História Meu pequeno libero (pausada por falta de motivação minha...) - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Asahi Azumane, Daichi Sawamura, Personagens Originais, Ryuunosuke Tanaka, Yuu Nishinoya
Tags Abo, Asahi, Asahixnishinoya, Asanoya, Haikyuu, Karasuno, Nishinoya, Sobrenatural, Yaoi, Yuri
Visualizações 23
Palavras 1.820
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sem o que dizer mermão. Tá de volta? Talvez.

Capítulo 20 - Brilhante olhos dourados


Fanfic / Fanfiction Meu pequeno libero (pausada por falta de motivação minha...) - Capítulo 20 - Brilhante olhos dourados

P.o.v Noya...

      O garoto de cabelos escuros abriu os olhos lentamente sentindo o brilho intenso dos raios solares causarem um enorme incomodo em sua visão. Demorou pouco tempo mas ele enfim conseguiu suspirando após sentar-se na cama para encarar Asahi que possuía seus olhos castanhos cafe fechados, Nishinoya não pode deixar de sorrir com uma visão tão linfa quanto essa enquanto ajeitava os cabelos bagunçavas e limpava a boca suja com um pouco de baba, ele percebeu imediatamente um detalhe.

- Ue, vampiros não dormem! - Yuu travou em seu lugar refletindo sobre isso, de fato, vampiros não dormem pelo que o namorado haveria o contado mas nos filmes ele costumam tirar uma sonequinha pela manhã para continuar o "trabalho" a noite.

- Essa sua expressão é fofa Noya... - A voz de Asahi surpreendeu fazendo-o encara-lo imediatamente, um sorriso ladino mas gentil pousava na face do individuo sobrenatural.

- Você estava fingindo dormir?! - Yuu se mostrou indignado com a situação sem desviar seu olhar do outro podendo ver enfim as orbes do outro já que ele estava com os olhos abertos. 

- Me desculpe, você estava tão fofo que não pude resistir - Asahi levou sua grande mão ao encontro da cabeça do menor fazendo carinho em seus fios negros com a mesma, aquilo era bom... Era bom sentir aquela grande mão em sua cabeça.

- Está tudo bem! Ah, Asahi-san, você tem se alimentando corretamente? - Nishinoya despertou do transe em que estava encarando logo em seguida a face nervosa do maior. Ele retirou a mão de sus cabelos e coloco-a em sua própria nuca.

- B-Bom... De sangue não mas venho me alimentando normalmente de outras coisas e tentando me acostumar ao sangue animal... - O menor continuo a encara-lo pensativo, isso não era muito bom... Se ele ficar muito tempo sem sangue, começara a ficar fraco e, se acontecer isso, pode acabar morrendo. Um suspirou escapou-lhe a garganta enquanto ele retirava a camisa que utilizava da região do pescoço deixando bem claro suas intenções.

- Se sirva - Falou olhando-o seriamente. Asahi devolveu o olhar e corou desviando o olhar do pescoço bronzeado para o chão, ele realmente estava com sede de sangue mas lutava contra seus instintos, não queria machucar o garoto.

- N-Noya... Eu não posso... Além de estarmos em um hospital, eu tenho medo de não conseguir parar depois que sentir o sabor dele, não quero te machucar... Jamais - Yuu pode sentir o polegar do outro em sua bochechas, essas as quais eram gentilmente acariciadas pelos dedos gélidos do outro que possuía em sua face um triste sorriso.

- Não se preocupe com isso Asahi-san! Vamos para casa então para que você possa se alimentar - Sorrindo largamente o garoto se levantou ficando de pé ao seu lado esperando. Demorou longos minutos para que o imortal processasse a informação.

- E-Espera, não podemos sair assim de repente! - Ele olhou o garoto que estava ao seu lado um tanto nervoso, esse ao qual o encarou e lhe deu um peteleco na testa um pouco irritado, como ele poderia ser tão dentro das "regras" assim? Se perguntou enquanto o via fazendo carinho na região, ele parecia bem mais um anjo do que um vampiro!

