1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Pequeno Malfoy >
  3. 54-Muito a explicar

História Meu Pequeno Malfoy - Capítulo 54


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo curtinho por conta das minhas aulas e também porque eu apaguei e reescreveu ele um milhão de vezes por achar que não estava bom o suficiente, sei que ele não explica muita coisa mas no próximo tem mais sobre umas coisas importantes do passado e se tiverem qualquer dúvida sobre alguma parte é só me perguntar nos comentários, eu estava meio atacada da ansiedade e foi bem ruim de escrever nesses últimos 3 dias.

Capítulo 54 - 54-Muito a explicar


Saindo de seu quarto e indo até o corredor onde ficavam as escadarias que levavam ao primeiro andar do Largo Grimmauld, Harry James Potter obviamente encontrou o Lorde e a Lady Malfoy e educadamente os cumprimentou já que não tinha os visto no momento em que chegou é também porque eram seus sogros, encontrou também seu pai e sua mãe que agora tinha trocado de roupa e estava bem diferente da maneira que ficava em Hogwarts, estava com os cabelos penteados jogados para o lado esquerdo, usando uma camiseta cinza claro de tecido bem fininho, calça social marrom cintura alta, um cinto simples e um sapato social, estava simplesmente maravilhoso e com um ar muito mais leve e contente do que durante suas aulas. Claro que como um bom filho e tentando restaurar o laço de mãe × filhote desejou bom dia para Severus Snape que imediatamente sorriu para seu filho contente por tê-lo falando consigo, não puderam se falar muito durante aqueles últimos dias de aula por conta que o Mestre de Poções acabou tendo de corrigir muitos trabalhos das várias turmas que dava aula, mas agora que estavam todos ali reunidos na Mansão Black seria mais fácil para conversarem e continuarem esclarecendo o passado.

Desceram as escadarias calmamente e adentraram na Sala de Jantar recebendo rapidamente olhares chocados e confusos da família Weasley que não tinham idéia alguma do que todos aqueles Sonserinos estavam fazendo ali e como James Thiago Potter estava vivo depois de todos aqueles anos, Arthur e Molly Weasley encaravam a todos como se estivessem vendo um lobisomem transformado numa noite de lua cheia, Guilherme e Charlie Weasley estavam literalmente de boca aberta, Percy Weasley passava as mãos por seu cabelo como se estivesse prestes a surtar, e Fred, George e Gina limpavam seus olhos com as mãos para terem certeza de que não estavam alucinando. Sirius Orion Black convidou todos a se sentar na mesa de jantar para conversarem e logo depois tomarem café-da-manhã já que ainda era um tanto cedo, receosos fizeram o que lhes foi sugerido, Harry viu quando os Gêmeos começaram a encarar de forma nada pura as curvas do corpo de Severus que por estar sem toda aquelas camadas de roupas largas e pretas se mostrava muito mais delicado e ômega, e instintivamente rosnou para os dois alfas ruivos para faze-los pararem com aqueles olhares atrevidos em cima de sua mãe já que ainda se lembrava muito bem do dia em que eles revelaram sentir uma certa atração pelo poçionista, o castanho preferia nem pensar muito naquilo se não acabaria arrumando confusão.

O clima entre os Weasley e os Sonserinos não era dos melhores já que mantinham uma antiga briga com a família Malfoy e também não achavam as serpentes pessoas muito amigáveis oi confiáveis mas se eles estavam ali com certeza existia um bom motivo então ficaram em silêncio esperando a explicação que estava por vir e claro que também exigiriam saber como o pai do Menino-que-sobreviveu estava ali presente após tantos anos da notícia do Profeta Diário pde que todos presentes em Godric's Hollow haviam morrido aquela noite menos o pequeno Harry Potter. Era um tanto estranho voltar ao passado e contar a todos sobre os anos em que os Marotos infernizavam constantemente a vida dos Sonserinos em Hogwarts, do ano em que James acabou se apaixonando e se descobrindo destinado do garoto que ele mais humilhava, de sua vida pouco tempo depois fora de Hogwarts, da poção do amor que Lílian Evans lhe deu por não aceitar o término do relacionamento que tinham, a profecia completa, e a noite do dia 31 de Outubro onde a vida de todos mudou drasticamente:

