História Meu porto seguro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Louis Tomlinson, One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson
Tags Larry, One Direction
Visualizações 5
Palavras 2.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pessoal, meu novo trabalho e dessa vez não é a Demi a personagem principal kkkk 😂 e Sim dois dos ex garotos da 1D. ✌

Espero que vocês gostem.

Boa leitura ❤❤

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Meu porto seguro - Capítulo 1 - Prólogo

Louis Tomlinson

- Sejam Bem vindas ao Jonny´s , o que vão querer ? – Pergunto forçando um sorriso, enquanto olhava a mini caderneta em minha mão direita. Assim meu chefe exigia, atenda as pessoas com sorriso no rosto e não cai enquanto patina, morra, mais não , caia.

- Louis, não sabia que trabalhava aqui. – Melissa, a patricinha do meu colégio, olhava fixamente para mim com aqueles olhos negros que pareciam grandes botões da roupa de uma boneca. Como sempre, suas cachorrinhas a acompanhavam.

- É claro que sabia, Você vem aqui toda sexta. – Digo revirando os olhos.

- Tem razão, é ótimo te ver com esse uniforme... – Melissa morde o lábio inferior enquanto olha de cima a baixo. – Seus músculos ficam incríveis nesta camisa coladinha.

- O que vai querer ?! – Corto o assunto.

- Um suco de morango e elas vão querer o mesmo.

Anoto na folha amarelada o pedido, ou o quase nada delas.

- Seu pedido estará pronto em quinze minutos. – Digo dando de costas. Patino até o balcão de atendimento e me sento no banco de ferro que havia alí, arranco a folha e entrego a Noah, o Gerente que ficava no caixa. – Mesa seis.

Minha vida nunca foi fácil, tenho que conciliar meus estudos e o meu trabalho. Vivo com meu irmão mais velho Chorde, em São Pedro, Califórnia. Nossos pais morreram em um acidente de carro à três anos, desde então nossa vida tem sido um caos. Para um adolescente de dezesseis anos isso pode parecer a pior coisa do mundo, mas, não é.

1 dia depois...

Desço as escadas correndo, precisava mastigar algo antes de ir para a escola, vou até a cozinha, abro a geladeira e pego uma maçã.

Chorde aparece na cozinha, apenas de cueca, bocejando.

- Nossa cara, você deveria lavar esse rosto. – Digo pegando minha mochila que estava pendurada na cadeira e colocando nas costas.

- Vai se foder ! – Ele fala abrindo a geladeira e pegando um cerveja, abrindo-a e tomando um gole. – Ou melhor, vai pra escola.

- Em vez de você ficar deitado nesse sofá o dia todo, você deveria sair e procurar um emprego, só eu pago as contas, só eu compro as coisas e... – Sou interrompido por Chorde numa versão irritado.

- Vai Jogar na minha cara agora essa Porra ?!

- Não to jogando na sua cara, eu só estou alertando você – Altero um pouco minha voz. – Tenho dezesseis anos e quem está sendo o adulto desta casa sou eu, nem parece que você tem vinte e seis anos, enquanto eu me mato de trabalhar, está aqui sem fazer porra nenhuma, apenas sendo o merda de sempre !

Chorde me aperta contra a parede, com a mão no meu pescoço, me fazendo respirar com dificuldade.

- Se me chamar de merda de novo eu te mato... – Chorde fala com o rosto perto do meu. – Ou Já esqueceu que você já foi a minha vadia várias vezes, han ? Adorava ouvir você chorando e gritando de dor quando eu...

- Me solta ! – Grito o empurrando e correndo pela porta dos fundos. Destravo meu carro e entro no mesmo ofegante, fecho a porta e passo as mãos no meu rosto, elas estavam tremulas.

No fundo da minha cabeça eu ouvia os meus gritos do passado :

- Para, tá doendo !

- Cala boca !

- Chorde para, tira por favor !

- Você gosta, que eu sei !

Apenas via o sangue no lençol.

Funciono o carro e acelero saindo dalí, cantando pneu.

Ao som de In My Blood, via as paisagens californianas passarem rapidamente pelos meus olhos, desde de praias, até os coqueiros e pinturas nas paredes. O sol das sete da manhã batia em meu rosto me trazendo um sensação de leveza.

Finalmente chego na escola.

Estaciono o carro, desço e pego meu celular, vou até o até o Whatsapp e vejo que não havia nenhuma nova mensagem. Guardo de volta no bolso e vou até a entrada que estava cheia de gente. Sou recebido por Selena, minha namorada, seguro em sua cintura e dou um beijo caloroso nela.

- Oi baby ! – Digo com um pequeno sorriso. Tentava esconder como eu estava.

- Oi baby, porque está com essa cara ? – Selena passa o polegar em minha bochecha.

