1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Porto Seguro - Jikook >
  3. Prólogo

História Meu Porto Seguro - Jikook - Capítulo 2


Escrita por: e Lulissmile


Notas do Autor


Olá pessoas
Tudo bem com vocês?
Espero que gostem do prólogo


que vocês tenha uma boa leitura💜

Capítulo 2 - Prólogo


Quando Eunhye estaciona o carro em frente a casa, já conhecida de anos pela família Park, Jimin pula do carro com brilhos nos olhos e um sorrio enorme estampado no rosto bonito.

— finalmente de volta!

Flashback

O quarto estava em um silêncio tediante, e as seis crianças que habitavam ali estavam no mesmo jeito. Ninguém tinha uma brincadeira ou ideia genial para eles se distraírem até a comida ficar pronta, e a senhora Eunhye avisá-los sobre.

Jimin havia os chamado pouco mais cedo para fazerem algo juntos, já que são da mesma rua e conviviam brincando.

— hm, que tal brincarmos de cobra cega?! — Taehyung propõem vendo que os demais não tinha nenhuma brincadeira para dar como ideia.

— já avisando que euzinha, não quero, ser a pegadora novamente! Das três últimas vezes fui eu. — Chuu, irmã de Jimin e Yoongi, avisa.

Igual Chuu, nenhum deles queria ser a pessoa a ser vendada para encontrar os demais. Queriam passar pela adrenalina de tentar fugir ou se esconder em algum lugar, para ser o vencedor, e conseguir escolher o próximo a ser vendado.

— para não dar briga vamos jogar Jokenpo. — Yoongi fala, e todos concordam.

E pelo azar de Jimin, ele perde. Teria que ser vendado e procurar-los. Honestamente ele não gostava nada dessa ideia de ser o pegador, por ser desastrado e ter que ficar vários minutos procurando-os. Para o pequeno ficava chato.

Logo após ser girado por Hoseok, Park tem a missão de ir atrás dos amiguinhos e tenta-los pegar. E com sua audição boa, ouvia risadinhas sapecas e alguns cochichos, o que ajudava a encontra-los mais rápido.

Com um movimento rápido, Park tenta pegar a camisa de um deles. Mas sem sucesso pois o dono da camisa desvia facilmente, e solta uma risada nasal. Tenta pegá-lo novamente, e com sucesso, pois no minuto seguinte o mesmo grune frustrado. E Jimin reconhece ser o Hoseok, pela risada engraçada. Ele se senta no cantinho do quarto para esperar a outra rodada.

— a-há, te peguei! — da uns pulinhos animado.

Jimin por sua vez continuou indo atrás os outros, ele rodeava o quarto tentando pega-los, ao tropeçar de leve percebe que estava perto de sua cama, começou a seguir a extenção da mesma, quando estava perto do travesseiro sente um pé, que tenta escapar, mais Park o segura firme, ao escutar a revolta da pessoa que tinha pegado percebe que era seu irmão mais velho Yoongi, que estava reclamando pois não queria ter cido pego. Min então senta ao lado de Hoseok esperando o término da rodada.

Jimin sorri vitorioso. Só faltava Chuu, sua irmã, e seus melhores amigos, Jungkook e Taehyung. Sentindo cheiro de vitória, volta a andar pelo quarto, escutando alguns passos pesados, e por sua concepção, era Chuu. Mesmo esticando o braço não conseguia acha-la, então vendado mesmo começou a andar sem mesmo saber onde as coisas estavam.

— cuidado Hyung, você vai bater na parede! — Jungkook avisa, levando um tapa na cabeça de Taehyung.

— ele vai achar a gente, seu idiota. — Tae sussurra, saindo de dentro do guarda roupa.

— obrigado Jungkook-ah. — sorriu sapeca e virou-se em direção ao armário.

O aviso de Jeon não serviu só para Jimin não bater na parede, mas sim para acha-lo, conseguindo assim ter uma noção de onde o mais novo estaria. Andou até o guarda roupa, com ajuda das paredes e ouviu um sussurro de Chuu, provavelmente tentando ajudar Jungkook. Mas não deu a mínima, tentando achar os batentes das portas, para abri-las.

