História Meu pais são heróis - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Boyz
Personagens Bae Joonyoung (Jacob), Kim Sunwoo (Sunwoo), Kim Younghoon (Younghoon), Moon Hyungseo (Kevin), Personagens Originais
Tags Changmin, Mpreg, Sunwoo, The Boyz, Younghoon
Visualizações 145
Palavras 2.831
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, hoje eu trouxe uma fic em comemoração ao aniversário do nosso lindo rapper Sunwoo.
Eu falei com vocês que ia focar mais em projetos novos por enquanto e espero que gostem.
Pode conter alguns erros ortográficos então desculpem.

IMPORTANTE:
Essa fanfic já foi postada por mim na comunidade do •The Boyz BR• no amino, só que com algumas alterações.

Boa leitura :)

Betada por: @Chogi_Omma
Obrigada Flor :)

Capítulo 1 - "Capítulo Único"


 

Meus verdadeiros heróis

O tão esperado final de semana havia chegado, o relógio nem tinha marcado oito da manhã mas já era possível perceber movimento na casa. A cada passo que o garotinho dava ele podia escutar melhor a cantoria que vinha da cozinha, pelo jeito alguém parecia estar bem animado lá em baixo. Assim que chegou na porta da cozinha reconheceu o homem que estava de costas para si procurando algo na geladeira.

— Bom dia papai Young.

O garotinho disse bocejando e coçando os olhinhos.

Younghoon não pode deixar de sorrir, Sunwoo estava com seu pijaminha do homem de ferro todo amassado, os cabelos castanhos bagunçados e os olhinhos meio inchados devido ao sono.

— Bom dia campeão.

O homem respondeu sorrindo.

Não demorou muito para que o garoto estender os bracinhos em direção ao pai em um pedido mudo de colo.

— Eu tô com fome.

O pequeno murmurou baixinho enquanto apoiava a cabeça no ombro do mais velho.

— Eu também, já vou fazer o nosso café da manhã.

Younghoon colocou o filho sentado na bancada da cozinha e tratou logo de começar a fazer o café.

— Você quer suco de laranja ou de uva, campeão?

— De laranja, é mais gostoso.

Afirmou a criança.

— Eu também acho, o único que gosta de suco de uva nessa casa é seu outro pai.

O mais velho riu diante de sua própria fala.

— Papai...

— Sim

— Cadê o papai Changmin e a Suzy?

O pequeno olhou em volta estranhando ainda não ter visto os outros membros da família.

— Eles foram comprar o restante dos sucos e dos refrigerantes que vamos servir hoje a tarde, e depois iam passar na casa do tio Jacob e do tio Kevin.

Sunwoo então balançou a cabeça em concordância com a fala do adulto.

— Mas papai...o que vai ter hoje a tarde?

O homem que passava geleia no pão parou o que estava fazendo e encarou com uma expressão confusa o pequeno ser em sua frente.

— Você tá falando sério Sun? — Não lembra que dia é hoje?

Sunwoo então colocou uma de suas mãozinhas no queixo enquanto pensava, ele se esforçou para lembrar algo referente ao que seu pai tinha falado, porém nada veio em sua mente.

— Quem é você e o que fez com meu filho? — Younghoon usou um tom brincalhão. — Eu estranhei o fato não ter decidido as escadas correndo ou gritando, entretanto não achei que esqueceria seu próprio aniversário.

Depois de ouvir isso, o menino arregalou os olhos e deixou um lindo sorriso tomar conta de seus lábios.

— É hoje então?

Questionou eufórico enquanto se remexia em cima da bancada.

— É sim, mas fica quieto porque se não vai cair da bancada.

— O meu bolo já tá pronto? Você fez ele igual o escudo do capitão América né? Todos ou meus tios vão vir, né papai? O que eu posso fazer para ajudar?

Sunwoo fez todas essas perguntas de uma vez só devido a sua animação.

— Começando a sentir falta de quando você tinha esquecido do seu aniversário.

O mais velho comentou e viu seu filho fazer uma expressão emburrada enquanto cruzava os bracinhos na frente do peito demonstrando seu descontentamento com aquele frase.

— Vamos com calma, não, eu ainda não terminei seu bolo, sim ele vai ser no formato do escudo do capitão. Sim, todos seus tios vão vir e por enquanto você ajuda tomando seu café da manhã.

Younghoon viu o garotinho balançar a cabeça em concordância.

— Devo pegar a tampa do seu copo ou você toma sem?

Sunwoo viu seu pai colocar um prato com torradas com geleia é um copo de suco a sua frente.

— Não preciso mais de copo com tampinha, agora eu sou grande, vou fazer 6 aninhos.