- Nada, só... ia batendo o carro.

- Mas está tudo bem ? – Ela me pergunta fazendo uma cara de assustada.

- Está, foi só um descuido – Coloco a mão em volta do seu ombro. – Vamos entrar ?

...

No intervalo, estava sentado na mesma mesa que o meu melhor amigo, Liam Payne. Tomávamos os dois uma latinha de coca – cola. O pátio exterior estava cheio, a zoada de várias pessoas falando ao mesmo tempo estava totalmente ensurdecedor, parecia que tinham colocado cafeína no suco deles.

- Aí, vai lá pra casa hoje a noite, o meu irmão vai chegar hoje, vem passar um tempo aqui, vai me ajudar a empacotar as coisas pra viagem. – Liam fala sugando o liquido de dentro da latinha. Olho para ele por baixo, colocando a latinha em cima da mesa, cruzo os meus braços. – Cara, não me olha assim, eu prometo que venho te visitar todo fim de semana, aliás, Nova Yok é aqui perto.

- Super perto ! – Ironiso. - Essa ideia de trabalhar em Nova York é sem necessidade. – Digo com tédio na voz. – Você é rico, porra.

- Lou, tenho dezoito anos, ainda estou na segundo ano, repeti duas vezes, preciso trabalhar, meus pais não vão me mandar dinheiro sempre. – Liam arqueia a sobrancelha.

- Cara eu estou zoando, quero o melhor pra você, eu vou sim te ajudar. – Dou uma leve risada.

...

A aula já acabou, tenho que ir trabalhar, preciso voltar pra minha repetitiva rotina. Apesar de não gostar de atender todas aquelas pessoas, enquanto tento me equilibrar sobre aqueles patins. As vezes as pessoas jogam as comidas em mim ou falam que eu errei o pedido, infelizmente, tenho que aceitar, é isso ou rua, aí Adeus minhas coisas.  

Chego no Jhonny´s já vestindo o meu avental, corro para a dispensa e pego meu boné vermelho e os meus patins, me sento em uma cadeira de madeira que havia no canto da parede e os calço. Levanto e patino, passando pelas portas vai e vem. Pego a caderneta e o Lápis.

- A mesa, vinte e quatro está esperando ser atendida. – Noah fala com um tom de autoridade na voz. – Anda logo cara !

- Por que a Flávia não atendeu ? – Pergunto.

- Ela saiu !

- E porque você não atendeu, custava sair um minutinho do caixa ? – Patino até a mesa que estava a espera. – Boa tarde, sejam bem vindos ao Jhonny´s, o que vão querer ?

- Finalmente ! – Um dos caras que estavam na mesa com mais algumas pessoas, que pareciam ser a família dele. – Vamos querer cinco sanduiches, e cinco refrigerantes.

Anoto tudo.

- Seu pedido vai estar pronto em quinze a vinte minutos. – Digo saindo e patinando até Noah, entrego o papel a ele. – A mesa vinte e quatro. – uso um tom irônico.

...

O pedido estava pronto. Recebi a bandeja, ao pegá-la bato sem querer na cabeça de Noah, o que deixou ele puta irritado. – Desculpa.

- Presta atenção pirralho ! – Ele fala ignorantemente.

- Fica na tua ! - Patino em direção a mesa.

- Fala direito comigo, sou o gerente, você me deve respeito, seu vadiasinha ! – Noah Grita, fazendo todos da lanchonete olharem.

De imediato, eu paro de patinar e afundo em uma lembrança espontânea.

- Você é a minha vadia ! Pirralho !

- Chorde você ta me machucando para !

- Você é tão apertado, parece uma buceta !

Escuta – se um tapa.

Engulo grosso, essas lembranças me matam aos poucos.

Chacoalho minha cabeça e resolvo continuar a patinada. Me desiquilibro e escorrendo, caindo no chão e derrubando tudo o que estava na bandeja. Todos se assustam com o baque, os olhares estavam desviados para mim, esparramado em cima de uma poça de refrigerante.

- Olha o que você fez seu idiota, só faz merda ! – Noah vem até mim gritando.

...

Demitido, o que eu menos esperava e o que eu mais temia, porra !

Tenho que ir para a casa do Liam, ajudar ele...

...

- Iae Liam ? – Falo entrando na casa dele, ou melhor, a mansão dele, me jogo no sofá que era em frente a porta de vidro enorme que dava passagem para o quintal, iluminado por um varal de luzes e pela luz azul da piscina. – Já empacotou algo ?

- Louis ! Algumas coisas, estava esperando você ou meu irmão chegar. – Liam se joga do meu lado. – Mas por que você tá com essa cara, Cuzão ?

- Fui Demitido.

- Porra, Man, eu não sabia, eu sinto muito.