Quando finalmente achou, ela já estava aberta, então só enfiou a mão ali dentro sentindo um corpo, e sem pensar abraçou-o para quem estivesse ali, não saísse. E pelo jeito que a pessoa levou um susto, denominou ser Jungkook, e logo tratou de sorrir. Não vendo o rosto corado do mesmo.

Após o mais novo se sentar com os seus hyungs que já tinham sido pegos, observa a brincadeira continuar, com uma expressão emburrada. E em poucos minutos Jiminnie já tinha pegado sua irmã Chuu, fazendo assim, Taehyung ser o ganhador daquela rodada. Mais antes de Tae pensar em outro pegador, a mãe de Yoon e Jimin, entra no quarto.

— crianças, podem descer. A comida já está pronta. — a matriarca da família avisa.

Com fome, todos concordam, fazendo assim, todos irem para a cozinha. Lá a mãe de Jimin e Yoongi começa os servi-los, para não ter nenhum perigo de se queimarem ou se machucarem de alguma forma. Já dava para ver que a comida estava ótima só pela carinha de cada um, que estavam satisfeitos pelo feito da senhora Park.

— mamãe... Não quero mais comer. — Chuu fala, formando um beicinho fofo, quando da algumas garfadas na comida.

— senão comer tudo, não vai experimentar a torta morango. — a mãe aponta, terminando de lavar alguns potes que tinha na pia.

Com essa prévia que a mais velha falou, já deixou eles bem mais animados, fazendo assim suas cabecinhas pensarem em comerem logo a sua comida, mais como todos já conheciam a mãe de seus dois amigos, sabia que a mesma não iria dar tão rápido, logo após a refeição, ela sempre fala para esperarem. Mas dessa vez ninguém queria.

— Tae, pede a torta. — Hoseok pede, baixinho.

— eu não. Você nem terminou sua... — Taehyung arregala os olhos, vendo que Hoseok já tinha acabado sua comida. — Meu Deus Hyung, você estava com fome em....

— Aigoo, me deixa. — fala. — Jeon. — sussurra tentando chamar a atenção do pequeno Jeon, mais sem sucesso. — Jungkook! — sussurra mais forte, chamando a atenção. — pede a torta pra mim.

— Aish Hyung, espere.

Hoseok amava a comida da senhora Eunhye, principalmente sua torta de morango, mais pensando em tudo isso, olhando para um ponto fixo ele percebe uma cutucada de Chuu.

— Hobi, pede a torta pra mamãe. Tenho medo dela. — conta, fazendo uma careta engraçada.

— não, eu tenho vergonha... — segreda. — eles não querem pedir.

— já sei! Tenho uma ideia.

Chuu não estava errada, aquela ideia, que pensou, era boa para terem a torta consigo. Sendo a irmã do meio de Yoongi e Jimin ela sabia de muita coisa dos dois, e sabia que conseguiria algo com isso. Hoseok vendo o semplante de Chuu animada, vê que realmente ela sabia o que iria fazer, confiando nela ele vê a mesma agir.

Com desconfiança Min vê sua irmã indo em sua direção, sabia que estava tramando algo.

— Yoongi, quero torta. — faz bico, abraçando o irmão.

— pede pra mãe, acho que ela deixa você pegar um pouco. — diz, terminando de comer.

— ela não vai me dar. — faz birra.

— se ela não deixou você pegar, ela não vai me deixar pegar também, Chuu.

— mas eu não quero que você peça... — fala, fazendo o irmão mais velho perceber que a pequena tinha um plano

— ok, o que você quer fazer então? — vira-se em direção a mesma, curioso.

— bom... Que tal você ir conversando com a mamãe, enquanto eu pego um pedacinho?

— não sei se vai dar bom. Sempre sobra pra mim depois.

Chuu cruza os braços tristonha.

— Tá bom então, fica aí, eu já volto, vou contar para ela que você não mostra os bilhetes que a professora escreve quando você bagunça.

— Nem você mostra os seus, porque eu tenho que mostrar?

— Aish, eu só pedi para você conversar normalmente com ela... — fala, não tendo mais argumentos de defesa. — Hobi. — chama-o após se afastar do irmão. — minha mãe quer falar com você. — mente.

— como assim? Você nem foi lá falar com ela. Como você sabe?

— hã... Ela tinha me avisado antes. — sorriu fofa, coçando a nuca. Hoseok serra os olhos.

