápice. 

Naruto não parou de sugar o membro do alfa como se estivesse com um geladinho — e que geladinho — aumentando sempre as sucções, mas levou uma de suas mãos até sua entrada que estava necessitada de atenção, estocando-se com dois dedos seus; logo, sentindo a porra de Sasuke invadir sua boca em uma esguichada, o loiro retirou sua boca do pênis do Uchiha, engolindo todos os resquícios que estavam em sua boca.

O Uchiha ao atingir seu ápice, levantou sua cabeça, encarando o ômega tentando falhamente se suprir com seus pequenos dedos. Ele sorriu. Sasuke era privilegiado de conhecer o paraíso antes da morte, e se fosse possível, ele gostaria de ficar nele para sempre. O alfa se abaixou, passando seu nariz no do ômega, o fazendo ronronar com o carinho. Juntando seus lábios, sentindo os sabores dos dois se misturarem junto a saliva, Sasuke pediu acesso a língua, que foi cedida, e logo o alfa explorava cada canto da boca do ômega com volúpia.

Sem se separarem, o moreno levou suas mãos às do loiro, se levantando juntamente a ele; Sasuke o virou em direção a cama, e o jogando ali, ficando por cima de seu corpo. Suas bocas finalmente se descolaram quando o ar faltou, pela primeira vez, eles pararam e se encararam por alguns segundos, sabiam que depois dali, algo ficaria muito diferente, mas mesmo assim, não estavam com medo do que os esperavam.

Sasuke deu diversos selinhos nos lábios do ômega, distribuindo eles até seu maxilar, bochecha, e parando no ouvido do mesmo, onde de uma leve mordida no local, fazendo com que o loiro se arrepiasse por completo; o alfa inspirou novamente aquele cheiro que em tão pouco tempo se viu fascinado. 

Vira sua bunda ‘pra mim, bebê — sussurrou, soltando um sorriso. 

Naruto sentiu um gelo de energia passar por sua espinha, não evitando em devolver um sorriso sugestivo e satisfeito ao moreno. Sasuke se levantou, ficando de joelhos sobre a cama, e o ômega se ergueu, posicionando-se de quatro, olhando para o Uchiha por cima do ombro. Sasuke levou suas mãos para a bunda farta do loiro, abrindo-a, e vendo o pré-gozo lhe lubrificando, o Uchiha abaixou-se um pouco, abocanhado a entrada do rapaz.

— Ca-caralho! — Naruto gemeu, um grito, ele não estava esperando por isso. 

Sasuke sorriu internamente, começando a penetrá-lo com sua língua, fazendo movimentos circulares; o ômega já não conseguia suprir seus arfares, e começou a mexer seu quadril para que pudesse ter mais contato com a língua do alfa em sua entrada. Naruto gemeu em reprovação quando Sasuke parou com o beijo grego. Sasuke se afastou um pouco, pegando uma camisinha que estava no bolso de sua calça — sempre muito preparado —, logo vestindo-a.

— Oh, não reclame, bebê —, disse enquanto dava um pequeno selinho em uma das nádegas do Uzumaki. — O melhor está chegando… 

Sem demorar muito, o alfa posicionou seu membro sobre a entrada do rapaz, que piscava carente, logo penetrando-o; Sasuke primeiro enfiou todo o cumprimento de seu pênis no cuzinho do loiro, esperando para que o mesmo se acostumar; Naruto mordeu seu lábio inferior, mas, sem esperar muito, mexeu seu quadril, sinalizando para o Uchiha que estava pronto. 

Sasuke então começou a movimentar-se de forma lenta, porém profunda; saindo completamente e entrando lentamente. Naruto se levantou, encostando suas costas sobre o peitoral do Uchiha, tombando sua cabeça sobre o ombro alheio. 

Está com pena de mim? — disse no ouvido de Sasuke, baixo, e provocativo. — Vai mais rápido, por favor… — suplicou, fazendo com Sasuke se arrepiasse completamente com o pedido. 

Saiba que foi você quem pediu, bebê — respondeu, sorrindo ladino. — Não me responsabilizo, se não conseguir andar amanhã. 

Dito isso, Sasuke aumentou a velocidade suas estocadas, sempre saindo e entrando completamente; Naruto sorriu em agradecimento, rodeando com seus braços o pescoço do Uchiha, para que pudesse gemer rente ao seus ouvidos, e enlouquecê-lo o quanto pudesse. O alfa sem parar suas penetrações, deslizou suas mãos pela barriga saliente do ômega, indo até o seu membro que já estava ereto novamente, começando assim uma masturbação rápida em seu pênis. 

O cheiro de sexo, os gemidos altos do ômega, e o barulho de sua bunda batendo contra o quadril de Sasuke era tudo que podia ser ouvido; Naruto com uma das mãos agarrou os cabelos escuros do alfa, puxando-os para descontar todo o prazer que estava sentindo.

— Sasu…ahr —, urrou sentindo seu corpo formigar, e dar alguns espasmos surgindo deliberadamente em seu corpo. — O-obri...hm… — seus olhos se reviraram, já nem conseguia raciocinar direito, estava imerso no prazer que aquele alfa estava lhe proporcionando.

— Naruto… — o alfa sussurrou, sentindo as gotículas de suor escorrendo por sua testa. 

O ômega se desfez nas mãos do Uchiha, e o moreno continuava a penetrá-lo fundo, foi preciso apenas mais algumas investidas para que Sasuke se desmancha-se em um gemido alto. Cansados, porém cheios do mais intenso prazer. Caíram os dois sobre a cama, um ao lado do outro, os olhos azuis-piscina logo viraram-se para o lado, encarando o rosto do alfa, que estava de olhos fechados.

Naruto sorriu, estava genuinamente feliz de estar passando esse período com Sasuke; por mais que, ele nunca fosse lhe olhar como outra coisa, o loiro sabia que aquilo era apenas uma ajuda. Logo, o corpo do mesmo foi invadido por novos hormônios. O que podia fazer? Efeito do cio. 

O ômega, respirou fundo, logo soltando um sorriso; subindo sobre o corpo de Sasuke, este que sorriu malicioso quando o Uzumaki se pôs a rebolar sobre seu quadril. 

— Preparado para o segundo round, Sasuke? — Naruto murmurou, e Sasuke se levantou, cravando suas unhas na cintura do rapaz, que arfou, o alfa passou seu nariz no pescoço alheio, dando uma mordiscada no local.

— Para você, sempre meu amor… 

E, repetidamente isso se perdurou, cada vez eles ficavam mais entorpecidos por nada mais nada menos que a loucura que o prazer e adrenalina proporcionam.

Naquela noite, existia apenas Sasuke e Naruto, e foda-se o mundo que os cercavam. 


Notas Finais


então, o que acharam? 🤡
essa atualização era para ter saído ontem, mas relevem meu perfeccionismo com lemons.
APARECEU o alfa lindo e perfeito do Gaara amigos, empoderamento é tudo, não concordam? bom, espero de verdade que tenham gostado, beijinhos de Liam 🦋.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...