1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Pequeno Cantor >
  3. Ter você de volta

História Meu Pequeno Cantor - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Ô MEU SANTO
EU TÔ DEMORANDO DEMAIS ;--;

Eu não posso madrugar, e tenho só uma hora por dia pra mexer no meu celulinho ;;--;;
Oto tristi

Amas enfim, desulpe a demora, eu vou demorar bastante pra postar os capítulos :')

Fora isso, o capítulo tá maravilhosamente horrível, se me permite dizer uwu

Capítulo 6 - Ter você de volta


Fanfic / Fanfiction Meu Pequeno Cantor - Capítulo 6 - Ter você de volta



Konoha City - Uma semana depois, 10:30 p.m. - Akasuna's House



Ok, obrigado pela carona, Dei! - Falava o ruivo enquanto beijava a bochecha de seu namorado.

De nada, un! Eu vou passar aqui amanhã no horário de almoço pra te levar num lugar, pode ser? - Perguntou o loiro ao retribuir o beijo, porém agora nos lábios. 

Claro, se quiser almoçar... Amanhã eu que vou cozinhar. 

- Perfeito, un! - O loiro se despediu e se retirou dali.

Sasori entrou em casa e se deparou com sua avó comendo um pedaço de torta enquanto assistia um filme de ação aleatório que passava na TV. O ruivo a cumprimentou e foi direto tomar um banho, o dia no trabalho havia sido cansativo.

Ao se retirar do chuveiro, Sasori vestiu um pijama com patinhos estampados no mesmo, era infantil, mas o ruivo amava esse pijama. Saiu do banheiro e voltou à cozinha, já procurando algo para comer.

- Hum... Chiyo-baa, a senhora fez algo de janta? - Perguntou o ruivo ao se encostar na porta e fitar a avó.

Se você acha que a pizza foi feita por mim, sim. Fiz janta - A senhora tirou uma caixa de pizza do meio das almofadas do sofá. Os olhos de Sasori apenas brilharam.

Baa-chan, a senhora é a melhor.

O ruivo se sentou ao lado da avó e ambos começaram a comer - devorar - a pizza. Chiyo perguntou sobre o dia de Sasori, ele respondia o mesmo de sempre. "Foi legal, mas entediante". No fundo, Sasori queria trabalhar apenas para passar mais tempo com seu amado Deidara.


...


Ainda havia metade da pizza na caixa, mas nenhum dos dois queria comer mais, então apenas deixaram pra mais tarde. No caso, pro café da manhã. 

Ambos foram até seus respectivos quartos, depois de terem escovado os dentes, para dormir. Já eram quase duas da manhã, o bom é que já era domingo. Sasori se jogou na cama e checou seu celular uma última vez antes de dormir. Algo chamou sua atenção, era uma mensagem de um número desconhecido.


Mensagens on ~


???: Seu inútil, me responda logo

Sasori: Ei, meça suas palavras. Nem sem quem é você!

???: Não precisa saber agora, mas quero te pedir uma coisa. 

Sasori: ??? Nem fudendo, não te conheço pra fazer favores.

???: Me conhece sim. Mas, não é um simples favor. Se você não fizer o que eu quero, pode dar adeus ao seu amado Deidara. 

Sasori: Ata, uhum. Sem trotes, boa noite.

???: Não acredita? 

[ imagem do Deidara desacordado no chão]

Sasori: Caralho?! Como você tem isso?! Onde ele está?!

???: Venha logo e o Deidara fica bem

Sasori: Tá!! Onde eu devo ir?

???: Tem um táxi te esperando na frente da sua casa. Ele vai te trazer.

Sasori: Se você fizer algo pro Deidara, eu juro que esfolo isso que tu chama de cara

???: HAHAHA, ok. E nem ouse chamar a polícia, caso contrário...


