História Meu Primeiro Amor (BoruSara)(MitsuChou)(InoHima)(ShikaYodo) - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inojin Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Karui, Konohamaru, Metal Lee, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Shinki, Shino Aburame, Temari, Tsunade Senju, Yodo
Tags Amor, Borusara, Boruto, Boruto Uzumaki, Boruto X Sarada, Chouchou, Chouchou Akimichi, Colegial, Drama, Himawari, Himawari Uzumaki, Hinata, Hinata Hyuuga, Inohima, Inojin, Inojin Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraya, Konoha Highschool, Konohagakue, Log, Metal Lee, Mitsuchou, Mitsuki, Mitsuki X Chouchou, Naruto, Naruto Next Generations, Naruto Uzumaki, Novela, Orochimaru, Rock Lee, Romance, Sakura, Sakura Harumno, Sarada, Sarada Uchiha, Sasuke, Sasuke Uchiha, Shikadai, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Shikayodo, Shinki, Sumire-, Tsunade, Yodo
Visualizações 754
Palavras 2.883
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oláaaaaa!
Capitulo grandinho do jeito que vocês gostam ;)
rsrs Boa leitura
xD

Capítulo 39 - Mudanças


Mitsuki entrou no escritório.

Se sentou na cadeira de frente para a mesa do pai que escrevia algo.

Apenas apontou para a cadeira.

O garoto se acomodou e olhou em volta.

Estava tudo impecavelmente arrumado.

“O que queria conversar?”-Ele se arriscou a perguntar.

O pai fez um sinal de forma lenta, para que ele esperasse.

O garoto balançou os pés impacientemente.

“Eu tenho que ir na Chouchou hoje pai, não estou com muito tempo”-Disse.

Orochimaru o olhou sério.

Largou a caneta e os papéis os colocando de lado.

“Então vocês realmente estão juntos?”-Perguntou.

Mitsuki assentiu-“Vou conversar com os pais dela hoje”

O pai ficou pensativo.

“Você não acha que é cedo para isso?”-Perguntou.

Mitsuki franziu as sobrancelhas-“Não”-Respondeu de forma natural.

O outro cruzou as pernas e os braços o olhando.

Mitsuki por um momento pensou que aquela conversa seria sobre a garota.

“Tsunade te contou?”

O pai olhou curioso e estranhando a pergunta.-“Contou o que?”

“Sobre nós...”-Mitsuki se calou.

Percebeu que o pai não sabia de nada sobre a falsa gravidez.

Engoliu em seco.-“Sobre o namoro”-Se consertou.

Orochimaru suspirou-“Não... Mas eu desconfiava... Mas o que chamei você não tem nada haver”-Ele disse abrindo a gaveta.

“Seu boletim chegou”-Ele disse-“E por sinal você não me mostrou os outros então tive que procurar no seu quarto”

“O que?!”-Mitsuki elevou a voz indignado.

O pai apenas o olhou sério o fazendo se calar imediatamente.

Pegou da gaveta uma sequencia de envelopes e os abriu distribuindo as folhas pela mesa.

“Suas notas”-Disse olhando os papeis.-“Abaixaram”

Mitsuki sabia muito bem quais eram suas notas mas preferiu olhar mesmo assim.

Olhou confuso para o pai.

Aquilo não eram notas baixas.

“Eu não entendo”-Mitsuki resmungou.

“Eu é que não entendo.”-Orochimaru disse se encostando na cadeira.-Quantas notas abaixo de 10,0 você tirou desde que entrou na escola até o ensino médio?’

Mitsuki ficou pensativo.

Agora entendi onde ele queria chegar.

“Nenhuma”-Murmurou”

“Sim”-o pai concordou e apontou para cada folha conforma falava-“no inicio do ano você continuou da mesma forma... Depois suas notas decaíram para algumas 9,0 ou 9,5... No outro bimestre letivo houve um 8,0... E esse..”-Ele então pegou o mais atual-“Não tem nenhum 10,0”

“Mas todas estão acima de 8,0... A média é 7,0...”

“Pois isso mesmo!”-O pai elevou a voz o interrompendo-“Você está decaindo na escola e não está percebendo”

Mitsuki encostou na cadeira.

“A nota não quer dizer que aprendi mais ou menos...”

“Você entende que eu tenho uma reputação Mitsuki?”-O garoto o olhou suspirando.

Aquela história denovo...