— Então tá rapazinho, vamos comer logo, porque ainda tenho que terminar seu bolo.

— O meu bolo vai ficar muito gostoso por que você é o melhor confeiteiro que eu conheço.

O Kim sorriu ao escutar aquilo, ele fazia bolos todos os dias, afinal aquele era seu trabalho, mas era muito bom saber que seu filho gostava do que ele cozinhava. E modéstia a parte, ele sabia que era um ótimo profissional, afinal ele não tinha uma das confeitarias mais famoso de Seul à toa.

Ele observava a alegria estampada na face da criança e se contagiava também, depois de ter conhecido Changmin, adotar Sunwoo e Suzy tinha sido a melhor coisa de sua vida.

O casal havia se conhecido em uma festa de amigos em comuns, naquele dia o mais velho não estava nem um pouco afim de sair de casa já que sempre foi o mais caseiro, porém assim que conheceu o Ji, aquela festa chata se tornou mil vezes mais interessante. E quem diria que nove anos depois eles estariam juntos e com uma linda família.

Só que construiu uma família não foi fácil, Q não podia engravidar, e eles descobriram isso da pior forma, quando depois de três meses de gestação Changmin sofreu um aborto espontâneo e ali descobriram que seria impossível engravidarem novamente.

No início a notícia deixou o casal um pouco abalado, mas eles não desistiram da ideia de ter filhos, para eles o amor que os ligariam era mais importante do que qualquer laço sanguíneo.

Quando eles os adotaram as crianças, Sunwoo estava com três anos e Suzy era recém nascida, aparentemente a mãe biológica deles havia falecido em um acidente de carro e não tinha marido ou parentes para cuidar das crianças e dessa forma eles haviam ido parar no orfanato.

E mesmo com todos os problemas e dilemas que vez ou outra surgiam, eles eram uma família muito feliz e gratos pelo que tinham conquistado até agora.

[•]

Os olhinhos de Sunwoo brilhavam enquanto ele olhava para as caixas que estavam em cima da cama, todos sabiam de seu amor por super heróis e não foi surpresa nenhuma quando ele disse que queria que o tema de sua festa fosse “Os Vingadores”.

Ele tinha puxado esse amor por filmes de heróis de Changmin, se deixassem ele passava o dia inteirinho assistindo os filmes dos seus heróis favoritos, e não foi nada difícil ou complicado convencer seu pai a se fantasiar junto consigo para a festa.

— É tão bonita papai.

Sunwoo disse enquanto tocava a fantasia do Capitão América, e Q não disfarçou a alegria em ver a carinha de bobo que o filho fazia enquanto olhava para as fantasias.

— Nós vamos ficar incríveis de super heróis.

O dançarino disse isso é apoiou as mãos na cintura e estufou o peito tentando reproduzir a postura de um herói.

— Nós vamos ser os mais bonitões da festa.

Sunwoo foi para o lado do pai e imitou sua postura, e assim os dois caíram na gargalhada.

— A Suzy não pode participar mesmo papai?

— Pode parar mocinho, não tente me comprar fazendo esse olhar de cão abandonado não, eu já disse que não vou passar tinta verde na sua irmã pra ela ser o Hulk.

— Mas ia ser legal se ela participasse.

A criança comentou.

— Eu também acho Sun, mas ela é muito novinha ainda, sem contar que ela não gosta tanto assim de heróis, ela prefere ficar vendo aqueles pôneis estranhos que cantam.

O garotinho apenas deu de ombros concordando com o pai.

— Será que a gente pode experimentar a roupa papai?

Ele encarou o homem à sua frente usando novamente a tática dos olhos de cachorrinho abandonado e Changmin só quis ir até o andar de baixo e socar o marido por ter ensinado aquilo para o filho.

— Só na hora da festa.

Respondeu e tratou logo de fechar as caixas e as colocar em cima do guarda roupa.

— Vai ser rapidinho, só um pouquinho assim ó.

Ele fez o sinal de pouco com os dedinhos.

— Vamos guardar para a hora da festa porque tem mais emoção. Agora vamos descer.

Q respondeu de forma simples.

No fundo ele também estava louco para vestir sua fantasia, então ele entendia a ansiedade do filho, porém sabia que assim que Sunwoo a coloca-se seria impossível tirar, por isso ele havia experimentado a sua mais cedo e sozinho. Mas que fique claro que isso não fazia dele um pai ruim ou maldoso, apenas fazia dele um pai inteligente.

Assim que os dois chegaram no jardim da casa puderam ver o quão lindo tudo estava ficando, as mesas já haviam sido colocadas e grande maioria dos enfeites também.

