História Meu pecado favorito, Tio Ackles. (Daddy Jensen). - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Supernatural
Personagens Dean Winchester, Ruby, Sam Winchester
Visualizações 271
Palavras 866
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Parece que ele me esqueceu


Jessie ~

Desci montada nas costas de Damon como se fosse criança, ele é muito divertido... e gostoso.

Nem me importava mais com Jensen, só queria uma explicação do porquê.

Poxa, eu me entreguei a ele com todo amor e paixão. Isso parece coisa de adolescente bobinha, e posso ser uma mesmo, mas preferia perder minha virgindade com um homem passageiro que valesse a pena do que ter esperanças e planos com um cafajeste que te promete o mundo e te abandona.

[...]

-Jessie, nós não sabemos o que rolou entre você e o Damon mas queríamos te alertar sobre umas coisinhas.. - Disse meu pai com minha mãe do lado, estávamos na cozinha e ninguém estava nos escutando.

-Sério??? Eu já tenho 16 anos e tô muito ciente de não querer uma criança ranhenta no meu pé agora ok?

*revirei os olhos*

-Ok, ok.. E nós podemos saber o que você decidiu?

-Eu quero conhecer ele melhor, gostei dele e talvez eu possa dar uns pegas nele e...

-Ah Jessie pelo amor de Deus - Diz meu pai saindo com cara de nojo, sei que ele está mal por perder esse bebezinho que sou eu.

-O andar de cima tá liberado. - Disse minha mãe piscando e saindo a procura do meu pai.

~Jensen entra na cozinha

-Ah oi.

-Ah oi? Sério Jensen?

-O que eu te fiz menina?

-Você tá bêbado?

-Por acaso você tem moral pra falar comigo?

-..... - Arranquei o colar do pescoço e joguei no peito dele, fui deletada da vida dele em questão de segundos, parece que ele me esqueceu...

Eu preciso esquecer esse filho da puta.

[...]

Comi em silêncio escutando meus pais conversarem com os Salvatore, o casalzinho estava na minha frente, queria vomitar.

Elena veio falar comigo, ela é legal, não a culpa de nada.

Damon estava do meu lado direito, Stefan do esquerdo, o casal na minha frente e meus pais estavam um em cada ponta da mesa.

Damon colocava a mão em minha coxa e olhava para o outro lado se fazendo de desentendido. Safado.

Stefan estava estranho, ele é estranho na verdade. 

E Jensen, bom, ele me olhava com desdém, não entendo como tudo pode dar errado. 

Todos foram para o quintal beber e conversar. Voltei para a cozinha para pegar suco e Stefan estava atrás de mim.

-Seu pai pediu pra mim pegar mais cervejas.

-Ah, aqui.

Dei as cervejas pra ele e sorri.

-O que rola entre você e Jensen? - Ele pergunta rindo como se já soubesse de tudo

Puta que pariu tá tão na cara assim?

-Nada, acho que você bebeu demais. - Ri novamente tentando mudar de assunto.

Stefan larga as cervejas na mesa.

-O Damon é bem melhor que ele, fica com Damon. - Stefan diz olhando nos meus olhos e vejo suas pupilas dilatarem.

-Se você diz. - Dei ombros e sai com meu suco, eu em, o que deu nele?

Ah quer saber vou pro meu quarto.

Giro a maçaneta e aquela merda não abre, tá tudo dando certo hoje hein, giro com mais força e deixo o copo de suco sem querer cair.

Alguém pega o copo no ar antes de quebrar e virar uma bagunça....Damon.

-Reflexos rápidos. - Damon diz com um sorriso.

A porta finalmente abre.

-Quer entrar?

-Claro.

[...]

-Quem foi o idiota que deixou você tão triste? - Diz Damon acariciando meu cabelo e eu me aconchego em seu peito.

-Não é nada, só quero esquecer dele.

-Eu posso te ajudar com isso. - Disse Damon me olhando com cara de safado.

-Não.. eu só vou te usar, não é justo com você.

-Quanto mais você me usar mais vai se apegar.

[...]

-Calma, não vou fujir.

-Mas eu tô com muita pressa. - Abri com força a camisa de botões de Damon.

Ele me beija novamente e me faz gemer.

-Aw Damon..

Nos livramos do resto das roupas, Damon colocou a proteção e o empurro na cama, ele inverteu as posições e logo senti meu membro me rasgar.

-Da...amon! 

-Shhh, geme baixo amor!

Senti choques por todo meu corpo eu vou explodir de prazer.

-Fica de quatro

Fiz o que ele pediu e senti novamente seu membro, ele acariciava minhas costas e eu estava toda arrepiada.

-Mais rá..pido!

Sinto meu ápice chegar, Damon abre minhas pernas e brinca com minha intimidade usando a língua finalizando meu êxtase.

-O que foi isso! - Ele deita do meu lado e me prende pela cintura.

-Quantos anos você tem? - Ele pergunta distribuindo beijos no meu pescoço me fazendo arrepiar de novo.

-16, e você? 

-138 - ele diz rindo.

-Nada mal - devolvo o sorriso e ele me olha cerrando os olhos mas logo cai na risada também

-Uma hora te explico.

-Vou cobrar isso em.

Levantamos e descemos se não alguém ia desconfiar do sumiço.

Nos últimos degraus da escada arrumei o cabelo e ajudei o Damon a fechar os botões da camisa.

-Eu não vi nada. - Minha mãe apareceu do nada e mudou sua direção para a sala.

-Oi sogrinha. - Diz Damon terminando de arrumar a camisa.

Minha mãe sorriu para nós e voltou para o quintal.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...