História Meu Pequeno Híbrido - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Híbrido, Jinmin, Namkook, Vbaek, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 186
Palavras 2.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie!!
Esse capítulo é Vbaek <3
Ele tá bem compridinho
Boa Leitura!

Aviso: Partes 18+

Capítulo 15 - Byun Baekhyun e Seus Encantos


[Capítulo Anterior]

Taehyung

— Me desculpe, senhor pontualidade. — Fingi deboche e ambos rimos. — Baek bebê! — Entro na casa dele e o abraço.

Baekhyun

— Taetae adulto! — Me abraça de volta.

[POV Taehyung]

Ficamos nos abraçando por um tempo.

— Sabe que filme a gente pode olhar? Eu tô na dúvida entre dois. — Fala Baek, tirando a cabeça de meu peito para me olhar.

— Quais? — Pergunto guiando Baek para o sofá.

Tiro o casaco e ponho na poltrona ao lado. Me sento e Baek fica em pé procurando os filmes.

— Bem, eu aluguei Cinquenta Tons de Liberdade e Como Eu Era Antes de Você. — Baek mostra as capas dos DVDs para mim.

— Acho que podemos ver… — Ponho a mão no queixo pensativo. — Não sei… — Sorrio malicioso. — Depende do que você vai querer fazer depois. — Deixo no ar, fazendo Baek corar um pouco.

— Acho que… Podemos… — Chegou mais perto de mim. Ele apenas se senta no meu colo e sussurra no meu ouvido. — Brincar um pouco. — Ele morde o lóbulo de minha orelha e vira para frente.

— Então acho que devemos olhar Cinquenta Tons de Liberdade. — Digo e ele assente.

Ele se levanta, mas não de uma forma comum, ele simplesmente se levanta de meu colo empinando bem a bunda, fazendo se levantar pelo meu colo e abdômen.

Ele põe o DVD no aparelho e liga a televisão. Byun volta a se sentar no meu colo e dá play no filme.

No meio do filme ele se mexe um pouco.

— Desde quando seu colo ficou tão desconfortável? — Perguntou se virando.

Tiro minha atenção do filme e lhe respondo.

— É que você não está acostumado a sentar desse jeito. — Foi possível ver o rosto corado de Baek, antes dele se virar a voltar a ver o filme.

Durante o filme ele continuou se mexendo.

Quando o final chegou, Baek se virou de frente para mim, pondo suas mãos em volta de meu pescoço.

— Eu acho que eu tô com um probleminha! — Disse Baek de forma inocente. — Pode me ajudar? — Me pergunta rebolando de leve em meu colo.

Olho para baixo e vejo seu membro ereto, marcado pelo short.

— Hum… Depende. — Faço uma expressão maligna.

— Depende do que? Hum? — Continua rebolando em meu colo.

— O que eu ganho em troca? — Ponho minhas mãos em sua cintura puxando para baixo, fazendo-o rebolar mais forte.

— Você? Você ganha… — Ele para pôr um segundo e desce do meu colo. — Palavras não descrevem o que vou te fazer sentir agora. — Sorriu e esfregou sua ereção em meu membro semi-eréto.

O mais baixo se escorou no início do sofá e beijou minha boca. Ele desceu um pouco, fazendo parte de seu corpo roçar em minha – Já formada — ereção. Levantou parte da minha blusa até o abdômen inteiro ficar amostra, e beijou ali, para logo depois beijar minha ereção por cima do tecido jeans. Depois de esfregar um pouco, ele desabotoou minha calça e desceu o zíper. Ele puxou a calça para baixo e voltou a sentar no meu colo.

Baek me deu um selinho, depois outro e outro, para enfim, pedir passagem com a língua, enquanto passava a mão em meu membro.

— Quer me ajudar, Taetae? — Falou em um tom malicioso, me olhando com seus olhos castanhos escuro, pidões.

Nada respondi, apenas deitei Baek no grande sofá da sala e o beijei ferozmente. Baek, durante o beijo, pôs a mão dentro de minha cueca em meu membro e começou a masturbá-lo. Separei o beijo para arfar, mas logo depois voltei ao ósculo.

Quando a falta de ar se fez presente, nos separamos. Retirei a blusa de Baek de seu corpo e a joguei em um canto qualquer, beijei o canto de seu lábio, sua bochecha e seu pescoço. Distribui chupões por todo seu pescoço e clavícula, deixando um beijo estalado em cada marca. Dei um selinho nele e fui descendo a língua por seu pescoço e tronco, até chegar em seu umbigo, onde lambi em volta e de deixei uma marca. Subi de volta até seus mamilos e os pude ver durinhos e vermelhinhos, lambi o direito, enquanto uma de minhas mãos brincava com o outro, apertando e mexendo. Fiz movimentos circulares com a língua e assoprei, vendo-o se arrepiar por inteiro. Subi um pouco mais, beijando novamente seus lábios.

