História Meu pedacinho de loucura - Imagine Markson - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Mark, Personagens Originais
Tags Markson
Visualizações 287
Palavras 2.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Ecchi, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente: desculpem a demora para postar, eu sei que prometi postar logo mas não deu certo, então, desculpa mesmo.
Segundamente: espero que gostem do capítulo e por favor não me abandonem.
Boa leitura.

P.s.: sei que demorou mas finalmente coloquei a Kyung Soon na capa

Capítulo 30 - Já não vejo o mesmo brilho no olhar


Fanfic / Fanfiction Meu pedacinho de loucura - Imagine Markson - Capítulo 30 - Já não vejo o mesmo brilho no olhar

DING DONG

Finalmente o sinal havia tocado e como sempre, Jackson estava me esperando na porta da minha sala.

-Os meninos foram na frente. Vão nos esperar no portão.- falou ele quando me aproximei.

Eu apenas acenti com a cabeça e peguei na sua mão, saindo da sala.

Descemos apenas uma escada, já que a sala de artes fica no segundo andar, e fomos para a entrada da escola trocar nossos sapatos com os do armário. Depois disso fomos até o portão da escola onde Jaebum, Youngjae, Yugyeom e Sakura já estavam esperando.

-Jinyoung e Kyung Soon ainda não chegaram? -perguntou o chinês ao chegarmos.

-Será que eles estão se pegando de novo?-perguntou Youngjae.- Ahh, finalmente eles vão parar com essa frescura e reatar.

-Não seja estupido. Do jeito que as coisas estão vai demorar muito tempo pra isso acontecer.-respondi.

-Por que diz isso, Mark?- perguntou Youngjae confuso.

Eu me lembrei da cena que vi no corredor, mais cedo e fiquei pensando se era melhor contar isso ou não. Por fim, decidi que formaria um alvoroço se eu dissesse que entrei no meio dos dois brigando e "defendi" Bambam.

-Vocês sabem como Jinyoung é ciumento. A última vez que isso aconteceu levou 2 meses e meio para voltarem. Dessa vez a briga foi pior então provavelmente levará mais tempo.-inventei outro motivo, que na verdade não é uma mentira.

-É, acho que você tem razão.-concordou Youngjae.- Ommo, Jinyoung tem que parar com isso.

-Ah, Kyung Soon está vindo.-exclamou Yugyeom chamando nossa atenção.

Olhamos para a porta de entrada e vimos a morena vindo em nossa direção acompanhada de Bambam. Ele parecia estar entretido na conversa que estavam tendo e Kyung Soon parecia normal, como se nada daquilo tivesse acontecido. Tem algo realmente estranho nisso.

-Até amanhã Bam.-despediu-se do tailandês quando finalmente nos alcançou.

Bambam acenou com a mão e foi embora. Quando passou ao meu lado me encarou por um tempo, um olhar que dizia "por favor, este é o nosso segredo".

-Agora só falta o Jinyoung.-disse Jaebum me fazendo voltar a atenção ao grupo.

-Ah, esqueci de dizer.-exclamei.- Eu encontrei Jinyoung quando estava indo beber água e ele me pediu para falar que ele não vai hoje.

-Não? Ommo, o que será que aconteceu?- perguntou Yugyeom.- Ele parecia um pouco animado mais cedo.

Olhei para Kyung Soon que parecia um pouco agitada, virando seu olhar para o chão e mordendo o lábio inferior. Antes que alguém pudesse notar algo, eu disse:

-Também não sei, mas deve ter acontecido algo importante para ele não ir.

-Aish, é importante a presença dele lá.-falou Jackson.- Mas tudo bem, vamos decidir qual a função dele e depois o avisamos.

-Certo, então vamos?- perguntou Yugyeom já andando.

[...]

-Okay, será que dá pra ter um pouco mais de concentração aqui e começarmos de vez o que viemos fazer?-perguntei sério enquanto Youngjae e Sakura estavam tentando adivinhar o tamanho do pênis do Jackson.

Já faz mais de uma hora que nós estamos aqui e até agora não decidimos nada, na verdade todas as vezes que alguém fazia menção de começar este dialogo chegava um pra atrapalhar. Caramba, por que diabos meus amigos não conseguem ficar sérios por um segundo? Se eu me casar sem um pastor ao menos, sem as roupas e a polícia vier atrás de nós por invadirmos uma paróquia, a culpa vai ser deles.

