História Meu Padrasto. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 21
Palavras 2.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


SURPRESA!!

Acharam q eu não iria postar dois capítulos dessa fic hj né? Mas pra quem sabe eu sempre posto dois capítulos no começo de minhas fics.

Boa Leitura!

Capítulo 2 - Convivendo com ele.


Fanfic / Fanfiction Meu Padrasto. - Capítulo 2 - Convivendo com ele.

O carro estacionou de frente à uma casa, podia se ver que ela era grande pela sua estrutura. Era de cor branca, com uma porta de cor marrom com alguns desenhos de flores, na mesma cor que a porta. Em ambos os lados da porta havia janelas de vidros, mas não pude enxergar o que havia lá dentro pois as cortinas me impediam. Da calçada até a porta, havia uma caminho de pedras com pequenos jaros de flores ao lado do mesmo. Ao lado da casa havia a garagem, e tirando os caminho de ir até a casa e a garagem todo o resto era coberto por uma grama bem verde e bem cuidada. Abri a porta do táxi, paguei o mesmo e  tirei minha mala e mochila do interior do veículo. Andei até a porta e apertei a campainha.

Minha mãe mudou-se para a casa de Taehyung enquanto eu estava na faculdade, trouxe apenas suas roupas e alguns pertences mais valiosos dela. Não precisava trazer móveis pois aqui tinha de sobra. Pedi que eu mesmo ajeitace minhas coisas, fazia questão de ficar por bastante tempo longe dessa casa. Mas agora não tinha para onde ir.

A porta se abriu e minha mãe sorriu para mim, quis sorrir de volta mas não podia. Não depois de saber como seu namorado a trata. Ela me abraçou e me deu passagem para entrar.

A sala era enorme, havia uma sofá em formato de L na cor preta. Em frete tinha uma TV enorme e uma pequena mesa com alguns enfeites e porta-retratos. As paredes era na cor branca gelo com alguns quadros de artistas que não conhecia. Na sala havia uma escada que dava para o andar de cima, suponho que seja os quartos. Mais afastado da sala havia duas outras portas medianas, onde uma estava aberta e se podia ver que era a cozinha, a outra deduzi ser o escritório do idiota. Senti a mão de minha mãe em minhas costas.

- Gostou filho?

- Não. Onde fica meu quarto? - minto de cara fechada. Ela suspira antes de responder.

- Eu te levo até lá.

Ela andou á minha frente e a segui. Subimos as escadas e chegamos a dois corredores. Em um tinha apenas uma porta no final dele, nas paredes laterias tinha duas janelas como as da sala. No outro corredor havia quatro portas, duas ao lado esquerdo e duas ao lado direito. Minha mãe informou que a primeira da direita era o quarto dela e de Taehyung, então pediu que eu escolhesse o meu. Fiquei com o último da esquerda, queria ficar o mais longe de Taehyung.

Entrei no cômodo e se não fosse meu orgulho, me jogaria na enorme cama que havia ali. Coloquei minha mala perto da cama e comecei a examinar o local. Em cada lado da cama havia um criado-mudo com abajur e gavetas. Em frente a cama tinha um enorme guarda-roupa, que ao lado tinha uma porta que quando abri descobri ser o banheiro. Do lado da cama tinha uma janela com uma pequena sacada, com uma vista linda. Depois de examinar um pouco o banheiro, que tinha uma bela banheira voltei e me sentei na cama. Minha mãe continuava parada na porta do meu novo quarto.

- Que foi? - pergunto vendo ela me olhar e segurar um sorriso.

- Nada, só estou observando você se admirar com as coisas mas fingindo indiferença.

- Não é indiferença, só orgulho mesmo. - respondo e começo a tirar meus sapatos.

- Não ouse ser rude com Taehyung, ele aceitou você aqui mesmo sabendo que você não está mais aceitando nosso relacionamento.

- A questão não é seu relacionamento e sim o que Taehyung é.