-Isso tudo é muito chocante... -Molly Weasley falou com uma expressão enorme de surpresa em seu rosto, assim como todos ali ela também estava muito assustada e tentando raciocinar tudo que escutou, se os próprios envolvidos na história não estivessem lhe contando aquilo teria imaginado que era apenas uma brincadeira de mal gosto. -Lembro de ter participado das reuniões da Ordem da Fênix depois que vocês se formaram e da Lílian me falando que vocês tinham terminado por alguns problemas pessoais, mas que ela ainda tinha certeza que vocês iriam voltar a ficarem juntos.

-Ela era terrivelmente obcecada por mim depois de tudo que aconteceu na escola quando eu terminei com ela, nunca conseguiu superar o fato de que eu me apaixonei pelo Severus e que ele era meu parceiro destinado, e não ela. -James Potter comentou fazendo uma cara de nono ao se lembrar da ruiva que de uma menina tão dócil e meiga passou para uma pessoa tão metida, arrogante e grosseira, a única coisa boa que ela tinha feito foi Harry já que mesmo com seu filhote muito irritado consigo não conseguia de maneira alguma corresponder a aquele sentimento de raiva dele, assim como Severus o garoto era um luz em sua vida.

-Eu saí de Hogwarts anos antes de vocês se formarem e como você e Severus nunca agiram como um casal durante as reuniões da Ordem da Fênix eu nunca imaginei que tudo isso tinha acontecido. –Admitiu Arthur Weasley lembrando-se de quando estava em seu último ano em Hogwarts e o Potter ainda era completamente apaixonado pela garota ruiva que nunca dava atenção alguma a ele, era trágico e ao mesmo tempo engraçado de se ver um cena daquelas.

-Sempre preferimos ser discretos já que uma guerra estava próxima de começar e os assuntos eram muito sérios já que estávamos sendo atacados um por um. -Explicou Severus Snape respirando pesadamente e parecendo triste ao ter que relembrar aquilo de novo em um período tão curto de tempo, mas por sorte estava recebendo um olhar carinhoso e reconfortante de seu filho mais velho que o deixava um pouco melhor quanto aquela questão.

-Entendo. Mas o que aconteceu depois que você teve o aborto e desmaiou? -Questionou Gina Weasley receosa tentando soar o mais carinhosa possível, não tinha sido a maior fã de seu professor de poções durante os anos que estava sendo aluna dele mas agora conseguia entender que o passado tinha sido um tanto cruel com ele.

-Dumbledore foi o primeiro a chegar na casa aquele dia e me tirou de lá junto do Harry antes que Comensais da Morte os Aurores nos encontrarem se não Harry seria posto em algum orfanato sobre custódia do Ministério da Magia e eu seria mandado diretamente para Azkaban por ter a Marca Negra em meu braço, aparatou conosco para Hogwarts porquê eu ainda estava sangrando muito e ele sabia do bebê que eu estava esperando então imaginou que se me levasse até Madame Pomfrey ela poderia salvar a mim e meu filhote... -Severus explicou sabendo que o velho diretor teve a melhor das intenções aquela noite, não só porque tinha sido alguém essencial agindo como espião infiltrado no lado das Trevas mas porque também o velho se sentia culpado por tudo que ele passou durante sua adolescência nas mãos dos Marotos, pelo visto depois que os próprios admitiram seus erros ele também se culpou por deixar tudo passar como brincadeiras “bobinhas” de garotos. -Infelizmente não deu certo...

-Sinto muito por você ter passado por isso, não consigo imaginar o quanto deve ter sido doloroso... -Molly falou sincera observando o homem e pensando como seria se perdesse um de seus sete filhos, com certeza seria uma dor terrível já que mesmo antes de nascerem sempre amou a todos e teve muita sorte de conseguir passar pelos 7 partos sem preocupação nenhuma. -Mas por que Harry acabou com os tios trouxas se ele tinha você para cuidar dele?