Tá, não faz sentido isso...foda-se, eu preciso de seriedade aqui e se tem uma coisa que não está é sério. Vamos lá, foco.

-Tá bom Mark.- aceitou Youngjae.- Continuamos com isso depois Sakura.

-Okay oppa.-respondeu ela.

-Vocês são muito idiotas mesmo.- comentou Yugyeom em meio a risos.- Então primeiramente, vocês já tem algo decidido ou ao menos sabem tudo que precisam?

-Nós decidimos onde vamos nos casar.- exclamou Jackson.- Será numa paróquia abandonada que Mark e Youngjae encontraram há alguns anos atrás.

-E também sabemos que vamos nos casar após meu aniversário, que será daqui 20 dias mais ou menos, e antes de Jackson ir embora.- completei.

-Certo, então ainda precisam decidir as roupas, padrinhos e madrinhas, o pastor, como faremos isso as escondidas dos seus pais, os convidados, as músicas, decoração e as comidas também.- falou Jaebum.- Fora ter que decidir o dia exato do casamento e quem ficará responsável por o quê.

-Caramba, você entende muito de casamentos.- exclamou Youngjae surpreso.

-Quem você acha que ajudou minha irmã mais velha quando ela se casou?- perguntou ele deixando óbvio a resposta.

Eu sabia que Jaebum tinha muitos irmãos, mas não fazia ideia de que ele tem mais do que quatro irmãos. Se bobear tem irmãos de 70 anos já, e olha que os pais dele têm apenas 43 anos cada um.

-Meu pai tem o terno dele de casamento até hoje e a julgar pela estatura física dele, acredito que me sirva muito bem.- falei enquanto imaginava um Jaebum casamenteiro.

-Jackson não tem ninguém para pegar um terno branco emprestado.- disse Yugyeom.- Quanto a isso deixa comigo então.

-Seu pai também tem o terno dele?- perguntou Kyung Soon.

-Não mas minha namorada trabalha em uma loja de roupas alugadas, então eu posso ver com ela se tem algum lá.- respondeu ele.

Todos ficamos em silêncio na hora. Nossos olhos estavam arregalados com a notícia e eu juro que até pensei que tivesse escutado errado, mas ao julgar a reação dos outros, eu não fui o único a ouvir isso.

-“MINHA NAMORADA?”- perguntamos todos em uníssono.

-O que tem isso?- perguntou o mais novo confuso.

-Desde quando isso? Como assim você namora? - perguntou Jackson.- Eu jurava que você fosse assexuado.

-Não é só porque vocês nunca me viram juntos com ninguém ou falando que estou apaixonado, que eu seja assexuado.- respondeu ele.- E se quer saber, ela não é minha primeira namorada, mas sim a primeira que eu contei pra vocês. Agora vamos voltar ao que interessa.

-Antes me responda algo.- interrompeu Jaebum.- Há quanto tempo vocês estão juntos e de onde se conheceram?

-Já faz uns 3 meses e meio e ela é uma produtora da Cube que fez um trabalho na JYP uma vez.- respondeu Yugyeom.

-Uma noona? Aigoo, não sabia que gostava de mulheres mais velhas.- exclamou Jackson.

-Não acho que idade seja um fator importante.- respondeu ele novamente.

-Ela é bonita? Qual o nome dela?- perguntou Youngjae.

-Eu disse que responderia uma questão, não muitas.- exclamou o mais novo começando a se irritar.- Será que podemos voltar ao foco?

-Ommo, todo mundo já tem alguém, parece que eu vou realmente ficar solteira pro resto da minha vida.- reclamou Sakura com um biquinho.

-Já que ninguém parece focado, eu mesma volto ao assunto.- Kyung Soon chamou a atenção.- Bem, eu posso cuidar da decoração. Vocês sabem que sou boa com coisas como artesanato e arte então eu posso fazer isso bem baratinho, e como eu não vou ter dinheiro para dar um presente pra vocês, poderia a decoração já ser meu presente de casamento?