Mensagens off ~


Sasori estava desesperado. Pegou apenas uma jaqueta e vestiu uma calça por cima do pijama, calçou o primeiro sapato que viu no chão e saiu correndo de casa, onde viu o tal táxi o esperando. Ele correu até o carro e entrou no banco traseiro, logo em seguida, o carro desparou.

- Cacete... O que esse desgraçado quer..? - Sasori pensou alto, estava totalmente perturbado, queria saber se seu amado estava bem, se estava vivo.

Não se preocupe, Ela não vai fazer nada com o Deidara. - Disse o motorista enquanto sorria maliciosamente. - É apenas uma distração.

- O quê..? "Ela"? Como assim distraç - O ruivo se auto-interrompeu ao notar quem era o taxista. - V... Você?!

- Finalmente nos encontramos de novo, Sasori~ - Disse Orochimaru ao sorrir mais ainda. Ele havia parado o carro e uma mulher com um sobretudo entrou no mesmo.

O que você... Cadê o Deidara? - Sasori perguntou furioso.

Calma, esqueça-o por hoje. A noite será só nossa... - Orochimaru falou.

- Nossa noite o caralho, seu psicopata. Me diga onde está o Deidara antes que - A mulher, que antes estava calada, apontou uma arma para Sasori, o fazendo se calar.

Não se preocupe com o Deidara-Nii, eu vou cuidar muito bem dele... - A mulher mostrou parte do rosto, foi o suficiente para Sasori reconhecê-la.

Seus filhos de uma... - O ruivo estava irritado, porém qualquer movimento e ele já era.

- Own, tá irritadinho... Calma, vou curar o Deidara pra você. - Disse Kurotsuchi.

- "Curar" ele..? - Sasori questionou.

- Sim. Essa coisa de "gays" é nojenta. - Ela respondera num tom arrogante.

- ... - Sasori apenas se calara. Ele tinha mil tipos de resposta para aquilo, mas não podia arriscar. - Foda-se isso..

Sasori estava aguardando o momento certo. Quando Orochimaru estava diminuindo a velocidade do carro, aparentemente parando, o ruivo tentou pegar a arma da mão de Kurotsuchi, e pra sorte dele, teve sucesso.

Sasori alternava a direção da arma entre as cabeças de Orochimaru e Kurotsuchi.

- Olha só, respondam agora. Onde está o Deidara?! - O ruivo gritara irritado.

- Nunca irá saber se nos matar. - Orochimaru respondeu calmo e Kurotsuchi começou a rir.

- Ah, Sasori... Nunca segurou uma arma antes, não é? - Ela falava entre as risadas. - Não está nem ao menos desravada.

A morena tentou recuperar a pistola da mão de Sasori, o mesmo impediu que tal ato acontecesse, pois chutou a barriga da mulher, que se encolheu de dor por uns instantes. O carro já havia parado e Sasori conseuiu pular pra fora do mesmo.

Orochimaru saiu de dentro do carro, não estava com medo e nem preocupado, ele estava calmo e com um sorriso no rosto.

- Fala logo, cacete!! Onde ele está? - Sasori perguntou mais uma vez, enquanto apontava a arma para Orochimaru. 

- Vai encontrar ele logo. - Foi a última coisa que Sasori esutou antes de desmaiar, alguém havia lhe acertado uma forte pancada na cabeça.



... Sasori P.O.V.'s on



Que dor de cabeça. .. O que aconteceu por aqui? Eu estava em casa com a Chiyo e... Droga, o Deidara! Preciso encontrá-lo!

Tentei me mexer, mas meus braços estavam amarrados, acho que estou preso numa coluna, não dá pra ver nada, está um breu total. Fiz mais força tentando soltar meus braços, porém meus esforços foram em vão.

- Cacete... Que lugar é este? - Resmunguei. Ouvi alguns barulhos, pareciam murmúrios, uma voz familiar, então, pôde ser escutada.

- Que escuro... Onde eu estou? - Perguntou a tal voz, logo reconheci de quem era.