“Quando nos mudamos para cá eu expliquei que você não poderia seguir o exemplo do seu irmão”

“Log não deixou de estudar pai”-Mitsuki disse.

Não acreditava que estava defendendo o irmão.

“Mas não o que deveria... No que tinha talento”

“As vezes não era o que ele queria...”

Mitsuki se calou.

Os dois irmãos sabiam que essa parte do assunto era inquestionável.

“Você pretende fazer o que?”-O pai perguntou para surpresa do garoto.

Mitsuki respirou fundo.

Dizer ou não dizer..

Eis a questão.

“Eu não sei...”-Murmurou mentindo.

“Não?”-Ele perguntou arqueando as sobrancelhas.

Se inclinou para a estante e puxou algo que o garoto reconheceu na hora.

Colocou encima da mesa.

Era um livro grande e grosso com capa dura.

Nela estava escrito: Medicina

“Então isso não é seu?”-Orochimaru perguntou.

O garoto olhou sem acreditar que aquela conversa iria chegar a esse ponto.

“Eu comprei”-Mitsuki disse receoso-“Por curiosidade”

“E o que achou?”-O pai perguntou cruzando os braços.

Mitsuki não respondeu.

“Você está mentindo pra mim... Você comprou por quis... Porque está interessado na matéria e pretende seguir”-Concluiu olhando para o filho que desviou o olhar.

Encara o pai quando estava nervoso era algo difícil.

“E se eu estiver?”-Mitsuki se arriscou sugerindo.

“Você sabe que ser muito mais do que isso... O médicos levam critério por aquilo que nós descobrimos”

Mitsuki se calou.

Seria uma conversa inútil e não chegaria a lugar nenhum.

“Seus dias de semana livre estão contados... Você vai voltar para o clube de música as tardes e a noite vai estagiar comigo no laboratório”

“O que?”-Mitsuki olhou desesperado.

“Finais de semana você pode sair com seus amigos, namorada e fazer o que quer... Mas suas notas vão ter que aumentar até o último bimestre desse ano agora”

O garoto bufou e cruzou os braços.

“Sem reclamações... E sem pirraça... você não é uma criança”-Ele disse sério.

“Posso ir na Chouchou pelo menos hoje?”-Mitsuki perguntou irritado.

“Pode... Amanhã você começa a sua nova rotina”-O pai disse sorrindo.

O garoto virou o rosto.

O pai se levantou e passou pela mesa.

Tocou no ombro do filho-“Eu faço isso para seu bem... Você é muito inteligente e não vou deixar você desperdiçar talento”

****

 

Himawari se olhou no espelho.

Faria 15 anos no ano que viria.

Seu corpo já demonstrava isso.

Fez algumas careta e observou todo o corpo que mudava.

Sua cabeça não era a mesma também... Pensava em outras coisas e muitas das vezes não controlava o que sentia.

Era tão difícil ser adolescente.

Mas finalmente entraria no colégio que Inojin estudava.

Estava adiantada a agradecia por aquilo.

Ficaria bem mais perto dele.

Sorriu na possibilidade.

Seu celular tocou.

Era uma mensagem.

Ela o pegou lendo.

O que está fazendo? Estou entediado.

Ela sorriu e começou a digitar.

Observando meu corpo pra ver se pareço mais velha.kkk

A resposta veio rápido.

Você não parece ter a idade que tem.

Ela arqueou as sobrancelhas e se olhou no espelho novamente.

Bufou.

Está blefando.

Não estou. Não me arriscaria sair com alguém parecido com criança... Posso ser preso, sériokk

Ela riu e se sentou na cama fechando o roupão.

Então chegou outra mensagem.

Pode mandar uma foto pra mim?

Ela ficou séria.

Sabia o que ele estava querendo dizer... Inojin não era fã de fotos.

Ela suspirou e sorriu.

Iria fingir-se de boba.

Ok.

Arrumou os cabelos e tirou uma foto de rosto o enviando e rindo.

Levou apenas uns minutos.

Você é linda... Você mandaria uma foto sensual? Aproveitando que está se olhando no espelho.

A garota nunca havia mandado coisas do tipo.

Se sentiu receosa.

Mas... Era para o namorado... Estaria tudo bem certo?

Ou não?

Suspirou e se levantou devagar.

Se aproximou do espelho e lentamente tirou o roupão.

Tampou o rosto com o celular para não mostrar a cara de tomate.