-E você ainda pergunta? Claro que pode e nós vamos adorar.- respondeu Jackson.- Por falar nisso temos que decidir quem serão nossos padrinhos e madrinhas.

-Ah mas se você não me escolher como seu padrinho eu te mato Mark Tuan Yi En.- ameaçou Youngjae.

-Mas é claro que você será meu padrinho, princesa.- respondi com graça.- E Kyung Soon, Sakura e Jinyoung também serão.

-Ommo, assim eu só terei o JB e Yugyeom de padrinhos.- reclamou Jackson.- Me seda a Kyung ao menos.

-Desculpa Jack, mas ela é mais minha amiga do que sua. Vai atrás de outra madrinha.- respondi vitorioso.

-Aish. Ei Yugyeom.- Jackson chamou o mais novo.- Fala pra tua namorada que ela vai ser minha madrinha.

-Vou perguntar se ela aceita.- respondeu ele.

-Não, você vai obrigar ela a ser.- disse o chinês todo mandão.

Nós rimos do desespero de Jackson e só agora que eu parei para reparar que antes era eu quem era o antissocial sem amigos, já hoje, possuo mais amigos do que meu namorado, que é um cara um tanto que famoso na escola.

Isso é estranho pra mim. Quantas coisas não mudaram desde que aquele maldito chinês foi dormir na minha casa após ser atacado por delinquentes. Mas essa mudança é na verdade boa, então eu sou muito grata por ter esse filho da puta que eu tanto amo aqui comigo.

Sem perceber eu dei um selinho nele, acho que por estar feliz de tê-lo aqui. Jackson ficou surpreso e perguntou:

-Não que eu não tenha gostado, mas por quê?

Eu ri e respondi:

-Apenas foi um ato impulsivo.

-Você poderia ter mais atos impulsivos como este.- falou o loiro.

-Se for pra me deixar de tocha olímpica aqui, farei o favor de queimar vocês, então parem com isso agora.- reclamou Sakura.

-Eu adoro pegar fogo.- falou Jackson malicioso.

-Mas não quero que botem fogo no meu quarto.- disse Yugyeom.- Então escutem a japonesa.

-Chato.- reclamou o chinês.

Começamos a rir novamente e quando eu estava prestes a chamar a atenção deles de novo para voltarmos ao foco, escutamos batidas à porta. Ao Yugyeom dizer “pode entrar”, sua mãe, que era uma mulher alta e magra, abriu-a.

-Desculpem interromper mas Jaebum, sua mãe acabou de me ligar dizendo que é pra você voltar pra casa.- falou a senhora Kim.

-Ah, certo. Obrigada senhora Kim.- agradeceu Jaebum.

Quando ela saiu, JB que estava sentado se levantou e Youngjae fez o mesmo.

-Bem, tenho que ir pessoal. Continuamos numa próxima.- falou ele.

-E você Youngjae?- perguntei curioso.

-Se meus pais não estiverem em casa eu posso fazer um pouco de energia na casa do hyung.- respondeu ele malicioso.- Ah e eu acho que é 16 cm.

-Ainda acho que seja 17,8 cm.- contrariou Sakura.- E eu acho melhor eu também ir ou meus pais podem se preocupar pensando que eu estou “aprontando”.

-Então vamos todos embora de uma vez.- falei.

Todos concordaram, então nós nos levantamos e fomos até o portão com Yugyeom nos acompanhando. Nos despedimos e antes que fossemos todos para nossas casas, eu chamei Kyung Soon para conversar.

-Kyung, podemos nos falar um pouco?

- Claro.- respondeu ela simples.

Olhei para Jackson e apenas com o olhar ele entendeu que era para me esperar e que logo eu voltava. Kyung Soon e eu fomos um pouquinho para longe deles para nos falar. Ela parecia normal, já eu, fiquei apenas imaginando suas reações e tentando anotar tudo.

-Como você está?- perguntei.

-Sobre o quê?- perguntou ela em resposta.

Ela já sabia sobre o que iríamos conversar, tenho certeza.

-Você sabe.- respondi.- Tenho certeza que você estava vendo a cena no corredor, então sabe que eu intervi na briga do Jinyoung e Bambam.

-Como sabia que eu estava lá?- perguntou ela curiosa.

