História Meu pecado (EM REVISÃO) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Brown, Bts, Jimin, Professor/aluna
Visualizações 164
Palavras 2.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi*
Aqui está o capitulo fresquinho para vocês.
Espero que gostem e por favor comentem sugestões ou se você quer ver esse casal junto.

Música do capítulo :
Chord Overstreet - Hold On ~ notas finais.

Capítulo 6 - Desaparecimento


Fanfic / Fanfiction Meu pecado (EM REVISÃO) - Capítulo 6 - Desaparecimento

Leiam as notas finais aviso importante..


Vergonha não era a palavra certa a descrever o que S/n estava passado nesse exato momento, e sim medo.

Nunca na vida mostrou seu corpo para ninguém nem mesmo usa biquíni por conta de ter vergonha de suas marcas. Por mais de ter vencido a obesidade ela se achava gorda. Tinha um corpo de sua linhagem brasileira, mais o odiava.

E ali agora - enquanto se vestia - Ficou olhando para as costas de Jimin, tentando a todo momento não fugir, mais encarar o seu medo. Jimin por outro lado, sentia vergonha, por ter cobiçado sua aluna. Mais o mais incrível é que não se arrependia de vislumbrar aquela obra-prima.

Brown, colocou sua última vesti e ficou imóvel.

- Desculpe - suspira chorosa.

Jimin se vira e a fita.

- Pelo que? - france as sobrancelhas.

- Por ter visto essa coisa horrível - diz S/n apertando as unhas na palma machucado-a e sangra.

- Horrível o que...?

- Meu corpo - Jimin arregala os olhos - desculpe por ver isso.

Ele não conseguia falar, Jesus por que ela estava pedindo desculpa por ver seu corpo, não era ele que tinha que agradecer-la por ter visto. Mais não, não poderia deixar ela saber que é feia ou perdi desculpas até agora.

Num ato inesperado, Jimin se aproxima de S/n que até agora estava com a cabeça abaixada, logo na sua frente, ergui seu rosto que estava todo molhado por suas lágrimas, suspira e diz:

- Não fale uma coisa dessas, você é  bonita e não deixe ninguém dizer ou contrario - diz olhando ela meio assustada por sua aproximação - e agora me diga o por que não está no dormitório e o porque está cheia de hematomas pelo corpo.

- Não é nada..

- Sei que aquela queda no lago não foi tão forte para deixar hematomas assim.

- Por favor não me faça falar disso agora - Se encolhe por senti frio, ele percebe e retira seu casaco ficando apenas com seu moletom, coloca nela e pergunta:

- Ok. Mais me diz por que não está no quarto, já viu a hora.

- Eu meio que fui expulsa do dormitório.

- Como, me diz quem foi, vou lá agora - grita se afastando na intensão de ir, mais ela segura seu pulso.

- Não, não vai adiantar nada, eu também não queria ficar lá mesmo, por favor vá para o quarto me deixe aqui, prometo não me matar.

- Não posso te deixar aqui - fala Jimin segurando os pulsos dela - vem vou te levar para lugar seguro - a puxa.

- Onde..?

- Vamos... - e lá se foram eles..

 

 




  ***







Jimin abri a porta de sua cabana e puxa S/n para dentro.

- Por que me trouxe aqui - diz com medo.

- Ei, desculpe por te assusta, não vou fazer nada, só quero que não fique lá fora. - Arruma a cama de casal e a olha - se quiser pode tomar um banho quente, depois pegue essa roupa - estende, uma calça moletom branca e uma camiseta de frio também branca.

- Obrigado.

- Não precisa agradecer, o banheiro e ali pode ir primeiro.

- Ok.

S/n entra e tranca a porta, se despi, liga o resistro e deixa a água fazer todo resto.

Quando acaba coloca a roupa que Jimin deu, e abri a porta.

Se assusta quando ver Jimin só se toalha na cintura virado de costas pra ela.

- Ohh, já terminou.