-Eu fiquei em coma por 3 semanas depois do que aconteceu, Dumbledore achou que era muito melhor levar Harry para ficar com seus tios trouxas logo depois que Madame Pomfrey avisou para ele que eu não acordaria tão cedo, ele achou que seria melhor que o Menino-que-sobreviveu fosse criado no mundo não mágico para que não ficasse sendo assediado e vigiado por curiosos ou os jornalistas do Profeta Diário desde tão novo. -Todos podiam concordar que ser alvo de fofocas, matérias e boatos desde muito no com toda certeza não seria nem um pouco confortável para o garoto de olhos verde esmeralda já que ele sempre foi muito tímido, Snape se lembrava que até quando bebê seu filho era um tanto tímido para interagir com outras crianças, mas isso não significava que a casa dos Dursley era uma boa opção para sua privacidade. -Quando eu acordei estava um tanto confuso mas foi questão de segundos para eu me lembrar de tudo que tinha acontecido e começar a chorar, eu sabia de alguma maneira que tinha perdido tudo aquela noite e foi ainda pior quando eu olhei para minha barriga e vi que não tinha mais nada ali... -Conseguia se lembrar muito bem daquele dia em sua mente, de quando olhou para sua barriga e não vou ali a elevação em seu útero onde seu filhotinho estava, lembrava-se de se sentar rapidamente na cama e sentir uma dor forte bem no final de seu abdômen onde descobriu ter uma série de pontos (Que ele quase arrebentou se levantando de modo brusco) indicando uma cesariana de emergência. Com certeza a pior parte de todas foi ouvir alto e claro dos lábios da velha enfermeira que apesar dos esforços seu bebê não tinha resistido e tiveram que retira-lo já que era grande demais para o corpo do Sonserino expulsar sozinho. -Eu sabia que não tinha como recuperar então comecei a pedir pelo Harry mas Alvo e ela me disseram que eu não estava em condições para cuidar de um bebê e que meu filhote estava em boas mãos com a irmã de Lílian, me disseram que Petúnia não tinha mais rancor algum da irmã e aceitou maravilhosamente bem cuidar do meu pequeno... -As vezes se perguntava como pode ser tão estúpido de acreditar naquilo por anos, só soube da verdade quando voltou a ser amigo do lobisomem e o ex-Prisioneiro de Azkaban. -Ainda assim foi horrível, eu tinha perdido meu alfa e meus dois filhotes de uma vez, eu estava completamente sozinho no mundo e tinha que lidar com tudo que passei completamente sozinho porquê Remus ainda estava desaparecido, Pedro tinha sido “morto", Sirius foi jogado em Azkaban por todas aquelas mortes e eu acreditava que nem mesmo pude ouvir as últimas palavras de James.

Apesar de tentar não parecer tão emocionalmente abalado seus próprios feromonios entregavam o sentimento de tristeza e vazio que o ômega de cabelos compridos sentia ao falar daquele assunto, o cheiro adocicado de amoras com uma grande pitada de tristeza fazia com que os outros ômegas ali presentes se sentissem deprimidos e solidários, já os alfas dominantes e alfas comuns sentiam-se com seus instintos protetores aflorados pois odiavam ver ou sentir que existia um ômega sofrendo de tal maneira, até mesmo seus alunos e ex-alunos (Já que ele deu aula para cada um dos filhos de Arthur e Molly) que nunca foram muito com a cara do Mestre de Poções sentiam que era necessário protege-lo e alegra-lo para que não se sentisse daquela maneira tão horrível. Agora que todos ali sabiam de coisas essências para o que estava acontecendo mas obviamente faltava muita coisa então mais uma vez se puseram a falar:

-Sei que estão curiosos para saber o que aconteceu comigo mas espero que tenham entendido que nunca cheguei a contar para Sev que Sirius não era o fiel do segredo e sim o Pedro, não contei porque nunca quis que ele acabasse sendo perseguido ou algo assim, não podia de forma alguma colocar meu ômega em tanto perigo. -Explicou James ainda sendo olhado por quase todos ali como uma criatura mágica bem rara, menos por Harry que só o olhava com tédio e desgosto.