-Na verdade não sabia, apenas inventei para você saber que eu já sei de tudo.- respondi começando a desconfiar.- Mas se você estava lá, por que não interveio na briga dos dois? Jinyoung era seu namorado e Bambam seu melhor amigo.

-Exatamente por isso.- respondeu ela simples.

Ao ver minha cara de desentendido, ela prosseguiu:

-Jinyoung era meu namorado, mas mesmo com o término nós ainda nos amamos, só não voltamos porque Jiny é muito ciumento e orgulhoso e para isso precisa se resolver com Bambam primeiro. Já Bam, é meu melhor amigo. Não quero perder meu relacionamento com ele e não quero feri-lo. Eu amo o Jiny oppa e ele sabe disso, então eu espero que logo ele perceba e pare com isso.

-Então você decidiu fingir que nada está acontecendo para proteger os dois?- concluí.

-Exatamente.- concordou Kyung.

Parei para refletir sobre os atos da minha amiga e de certa forma ela tomou a decisão mais passiva, talvez a menos dolorosa, porém essa dor de sua decisão, apesar de não ser a mais dolorosa é a mais agonizante. Imagino como é para Bambam ter esperanças e tentar todos os dias conquistar sua amiga e ela nunca lhe dar uma resposta. E Jinyoung que está se matando de raiva por sua atitude idiota e agora mais o fato de saber que possa perder o amor da sua vida para seu rival. Kyung Soon precisa resolver isso logo.

-Não vou dizer que está tomando a decisão errada Kyung, por isso apenas lhe pedirei para pensar um pouco mais e tentar entender os sentimentos deles. Agora, os dois devem estar se agonizando tanto. Então por favor, pense um pouquinho mais e veja se esta é mesmo a decisão correta.- falei pronto para voltar, até que ela me interfere com uma pergunta.

-Oppa, por que você está tão preocupado assim com o Bam? Você não o odiava.

-Não estou preocupado somente com ele mas com meu amigo também e com você. No final você também está se machucando com isso.- respondi.- E aliás, eu não odeio o Bambam, apenas tenho trauma e odeio sua atitude do passado.

Ao dizer isso, encarei-lhe mais uma vez. Seus olhos desta vez não possuía o mesmo brilho que sempre teve antes. Kyung deve estar passando por uma enorme dificuldade agora e ver isto me machuca também, mas não sei como resolver.

Por fim, virei as costas e a chamei para irmos embora, e assim fizemos.

QUEBRA DE TEMPO

Ontem fomos na casa do Yugyeom e não conseguimos resolver tudo que tínhamos de resolver, por isso decidimos que nos encontraríamos no segundo recreio para continuar nossa conversa.

Enquanto o recreio não chegava, eu apenas estudava e de vez em quando me pegava perdido em pensamentos. Quando o professor de literatura finalmente pediu-nos para fazer uma redação sobre o livro que estávamos lendo no momento, eu parei para olhar pela janela para buscar inspiração. De imediato, uma cena lá embaixo me chamou a atenção. Ao que parece, a sala 2C está tendo educação-física agora.

A posição da minha sala em relação a parte dos arredores da escola, me permitia ver a quadra aberta de vôlei, onde vi Kyung Soon jogando toda enérgica em um dos times com meninas que eu desconheço. Seu olhar ainda não possuía brilho e o brilho que ela não emanava no olhar, fazia de tudo para tentar emanar com suas atitudes.

Do outro lado da quadra, sentado em um banco observando a cena, estava Bambam, com um olhar perdido em apenas uma das jogadoras: Kyung Soon. E por vezes, era nítido como ele se sorria ao ver a morena jogando. Talvez fosse felicidade apenas por vê-la.

Minhas lembranças sobre a decisão de Kyung quanto a Jinyoung e Bambam me voltaram a mente, e uma súbita tristeza veio junto. Por fim, decidi o que escrever em minha redação e apenas me concentrei no meu trabalho enquanto esperava pelo recreio.

“De certo, há algo com este tailandês. Kyung Soon já sabe disso, quanto a mim, preciso descobrí-lo.”


Notas Finais


Obrigado a todos por lerem, desculpem qualquer coisa e no próximo capítulo vai ter um especial Bambam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...