História Meu passado ou meu futuro? - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gay, Gravidez Masculina, M-preg, Yaoi
Visualizações 4
Palavras 1.371
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desde já agradeço pela sua atenção e peço, antecipadamente, desculpas por qualquer erro aqui cometido.

Capítulo 11 - Onze.


-Já fazem sete meses... -Rodrigo balbuciou de repente ao olhar para a tela da tevê e seus olhos se encheram de lágrimas.

-Ei, olha aqui. Não precisa chorar. -Disse segurando o rosto do garoto e secou as lágrimas que caíram.

-É que dói muito... Ainda mais agora... Íamos fazer quinze anos amanhã. -Chorou cobrindo os olhos.

-Olha pra mim, Rodrigo. -Pediu segurando seu rosto. -Não precisa mais doer. Eu posso acabar com a dor.

-O que...? -Indagou confuso e percebeu o olhar intenso de Tayson sobre si.

-Me deixe curar essa dor. -Pediu com um sussurro e beijou Rodrigo de repente.

A reação de Rodrigo foi imediata; empurrou Tayson para longe e se afastou, o encarando surpreso.

-O qu... O que foi isso? -Rodrigo indagou com a mão sobre a boca e os olhos inundados.

-Rodrigo, eu... me apaixonei por você. -Tayson falou sério e Rodrigo sentiu o peito apertar.

-Apaixonado? Haha... Está brincando... não é? -Indagou com uma risada fraca e forçada.

-Estou falando sério. Eu posso te fazer feliz. Por favor, me dê uma chance. -Pediu com a voz desesperada e tentou se aproximar, mas Rodrigo apenas se afastou mais.

-Não... Eu amo... Amo o Tayler! -Disse apertando a camisa sobre o peito.

-Não estou pedindo para que o esqueça. Apenas peço que me dê uma chance de te fazer feliz. -Pediu e se aproximou mais uma vez, acariciando o rosto de Rodrigo com a mão esquerda.

-Não posso... Isso é muito confuso. Não consigo pensar nisso... -Rodrigo balbuciou chorando e se levantou. -Melhor eu ir para casa.

-Espere. Vai pensar no que eu falei? Não quero te deixar mal, apenas quero te ver sorrir, Rodrigo. -Falou ficando à altura do garoto e sorriu fraco.

-Não sei... Preciso de tempo...

-Tudo bem. Me desculpe por isso. -Pediu o acompanhando até a porta. -Não queria te deixar mal.

-Eu já vou... -Rodrigo falou com a cabeça baixa e foi para seu apartamento, logo abraçando o próprio corpo ao passar a porta. -Dói... Dói tanto, filho... -Sussurrou acariciando sua barriga e sentiu o bebê chutar. -Eu sei... Vai ficar tudo bem...

O garoto caminhou até o sofá e se sentou, logo pegando o celular e ligando para Pamela.

-Pam... Por favor, pode vir aqui? -Pediu choroso quando a amiga atendeu.

~Rodrigo? Você está chorando? Tudo bem com você? O bebê está bem? -Pamela indagou preocupada do outro lado da linha.

-Só... Por favor, pode vir aqui...? -Indagou contendo as lágrimas.

~Eu já chego aí.

-Obrigado, Pam...

Assim que encerraram, Rodrigo se encolheu no sofá e esperou até que amiga chegasse, tentando conciliar o que havia escutado de Tayson e o que estava sentindo de confusão.

-Rodrigo? -Pamela chamou entrando no apartamento. -Rodrigo, o que aconteceu? -Indagou ao se abaixar na frente do amigo encolhido no sofá.

-Ele... me beijou. -Falou baixo e encarou a amiga.

-Quem??

-O Tayson... Disse que está apaixonado por mim... E me pediu uma chance. Disse que pode me fazer feliz.

-Nossa... E o que você disse a ele? -Indagou vendo o amigo se sentar.

-Disse que preisava de tempo... E vim para cá. Não sei o que fazer, Pam. Minha vida está uma bagunça! -Chorou abraçando a amiga e Pamela acariciou seus cabelos.

-Aquele...! Ele não vê que você ainda ama o Tayler?! -Indagou-se furiosa.

-Mas, Pam... Eu não... Não quero me afastar dele mesmo assim. E isso é o pior, porque eu ainda amo o Tayler... E meu coração dói e eu fico divido. O que eu faço, Pam? -Indagou choroso e apertou o abraço, sentindo o bebê chutar outra vez.

-Bem... Como você se sentiu quando ele te beijou? -Pamela indagou tentando entender os sentimentos do amigo.

-Fiquei surpreso... E também senti meu coração pulsar. E ele falou que estava apaixonado por mim e senti vontade de sorrir e chorar... -Disse secando as lágrimas com a manga da camisa.

