História Meu Pior Inimigo é o Meu Amor. (Haleb) - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars, Ravenswood
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Caleb Rivers, Cece Drake, Darren Wilden, Ella Montgomery, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Ian Thomas, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Lucas Gottesman, Maya St. Germain, Melissa Hastings, Mike Montgomery, Mona Vardewaal, Noel Kahn, Paige McCullers, Pam Fields, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Tom Marin, Veronica Hastings, Wayne Fields, Wesley Fitzgerald
Tags Ezria, Haleb, Pll, Spoby
Visualizações 54
Palavras 2.508
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Nos braços do amado.


     Ainda Naquela Noite


Hanna estava cansada de olhar a chuva pela janela, então ele resolveu que seria bom se distrair um pouco. Ela tomou um banho, colocou um vestido vermelho curto, uma jaqueta e um salto preto as vezes do carro deu uma última conferida no look.

- Vai sair? – Sua mãe aparece a porta.

- É o que parece ne! – Exclamou Hanna sem se quer olhar para a ruiva.

- Esta chovendo.

- Acho que já percebi isso. – Retrucou a loira.

- Para aonde você vai? – Perguntou a ruiva.

- Sair.

- Com quem? – Ashley se aproxima mais.

- Com pessoas mãe.

- Nossa... acordou com o pé esquerdo foi?

- Estou apenas estressada, posso ir ou isso também é um motivo para me mandar para o exército? – Hanna saiu do quarto.

- Vai sair? – Ela encara com o Caleb na escada.

- Não. Estou chegando agora. – Disse ela.

- Posso ir junto? – Ele a segue ate a porta.

- Não. – Ela sai.

- Você ouviu ne? – Fala Ashley no topo da escada.

- Ouvi que? – Ele sabia muito bem o que.

- Para aonde a Hanna foi?

- A filha é sua, Ashley... e não minha. – Diz Cabel seco. – Pelo menos se acontecer alguma coisa com ela essa noite. Eu não serei o culpado. – Ele vai para a cozinha.

Hanna não sabia bem para aonde ir, então ficou dando voltas ate encantar um bar e lá resolveu entra e beber um pouco, mesmo sozinha ela saberia se divertir. Depois de algumas horas a loira já estava bêbada, ela dançava sobre as mesas e os homens assoviavam e as vezes puxavam a roupa da loira, ate que algum a puxa pelo braço a fazendo descer da mesa.

- Ei! – Exclamou ela. – Me salta!

- Você não deveria estar aqui moçinha. – Disse ele.

- Wilden?

- O que você faz aqui? – Perguntou ele.

- Me divertindo um pouco. – Ela pega um copo que estava sobre a mesa e vira.

- Esse lugar não é para pessoas de menor.

- Eu não sou de menor, já tenho dezoito anos e não preciso de babar. – Hanna mentiu. – Você é policial ou o que?

- Eu vou te levar para casa. – Ele a puxa.

- Me solta cara... já falei, sou de maior.

- Eu já ouvi e gostei muito em saber disso. – Ele a leva para a saída do bar.

Alguns minutos depois, Wilden estava a bater na porta da cada dos Marin-Rivers e a Ashley é quem abre a porta.

- Wilden?

- Boa noite senhora Marin.

- Aconteceu alguma coisa? – Ela olha para trás e ver o carro da Hanna.

- Sim... mas não se preocupe não aconteceu nada de mais, apenas a Hanna estava bebendo em um bar e assim que eu a vi resolvi traz ela para casa, lá não era lugar para uma jovem como ela.

- E aonde ela esta? – Perguntou Ashley tentando não demonstrar sua fúria com mistura de preocupação.

- Dentro do carro.

- Ela consegue andar?

- Receio que não, mas eu posso leva lá até o quarto. – Sugeriu ele.

- Se não for muito incomodo.

- De forma alguma. – Ele foi ate o carro e pegou a loira pelos braços e levou ate a casa.

Ashley o levou ate o quarto da loira. Ele a colocou na cama mas ao ouvir um barulho na cozinha ela saiu os deixando a sós. Wilden ao ver que a loira dormia, ele se aproximou lentamente dela, acariciou o lindo rosto e quando estava próximo aos lábios dela.