- Podemos sim! É só você nos tirar daqui - Yuu foi direto enquanto cruzava os braços sobre o tórax encarando aquele a sua frente.

- Ok ok... Mas já lhe aviso que não é boa ideia... - O maior enfim se levantou resmungando um pouco enquanto pegava o menor em seus braços e saltava da janela pousando em pé de forma segura sem sequer usar seus poderes, ele achava arriscado demais.

- Vai continuar me carregando como uma princesa ou vai me deixar andar sozinho? Não que eu não queira ficar no seu colo, claro - Yuu imediatamente riu do rubor que invadiu as bochechas alheias enquanto ele gentilmente o deixava no chão já rumo a casa do namorado.

- Eu... Hum... D-Desculpe - Asahi era tímido e Noya já sabia disso, por isso, tomou a iniciativa de tomar a mão do outro assim que viu o olhar do outro fixado em sua própria, um sorriso radiante se formou em seus lábios carnudos e rosados.

- Para de pedir desculpa por tudo homem! Ah, agora que eu lembrei, minha mãe ainda tá no hospital... Como que eu vou para casa? - Nishinoya parou após lembrar desse ocorrido recebendo uma risada do maior. Ele fechou os olhos se dando um facepalm mas, ao acordar, já se encontrava novamente no quarto de hospital onde estava antes, ele travou.

- Seria mais demorado se fossemos na sua velocidade - Um sorriso se formou na face do maior que caminhou em direção ao quarto da mãe de Nishinoya.

- EXIBIDO!! - O pequeno fora logo atrás extremamente emburrado arrancando mais e mais risos de Azumane que tentava conter inutilmente os barulhinhos baixos.

- Não sou exibido... Já chegamos - Yuu suspirou após receber um sorriso confiante do namorado, ele tinha certeza que o mesmo sabia muito bem o que passava em sua cabeça. Cara, ele estava realmente nervoso... Seu pai estava bem mas sua mãe estava em uma maca em estado grave. A possibilidade de que seu pai trocasse de lugar com a mulher passou por sua cabeça mas ele rapidamente tentou afasta-la. Ele respirou fundo abrindo a porta para encarar o corpo inconsciente da mãe, seu pai também estava lá, sentado em uma cadeira. 

- Meu filho fico feliz que tenha... - O homem de idade um pouco mais avançada encarou Asahi por cima de sua cabeça, sua testa enrugou na hora. Confuso, Noya se virou percebendo a mesma expressão na cara do namorado.

- Vocês se conhecem? - Perguntou extremamente confuso, afinal, se encontrava em uma especie de guerra ou o que? Será que ele se sentia confrontado pela aparência intimidadora do namorado ou ele só quer bancar mesmo o durão para cima de Asahi?

- Eu lhe falei para ficar longe da minha família! - Seu pai se levantou mantendo aquela expressão carrancuda na face fazendo a sua própria ficar assim. Ele entrou na frente do mesmo antes que ele enfim pudesse ficar cara a cara com Asahi.

- Algum problema com o MEU NAMORADO? Pelo que eu sei, você não tem o caralho do direito de agir como meu pai! - Ele cutucou o peito do homem empurrando-o um pouco para trás irritado.

- Noya, se acalme... - Um suspirou deixou a garganta de Asahi enquanto sua grande mão foi de encontro com o pequeno ombro tentando acalmar aquele que era seu.

- Namorado...? - A surpresa e o tom de voz que o pai do garoto utilizou foi o suficiente para tira-lo ainda mais do sério, isso até ele sentir outra mão em seu ombro Ele encarou a face do vampiro atrás de si que parecia implorar por um pouco de trégua.

- Sim, ele é meu Alfa! - O menor revirou os olhos pegando a mão do namorado para enfim guia-lo para perto da maca. Um suspiro pesado deixou seus lábios assim que sua pequena mãozinha foi de encontro com a face pálida a mulher de fios negros. Ele pesadamente suspirou deitando sua cabeça na barriga mulher em coma.