E tirou a foto enviando rapidamente para não se arrepender.

“Himawari!-Boruto chamou no corredor.

A garota rapidamente vestiu o roupão e correu para a porta a abrindo rapidamente.

“Oi”-Disse apressadamente assustando Boruto que estava com a mão maçaneta.

Ele riu-“Eu eim... O jantar ta pronto”-Disse.

****

 

“Seu cabelo estava tão bonito”-Ino resmungou lamentando na porta olhando o filho varrer o banheiro.

“Foi só um palmo mãe, meu cabelo ainda está comprido”-Inojin  murmurou entregando a pá.

“Mas poderia estar mais”-Ela insistiu olhando com tristeza os fios no chão.

“Mãe”-Inojin a olhou sério-“Não faça drama por causa disso... Daqui a pouco ele estaria gigante igual o seu.”

‘É um estilo ué”-Ela rebateu.

“Não para ele”-Sai murmurou passando pelo corredor.

Ino o encarou séria.

Inojin riu e olhou para o chuveiro.

“Eu vou tomar banho”-Disse segurando na pota.

“Ah, tenho que trazer as toalhas... Deixa destrancada.

“Mas eu vou tomar banho!”-Inojin disse.

“Eu vou bater, você se enrola na sua e pega as limpas... Eu tenho que fazer a janta, não da pra ficar te esperando”-Ela disse irritada e fechou a porta.

O garoto balançou a cabeça negativamente e começou a tirar a roupa.

Entrou no box e ligou o chuveiro pegando o celular.

O que Himawari estaria fazendo.

Conforme tomava banho conversava com a garota.

As vezes tinham pensamentos um tanto, impuros ...

E embaixo da água quente conversando sobre corpo... com ela, era impossível não pensar naquilo.

Se arriscou a pedir uma foto.

Ela enviou uma de perfil.

Ele sorriu.

Ela era realmente linda.

Mas queria mais.

Ela ficaria irritada?

Se arriscou.

Demorou um tempo.

Ele então deixou o celular próximo onde não molharia mais do que já estava, e se ensaboou.

O celular tocou avisando uma nova mensagem.

Ele o pegou rapidamente .

Ele mandou muito mais do que ele esperava.

Uma foto de corpo inteiro.

Nua.

Inojin sentiu seu corpo tremer.

Aquilo o deixou mais excitado.

Olhou para baixo.

Seu membro latejava.

O segurou calmamente e com o polegar, acariciou a parte superior.

Deixou o celular na bancada  em meios aos shampoos, e continuou apoiando a outra mão na parede.

Desligou o chuveito.

Não tinha experiência naquilo.

E provavelmente hoje seria a primeira vez  que pretendia ir até o fim.

Começou usando mais pressão na mão, e iniciou o movimento no início lento... Depois mais rápido.

Subindo e descendo a mão.

Sentia algo estranho e diferente.

Era como uma excitação mas... Mais forte que antes.

Sabia que iria rápido.

E queria isso.

Queria saber como era.

Continuou usando mais velocidade.

Semicerrou os dentes evitando um gemido.

Soltou um murmúrio rouco quando chegou ao ápice encostando o antebraço na parede e o rosto neste.

Suava.

Olhou ofegante para baixo.

No seu abdômen escorria algo quente.

“Inojin!”-Ino gritou no corredor.

O garoto abriu a porta do box e puxou uma toalha.

A porta se abriu.

“Aqui...”-Ela o olhou arqueando as sobrancelhas.

O garoto tampou rapidamente a barriga e a parte íntima com a toalha.

“Mãe!”

Ino corou deixando a pilha de toalhas limpas na pia.

“Você....”-Ela gaguejou apontando-“Estava...”

“Não!”-Ele disse nervoso.

Sentia seu rosto queimar.

“Pelo que vi, parecia”-Ela murmurou.

Ele fiocu sério e então entrou no box fechando a port

Ela não se controlou e começou a rir.

“Sai daqui !”-Ele disse ligando o chuveiro.

“Filho”-Ela se controlou para não rir agora o olhando-“É normal isso, você está na idade em que os hormô...”

“Ta mãe”-Ele disse sem a olhar-“Agora pode ir, e aprende a bater na porta”

Ino respirou fundo e saiu do banheiro fechando a porta.

****

 

A conversa foi muito mais tranquila do que Mitsuki imaginava que seria.

O pai da Chouchou era mais tranquilo do que parecia.