— Sunwoo!

O criança ouviu seu nome ser chamado e assim que se virou viu uma linda garotinha acenando para si, ela tinha seus 7 anos e estava muito fofa, usava um vestido florido e seus cabelos estavam presos em um perfeito rabo de cavalo. Aquela era Yeonwoo, sua prima e melhor amiga.

Ele então logo correu em direção a ela e pode ouvir seu papai Ji, dizer que não era para correr ou poderia se machucar.

— Oi Yeonwoo, que bom que você veio para minha festa.

Ele disse abraçando a garota e logo foi correspondido.

— É claro que eu viria Sun.

Ela respondeu sorrindo.

— E aí rapaz, feliz aniversário.

Assim que ele escutou essa frase, pôde sentir ser tirado do chão e recebeu um gostoso ataque de cosquinha, ele nem tinha reparado que seu tio estava ali.

— Para tio Kevin.

A criança pedia em meio às risadas que dava.

Depois de muitas risadas Kevin finalmente colocou Sunwoo no chão.

— Cadê o tio Jacob?

Perguntou curioso ao não ver a presença da mulher.

— Por causa da gravidez seu tio tá dormindo muito, eu chamei ela pra vir com a gente mais cedo, só que ela quase me bateu por ter a acordado. Mas até a hora da festa ele vai tá aqui, ok?

— Tudo bem.

— Porque vocês não vão brincar lá dentro? Daqui a pouco tá na hora de tomar banho.

Changmin disse se aproximando dos três e não demorou para que os adultos vissem as crianças correndo em direção a casa para brincar.

— Onde tá o feioso do meu irmão?

Q riu ao escutar aquilo, era sempre essa implicância e ela era recíproca, mas no fundo os dois irmãos se davam muito bem

— Terminando o bolo do Sun, está ficando lindo.

[•]

As duas crianças já tinham se cansado de brincar e os brinquedos espalhados pelo quarto eram prova disso, foi aí que Sunwoo teve uma ideia.

— Yeonwoo você quer vê a minha fantasia e a do papai Chang?

— Aquela do Capitão América que você falou?

— Sim, ela mesma, só não posso vestir antes da hora, mas posso te mostrar.

— Claro que eu quero vê, cadê?

A garota perguntou animada, afinal o primo vivia falando sobre sua festa.

As crianças então foram até o quarto dos pais do menino, quando chegaram lá nenhum dos dois tinha altura para alcançar a parte de cima do guarda roupa, e foi aí que Sunwoo saiu correndo em direção ao escritório dos pais e mesmo com dificuldade voltou empurrando uma cadeira de rodinhas. Ele colocou a cadeira em frente ao guarda roupa e subiu, se esticou ao máximo chegando a ficar na pontinha do pé, mas mesmo assim não conseguiu chegar nem perto da caixa.

— Acho que não vamos conseguir pegar isso Sunwoo, por que não pedimos prós seus pais para pegarem?

O rapazinho até cogitou fazer o que a prima tinha sugerido, mas não queria atrapalhar seus papais, eles já tinham coisas de mais para fazer. E depois de pensar mais um pouquinho ele saiu correndo e quando voltou trouxe consigo outra cadeira, só que dessa vez uma bem menor, era a que ficava em seu quarto junto com a mesinha de madeira para fazer o para casa.

Pediu então para que sua priminha segurasse a cadeira grande enquanto ele colocava a cadeirinha em cima dela, subir na cadeia grande foi fácil. Ele até conseguiu subir na cadeia menor, só que de repente ela começou a balançar demais e mesmo ele se esforçando para se manter estável não conseguiu.

Um estrondo pode ser ouvido por toda casa e logo foi seguido por choro, os adultos que se encontravam no andar de baixo rapidamente largaram o que estavam fazendo e subiram apressados as escadas.

Changmin foi o primeiro a atravessar a porta e encontrar Sunwoo caído no chão junto com duas cadeiras, o garotinho chorava muito, ele queria questionar o porquê daquilo ter acontecido, entretanto faria isso depois.

Os adultos foram em direção a criança a levantar, porém quando fizeram isso o choro de Sunwoo só se intensificou.

— Me diz onde está donde filho.

Younghoon pediu com o tom de voz baixo devido ao desespero.

— Meu braço papai

O garoto disse em meio às lágrimas.

— Acho que ele quebrou o braço.

Foi a vez de Kevin se pronunciar.

Ao escutar aquelas palavras saindo da boca de seu pai, Yeonwoo não consegui mais segurar o choro, ela então apertou a barra do vestido entre seus dedinhos e se permitiu chorar.