Antes de separar o beijo, prendo seus lábios em meus dentes e os puxo de leve.

Baek tira minha blusa e inverte as posições, ficando sentado em meu abdômen. Ele põe a mão por cima da minha cueca, acariciando meu “amigo” enquanto me beija. Quando ia parar o ósculo, ele põe sua língua dentro de minha boca, aprofundando-o mais.

Ao mesmo tempo que nossas bocas se movimentam, ele movimenta sua mão. Coloco minha mão por dentro de sua calça e o masturbo no mesmo ritmo.

Baek quebra o ósculo e se senta em minhas pernas, sem parar de me masturbar. Ele fecha os olhos, sentindo o prazer que estou lhe proporcionando.

Fico encarando sua face relaxada. Seus olhos estavam fechados, sua boca entreaberta e suas mão agindo em mim, resumindo, uma das melhores visões que você pode ter.

Ele para tudo o que estava fazendo e me encara, também paro tudo o encarando.

Ele se abaixa e fica na altura do meu membro, ele tira minha cueca, o que faz meu pau star pra fora. Ele pega na base e começa a masturbar, quando começa a sair o líquido pré-seminal, Baek põe a cabeça em sua boca e vai descendo aos poucos. Quando meu pênis se encontra inteiramente em sua boca ele começa a subir e descer lentamente, fazendo um vai e vem, que aos poucos vai tomando velocidade. Ponho uma mão em seus cabelo ditando seus movimentos, fazendo-o se engasgar de vez em quando. Ele levanta a cabeça e suga a fenda, descendo a língua por toda a extensão, subindo de volta e voltando a fazer o vai e vem.

Quando sinto que vou gozar, puxo sua cabeça de volta, o trazendo para perto e o beijando, sentindo o gosto do meu pré-sêmen.

Baek desce seu corpo, roçando nossos membros, repetindo o movimento repetidas vezes.

— Vem, Taetae! Eu quero você! — Manhou movimentando o quadril.

Não espero mais nada, deito Baek no sofá e tiro sua calça e cueca. Deixo três de meus dedos perto da boca de baek.

— Chupa! — Ordenei e assim ele fez, pôs os dedos na boca chupando da forma mais erótica possível, me olhando necessitado.

Assim que sinto que meus dedos estão lubrificados o suficiente, tiro de sua boca e posiciono perto de sua entrada. Com os olhos, faço um pedido silencioso para o penetrar. Ponho um dedo em sua entrada apertada e ele solta um grunhido de dor. Espero um pouco ele se acostumar e ponho outro. Movimento eles devagar, enfiando e tirando, fazendo movimentos de tesoura. Enfio o último dedo e estoco sua entrada. Quando o vejo preparado retiro meus dedos e posiciono meu membro. Enfio a cabeça e ouço um meio-gemido, a tiro e ponho de volta, repetindo esse movimento algumas vezes. Quando ele já esperava entrar apenas a cabeça, enfio meu pênis inteiro em sua entrada o fazendo gemer um pouco alto. Começo a estocá-lo devagar, aumentando a velocidade, estocando forte e fundo.

Depois de várias estocadas me retiro de seu interior e me sento no sofá, batendo em minhas coxas, sinalizando o que deveria fazer.

Baek se senta entrelaçando as pernas em minha cintura. Posiciono meu membro em sua entrada novamente e ele senta com tudo, logo quicando em uma frequência rápida. Beijo seu pescoço durante as quicadas e reboladas, sentindo sua respiração descompassada, bater em meu rosto.

Vejo que Baek para de se mover tão rapidamente, já cansado. Saio de dentro de si e o viro de quatro no sofá, ficando atrás dele é pondo as mãos em sua cintura. O estoco forte e fundo, puxando sua cintura contra meu corpo. Deito meu peito em suas costas e mordo o lóbulo de sua orelha, antes de puxar seu cabelo e fazer seu rosto virar, o beijando com rapidez. Depois de um tempo o estocando, Baek fala algo.

— Tae-tae, eu vou… — Não terminou sua frase, mas já entendi o que queria dizer. Comecei a ir mais rápido e fundo, o masturbando, para segundos depois Baek gozar. Continuo o estocando, sentindo sua entrada se contrair me dando mais prazer, até gozar.

Baek solta um gemido antes de cair mole no sofá, com sua entrada escorrendo meu sêmen. Me levanto e sento no sofá, vendo Baek sofrer espasmos do orgasmo recente.

Puxo o menino a minha frente para meu colo, dando vários selinhos nele.

— Haha! Tô cansado, Tae! — Exclama, se acomodando mais em meu colo, logo adormecendo. Me levanto do sofá com Baek no colo e vou para seu quarto, o largando em cima de sua cama. Vou para o banheiro e me limpo com uma toalha. Vou para a sala e pego minhas roupas e as de Baek, voltando para o quarto em seguida.