-Mas e os jornais? Por que todos os jornais do mundo bruxo disseram que você e a Srta.Evans haviam morrido na casa? -Fred perguntou.

-Não consigo te dar uma resposta concreta sobre isso mas acredito que seja porque encontraram meu casaco e muito do meu sangue na casa, além do corpo de Lílian e nenhum sangue do Severus já que Dumbledore fez um feitiço de limpeza para garantir que o sangue dele não estaria ali, e também retirou as roupas e pertences dele de lá. Eu entendo que isso foi para a proteção do Sev e até acho melhor que tenha sido assim, porquê foi uma garantia de que ele nunca seria ligado ao crime. -Um arrepio passou pela coluna do Lorde Potter assim que imaginou seu ômega sendo acusado de estar junto com Voldemort na tentativa de matar o garoto que estava destinado a derrota-lo, provavelmente teria sido sentenciado a Azkaban e recebido o beijo do Dementador o mais rápido possível. -Também não posso duvidar que algum funcionário influente ligado à Você-Sabe-Quem tenha dado ordens para que não procurassem por mim ou pelo meu corpo.

-Mas se ele tivesse sido interrogado pelos Aurores teria sido capaz de explicar o que aconteceu naquela noite, assim eles começariam as buscas por você e não te dado como morto. -Lorde Weasley comentou.

-Os Aurores e o Ministério da Magia estavam sedentos atrás de Comensais da Morte e não deixariam que ninguém que possuísse a Marca Negra se explicasse para se livrar de Azkbaan, muitos tentaram de tudo mas apenas os mais riscos e influentes conseguiram essa façanha. -Disse o alfa dominante lançando um olhar um tanto debochado e raivoso para o Lorde Malfoy já que uma dessas pessoas havia sido ele, já seu pobre ômega que era apenas um mestiço nunca teria conseguido se livrar tão facilmente daquela maneira. “Sonserino ganancioso e insuportável” pensou em sua mente ao ver os olhos gélidos dele sobre si. -E se Dumbledore assumisse que estava colocando a vida de seus antigos alunos em perigo criando um grupo especial e não autorizado pelo Ministério ele com certeza teria muitos problemas relacionados à acusações de conspiração.

-Não me olhe com essa cara, Potter. -Rosnou Lucius recebendo em troca um rosnado do castanho. Severus retirou os olhos para a briga de seu melhor amigo e seu parceiro destinado pensando em como aqueles dois nunca iriam mudar, as vezes esse pensamento era bom e as vezes lhe trazia um pouco de desespero por saber que teria que aturar aquele comportamento pelo resto de sua vida. -Eu estive do lado do Lorde das Trevas porque assim como meu pai eu quis alcançar meus objetivos e achava que o que ele fazia e pregava era o certo para minha família e para o Mundo Bruxo, não sei se você lembra mas eu passei a minha vida toda sendo criado para ser o que você chama de “puro-sangue metido e esnobe", assim que me formei meu pai ainda estava vivo então não é como se eu tivesse tido muita escolha e também durante do Black eu nunca passei por nada traumático que me fizesse sentir que o que meus pais apoiavam não era o certo. -Aquele ponto era um bom argumento já que Sirius Black provavelmente apenas não se tornou um Comensal da Morte porque sua mãe Walburga Black era tão psicótica quanto sua sobrinha Bellatrix viria ser após se juntar ao lado da Magia das Trevas e por ser uma criança muito agitada, inquieta e questionadora o seu herdeiro mais velho sempre sofria castigos terríveis da mãe tão rígida e maluca. -E quando o seu filho o derrotou sendo apenas um bebê eu soube na hora que tinha que fazer o melhor para proteger minha esposa e meu filhote, que no momento era evitar ser levado para a prisão e deixar minha família com o nome manchado.