- Senhor Wilden. – Caleb aparece.

Wilden se afasta rapidamente da loira, será que Caleb havia visto o que estava prestes a acontecer?

- Você é o...?

- Caleb, e acho que você não deveria estar aqui. – Caleb adentra mais o quarto.

- Apenas vim deixa lá que a senhora Marin me pediu.

- Você já a deixou, agora já pode ir.

- Olha aqui garoto... – Wilden se aproxima mais do Caleb. – Olha como você fala comigo, sou mais velho e mereço respeito.

- E você senhor Wilden, preste muita atenção nas coisas que o senhor faz aqui dentro. – Eles se encaram.

- Muito obrigada senhor Wilden. – Ashley aparece.

- Não a de quer. E boa noite. – Ele sai.

- HANNA! – Gritou Ashley. – HANNA!

- Ashley, se você quer falar alguma coisa com a Hanna. Fale amanhã que ela vai estar de ressaca e a dor de cabeça será maior. – Sugeriu Caleb para faz ela deixar a loira em paz.

- Boa ideia. – Ela sai do quarto e em seguida o moreno.

Mais tarde naquela noite, em seu quarto Caleb ouvia um barulho irritante como se alguém estivesse vomitando. Ele olhou para o relógio e viu que era apenas 3h00 da manhã e resolveu ir aonde o barulho estava sendo produzido.

- Você esta mal hein. – Caleb rir ao ver a loira vomitado.

- Me fala algo que eu não saiba, pensei que tinha fechado a porta do quarto. – Disse ela tentando se levantar do chão.

- Mais não fechou. – Ele se aproxima dela. – E você é linda mesmo vomitando.

- Isso é o que eu não sei? – Ele segura os cabelos dela, e com o lenço limpa os lábios da loira.

- Sim. – Ele a abraça. – Você não deveria ter ido aquele bar.

- Eu precisava me distrair um pouco, ficar aqui sozinha é chato.

- E porque não chamou as meninas? Ou me deixou ir com você?

- Caleb...

- Shh... deixa pra lá. – Ele a abraçou fortemente. – Você sabe que de manhã vai ouvir tanta coisa da Ashley.

- É eu sei. – Ela o olha. – Agora seria um péssimo momento para te pedir um beijo?

- Não... – Ela se aproxima dele. – Mas seu hálito não esta um dos melhores no momento.

- Caleb! – Ela faz cara de triste.

- Mas não ha nada que um bom enxaguante bocal, não resolva. – Ele se levanta e a ajuda a levantar-se

Eles vão ate a pia, ele pega um enxaguante bocal e da a loira e assim que ela faz sua higiene que naquele momento ela estava precisando ele a beija.

O mesmo a segura pela cintura e a coloca sentada sobre a pia e começa a beija-la com mais intensidade pedindo passagem com a língua.

Em um movimento rápido e única ele tirou o vestido da loira, e o joga no chão a deixando com os seus seis e sua parte intima quase a mostra a única coisa que impedia a visão completa era o sutiã e a calcinha, Hanna vez a mesma coisa e tirou a camisa do moreno a jogando perfeitamente sobre o seu vestido.

Caleb a puxou para mais junto do seu corpo, fazendo a loira abraçar suas pernas na cintura do moreno, ele a segurava e a leva para o quarto e delicadamente, ele a deita na cama. O mesmo aproxima seu rosto ao pescoço da loira e ali da vários beijos e chupões, fazendo a loira arfar e gemer em baixo som.

Eles mudam de posição, a loira agora estava em cima. Hanna ainda continuava os beijos agressivos e profundos, sua boca vai ate o pescoço do moreno. Caleb coloca suas mãos por dentro do cabelo da loira o segura, Hanna começa a trilha um caminho pelo abdômen do moreno ate chegar perto da sua intimidade.

- Espera. – Disse ele. – Hanna você ainda é...?

- Sim. – Respondeu ela ficando corada e sentando-se na cama.