- Deidara..? - Perguntei já esperando uma resposta.

- Danna? - O outro respondeu, já tinha um tom de felicidade na voz.

- Graças a Kami, Dei! Você está bem?! Aqueles filhos da puta fizeram algo com você? - Perguntei preocupado.

- Não, acho que não... Mas eu tô com uma dor de cabeça dos infernos.. Un. - Respondeu. 

- É, eu também. Que bom que pude ouvir sua voz...

- E eu pude ouvir a sua... - Deidara disse, mas foi cortado pelas fortes luzes que acenderam.

Era uma sala completamente velha e antiga, as paredes de cimento estavam rachadas e descascando, não havia uma única janela sequer ali, e uma única porta de madeira se encontrava à minha esquerda, uns três metros de distância.

A porta foi aberta e revelou a figura de Orochimaru com uma seringa em mãos, ele estava sorrindo maliciosamente, esse sorriso me dá arrepios...

- Meus carneirinhos acordaram, não é? - Ele perguntou se aproximando de nós.

- Duas coisas. Vá pro inferno e nos tire daqui, un! - Deidara gritou enquanto se contorcia na cadeira que se encontrava tentando se soltar.

- Engraçado como sempre, não é Deidara? - Orochimaru retrucou.

Orochimaru se aproximou de Deidara e estava ameaçando espetá-lo com aquela seringa, isso só não aconteceu por causa de meus gritos e de uma Kurotsuchi entrando rapidamente. 

- Isso não é o combinado!! - Ela exclamou.

- Combinamos que eu traria o Deidara pra você, não? - O moreno respondeu num tom arrogante e cheio de deboche.

- E você vai matá-lo?! - Ela falou e pude sentir meu corpo tremer. Aquela seringuinha iria nos matar..?! Mas por quê?

- Ei, que história é essa?! Ficou louco de repente?! - Perguntei alterando o tom de voz.

- Qual é, Sasori. Nós dois sabemos que ninguém precisa do Deidara, além daquela vaca ali. E o mesmo vale pra você, ruivo. A diferença é que ninguém precisa de você. - Ele falou agora apontando a seringa para mim.

Engoli seco. Ele estava se aproximando lentamente de mim, Kurotsuchi correu até Deidara e começou a abraçá-lo, o loiro nem ligou para isso, estava gritando para que Orochimaru parasse. 

A seringa foi se aproximando de meu pescoço, Orochimaru possuia um semblante sorridente, ele estava muito feliz com isso.

- Você não se atreva a fazer mal para o Sasori, seu.... - Deidara falou.

- Ora, Nii.. Pare de se importar com esse empecilho. - Kurotsuchi respondeu calma, enquanto Deidara se debatia na cadeira.

- Vá se foder, empecilho aqui é você!! - Ele se jogou para o lado e quebrou a cadeira, esse ato fez Orochimaru desviar a atenção de mim e observar os outros dois.

Deidara empurrou a Kurotsuchi pra longe e correu até Orochimaru, tentando pegar a seringa da mão dele. Orochimaru, por sua vez, segurou o braço de Deidara e estava ameaçando quebrá-lo.

- OROCHIMARU, PARA! - Kurotsuchi gritava.

- Não me diga o que fazer.  - Orochimaru olhou feio para a morena, depois disso, ele jogou Deidara no chão e se retirou da sala. 

Tentei me soltar de novo, mas as cordad estavam muito apertadas. Deidara estava desmaiado no chão, achei que tivesse desmaiado por causa do nervosismo, mas...

- Orochimaru desgraçado. .. - Kurotsuchi falou com a voz trêmula.

- O que... O que ele fez com o Deidara...? - Perguntei com certo receio. 

- A seringa... Tinha veneno, uma toxina chamada botulínica... Causa paralisia nos sistemas respiratórios...- Ela falou já deixando as lágrimas correrem pelo seu rosto. 