-Se você se importa tanto assim com sua família por que caralhos voltou a se aliar ao lado das Trevas? -Perguntou James cruzando seus braços com um tom de voz acusador e hostil, sabia que seu noivo tinha depois de alguns anos contado a verdade para Lucius e Narcissa o que tinha de verdade acontecido aquele Halloween, então considerava uma forte traição (Não que esperasse algum ato amigável e de fidelidade vindo dele já que sempre soube que os Malfoy’s apenas faziam o que era melhor para eles no momento, sem se importa se era certo ou errado) o loiro ter voltado a ser um seguidor daquela monstro. -Foi uma completa estupidez, principalmente depois de saber o que ele fez a Severus!

-Novamente não é como se eu tivesse muita opção sobre isso, eu já tinha me juntado a ele no passado e se ficasse ao lado da luz depois de sua volta ele com certeza acabaria nos matando sem pensar duas vezes por conta da traição, além de que eu teria que aceitar forçadamente coisas as quais eu não acreditava e não apoiava para me manter ao lado de vocês, isso se eu não fosse jogado em Azkaban de maneira definitiva. -Lucius continuou se explicando enquanto recebia olhares de desgosto ao seu redor, menos de Severus que compreendia a atitude do amigo que muitos podiam chamar de covarde mas o ômega sabia o quanto ele era superprotetor com quem realmente gostava e faria de tudo para proteger essas pessoas, não o culpava de forma alguma por ficar mudando de lado. -Óbvio que quando voltei rastejando até o Lorde das Trevas ele não ficou nem um pouco contente e fez de tudo para transformar minha vida num verdadeiro inferno, principalmente me mandar para o Ministério da Magia para pegar a profecia e isso fez com que novamente preso por alguns meses até conseguir um acordo bom o suficiente para poder sair. Depois disso imaginei que o Lorde das Trevas já teria cansado de me castigar mas então ele resolveu me atingir de forma não direta usando minha família... -Terminou recebendo olhares duvidosos dos Weasley já que eles não faziam idéia alguma que algo tinha ocorrido com Draco.

-E isso adiantou muito, não é? Draco com certeza estava completamente seguro perto daquele ser nojento. -Debochou o Potter novamente entre dentes recebendo um rosnado alto do outro sangue-puro e notando que os feromônios dele aumentaram num nível forte indicando que aquele comentário tinha com certeza o ofendido ao extremo já que parecia pronto para a briga, também irritado com a presença daquele esnobe não se intimidou nem um pouco aumentando seu cheiro no mesmo nível, afinal, querendo ou não aquela serpente orgulhosa teria que algum dia admitir que tinha sido um pai terrivelmente descuidado durante aqueles meses.

-James Thiago Potter para de implicar com o meu melhor amigo, ele não tem culpa alguma do que se passou com o Draco, ele nem ao menos imaginava o que estava acontecendo! E Lucius Abraxas Malfoy, pelo amor de Merlin pare de uma vez por todas de corresponder às provocações dele, sempre piora e situação e você sabe muito bem disso! -Ralhou Severus irritado com o comportamento infantil daqueles dois. -Se aqui tem porque todos ainda temos muito a explicar.

Com o comando do poçionista ambos os alfas dominantes se olharam com ódio mas voltaram a seus estados mais controlados para que pudessem seguir com a conversa de forma pacífica, obviamente deixando a todos os outros que não estavam em Hogwarts no dia muito curiosos para saber o que tinha acontecido com o herdeiro de uma das famílias mais ricas e influentes do mundo bruxo, pois parecia ser um assunto um tanto pesado e conturbado que estava perturbando o Lorde e a Lady Malfoy.


Notas Finais


Comentem pra mim saber se vocês estão gostando e eu gosto muito de responder comentários longos, então se sintam a vontade para fazê-los. E qualquer dúvida deixem aí que eu explico melhor porque sei que esse capítulo não foi tão descritivo quanto os outros normalmente são.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...