- E você tem certeza disso? Quero dizer, que quer perder sua virgindade e logo comigo, o cara que sempre te infernizou. – Ele a encara.

- Se você for embora, pelo menos quero ter uma lembrança sua. – Ela da um sorriso ainda corada. – E não importa como ela seja.

- Então acho melhor fazer isso direito. – Ele foi ate o quarto dele e logo volta com uma camisinha, o mesmo fecha a porta do quarto da loira e vai ate a cama. – Me fala que você vai lembrar disso quando acordar, por favor.

- Eu vou lembrar disso sim. – Ela o puxa.

- Não! – Exclamou ele. – Essa noite é sua. – Ele vai ate ela e a beija e se inclina para faz a fazendo deitasse.

Ele colocou suas mãos por baixo do corpo da loira, na altura dos seus e tirou o sutiã da loira, tendo uma completa visão dos seios dela e aquela visão era uma das mais lindas que ele já tinha visto, ele sorriu e ela retribuiu e sorriso ainda corada. Caleb levou a boca ate o pescoço da loira e a beijou e deu algumas mordidinhas, uma das suas mãos foram ate o peito esquerdo a loira e o apertou de leve a fazendo gemer e ela gemeu mais quando ele abocanhou o seu seio direito.

Depois ele mudou, começou a massagear o direito e abocanhou o esquerdo, ele passava a língua várias vezes no bico do seio rosado da loira. Hanna gemia e arfava, ela nunca tinha sentido um prazer daquele, mas ainda não havia acabado. Os dedos do Caleb deslizaram ate a intimidade da loira e ao passar o dedo em cima do tecido da calcinha ele notou que ela já estava molhada.

Ele vai ate a boca da loira e a beija novamente, suas línguas dançavam em um ritmo perfeito, Hanna transmitia desejo e o Caleb recebia. Hanna o empurra para o lado e sobe sobre ele, ela beija o abdômen do moreno e passa a língua no caminho do seu queixo ate a parte de baixo, Caleb tira a calça ficando apenas de cueca, Hanna senta-se sobre o membro ainda coberto do moreno e começa a rebolar contra ele, Caleb gemia baixo, já que no final do corredor era o quarto dos pais de ambos.

Ao perceber que o membro do moreno já estava ereto, Hanna o beija e desce sua boca ate a intimidade dele, ao tirar a cueca do moreno, ela ver o membro do mesmo pular para fora, o membro do mesmo pulsava de desejo, Hanna fica mais envergonhada por não saber bem o que fazer ela o olha como se tivesse pedindo ajuda.

- O que eu faço? – Ela o olha.

- Com a mão você movimenta, e com a boca você faz como se estivesse chapado um pílulito. – Disse ele.

- Assim? – Hanna começa a masturba-lo.

- Uhrum... – Caleb gemeu.

Ele se deitada por completo, Hanna o olha algumas vezes para ter certeza do que estava fazendo certo e cara dele era comprovação, ela o olha mais uma vez e decide abocanhar o membro do moreno que acabada gemendo ao sentir a boca da loira.

- A-ah Hanna. – Gemeu ele.

Caleb leva suas mãos ate os cabelos dela e a ajuda nos movimentos, Hanna fazia movimentos de vai e vem, ela o chupava e o moreno gemia, ela passava a língua várias vezes no membro dele o fazendo gemer, mais e mais. Ela achou o ponto fraco do moreno, que era a glande e ali, ela começou a explorar mais. Os gemidos do Caleb apenas aumentavam, Hanna estava gostando daquilo.

Caleb estava quase chegando ao seu ápice, por isso faz a loira parar. Ele levanta-se e a puxa para mais um beijo, ele a deita lentamente na cama e desliza novamente seus dedos ate a intimidade da loira a fazendo se arrepiar, por cima do tecido ele acariciava o clitóris da loira a fazendo gemer.