- Sim.

- Ok, pode deitar na cama vou tomar um banho - fecha a porta do banheiro e S/n deita.

S/n não parava de pensar um só segundo no que estava passado agora, Deus ela estava na dormitório de seu professor, isso aqui na Coreia séria muito desrespeitoso, mais ela sábia que poderia confiar em Jimin, ele jamais tentaria alguma coisa sem ela saber ou tentaria?

S/n balança a cabeça tentado tirar aqueles pensamentos de sua cabeça.

Ela pode ouvir o barunho da água se chocando no chão, Jimin já está banhando. A mesma não conseguiu para em pensar em como o corpo dele é naquele momento. Será forte, magro ou grande.

Meu bom Deus, o que ela estava pensando.

S/n gostava de pensar que toda aquela ajuda que seu professor a ofereceu, ele poderia muito bem fazer por qualquer um, mais lá no fundo sábia que não. Séria meio estranho o ver ajudar um aluno.

S/n ouviu a porta se abrir, logo o homem que sempre a deixou sem ar, estava  trajando uma calça moletom, que ela tem que aceitar que lhe caia bem, mostrava um pouco de seus músculos e Deus ele estava sem camisa, seu colo todo estava a mostra. E ela tinha que admitir que era muito musculoso.

- Pode dormi na cama - diz o professor - eu durmo no chão - se inclina para colocar lençóis e um travesseiro no chão.

- Não - grita ela.

- Não por que - fala com um pingo de esperança em poder se deitar ao seu lado.

- Durma aqui eu vou pro chão - desce da cama e vai até sua frente pegando os lençóis.

- Não, não posso fazer você dormi no chão, olha para seus hematomas, acha mesmo que deixaria.

Aquilo não foi uma pergunta.

- Eu sei mais por favor o quarto é seu, não posso fazer você dormi no chão, e outra....

- Tá - a interrompi - vamos fazer assim, nós dois dormirmos na cama.

- M-mais, mais...

- Acho melhor dormimos logo, amanhã termos que acorda bem cedo para voltar para casa o mais rápido possível.

- Tudo bem... - diz ela se se deitando e logo ele também.

E mais engraçado de tudo, era que os dois estavam olhando para o teto ao mesmo tempo. O ambiente naquele quarto ficou tão silencioso que S/n poderia jurar ter ouvido seu coração bater. O silêncio estava sendo matador para eles, mais parecia que nem um queria falar.

- Posso te pergunta uma coisa - diz Jimin ainda olhando para o teto.

- Claro - ela também ainda fitava o teto.

- Por que disse aquilo no lago, por que disse que seu corpo é feio.

- Por que é...

- Por que diz isso.

- Não quero falar do passado, por favor não...

- Não confia em mim S/n.

- Sim, mais tenho medo de me achar idiota.

- Prometo que não acharei nada.

- Ok - suspira - Dois anos atrás, eu estava na obesidade, era gorda, me sentia horrível quando via as garotas da minha idade tão bonitas e magras que perdi aos meus pais que me ajudarem a perder peso - limpa um lagrima que rolou e quando se deu conta que já estava sentada de frente a Jimin, com ele segurando sua mão.

- Pode continuar, eu to aqui pra isso..

- Hum - chora - consegui vencer a obesidade mais quando me dei conta já estava com anoréxia, mais meu corpo nunca passou disso - apontou para seu corpo - meus pais  não queriam me ajudar mais. Eles me disseram que já estava magra e bonita. Mais como sou muito ambiciosa disse eles estavam enganados e isso resutou em uma briga. No dia seguinte era para irmos a praia, mais eu estava com tanta raiva deles que não quis ir. Um hora depois recebi um telefonema, dizendo que eles morreram quando estavam voltando da praia no carro. - Ela já não controlava suas lágrimas mais.

- Ei, está tudo bem - diz ele a abraçando.