Kevin ao perceber que a filha estava aos prantos também correu em sua direção e a pegou no colo.

— Você se machucou filha?

Questionou olhando para ela em busca de algum machucados ou hematomas, porém não achou nada, ela não estava machucada, estava apenas assustada com tudo aquilo.

Com toda calma do mundo Changmin consegui pegar o filho no colo, mas seu pranto ainda não tinha cessado.

— Temos que o levar para o hospital Young.

— Vai para o carro que eu já levo os documentos dele Q.

O Ji nem terminou de escutar a frase do marido e já tinha saído do quarto.

— Você pode ficar com a Suzy pra mim Kevin? Ela está dormindo.

— Claro que sim, podem ir. E me mandem notícia.

[•]

O jardim da casa estava lindo, tudo estava perfeitamente enfeitado, as crianças estavam correndo para lá e pra cá e os adultos conversavam sobre coisas aleatórias como casa, filhos, trabalho, a festa tinha atrasado um pouquinho e havia começado no início da noite, mas tirando isso tudo estava correndo como o planejado.

Younghoon avistou Changmin em uma parte mais afastada dos convidados e foi até ele.

— Um beijo pelos seus pensamentos.

O Kim abraçou o marido por trás.

— Não acho que eles valem seu beijo, não são pensamentos bons.

Q sorriu triste.

— Você ainda está se culpando?

— Se eu não tivesse deixado eles sozinhos para ajudar as moças da decoração nada disso teria acontecido.

— Meu amor — O mais velho o virou de frente para si e viu no rosto do dançarino expressão de angústia. — Não foi sua culpa, foi apenas um acidente.

Younghoon tentou passar confiança para o marido.

— Mas e se...

Não conseguiu completar a frase pois foi cortado.

— Mas nada meu amor, o Sun tá bem e está adorando a festa.

Selou seus lábios nos do mais novo.

— Vamos ficar felizes por ele, sem contar que ele tá super empolgado por ter colado um tanto de adesivos do Homem de Ferro e do Capitão América no seu gesso.

Changmin acenou positivamente com a cabeça e finalmente sorriu.

— Papais.

Os dois homens foram tirados de seus devaneios assim que escutaram a voz do filho.

— Não corre Sunwoo, você quer se machucar de novo?

— Desculpa papai Chang.

O menino parou de correr e foi caminhando até os pais.

— Seu braço ainda tá doendo muito filho?

— Não papai Young, só isso aqui que incomoda um pouquinho.

Sunwoo disse apontando para a tipoia.

— Daqui a pouco você se acostuma e ela para de incomodar tanto.

Ji explicou ao filho.

— Você não vai se trocar não papai?

— Me trocar? Pra quê?

Q estava sem entender sobre o que o garoto falava.

— Já tá na hora do Homem de ferro aparecer.

A criança deu pulinhos de alegria mostrando o quão animado estava.

— Olha Sun — O moreno se abaixou para ficar na altura da criança. — Eu não vou usar a fantasia meu bem.

Ele fez carinho nos cabelos da criança.

— Porque não papai?

— Como você não pode usar a sua por conta do braço machucado não acho que vai ter graça o Homem de Ferro aparecer sozinho.

— Tudo bem.

O menino respondeu sorrindo, surpreendo os pais.

— Não vai ficar chateado se seu herói não aparecer? — Younghoon se pronunciou.

— Não, porque vocês dois são meus heróis e vocês já estão aqui.

E diante dessas palavras o casal só teve a confirmação de que eram uma família unida, mesmo que às vezes tivessem desentendimentos, e até algumas briguinhas bobas, eles se amam muito e todo esse carinho era mútuo.

Mal sabia Sunwoo que para seus pais ele é sua irmãzinha que eram os verdadeiros heróis.

O casal então encheu o filho de beijos e abraços tomando cuidado é claro para não o machucar, e assim Sunwoo passou seu aniversário cercado de pessoas que o amavam e ao lado de seus maiores heróis. Só ele e Suzy sabiam o quão eram gratos por terem sido abençoados com uma família incrível.

E como eles não iriam usar suas fantasias por agora, ele iria continuar tentando convencer seus pais a pintar Suzy de verde, afinal ela daria um Hulk muito fofinho ao seu ver.

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Se vocês ainda não conhecem esses meninos eu super indico.
Eles são super talentosos.
Se quiserem conhecer a comunidade deles no amino fiquem a vontade 🖤🖤🖤
•The Boyz BR•
Suzy aparecendo de novo mas minhas fics porque eu amei esse nome 🖤
Me digam se gostaram em 😉
Beijinhos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...