- Eu lhe disse, ela ficará bem... Por favor, se acalme... - A voz de Asahi relaxou um pouco seus músculos extremamente rígidos enquanto seus dedos acariciavam seus cabelos gentilmente, arrumando-os de certa forma. Azumane se sentiu aliviado ao sentir tanto a respiração quanto a frequência cardíaca do namorado normalizarem.

- Cara, estou meio em choque ainda. Em um momento eu estava fazendo uma viagem de carro, no outro eu vi uma sombra e depois... Depois eu só me lembro de você me impedindo de ir até minha mãe... - Nishinoya suspirou sentindo a culpa socando seu estomago enquanto ele fecharia os olhos calmamente.

- Pera, você viu uma sombra...? - Asahi parou encarando o namorado puxando duas cadeiras para se sentirem. Uma ela deixou atrás de Noya que se sentou na mesma ainda o encarando, Asahi fez o mesmo processo ignorando o pai do menor naquele lugar.

- Sim, eu vi! Essa sombra jogou uma faca no pneu se me lembro bem... Os olhos dela brilhavam em dourados... Não sei dizer se era do gênero feminino ou masculino, nem sequer sei se é sobrenatural ou não... - Um suspirou deixou os lábios do menor, suas memorias estavam totalmente nubladas e confusas, quase fragmentadas.

- Está tudo bem Noya... - Um sorriso gentil se fez nos lábios de Asahi que tentava acalmar o namorado, ele sabia bem que o mesmo estava passando, pelo menos, buscava entender. Os olhos do menor encararam a face alheia cheia de culpa, Noya não pode deixar de suspirar.

- Sei que está, nada disso é sua culpa Asahi-san! Minha mãe é forte, não iria tombar só por isso! Você acha que eu puxei quem? - Um sorriso radiante se formou na face de Yuu que tentou tranquilizar o maior segurando sua mão firmemente sem machucar, não é como se um mortal como el conseguisse machucar um vampiro como Asahi de toda forma.

- Valeu Noya... Se quiser dormir me avisa ok? - Noya agitou a cabeça de forma bem alegre ainda segurando a mão gélida e cálida do namorado.

- Quando tudo isso tranquilizar... Vamos conversar... - O homem, antes calado, finalmente se pronunciou sentando-se na cadeira do outro lado da cama mantendo o olhar severo no rosto. Ele passou a mão pelos cabelos ignorando o olhar de ódio de seu filho.

- Sim senhor... - Confirmou Asahi meio nervoso apertando um pouco mais a pequena mãozinha que estava contra a sua na tentativa de tranquilizar a si mesmo, ele esperava que dali para frente a vida de Nishinoya e a sua só melhorassem.

~ Bônus... ~

     Asahi estava preocupado com o ocorrido mais cedo e, assim que Noya dormiu em eu peito, retirou o celular preto do bolso já discando um número no mesmo mantendo uma expressão fria em seu rosto, essa a qual era pouco incomum. Ele esperou o celular chamar enquanto fazia carinhos nos cabelos do humano esperando o outro se conectar a linha, o que demorou bastante tempo para alguém que já não possuía quase paciência alguma para esperar. 

- Preciso da sua ajuda, irei cobrar uma das minhas dividas... Precisarei d sua parceira também, garanto que não será nada muito perigoso... - O homem cujo o celular era segurado sequer parecia ser o mesmo de tempo atrás. Ele aguardou a confirmação do ser do outro lado da linha que concordou com o pedido. Ele desligou o celular em seguida e passou as informações por mensagem dando um gentil beijo na testa de seu amado, quem quer que fosse a pessoa que tivesse os levados a situação, pagaria bem caro...

 

CONTINUA... ~


Notas Finais


Cabo mermão! Essa cap, claro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...