- E o que ele é Jungkook?

- Um nojento.

- Eu não vou discutir isso com você, se no futuro você se apaixonar por alguém assim vai me entender. Agora tome um banho que Taehyung está perto de chegar para jantarmos.

Não respondi nada. Ela fechou a porta e me deitei na cama. Respirei fundo para não surta de vez, ter que olhar todos os dias para esse cara seria uma tragédia. Acho que começarei a fazer yôga para relaxar ou dobrar as horas de exercícios que eu faço. Peguei uma toalha e fui tomar um banho.


<><><><><><><>

Entrei na cozinha e avistei minha mãe e Taehyung já sentados em seus lugares. Era uma mesa pequena, com quatro cadeiras. Me sentei de frente para minha mãe.

- Até que fim meu filho, já íamos comer sem você. - ela repreende como se eu ligasse comer junto com esse homem.

- Não pedi para me esperarem, agradeceria se comesse sozinho. - peguei um prato e comecei a pôr minha comida.

- Como foi a faculdade? - pergunta encerrando a assunto anterior.

Coloquei um pouco de suco e me aconcheguei melhor em minha cadeira. Olhei rapidamente para Taehyung e ele vestia uma simples calça moletom com uma camisa branca. Nem parecia o empresário que conheci a algumas semanas atrás. Ele me olhava esperando minha resposta, igual minha mãe.

- Normal mãe. Tirando os surtos do Jimin pelo seu novo ficante, mas o resto está tudo como antes.

- Entendi. Bom como eu fiquei o dia em casa, vou ter que ficar agora a noite no hospital.

Parei de comer na hora.

- O que mãe? - caralho eu não vou ficar sozinho com esse projeto de espancador - Não tem como a senhora pagar em outra ocasião sua falta?

- Não Jungkook, e você já está acostumado quando eu fico durante o turno da noite. Qual o problema agora?

Olhei para Taehyung e ele continuava a comer, parecendo alheio a nossa conversa. Me aproximei de minha mãe e tentei sussurrar.

- O problema é seu namoradinho agressor, vai que ele vem pra cima de mim?

- Se era para eu não escutar, sinto lhe dizer mas você falhou miseravelmente. - escuto sua voz grossa dizer, olho para ele com desdém.

- Oh, desculpe-me Alteza mas ainda não me acostumei com um terceiro membro na família. Sabe como é, rejeição é foda. - digo com indiferença.

- Jungkook! - minha mãe me repreende mas não ligo para ela.

Taehyung continuava mastigando e olhando para mim, e eu o olhava de volta. Se ele acha que vai me intimidar com esse jeito mandão, de olhar intenso e por todo seu poder. Ele está terrivelmente enganado. Minha mãe suspira antes de se levantar.

- Taehyung você me leva para o hospital? - ela pergunta.

- Claro Sook. - ele diz desviando seus olhos de mim, para olha-lá.

Minha mãe sai da cozinha e continuo a comer minha comida. Sinto que estou sendo observado mas não o olho de volta, até que ele descide falar algo.

- Por quê você é assim?

- Assim como?

- Arrogante. É por causa de meu namoro com sua mãe?

Você sabe muito bem sobre o que é seu canalha. Mas se você quer que eu fale, tudo bem.
Penso antes de lhe encarar com desprezo.

- Eu não tenho nada haver com o namoro de vocês, eu seria menos arrogante se eu soubesse que vocês trasam de uma forma normal. Não com um companheiro sádico. - ele arquei uma sobrancelha com minha petulância.

- Eu não me considero um sádico Jeon, e sim um dominador. - não nego que me arrepiei quando ele diz meu primeiro nome, mas ele não precisa saber disso.

- Não me importo com o que você se considera Kim, só não quero que você machuque minha mãe. E não estou dizendo sobre o coração.