— não acredito em você. — cruza os braços.

— é sério... Provavelmente ela vai te dar um pedaço de torta. Ela sempre me chama em segredo, quando quer dar o primeiro pedaço pra mim.

— oh, sério? — sorriu de orelha a orelha.

— aham! Ela está na lavanderia!

— tá bom então! — Sorri e sai saltitando até a senhora Eunhye. — Oi!

— Oi Hoseok, oque foi? Precisa de algo?

— Hmm, acho que não... — ele senta na cadeira, esperando ela oferecer a torta. — Sabia que eu gosto muita da sua torta... — comenta animado.

— Que bom, vou começar fazer mais vezes, também gosto dela.

— Sim, ela tem aqueles pedacinhos de... De morango no recheio! E tem uma massa macia e molhada. Hmmm.. delícia!

— Como sabe tanto dela? — ela ri, desconfiando da atitude do menor. — Não lembro de te‐lá feito antes para vocês... Ou já? — coça o queixo pensativa.

— Não, não, só deduzi como outra torta qualquer – disfarça, querendo prolongar a conversa para ganhar o pedaço da tão querida torta.

— se você diz.

Enquanto isso na cozinha, Chuu aproveita que os meninos foram pra sala, e vai até o forno, se assustando quando vê que ela não estava ali.

— cadê a torta...?

Olha ao redor e ouve alguns murmurinhos e risadas detrás do balcão. Anda até lá e arregala os olhos colocando os bracinhos pequenos na cintura.

— mentira que eu estou vendo isso! Por que não me avisaram do plano de vocês?!

— hã.. é por que enquanto você falava com o Hoseok, a gente veio pra cá. — Jimin explica, com a boca suja de torta.

— mas não é justo! — bate os pés do chão. — eu que queria mais a torta, e o Yoongi sabia disso, e não me chamou!

— desculpa maninha... Eu queria também. — sorriu amarelo.

— mas custava me chamar?!

— foi mal Chuu. — Taehyung pede, batendo nos ombrinhos pequenos da menor.

— não quero mais ser amiga de vocês! — fala, pegando um enorme pedaço de torta.

— ei! Vamos ficar sem! — Jungkook fala tentando roubar.

— sai! — pede alto. — é meu!

— não é não, é nosso! — aponta.

Eunhye estranha o falatório vindo da cozinha, mais não protesta pois Hoseok não parava de falar de sua torta e elogiar, mas quando o grito de Chuu invade seus ouvidos a mesma para o que estava fazendo.

— Espera só um minutinho Hoseok, vou ali na cozinha. — coloca o resto das roupas na máquina de lavar.

— Não precisa. Não deve está acontecendo nada lá. — Jung diz ao se levantar e seguir a mais velha.

— É melhor eu conferir. — diz não deixando sequer Hoseok tentar atrasa-la novamente.

Ao ir a cozinha e seguindo aquelas vozes pelo cômodo, Eunhye se depara com eles sentados comendo a torta e Chuu quase chorando.

— o que está acontecendo aqui? — pergunta. — e por que estão aqui com minha torta?!

— sabia! — Hobi aponta. — sabia que você estava mentindo pra mim Chuu!

— e-eu?

— mentindo? — a mãe pergunta. — como assim? Devem uma explicação.

— desculpa mamãe... — Jimin levanta e se curva.

— Aigoo! Olha o que vocês fizeram... — olha para a sujeira. — todos, sobem pra lavar as mãos! Agora.

E assim foi caindo o entardecer, fazendo assim todos irem para suas respectivas casas, como também, a chegada do senhor Kwan, marido de Eunhye.

— Oi Pai! — Chuu pula do sofá, e vai até o pai.

— Oi princesinha, está bem?

— Sim, e o senhor? Teve um dia bom?

— Muito, consegui fazer oque tinha pendente, acho que amanhã vou estar livre, apesar de ter afazeres. E seus irmãos, onde estão?

— Acho que no quarto...

— Entendi, vou tomar uma banho, depois quer me contar como foi seu dia?

— Está bem!

O mais velho sobe as escadas afrouxando sua gravata, indo para o quarto dos meninos. Chegando lá escuta pela porta eles brincando, aparecentemente pelo seu entendimento era de dinossauro ou algo do tipo, ri com tanta imaginação que seus filhos tinham, logo decide bater na porta.

