História Meu paciente - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Visualizações 32
Palavras 800
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorou pah krl, mais tah ai kkkkkkkk
Boa leitura.

Capítulo 4 - Começo de uma pequena folga


Fanfic / Fanfiction Meu paciente - Capítulo 4 - Começo de uma pequena folga


-Você é importante para Erwin, e ele teve a coragem de deixa-lo sobe meus cuidados.  – ri nasalmente – Se acostume com minha presença pirralho. – diz.
-S-sim... – diz com as bochechas vermelhas. 
“a inocência as vesses é interessante...”.

                                                                                                       *****

                                                                                           Musica: Shawn Mendes - Stitches
As horas foram passando e Levi continuava a ler seu livro e Ehren a mexer no notebook que Armin avia deixado com ele. O clima não estava pesado, cada um fazia oque queria. Levi mudou sua expressão de tédio para uma calma e serena... Já Ehren, a cada segundo direcionava seus olhos esmeraldas na direção do moreno.
-Ficar me secando desse jeito virou costume? – pergunta sem olha-lo.
-A-ãm...? D-desculpe... – pede sem jeito.
-Você parece querer algo, oque seria? 
-Bem... É que hoje meu tio ia me levar pra sair, mais ele não está... Só estava pensando. – diz suspirando. “Bing... Sabia que ele queria algo”.
-E aonde vocês iriam?  - pergunta.
-Ao Shopping para compra alguns livros. – responde mexendo no computador.
-Você gostaria de ir?– pergunta.
-Sim... - responde sorrindo.  
-Então vamos. – diz se pondo de pé.
-Q-que? Vai me levar?
-É oque parece não é? – pergunta com sarcasmo. – Você deve ter outras roupas certo? – pergunta apontando para o pequeno guarda roupas no canto do quarto. – Se troque enquanto vou a minha sala trocar de calça.
-Vai mesmo me levar, Levi? – pergunta sorrindo.
-Claro pirralho, agora ande. – diz saindo do quarto.
-Tá bom... –responde em um sussurro.
                                                                                                                   *****
Levi já aia trocado sua calça social por uma jeans de lavagem escura, junto da camisa social branca arregaçada ate os cotovelos e o sapato social negro. Por puro capricho desabotoou três botões da camisa deixando a mostra parte de seu tórax. 
-O pirralho já deve estar pronto. – disse isso e abandonou sua sala.
No caminho as “Oferecidas” caiam babando do visual do jovem doutor. Levi apenas ignorava e seguia ao quarto 678. Quando chegou se surpreendeu com a imagem que via: 
Ehren estava com uma camisa preta gola V e uma calça jeans de lavagem clara junto de um cuturno negro. O mesmo estava se alongando por algum motivo. Como o movimento de Ehren, uma chave de cor ouro bailou no ar preso a um cordão completando a visão.
-Levi? – Ehren o chama mostrando que Levi estava o encarando.
-Vamos? – pergunta automaticamente fugindo do momento. “Pqp Piralho!”. Levi pensa. 
-Sim. – “Que homem...” Ehren pensa.
Levi se-pois ao lado do garoto que andava com calma. Mais certa irritação se fez presente quando algumas garotas - que deveriam estar ali visitando algum parente ou fazendo trabalho comunitário - começaram a dar olhares nada discretos na direção dos dois. Mais Levi notou que a parte dos olhares se direcionava ao pirralho ao lado. A vontade que Levi tinha de fazer era de mandar todas ali à merda e puxar o garoto para a saída o mais rápido possível.
-Esta acontecendo alguma coisa, Levi? – Ehren tira Levi de seus devaneios.
-Por que a pergunta? – pergunta tentando desfasar.
-Bem... É que de uma hora pra outra, podemos dizer que... Meio que uma aura maligna se formou envolta de você... – diz dando um sorriso sarcástico.
“Então ele percebeu?” 
-Só estou um pouco irritado com os olhares que estão nos dando – diz se referindo as mulheres em volta. 
-Então vamos logo. – diz o mais novo sorrindo logo pegando na mão do mais velho e o puxando até a saída, deixando um Levi totalmente atônico. Levi não entendia, que sensação era essa que tinha em seu peito? 
"Que estranho..."
Assim que passaram pela recepção foram para o estacionamento. Ehren só soltou a mão de Levi quando chegaram ao local.
-Você iria de que com Erwin? –  Levi pergunta tirando do bolço uma chave de ao que parecia ser a de uma moto.
-Corrigindo: Erwin iria comigo. – diz. 
-Como assim? – sem entender.
-Podemos dizer que ele me mima um pouco...
Ehren vai andando até parar enfrente a uma moto branca “E que moto” tirando uma chave do bolso de trás da calça.

-Parece que Erwin anda me clonando. – diz ao parar de frente a uma moto do mesmo modele, só que negra. – Não esperava que alguém doente pilotasse motocicletas.
-Não sou um condenado Levi. – da uma risada.
-Eu vejo... Então vamos?
-Sim. – diz pegando o capacete também branco o colocando.
Logo se pode ouvir o "ronronar" das potentes motos no estacionamento. Levi ia à frente e Ehren logo atrás o seguindo. Muitas pessoas curiosas ficaram admiradas as “crianças” e seus donos durante a pausa no sinal vermelho.
-Levi? – diz entre os sons de caros do transito.
-O que? – pergunta se voltando para o piralho.
-Topa’ um racha? – pergunta com um olhar diferente.
-Ho, e o pirralho têm a audácia de me pedir isso? – pergunta com um sorriso sarcástico. – Vai se arrepender por isso.
-Veremos. – diz abaixando o visor do capacete.
 


Notas Finais


Até a próxima :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...