Ele tirou a calcinha da loira, Hanna leva as mãos ate os olhos com vergonha, Caleb da um sorriso abafado porém malicioso. Hanna gemeu alto ao sentir a língua do moreno em seu clitóris, ela segurou as cobertas da cama ao sentir um dos dedos do moreno a penetrar, ele ainda trabalhava com a língua na intimidade da loira, Hanna não queria gemer alto mais aquilo era bom de mais, ela nunca havia sentido aquele prazer na vida, com os dedos Caleb fazia movimentos de vai e vem, ele tira o dedo e leva a língua ate a entrada da loira, ela gemeu e foi ate que ele percebeu que talvez estivesse na hora.

- Você tem certeza disso princesa? – Perguntou ele a encarando.

- S-sim. – Disse ela.

Ele sorriu e ela retribuiu o sorriso, ele colocou a proteção, a beijou mais uma vez. Ele estava vendo o nervosismo nos olhos e no corpo da loira, ele também estava nervoso, nunca esteve nervoso antes, talvez fosse porque nunca estivesse com a loira em seus braços. Ele se aproxima da intimidade da loira, ela fecha os olhos e vira a cabeça para o lado, ele segura uma das mãos dela, para transmitir segurança, confiança, que nada iria dar errado.

- Esta pronta? – Perguntou ele e como resposta ela assentiu. – Calma tá... eu estou aqui, eu sempre vou esta aqui. – Ele da um beijo na testa dela.

Ele não queria machuca lá, mesmo que fosse por um momento rápido e prazeroso, ele não queria machuca lá. Ele queria protege-la, envolve-la em seus braços, a fazer sua, somente sua. Ele queria faze-la se tornar sua mulher. Ele se encaixa perfeitamente no quadril da loira, e começa a penetra lá, a cada vez que seu membro entrava na intimidade da loira, ela apertava a mão do Caleb. Hanna estava sentindo dor, e ele sabia que estava, por mais que ele não quisesse machuca lá era impossível.

Algumas lágrimas escorriam dos olhos da loira e aquilo mostrava que a dor estava aumentando, ele estava a penetrando mais e mais, a entrada da loira era pequena e apertada, ele a olha nos olhos para transmitir confiança e calma a loira, ate que as lágrimas cessaram.

Assim que ele já estava por completo dentro da loira. Ele começa a se movimentar de leve para não machuca lá, mas logo começa a aumentar os movimentos os transformando em estocadas, Hanna gemia, os gemidos que antes eram de dor, agora eram de prazer. Caleb fez um sinal para ela diminuir os gemidos, mas estava quase impossível e ele sabia disso.

Caleb aumentava a intensidade das estocadas, suas mãos passeavam pelas coxas da loira, e lá ele dava algumas apertões de leve, Hanna gemia mais e mais, Caleb estava ofegante, ele arfava e gemia. O mesmo percebe que o corpo da loira estava trêmulo, e continua os movimentos, Hanna os faz mudar de posição, Caleb a segura pela cintura e a ajuda nos movimentos, ela rebolava e cavalgava sobre o moreno o fazendo gemer, Caleb logo chega ao seu ápice, mas o mesmo continuava os movimentos.

- Hanna, você é tão linda. – Disse ele a olhando.

- Shhh... – Ela o beija.

Seus corpos se roçavam fazendo as temperaturas ficarem elevadas, mesmo com a chuva que havia voltado a cair no lado de fora, aquele quarto estava quente. Mais uma vez Caleb sente o corpo da loira ficar trêmulo e seu membro ser contraído para dentro, Hanna havia chegado ao seu ápice. A loira cai sobre o peito do moreno, ela o olha e o beija.

Depois dali eles foram para o banho, eles não podiam fazer muito barulho por causa da Ashley e o Jamei, mas alguns sorrisos e olhares foram possível de evitar.

De volta a cama, Hanna estava com a cabeça no peito do moreno, o mesmo acariciava os cabelos da loira que não demorou muito e logo estava adormecida nos braços do moreno, ele queria ficar ali ate o dia amanhecer e alguns raios de sol atravessarem a janela e os acordarem, mais ele não podia.

Então ele saiu calmamente de baixo da loira, a cobriu e ficou olhando-a por um minuto.

- Eu... eu te amo minha princesa. – A beijou e saiu do quarto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...