Portanto que ele não fizesse mal a Chouchou (Segundo suas próprias palavras)

A mãe era tão braba quanto ele mesmo já havia sentido bem antes.

Mas parecia bem mais calma agora.

Imaginou que Chouchou os tivesse preparado para a noite de hoje.

O garoto estava tranquilo por fora.

Por fora.

Encostou no sofá esperando uma resposta final.

Karui e Choji se entreolharam.

Murmuraram algo inaudível sobre o garoto.

Chouchou semicerrou os olhos, não conseguira ouvir também a decisão.

“Bem... Eu já conversei com você outro dia não é... Mitsuki”-Choji disse o fazendo se lembra de algo.

 

Eu sei que vão se ajeitar... Mas se você magoar ela denovo...”-Choji se levantou jogando sua lata vazia no lixo-“Eu castro você com as próprias mãos”

 

‘Eu lembro bem”-Mitsuki disse.

“Que bom”-Choji sorriu.

Chouchou olhou sem entender, como a mãe.

“Eu vou permitir esse relacionamento de vocês, mas... Você sabe que a Chouchou é minha princesinha...”

“Pai pelo amor de Deus”-Chouchou murmurou com a mão no rosto.

“Mas é...”-Choji disse e voltou a olhara para o garoto -“Então acho melhor você não a fazer chora denovo entendeu?”

Mitsuki assentiu.

“E... Ele olhou para a esposa.”

Ela desviou o olhar do marido.

Choji cutuco Karui com o cotovelo.

“Ai ta bom...”-Ela então olhou para Mitsuki-‘Desculpa pela minha reação outro dia... eu não devia ter te agredido sem motivo”

“Tudo bem”-Ele disse e olhou para Chouchou que já estava vermelha.

“Me ajuda a arrumar a mesa”-Ela perguntou a filha que assentiu.

Chouchou se levantou tocando no braço de Mitsuki e foi até a sala de estar ao lado.

Choji observou e voltou a olhar para o garoto-“Braba não?”-Ele disse se referindo a esposa.

Mitsuki concordou observando.

“Se eu fosse você pensaria bem, a filha é igual”

O garoto riu e olhou para Chouchou que prendia os longos cabelos.

Ela pegou uma pilha de pratos e começou a arrumá-los na mesa.

“Estou disposto a encarar isso”-Ele disse.

Choji sorriu e ficou pensativo-“Você faz alguma coisa a mais além de estudar?”

 “Eu só estudava , mas agora vou voltar ao clube de música e...”-Ele suspirou –“E vou trabalhar com meu pai a noite”

 “Não é muito compromisso para um garoto?’-Choji perguntou

Karui colocou a cabeça para fora da cozinha-“Eu gosto do tipo de criação que seu pai te deu”-Disse e então olhou para a filha-“Não quer incentivar essa menina a fazer algo produtivo em vez de teatro?”

“Eu entrei para o clube de dança também”-Chouchou resmungou.

Choji riu-“Como ela vai ser uma estrela com você a importunando Karui?”

A esposa semicerrou os olhos e voltou para a cozinha.

“Isso ai pai!”-Chouchou disse terminando de arrumar os talheres.

****

 

“Cara... Eles estão juntos”-Denki murmurou receoso.

O amigo estava um pouco nervoso e o garoto não se atreveria a irritá-lo mais ainda.

“Eu sei o que estou fazendo”-Iwabe disse pensativo.

“Mas... Eles estão namorando cara”

“Não importa, eu sei que ela gosta de mim”
-O garoto insistiu olhando para frente.

Denki torceu os lábios pensando.

Era óbvio que não era bem assim como o outro pensava.

Mas não iria contradize-lo.

Só esperava que o outro não fizesse uma besteira.

****

 

“Como estão as coisas entre você e Boruto?’-Sakura perguntou lavando a louça.

Sarada as secava e guardava com cuidado.

“Está tudo bem”-Disse calmamente.

A mãe a olhou pensativa.-“Vocês... São responsáveis eu imagino né...”

Sarada olhou para a mãe e depois para o pai na sala.

“Ele não está ouvindo...”-Sakura apontou para a tv que ele assistia.

A garota mordeu o lábio inferior e se virou guardando o que secava.-“Que tipo de pergunta é essa?”

“O tipo de pergunta que uma mãe responsável faz a filha”-Sakura respondeu.