— Pai! — Fala Jimin ao abrir a porta e abraçar o mesmo.

— Oi pequeno — ele sorri e entra no quarto — Oi filho, está bem? — Senho Kwan diz para Yoon que o olha.

— Estou, só um pouco cansado — responde.

— Também estou — Jimin boseja e ri.

— Bom, já que estão cansados não é melhor tomarem um banho? para irem dormir.

— eu já tomei! — Jimin fala. — o Yoongi que não, sujo.

— olha a boca rapaz! — o patriarca avisa.

— desculpa, desculpa.

— vai lá filho, tomar um banho.

Os três descem, mais seguem caminhos diferentes, Yoongi vai ao encontro do banheiro, Kwan ao seu escritório que tinha em casa, deveria arrumar mais alguns papéis e por fim tomar um banho, e Jimin, que foi para cozinha ver se sua mãe queria conversar enquanto ele espera seu irmão sair para poderiam continuar a brincadeira.

Oque o impediu de dar mais um passo foi ver sua mãe de costas falando ao telefone, ela parecia não perceber a presença dele ali, então não parou para dar atenção para o menor, que com curiosidade, não avisou que estava lá, e começara ouvir oque sua mãe estava dizendo.

Ela conversava sobre imóveis e mobília, Park não entendeu no começo, até ela falar que conseguia assinar os papéis de mudança amanhã, o que te deixou mais confuso ainda, alguém iria se mudar para cá? Mais depois de um tempo sua concepção de que iriam realmente trocar de casa, mudar, já que com poucas palavras, sua mãe deixa claro que seriam eles que iriam. O pequeno não sabia se tinha entendido errado, sua cabecinha não sabia o porque sua mãe queria se mudar de um lugar tão legal e divertido, então resolveu questiona-la, fazendo ela levar um breve susto, não sabia que seu filho estava ouvindo sua conversa com o proprietário da nova moradia.

— por que vamos ter que ir embora? — pergunta com seus olhinhos cheio de lágrima.

— Meu bem, oque faz aqui? — ignora a pergunta do filho.

Ele insiste em saber oque era, ela tentar explicar ao pequeno da forma que compreenda, mais isso não aconteceu, ele ficou mais confuso ainda, fazendo ela sentir um aperto por não ter lhe contado antes. Tentado acalma-lo o leva-lo para a cama, para o mesmo dormi e não pensar mais nisso. Mas no dia seguinte, não tinha mudado muita coisa, o menor estava aínda mais triste. E por cima seus pais no café da manhã contam que aquele seria o último dia naquela casa. Chuu e Yoongi não estavam diferente, tentaram até fazer a cabeça dos pais, que por final não dei certo.

Jimin acaba que fica no seu quarto a manhã inteira, pensativo. Quando Yoongi entra no quarto senta na sua cama, para ver se o pequeno não queria fazer algo, ou até mesmo conversarem, o Park mais novo emburra mais a expressão pedindo para ele sair. Fazendo o ficar mais triste do que já está, pela mudança.

— Jimin, você está aí? Te procurei por toda parte pequeno — sua mãe fala o entrar no quarto, preocupada. — Porque está aí deitado? — indagou sentando na cama do mesmo. — Bom, já que não quer me responder terei que ir sozinha a casa da senhora Jeon. Yoongi e Chuu estão brincando lá embaixo, falaram que não querem ir. — Ela fala e o mesmo a olha brevemente animado — Sabia que iria querer.

A casa de Jeon era a mais próxima, eram quase vizinhos, fazendo assim, ser fácil de ir. Depois que Jimin se levantou os dois descem, para ir a casa da senhora Jeon, eles vão andando já que não havia um caminho longo para percorrer.

Chegando lá senhora Jeon recebe gentilmente Eunhye e seu filho, fazendo assim Jimin ir para o quarto de Jeon já que sua mãe iria conversar e o mesmo não queria atrapalha-la.

— Kook? Tá aí? — Jimin fala batendo na porta — É o Jimin...

— Pode entrar — Jungkook fala dentro do quarto.