- E sabe o que mais doloroso nisso tudo, era que no dia da nossa briga eu disse para eles morrerem que eu nem ligaria. Não eu menti, isso doi tanto que até tentei tira minha própria vida duas vezes - do nada ela sorrir chorosa e diz - e o mais engraçado foi que quando fui ver o carro, pode ver que lá no banco de trás tinha uma caixa de cupcakes, o mais difícil em dizer era que eram os meus preferidos.

E ela chorou, chorou por seus pais, chorou por nunca ter conseguido se suicidar, chorou até por saber que perdeu tudo em sua vida.

E Jimin não saio um só segundo de perto dela, a deixou que chorasse em seu ombro até não consegui mais. Minutos depois ele teve um pequena ideia tola mais ao mesmo tempo boa para o momento.

Jimin a encarou, realmente olhou para ela, examinando-a do rosto até os ombros, e aceitou que ela era realmente linda.

- Jimin? - sussurrou ela.

S/n nunca o chamara pelo seu nome. Ele tera permissão a muito tempo mais ela ainda não tinha feito. Estava bastante certo disso.

Queria tocá-la.

Não, queria consumi-la.

Queria usá-la, provar a si mesmo que ele a amava intensamente.

Contudo, mais do que isso, ele apenas a queria.

Os olhos de S/n se arregalaram quando ele deu seu primeiro impulso para chegar mais perto de seu rosto, e reduzindo à metade da distância que os separava.

Ela não se afastou. Seus lábios se entreabriram e ele ouviu a sua respiração se acelerar suavemente, mais ela não o impediu.

Jimin estendeu as mãos, passado por seu braços e pousado uma em cada lado do rosto dela.

Seus lábios se encontraram, e eles se beijaram da maneira mais dócil possível, Jimin pediu passagem com a língua, o que ela sedeu de imediato. Suas línguas dançavam em suas bocas tão de devagar. Quando o ar faltou ele se separam o beijo com pequenos selinhos.

Nem um deles se atreveu a falar algo, com medo de estragar o momento. Mais logo Jimin se pronunciou :

- S/n, acho que sinto algo por você - diz.

- O- o que... - diz ela, ainda em seus braços.

- Acho que te amo, e por favor não diz nada agora - diz ele, quando reparou que ela abriu a boca para falar - Vamos apenas aproveitar o agora.

E mais uma vez suas bocas se encostaram e ele não fez como das últimas vezes que a beijou. Não foi dócil e nem doce. Simplesmente a beijou. Com tudo o que tinha, com todo o desespero que corria por suas veias.

A língua de Jimin entreabriu os lábios dela, investido boca adentro, saboreando-a, buscando seu calor. Ele sentiu as mãos de S/n em sua nunca, agarrando-o com todas as forças. Seu coração ribombou com mais força e seu corpo começou a se contrair.

De alguma forma, estavam deitados na cama, com ele em cima dela, e ele mal conseguia respirar enquanto a sua mão subia tateando, passado pelas costelas até chegar ao seios grandes dela. Apertou-o um pouco, sem querer assustá-la. Mais isso foi um choque de realidade que acordou S/n.

- Para - grita ela.

- O que aconteceu - diz parando de beijar seu pescoço.

- Por favor pare, não sei se sinto algo por você - fala - não estou preparada para isso ainda.

- Tudo bem S/n, não vou te obrigar a nada. Mais quero que saiba que eu te amo.

Brown engoliu em seco não acreditando no que ouviu.

- Acredite S/n, eu tenho certeza agora que eu te amo.

- Mais eu não sei se vou corresponder ao..

- Não precisa, ainda não sabe se senti algo por mim, mais um dia vai. Vamos nós deitar e amanhã conversámos sobre isso.

E eles adormeceram, com carícias e abraçados.


***











No dia seguinte, S/n não estava mais na cama, e Jimin soube que ela estava fugindo dele.

Sim ele tinha se declarado tão rápido que nem deu tempo dela pensar direito. Mais precisava correr dele sem ao menos lhe deixar uma carta ou uma mensagem.