- Aquele arrombado. .. Ficar chorando não vai salvar o Deidara!! Ligue pra ambulância, rápido! - Mandei e a mulher logo o fez, estava desesperada, mal conseguia falar.

Depois que tive certeza de que a ajuda estava à caminho, pedi para que Kurotsuchi me soltasse dali. Ela estava com certo receio, mas tudo o que eu queria agora era socar a cara do Orochimaru até ele virar defunto. 

- Eu te solto, com uma condição! - Ela falou tentando parar as lágrimas.

- Não estamos com tempo, porra. Fala logo!! - Quase gritei, assustou um pouco a morena, mas ela veio até a coluna em que eu estava e soltou as cordas com um pedaço de vidro que achou no chão.

- .... Acabe com a raça do Orochimaru. - Ela disse ao me entregar uma arma. - Não esqueça de destravar.

- Certo... Cuide do Deidara até lá. Mas ele continua sendo meu. - Saí correndo pela porta.

- Vai logo, caralho. - Ela gritou de dentro da sala.



Esse lugar é enorme, diversas salas e corredores, também tem alguns aparelhos velhos, acho que aqui costumava ser um hospital ou algo do gênero, mas agora não é hora para detalhes.

Ouvi alguns barulhos vindos de uma sala, ao me aproximar um pouco notei que eram vozes, uma era de Orochimaru, já a outra... Nunca a ouvi antes.

Cheguei perto da porta e tentei ouvir sobre o que eles estavam falando.

- Você é inútil, Kabuto!! - Orochimaru gritou.

- M-Mas Orochimaru-sama, eu... 

- Por que abaixou a dose do veneno?! 

- E-Eu... - O garoto que falava com Orcochimaru estava claramente nervoso.

- Chega, você é outro que vai virar cobaia, seu inútil. - Orochimaru falou e logo pude ouvir o som de uma arma sendo carregada.

Nesse momento, entrei na sala e apontei a pistola, que Kurotsuchi havia me dado, para a cabeça do Orochimaru.

- Você de novo, Sasori?! - Disse - O que você quer? 

- Acabar com a tua raça, mas primeiro. .. Deixa esse garoto em paz! - Falei tentando manter a voz firme.

- Esse garoto..? Fala do Kabuto? - Orochimaru puxou o grisalho e apontou a arma para a cabeça do mesmo. O garoto olhou nos meus olhos, ele estava desesperado.

- Seu doente, ele é só uma criança! - Falei. - Deve ter uns 12 ou 13 anos, cara. Ele não deveria estar passando por isso com essa idade.

- Não fale o que não sabe, ruivinho. Eu o encontrei na rua, tenho direito de fazer o que quiser.  - Depois dessas palavras vindas de Orochimaru, o garoto começou a se desesperar e chorar.

- Não é um objeto qualquer, solta logo ele!! - Me aproximei um pouco ao terminar a frase. O moreno ali presente se assustou e apontou a arma par mim.

- Ah, quer bancar o bonzinho agora?! - Ele falou - Seu idiota, sua vida não vale nem um único centavo, você nunca mereceu as coisas que tem!

Apenas me calei. De certa forma, era verdade. O que eu fiz de importante nesses últimos 28 anos? Desde que nasci, não lembro da última vez que eu realmente ajudei alguém.

- Se realmente se importasse com o "seu" loiro, estaria lá com ele. Mas não é você que está lá agora. - Orochimaru continuou - Essa criança aqui é apenas mais um ser humano de tantos espalhados por aí, assim como você. Mas EU tenho futuro. Sei de coisas que ninguém sabe, tenho coisas que ninguém tem!!

- Inclusive uma tremenda cara de pau, não acha? - Alguém veio pela porta e me assustei ao ver quem era. Fitei Obito por alguns segundos tentando processar tudo.

- O-Obito-san? O que faz aqui?! - Perguntei e ele apenas sorriu.