Levanto da cadeira antes de escutar sua resposta. Me encontro com minha mãe nas escadas e me despeço dela. Subo e paro entre os dois corredores, olho para o que tem apenas uma porta e me pergunto o que tem ali. Será uma biblioteca? Ou algo mais interessante? Balanço minha cabeça dispensado esses pensamentos.

Entro em meu quarto e pego meu celular. Converso um pouco com Jimin, agradeço por ele não tocar no assunto Kim Taehyung. Logo depois me despeço dele e me enrolo nos lençóis caríssimos de minha nova cama, não demora nem dez minutos e já estou dormindo.


                         <><><><><><><>


- Como foi com seu padrasto ontem? - Jimin pergunta.

A aula tinha acabado de terminar, era hora do almoço mas não estava com fome. Então chamei Jimin para irmos a uma sorveteria. Ele também não estava com muita fome. Pego um pouco de meu sorvete de chocolate antes de lhe responder.

- Péssimo. Ele me perguntou por que eu sou arrogante.

- Sério? Tadinho, ele está tendo o pior de você. - diz e lambe seu dedo onde o sorvete caiu. Jimin é tão desastrado.

- Verdade, se ele fosse um homem normal que apenas se deita com uma mulher como todos os caras do mundo eu lhe trataria bem diferente. Mas não, ele tinha que ser assim.

- Ele realmente é um sádico?

- Ele disse que não se acha isso, mas sim um dominador. Qual a diferença dessa merda? Ele vai fazer minha mãe submissa de qualquer forma.

- Grr. - Jimin faz um som de nojo e balança a cabeça, ri de seu jeito. - Estamos mesmo falando da vida sexual de sua mãe? Isso é tão estranho.

- É só preocupação Jimin, eu vou pesquisar um pouco sobre isso.

- Acho bom, deve ter limites entre esse negócio.

- Tá, agora chega de falar sobre meu padrasto sádico e vamos falar de você. Como anda com seu crush? - pergunto logo vendo um sorriso brotar em seus lábios

- A gente transou muito ontem, nossa foi demais. Ele é tão carinhoso e ao mesmo tempo quente.

- Hum...aish agora que percebi, faz tempo que não transo. - fico tão puto com o namoro de minha mãe que esqueço de mim. - Não tem planos para esse fim de semana? Quero me acabar em uma pista de dança.

- Não tenho nada em mente mas ouvi boatos que um carinha do curso de direitos vai dar uma festa em algumas semanas, dizem que as festas dele são ótimas!

- Semanas Minnie? - pergunto frustrado.

- Sim meu caro, pra você ver como ele é conhecido. Faz o seguinte enquanto esperamos está bombástica festa, você procura saber mais sobre esse mundo de seu padrasto. Assim vocês se resolvem logo e param de tanto mimimi.

- Eu não vou me resolver com ninguém, se ele machucar minha mãe eu mesmo arranco suas bolas.

- Que nojento Jungkook!

- É da boca pra fora idiota, quero dizer que vou dar uma bela surra nele.

- Isso soa bem melhor. Agora me deixa terminar sobre meu crush.

E o resto de nossa tarde Jimin me encheu o saco falando sobre esse garoto. Que descobri se chamar Hoseok. Nome bonito e pelo que Jimin me falou ele é bem extrovertido. Já gostei dele.


                          <><><><><><><>


Cheguei em casa por volta das cinco horas da tarde. Minha mãe iria chegar apenas nove horas da noite, Taehyung talvez chegasse às seis e eu agradeci por ter apenas sua empregada em casa. Mas a mesma logo iria embora pois seu expediente acaba às cinco da tarde. Me dirijo á cozinha e vejo a mulher de meia idade terminando de limpar a mesa do ambiente. Sun hee sorri gentilmente para mim quando me ver.

- Oi dona Sun, Taehyung já chegou? - pergunto sem muito interesse.

- Ainda não senhor, você não veio almoçar. Houve alguma coisa em sua faculdade?

- Me desculpe por isso, acabei perdendo a hora com meu amigo. Prometo lhe avisar se eu não poder vim.