No café da manhã não a viu, também quando estavam indo aos ónibus, e horas depois logo depois de chegarem na escola também não viu.

Cinco minutos depois todos estavam reunidos no grande auditório da escola, certificado se todos estavam ali.

Jimin a todo momento olhava para grande plateia, em busca dela. Até que a diretora chegou na chamada de sua sala. Ele aguadava ansioso para ver S/n.

Todos estavam se levantando e dizendo presente.

Logo perto de seu nome o pior aconteceu:

- Srt. S/n Brown - diz a diretora olhado para frente.

E Jimi também olhou em busca de sua amada, mais ninguém se levantou ou disse algo.

- Srt. S/n Brown - tornou a repetir a diretora - Srt. Brown, se levante por favor. - nada dela - Por favor Srt. Brown pare de brincar se levante.

- Diretora Jan-mi, ela não está aqui. - Diz um aluno de sua turma.

- Queiram por favor achar-la.

Todos procuram mais nada dela.

E como Jimin está, ele foi o primeiro a andar entre as filheiras sem fim do auditório.

Uma hora depois S/n foi dada como desaparecida, já estava anoitecendo quando a polícia começou a procurar, mais sem resultados. Todos já tinham ido para suas casas, menos os professores e a diretora.

- Não encontraram nada - diz a ditetora entrando na sala de professores.

- Que pena, ela é mesmo uma burra - diz a professora de história Jan-Eun, rindo debochada com suas outras amigas professoras.

- NÃO FALE ASSIM DELA - grita Jimin descontrolado, apontando para ela de forma mais deselegante possível - A culpada aqui é sua que não prestou atenção na sua turma.

- Calma Jimim - diz Jungkook seu amigo tentado segurá-lo para não voar em Jan-Eun.

- Professor Park, queira se controlar - fala a diretora - todos nós estamos casandos e preocupados com ela, então se acalme.

- Onde a viu pela última vez, me responda logo antes de eu peder de vez a paciência com você - diz Jimin a Jan-Eun.

- Não sei.. - se assustou quando ele se levantou da cadeira sendo segurado por seus amigos - não a vir desde ontem depois das provas finais.

- Que estranho também não a vi desde ontem à noit..... - se interrompeu quando viu o que falaria, e todos estavam atentos aos que ele dizia. - È também não a vir depois disso.

- Viram se ela pelo menos entrou no ónibus - perguntou Hoseok o professor de literatura.

- Na verdade nem vir, deixei que minha aluna visse se todos estavam lá - diz Jan-Eun.

- Como você pode deixar isso com uma aluna Srt. Jan-Eun - fala a diretora. - pera então pode ser que ela ainda pode está lá, não acha professor Park.

E para supressa de todos Jimim já estáva se agasalhando para sair.

- Vou pegar meu carro e ir atrás dela agora.

- Pera Jimin não acha melhor deixar a polícia ver isso - diz Jungkook.

- A polícia, já se retirou. Vou indo é provável que chegue às dez horas, preciso ir para voltar hoje mesmo.

- Pera Jimin - diz a professora de ciências  Mi-Joon -  leve isso - lhe entrega uma bolsa cheia de comida, objetos de primeiros socorros, dois lençóis térmicos - leve esse casaco também, soube que as malas dela veio no ónibus - lhe entrega um casaco de couro com pele por dentro na cor rosa-bebé.

- Obrigado Mi-Joon - diz se curvado - estou indo, e se deus quiser vou achar-la.

E lá se foi Jimin, atrás de sua tão amada garotinha.

***


Notas Finais


Boatos dizem que S/n foi sequestrada.. Opa falei demais.

Foi isso espero que tenham gostado e por favor comentem o que acharam do capítulo.
Ta bem difícil escrever e ninguém se pronunciar para dizer se gostou.
Link da música -
https://youtu.be/8ofCZObsnO

Obg bjs eeee tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...