Jimin entra no quarto de seu amigo, na real não sabia como dizer a ele sua verdadeira situação, de ter que abandona-lo junto de seus amigos, não sabendo quanso iria vê-lo de novo. Jimin não deixou-se abalar por isso, começou conversa com Jeon de uma maneira suave, não queria assusta-lo já que só iria mudar de casa, não de pais.

— Mais não consegue ficar aqui? — O mais novo pergunta quando Jimin termina de contar.

— Não... Mais veja pelo lado bom, minha mãe disse que talvez eu consiga vir nos finais de semana.

— Não vai se a mesma coisa hyung... — faz bico, olhando pra baixo.

— vamos fazer assim, me promete que amanhã você vai lá na casa nova pra me ver, junto com sua mãe. — Jimin fala, tentando anima-lo. Entretanto não sabia se a mãe do rapaz levaria ele lá mesmo.

— Está bem, eu prometo.

Jimin sabia, que as coisas mudariam dali pra frente, e isso o deixava muito chateado, pois não podia fazer absolutamente nada. Mas não demonstraria isso, pois Jungkook poderia ficar mais triste ainda vendo o amigo naquele estado.

🐇

Jimin acorda com Chuu o chacoalhando, a pedido de sua mãe para acorda-lo, para ele estava cedo, não era costume lhe acordar aquele horário. Até que Jimin lembrar que dia realmente era, o dia da sua mudança, ele não queria ficar triste, já que isso não adiantaria, ficar cabisbaixo não iria fazer seus pais mudarem de ideia.

Ele e seus irmão foram encarregados de guardar os brinquedos e coisas aleatórias pela casa pois sairiam em breve. Jimin descia com uma das caixas, dentro tinha algumas coisas suas, não estava cheia, era pouca coisa. Após descer as escadas ele sai pela porta da frente, assim vendo seu pai perto do carro, vai até o mesmo com sua caixa para entrega-lo.

— Quer colocar no carro ou no caminhão de mudanças?

— No carro — Fala levantando a caixa dando um leve impulso com seu joelho para seu pai a pega-la. — Pai o senhor viu o Jungkook?

— Não, você pediu que ele viesse?

— Sim... Na verdade pedi pra ele ir na casa nova, mas a mamãe dele com certeza não levaria.

— provavelmente... Bom, mas se ele quiser vir ver vocês indo embora, que ele venha depressa. Daqui a pouco partiremos.

— Está bem.

Jimin volta para pegar mais algumas coisas, esperando que na volta veja seu amigo, mais não foi o caso, literalmente eles já estavam quase indo, seu pai pediu várias vezes que Jimin entrasse no carro, mais o mais novo sempre sai quando seu pai ia pegar o resto das caixas. Não estava sendo fácil, Jimin ja estava perdendo as esperanças, mais já esperava, já que não sabia se ele iria ir realmente.

Mais seus pensamentos estavam errados já que consegue ver Jungkook correndo, claro, o motivo era por achar que seu amigo Jimin ja tinha ido. Logo parando a frente de Jimin o mesmo apoia as mãos nos joelhos na tentativa de recuperar o fôlego.

— Jimin hyung, me desculpe. — Fala meio ofegante — Não dá para corre rápido com essas minhas pernas. — ele ri — Você já deve estar indo né... — ele coça a nuca.

— É, realmente. — ri — Tenho poucos minutos.

— Ok — Diz conseguindo falar melhor, então logo tira uma coisa do bolso — Toma, espero que se lembre de mim e dos meninos. — ao Jimin ver oque era descobre que era uma pulseira com alguns adereços e as iniciais de seus amigos, incluindo JK.

— Obrigado Jeongguk‐ssi! — Jimin coloca o presente de Jeon, mais logo escuta seu nome ser chamado, era sua mãe, ao olhar vê que seu pai estava terminando a conversa com o rapaz do caminhão de mudança, então antes que seu pai visse que ele não estava no carro Jimin da um abraço forte no mais novo — Tchau Jeongguk-ssi.

O mesmo vai rápido até o veículo de seu pai e entra, Jeon olha para seu amigo, ele certamente sentiria muita saudade, Jimin era seu melhor amigo a bastante tempo, era alguém especial, não iria ser fácil se acostumar com aquilo, com a ideia de não ter Park Jimin por perto, isso machucada Jeon por dentro.



Notas Finais


Desculpa se teve algum erro e
Até o primeiro capítulo

🐇


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...