Sarada se virou pensativa-“ Nós não fizemos nada mãe”

“Ah bom.”-Sakura assentiu-“Vocês são novos e tem todo o tempo do mundo para fazer isso depois”

A garota engoliu e seco abaixando o olhara para as mãos e o pano de prato.

“Eu e seu pai por exemplo casamos antes de fazer esse tipo de coisa”

“Mas vocês casaram bem jovens”-sarada rebateu.

A mãe ficou pensativa.

“É verdade...”-Murmurou-“Mas foca nos seus estudos primeiro está bem?”

Sarada sorriu-“Eu entendi o que quis dizer mãe, fica tranquila sobre isso”

****

 

“Passa o suco para mim por favor?”-Naruto pediu ao filho.

“Boruto sem o olhar, pegou a jarra e o entregou.

 Pai o olhou.

O garoto apenas voltou a comer.

Havia um silêncio incômodo

“Tem que encher esse saleiro”-Himawari disse balançando o objeto que não caía mais sal.

“Onde fica o sal?”-Naruto perguntou estendendo a mão.

“No segundo armário na parte de cima”-Himawari disse entregando o saleiro.

“Se ficasse mais tempo em casa saberia onde fica algo assim”-Boruto resmungou.

O pai o olhou sério.

“Eu encho”-Hinata disse

O marido tocou em seu ombro e se levantou dando um beijo em sua cabeça-”Pode terminar a janta, eu faço isso’

Boruto olhou a cena e suspirou.

“O que deu em você?”-Himawari perguntou num murmúrio.

“Ele é o problema”-Boruto disse apontando para o pai

Naruto sabia que estava falando dele.

Terminou o processo que fazia, e voltou a mesa entregando o saleiro a filha.

“Ou talvez o problema seja você”-Naruto rebateu.

“Naruto”-Hinata chamou sua atenção.

“Eu não fico 24h no serviço e venho pra casa apenas para dormir e comer.’-O garoto resmungou.

“Eu posso ficar em casa”-O pai disse o olhando-“Então você procura um trabalho que paga as contas, coloca comida na mesa e paga sua escola”

Hinata o olhou surpresa.

Ele nunca havia falado desse jeito.

Talvez realmente estivesse cansado das atitudes do filho.

Boruto o olhou sério.

Houve um silêncio.

“Se você conseguir um trabalho que faça isso tudo e te dê tempo livre todos os dias... Pode me julgar a vontade”-Ele disse sério e voltou a comer.

O garoto não disse nada.

“Idiota”-Himawari murmurou ao irmão.

“Seu pai passa maior parte do tempo trabalhando Boruto, não a toa fora de casa”-Hinata disse calmamente.

“Agora vai ficar contra mim também?”-Boruto disse largando os talheres no prato.

“Não tem ninguém contra você aqui”-Naruto  resmungou comendo.

“Mas é esse tipo de vida que você quer levar?”-Boruto se levantou da mesa olhando para o pai e bebia um gole do suco.

O olhou sério e colocou o copo na mesa.

“Que tipo de vida você se refere?”

“Só trabalhando! Não passa um tempo com a gente não ser na janta e algumas vezes no almoço!’

“Conheço pessoas que nem esse tempo tem.’

‘Você não é essas pessoas!”-Boruto gritou irritado.

O pai respirou fundo-“Quantas vezes vou ter que pedir para não gritar?”

“Quantas quiser, eu não vou deixar de fazer algo só porque não gosta...’

“Boruto!’-Hinata se levantou o encarando-“Chega! Vai para seu quarto.”

Todos olharam surpresos.

O garoto franziu as sobrancelhas.

Depois relaxou se sentou.

“Não”

Himawari rapidamente olhou para o pai.

Que já não estava na mesa.

Se levantou rapidamente e pegou o filho pela orelha a torcendo e o puxando para fora d mesa.

“Me solta! Eu não tenho idade mais pra isso!”-Boruto resmungou segurando o pulso do pai.

“Se tem idade para fazer pirraça tem idade para ficar de castigo”-O pai disse o puxando escada a cima.

Abriu a porta do quarto garoto e o empurrou para dentro.

Segurou sua camisa apalpando o bolso da calça, retirando o celular.

O garoto tentou pegar de volta mas a porta se fechou.

Naruto a trancou.-“Amanhã espero que esteja com a cabeça mais fresca”-Disse saindo pelo corredor.

 

 


Notas Finais


Até loguinho... hihi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...