Me visto e deito ao lado de Baek na cama, o puxando para meu colo. Ele ressona, mas não acorda. Fico pensando um pouco em como o conheci enquanto faço carinho em seu cabelo, logo depois adormecendo.

Acordo com uma movimentação estranha perto de mim. Abro os olhos e vejo onde estou. Demoro um pouco para reconhecer, mas logo lembro; o quarto de Baek.

— Tae, eu tô com fome. Mas tô com preguiça de ir lá na cozinha pegar comida. — Fala ele meio sonolento, coçando os olhos.

— Quer que eu vá lá pegar? — Pergunto e vejo ele assentir. — Eu vou, é só me dizer o que você quer. — Ele se acomodou melhor.

— Quero cookies. Estão na segunda prateleira. — Diz me enxotando da cama.

— Tudo bem, já volto. — Me levanto e vou para a cozinha. Pego o bendito biscoito e volto para o quarto. — Pega! — Entrego em sua mão e deito na cama.

— Obrigado! — Ele se aconchega mais perto de mim e começa a comer.

Pego o controle e ligo a tevê de seu quarto.

— Você vai ficar para jantar? — Pergunta Baek, sem tirar os olhos da tevê.

— Não sei. O que você vai fazer?

— Vou fazer lámen. — Me olha. — Você gosta, não é?

— Gosto sim! — O olho de volta.

— Que bom! Meu lámen é muito bom, te garanto! — Sorri pra mim que retribuo o sorriso.

— Que horas são, hein?

— Acho que umas seis e poucas. — Me responde, buscando algo no bidê. Ele puxa seu celular. — Seis e cinquenta e três. Acho que vou começar a fazer a comida daqui a pouco. — Dá de ombros, voltando a comer os biscoitos e olhar a tevê.

— Ok! — Olho a tevê sorrindo. Como Baek pode ser tão fofo?

Depois de Baek se vestir e ir para a cozinha fazer a comida e servir, fomos comer.

Provo o primeiro pedaço, sendo seguido pelos olhinhos atentos de Byun. Mastigo e engulo fazendo suspense.

— Está muito bom mesmo, Baek! — O mais baixo abre um sorriso de orelha a orelha e diz:

— Que bom que gostou! Posso fazer mais vezes. — Sem tirar o sorriso do rosto, começou a comer.

O resto do jantar foi eu elogiando a comida maravilhosa de Byun Baekhyun. Não é para menos, a comida estava divina, digna de um programa de culinária.

Na hora de ir embora tive uns problemas para deixar Baek. Queria muito ficar com ele e ainda mais enquanto ele fazia manha me pedindo para ficar.

— Baek, sinto muito, eu realmente queira ficar, mas não posso. Eu tenho faculdade amanhã. — Digo tentando me soltar de seu abraço e apenas não estava conseguindo porque não queria sair do quentinho de seus braços.

— Por que você não pode dormir aqui e ir para a faculdade amanhã? Vai ser igual a sua rotina normal, a única diferença é que vai ser na minha casa. — Fez um bico, me olhando com seus olhinhos brilhando em esperança.

— Mas Baek, eu não trouxe meu material e nem roupa. — Disse e mais uma vez ele argumentou.

— Você pode usar uma roupa do meu irmão, ele não vai voltar mesmo. — Deu de ombros, ainda me abraçando.

— Mas e meu material? — Pergunto.

— Você está botando tantos “mas”, acho que o problema sou eu, vocês que não quer ficar comigo. — Fez um bico triste.

— Não, Baek! Não repita isso! Claro que eu quero ficar com você, mas… — Baek me cortou.

— Viu! Você fica botando poréns em tudo! — Cruza os braços, entrando dentro de casa.

Bufo.

— Tudo bem, Baek! Eu durmo aqui! — Desisto, pois essa insistência de Baekhyun só ia me deixar mais culpado.

— Eba! — Baek veio correndo igual uma criança e pulou em cima de mim, me fazendo bater com as costas na parede. — Obrigado, Taetae! — Me deu um selinho demorado e depois encheu meu rosto de beijos, testa, bochechas, queixo e, por último, lábios.

Fomos para o quarto do Byun nos trocamos e fomos deitar. Baek se ajeitou em meu peito, me abraçando.

— Não tô com sono! — Exclamou.

— Então vou te fazer dormir! — O deito em uma posição confortável e desligo o abajur. Faço carinho em seus cabelos e beijo sua testa. — Feche os olhos e escute atentamente o que te direi. — Sussurrei antes de começar a cantar uma música calma e tranquila.

Ao total cantei sete músicas e meia para Baek até ele pegar no sono e eu também.


Notas Finais


Faz tempo que não faço um lemon, então pode estar meio ruim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...