- Tudo bem filho, quer alguma coisa? Eu fiz duas pizzas caseiras para o jantar a pedido de Taehyung, tome um banho e depois coma.

- Tudo bem, eu irei tomar um banho e comerei sim. Obrigado. - agradeço a ela e logo depois dona Sun hee vai para casa.

Entrei em meu quarto e rapidamente tirei minhas roupas e sapato. Estava faminto e tudo que mais quero agora é me encher de uma boa pizza. Tomei uma ducha rápida, voltei para meu quarto e vesti uma regata branca, que deixava meus braços bem amostra, um calção fino de cor vermelha. Fiquei descalços e apenas baguncei meus cabelos, deixando-os secar naturalmente.

Entrei novamente na cozinha e nem sinal de Taehyung. Coloquei três pedaços de pizza em um prato e com um copo de Coca-Cola comi tudo e nem sinal de Taehyung. Lavei o que sujei e guardei os objetos em seus devidos lugares e nada de Taehyung. Então como um lampejo em minha mente, lembrei-me da porta solitária que ficava no primeiro corredor do andar de cima. Já que não havia ninguém em casa não acho que seria problema espiar um pouco, e como um adolescente fazendo traquinagens corri até o corredor.

Andei lentamente até está de frente para a porta, era um material diferente das outras. Era uma madeira bastante lisa e com a cor vinho bem marcante, passei minha mão sentindo a textura dela. Coloquei minha mão na maçaneta sentindo uma estranha palpitação em meu peito. Droga! Por que eu estou nervoso? É só abrir, ver o que tem em dentro e depois ir embora Jungkook, simples assim.

Giro a maçaneta mas franzo o cenho. Ela está trancada! Merda, o que há neste lugar para ficar trancada? Forço mais algumas vezes até que paro bruscamente quando sinto a presença de alguém, e uma voz arrogantemente rouca atrás de mim dizer.

- O que pensa que está fazendo?

Olho para trás e Taehyung me olhava com fúria nos olhos. Engulo em seco para não demonstrar que estou totalmente arrepiado com seu olhar. Me recomponho e apenas lhe encaro de volta. Ele fica com mais raiva ainda.

- Eu lhe fiz uma pergunta e exijo que me responda. - Arrogante e mandão. Idiota!

- E se eu não quiser responder? - contradizo.

Ele me olha dos pés a cabeça, focando mais em meus braços e pernas. Ao voltar para meu rosto sua carranca está menos visível, ele sorri de lado e sinto medo com isso. Ele começa a andar em minha direção e sem conseguir me mexer sinto ele me prensar contra a porta atrás de mim.

- Não brinque comigo garoto - ele sussurra em meu ouvido - Eu saquei esse seu joguinho, se fazendo de difícil para melhor passar. Mas eu sei com domar feras como você, e vou adorar lhe domar também.

- Não há joguinho nenhum. - lhe empurro para longe - Fique longe de mim, seu babaca!

Cuspo as palavras em sua cara e passo ao seu lado para seguir em direção ao meu quarto. Mas antes que eu realmente podesse sair desta situação, sinto ele segurar meu braço.

- Quando você virar meu submisso então eu lhe mostro o que tem neste quarto, mas antes disso eu quero você longe daqui. Ouviu bem? - arrogante, mandão, idiota e ainda por cima cafajeste. Bufo com raiva.

- Eu nunca serei seu submisso idiota.

- Eu sempre tenho o que quero Jungkook. - ele me olha maliciosamente.

- Mas não a mim. - digo me segurando para não socar esse imbecil.

Puxo meu braço de seu aperto e vou para meu quarto. Tranco a porta e só então solto o ar que estava prendendo. Depois de acalmar meu coração, faço alguns exercícios da faculdade e depois durmo sem ter que lembrar novamente de meu encontro com Taehyung naquele corredor.


Notas Finais


Beijos e até final de semana se der tudo certo ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...