- Finalizando o que já deveria ter acabado. - Ele respondeu e alguns policiais adentraram na sala.

- NINGUÉM SE MEXE OU O GAROTO MORRE! - Orochimaru falou enquanto puxava os cabelos do garoto, o deixando um pouco afastado do chão. Ele continuava apontando a arma para a cabeça do Kabuto.

- Você que não deveria se mexer! - O garoto, por sua vez, tirou uma agulha do bolso e espetou na perna do moreno, que caiu de joelhos e soltou o grisalho.

- Traidorzinho... De .... Merda... - Orochimaru falou e caiu desacordado.

- Por isso que o veneno estava mais fraco, Orochimaru-sama. - O garoto falou limpando as lágrimas. - Você iria morrer se estivesse mais forte.



Os policiais levantaram o Orochimaru e o tiraram da sala, junto com o pequeno Kabuto. Aparentemente, naquela agulha tinha um pouco de veneno, o mesmo usado no Deidara. Garoto esperto.


Corri até onde Deidara estava, Obito me seguiu. Mas, não tinha ninguém lá, imaginei que já tinham o levado para um hospital. Notei que tinha um celular ali no chão, era do meu loiro. Peguei e o olhei por uns segundos, tinham algumas mensagens ali.

- A Kurotsuchi te mandou mensagens...? - Perguntei voltando minha atenção para o moreno.

- Sim... Ela é uma baita vadia, mas soube usar a cabeça dessa vez. - Respondeu coçando a nuca.

- Entendo... De qualquer forma, quero ir ver o Deidara! Você vem junto? - Perguntei já me retirando da sala.

- Claro, ele também é meu amigo. - Respondeu me seguindo.



... Narrative mode (again).




Sasori e Obito chegaram no hospital, deram sorte qie Deidara estava naquele mesmo lugar. Os médicos já haviam tratado do veneno no corpo do loiro, mas ele ficaria desacordado por uns dias por causa do tratamento. O ruivo e o moreno se sentaram na sala de espera, aguardando o momento em que poderiam ver Deidara.

Depois de algumas horas, uma mulher de cabelos rosados se aproximou de ambos. Sasori a fitou, seus olhos brilharam. Ali estava sua melhor amiga, Sakura.

- Oi, Saso... Como você está? - Ela se aproximou dos dois, acenou para Obito como um cumprimento, o moreno retribuiu o aceno.

- Eu..? - O ruivo perguntou confuso.

- É, deve estar nervoso com tudo isso.

- Ah... É, eu tô bem. Mas, queremos saber do Deidara! - Sasori respondeu rápido.

- Oh, sim... Ele estava sob os cuidados da Tsunade, agora já está melhor. Se quiserem vê-lo podem ir, mas ele está desacordado. - Sakura respondeu ao acenar para que os dois a seguissem.

Foram até a sala 34, localizada no terceiro andar. Sakura deixou os dois no local e se retirou, a rosada tinha muitas coisas para resolver. Obito disse que iria esperar um pouco fora da sala, para que Sasori ficasse a sós com o loiro. O ruivo, por sua vez, agradeceu e se aproximou da maca em que Deidara estava deitado.

- Oi, Dei... Desculpe, não consegui te defender e agora você tá aí... - Sasori falou baixo e se sentou numa cadeira ao lado da maca. - Mas fico feliz em saber que você está bem... Minha razão pra viver continua forte, não é?

O ruivo se encostou no coxão e colocou uma de suas mãos sobre a mão de Deidara, acariciando a mesma.

- .... Tudo o que eu queria agora... - Falou Sasori, abaixando a cabeça. - Era ter você de volta...



To be continue...



 


Notas Finais


CONSEGUIIII POXTAAAR AEEE POLAAA

DSCP, fazem mais de 6 dias que eu quero postar e num cunsigo.

Amas enfim, tô sem muito tempo, agora só posso falar "ixau", então...

Ixau :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...