-E o que você acha que deveria fazer? Não parece que o sentimento vem só de um lado, querido. -Pamela falou calma acariciando a cabeça do amigo.

-Mas o Tayler... -Sussurrou apertando a camisa no peito. -Ele ainda está aqui!

-Rodrigo... O Tayler vai sempre ficar no seu coração, porque você o ama, ainda mais tendo um filho dele... Mas isso não te impede de ser feliz com outra pessoa. Você não o está traindo, só seja honesto com o que você deseja. No final, essa é uma escolha que você vai ter que fazer sozinho. Vou sempre estar aqui para te apoiar, mas é você quem decide. -Disse encarando os olhos dolorosos de Rodrigo.

-Eu não sei o que faria sem você... -Balbuciou choroso e beijou a testa da amiga. -Obrigado, Pam.

Pamela o ajudou a levantar e ir para o quarto, o apoiando em seu colo, enquanto acariciava seus cabelos e o confortava com palavras doces e amigas, e assim, Rodrigo acabou adormecendo.

Quando levantou, Pamela estava lhe encarando e sorrindo terna para si.

-Bom dia. Está melhor? -A garota indagou o vendo se sentar na cama.

-Bom dia. Estou, sim. Obrigado, Pam. -Falou sorrindo e a garota se levantou da cama.

-O que quer de café?

-Torradas, por favor. -Pediu se levantando também.

-Tudo bem. Vai tomar um banho e eu preparo tudo. -Disse sorrindo para o amigo e logo foi para a cozinha.

-Você é incrível. -Sussurrou e beijou a testa da amiga.

Após deixar a água lavar o choro e peso de culpa de seu corpo e alma, Rodrigo foi ao encontro da amiga na cozinha, vestido de uma camisa prta enorme e uma calça moletom cinza, totalmente confortável para sua barriga grande.

-Bem na hora! As torradas estão prontas. -Pamela falou colocando um prato ma frente do amigo. -Você está bem?

-Estou. Obrigado de novo. -Falou com um sorriso fraco e Pamela sorriu.

-Então, já sabe o que vai fazer? -Indagou se sentando em frente ao amigo.

-Eu... Quero ser feliz, Pam. -Falou baixo e Pamela sorriu mais.

-Eu vou estar aqui, sempre te apoiando! Você merece, meu querido. -Disse terna e Rodrigo sorriu.

-Eu te amo, Pam. Não sei o que seria de nós sem você. -Falou com a mão sobre a barriga.

-Sou sua amiga, oras. Melhores e piores momentos, lembra? -Indagou com um sorriso.

-Melhores e piores momentos... -Repetiu com um sorriso fraco.

Após tomarem o café da manhã, Pamela precisou voltar para seu apartamento, pois havia esquecido de Bruno, então Rodrigo a acompanhou até a porta e agradeceu mais uma vez por tudo, a abraçando brevemente antes de se despedir.

Rodrigo trocou de roupa e se preparou em frente ao espelho para falar com Tayson, mas ao passar por uma foto de Tayler em cima da estante, uma lágrima rolou por sua face e pegou o retrato.

-Eu te amo. -Sussurrou para a foto e se deixou cair ajoelhado.

O garoto ficou ali, ajoelhado e chorando, apenas pensando em Tayler e na vida que construíram juntos... Em tudo o que aconteceu e em como se encontravam naquele momento, apenas se levantando quando ouviu batidas na porta.

-Sim? -Rodrigo indagou após lavar o rosto e abrir a porta.

-Tenho uma entrega para Rodrigo. -O entregador falou com uma caixa e um buquê de lírios em mãos.

-Sou eu. -Disse sem entender o que era aquilo.

-Assine aqui, por favor. -Pediu estendendo o uma fixa para o garoto, que prontamente assinou. -Obrigado.

-Obrigado. -Disse pegando o buquê e o pacote, logo fechando a porta.

Rodrigo os levou até a mesa e deixou as flores na mesma, abrindo o pacote e vendo uma carta por cima de um embrulho colorido, a pegando e lendo...


"Oi, meu amor. Quinze anos, então? Espero que possamos viver mais outros quinze e mais outros, até ficarmos bem velhinhos lendo livros e assistindo filmes de baixo de um cobertor xadrez... Eu sei que você queria muito esse livro, então falei com alguns conhecidos antigos e, como nosso aniversário estava chegando, pensei em te fazer uma surpresa. Espero que tenha gostado.

                           Eu te amo,

                                               Tayler."


Rodrigo abriu o embrulho do livro com lágrimas nos olhos e rosto, e seu coração apertou na hora, deixando o objeto cair no chão sem reação, apenas pegando a chave do carro de cima da mesa e saindo às pressas.


Notas Finais


Novamente agradeço pela sua atenção e peço desculpas por qualquer erro aqui cometido.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...