- Relaxa, eu vou arrumar outro trampo. – Digo tirando a jaqueta. – Me fala o que é pra organizar.

- Vou pegar o restante das caixas, são poucas coisas, por enquanto vai guardando meu vídeo game e os jogos. – Ele fala subindo as escadas para ir buscar as outras caixas.

Vou fazer o que ele pediu, pego as coisas e coloco dentro das minis caixas que estavam no chão. Meu celular vibra, tiro do bolso e dou uma olhada, era a Selena ligando.  

- Oi amor ?

- Onde você está ? – Ela pergunta do outro lado da linha.

- Estou na casa do Liam, ajudando ele com a mudança. – Digo guardando as coisas nas caixa, com o celular apoiado no ombro e no ouvido. – Tchau... também te amo. – desligo o telefone . Escuto passos. – Liam me empresta esse jogo, ele é massa pra caralho e... – Ao me virar vejo que não era ele.

- Não sou o Liam, mas, pode ficar com esse jogo. – O cara de olhos verdes fala jogando a mochila no sofá. – Sou o Harry Styles, o meio irmão do Cabeçudo.

Dou uma risada ao ouvir ele falar aquilo.  

- Prazer, sou o Louis, mas todo mundo me chama de Lou ! – Falo estendendo minha mão para ele. Harry aperta. - Sou o melhor amigo do Liam !

- Fala sério, como você consegue aguentar as merdas desse cara ? – Harry pergunta se jogando no sofá ao lado da sua mochila.

- É a vida.

- Harry ! - Liam fala pulando da escada e correndo para um abraço com o irmão. – Porra, meu irmão é o cara mais cheiroso do mundo, o Robert vai ficar com ciúmes.

- Eu e o Robert não estamos mais juntos. – Harry fala bocejando.

- Ué ?! – Falo sem entender nada.

- Pelo visto, o meu irmãozinho não deve ter falado nada de mim. – Harry ri pelo nariz.

- Meu Irmão princesinha, não é afeminado, pode não parecer mas ele é gay ! – Liam bate na cabeça de cabelos lisos do irmão.

- Ata ! – Digo levantando as sobrancelhas. – Massa.

- Tá mas depois a gente conversa, vamos empacotar as coisas. – Liam fala correndo para as caixas.

...

Depois de algumas horas empacotamos algumas coisas, eram realmente poucas, estava preparado para ir pra casa, precisava fazer minhas atividades.

- Pessoal, eu preciso ir, tenho uns afazeres. – Digo limpando a boca, tínhamos acabado de comer, comida japonesa. – Amanhã eu estou aqui pra irmos para o aeroporto.

- Tá certo ! Até amanhã brother ! – Liam fala vindo até mim e me abraçando.

Saio dalí e vou em direção ao meu caro, entro no mesmo e tento funcionar, mas ele não liga.

Porra !

Por favor, você também não vai ferrar comigo !

Bato a cabeça no volante.

- O que aconteceu Lou ?! – Harry aparece com a latinha de cerveja na mão.

- Meu carro deu Guêba.

- Sem problemas, eu te levo em casa. – Ele pega a chaves do seu carro.

- Não preciso, eu dou um jeito – Tento funcionar de novo, mas a tentativa foi falha. – Droga !

- Relaxa, amanhã eu chamo o mecânico e ele vem aqui.

...

Aceitei a carona.

- Então, você morava na Pensilvânia ? – Pergunto olhando para ele.

- Sim, sou roteirista, resolvi passar um tempo por aqui, para esvaziar a mente. – Harry fala com os olhos fixos no caminho. – Sou um cara de vinte e oito anos que quer um tempo... – Naquele momento ele olha para mim. – Me fala sobre você, já falei muito sobre mim.

- Bom, tenho dezesseis anos – dou uma risada curta. – Moro com meu irmão mais velho que é um zé ninguém.

- Ele não trabalha ?

- Não, na verdade eu que sou o adulto de menor na minha casa. – Digo dando uma risada sem graça. – Cansei desta vida ! – baixo a cabeça e depois levanto a visão vendo que havíamos chegado. – É aqui. – Harry estaciona o carro, abro a porta , me viro para ele e estendo minha mão para ele – Obrigado pela carona. – Ele aperta minha mão, ao soltá-la, acidentalmente ele puxa meu anel que cai. Em um reflexo tento pegar, e colo a mão sem querer em cima do seu pênis, tiro rapidamente. – Desculpa ! – Digo envergonhado.

- Sem problemas ! – Vejo que as bochechas dele ficaram vermelhas. – Pega seu anel ! – Ele coloca a mão entre as pernas e pega o objeto. – Até amanhã.

- Até ! – Digo descendo do carro e fechando a porta. Vejo Styles ir embora. Ando vagarosamente até minha casa.

Espero que Chorde esteja dormindo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...