História Meu Primeiro Amor (Yang Jeongin SK) - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Yang Jeong-in
Tags Stray Kids, Yang Jeongin
Visualizações 468
Palavras 806
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem meus amores!
Boa leitura 💜

Capítulo 16 - Vínculo


Fanfic / Fanfiction Meu Primeiro Amor (Yang Jeongin SK) - Capítulo 16 - Vínculo

Meu primeiro amor


Eu e minha mãe estávamos sentadas no sofá, um pouco nervosas e estávamos sem saber o que falar, apesar de ter muito o que conversar.


S/n - Bom, me desculpe. Desculpe por ter tratado vocês de modo rude, ter feito você passar vergonha. Mas... Eu estava com medo.


Mãe - Medo? Medo de que?


S/n - Bom, eu sempre quis ter um pai, e agora que aparece alguém que pode fazer esse papel, eu percebi o quanto é diferente então me assustei. Eu estou acostumada de ser só nós duas, que eu acabei ficando confusa e tornando tudo complicado. Desculpa mãe...


Mãe - Filha, eu entendo suas preocupações, mas ele é um homem bom e tem muito a nos dar, amor. Ele é alguém muito bom e acredito que você e ele vão se dar bem. Me desculpa também, afinal eu acabei apressando demais as coisas. 


S/n - Tudo bem. - Nos abraçamos e ela me dá um beijo na testa.


Mãe - Saiba que eu te amo e que sempre pode contar comigo.


S/n - Eu sei. - Dou um sorriso a ela.


Logo após toda aquela conversa, o telefone de minha mãe toca. Ela atende e então começa a conversar, e pelo o que parecia, era o namorado dela. Terminado, ela desliga a ligação.


Mãe - Ele nos convidou para jantar em um restaurante hoje, mas eu disse não pois achei que precisávamos de um tempo juntas.


S/n - Eu quero ir...


Mãe - O que?


S/n - Eu quero ir mãe, ligue pra ele e marque.


Mãe - Mesmo?


S/n - Anda logo!


Ela dá um sorriso enorme e então liga de volta confirmando que iríamos. Era por volta de 5h e então eu começo a me arrumar, tomo banho faço minhas higienes e vou até meu quarto escolher uma roupa. Abro meu guarda roupa e decido usar um vestido preto que vai até o joelho juntamente de um salto preto de altura mais baixa. Coloco brinco pérolas e faço um coque mais sofisticado. Minha mãe havia dito pra ir bem arrumada, já que ele era mais sofisticado e gostava de lugares caros. Termino de me arrumar, e então desço as escadas. Minha mãe estava pronta, ela estava com um vestido vermelho um pouco colado e um salto alto preto. Ela estava uma rainha.

 A campainha toca e então ele entra, nos vê e então diz:


Park Young - Estão lindas!


Mãe - Obrigada. - Dou um sorriso.   


Entramos em seu carro, que era grande e luxuoso e fomos em direção ao restaurante. Chegando lá, havia poucas pessoas e tinha uma praça bem iluminada. Sentamos na mesa, pedimos a comida, comemos e então conversávamos e ríamos. Ele me perguntava algumas coisas e eu também.


Park Young - Vamos até a praça?


S/n - Claro!


Mãe - Vão indo, eu vou ao banheiro.


S/n - Tudo bem.


Ela sai deixando-nos sozinhos. Estávamos andando bem devagar, e então ele diz:


Park Young - S/n... Eu quero dizer, que eu peço desculpa por ontem e que eu não queria causar problemas. Mas eu amo sua mãe, espero que você aceite.


S/n - Eu já aceitei, só estava assustada. Desculpe ter lhe tratado mal Park Jin Young. 


Park Young - S/n... - Eu o olho curiosa esperando ele falar. - Se um dia você puder me chamar de pai, eu vou gostar. E por favor não me trate formalmente. - Ele sorri. - Tenho um presente pra você. 


S/n - Sério? E o que seria? 


Park Young liga para alguém e essa pessoa trás uma caixa enorme embrulhada e que parecia um pouco pesada. Eles entregam a Park Young. 


Park Young - Aqui, espero que você goste. 


Eu abro a caixa embrulhada e havia um teclado. Como ele sabia que eu gostava de música? E mais, como ele sabia que eu gostava de teclado? Terminando de abrir, eu olho melhor e então não evito e começa a cair lágrimas de meus olhos. 


Park Young - Não gostou? - Eu corro e o abraço.


S/n - Muito, mas muito obrigada, pai.. - Ele se assusta com meu ato e muito mais quando eu falo a palavra "pai". Logo em seguida ele me abraça também e diz:


Park Young - Não foi nada S/n.


S/n - Filha.


Park Young - O que?


S/n - Pode me chamar de filha. - Ele sorri e então me abraça mais forte.  


Quebra de tempo


Depois daquele dia, Park Young, que eu já chamava de pai, veio todos os dias aqui, até ele se mudar pra cá. Nós havíamos criado um vínculo muito grande. Ele me tratava como sua filha e eu como o meu pai. Hoje, era o primeiro dia de férias. Iríamos ter duas semanas de férias. Eu acordo e desço correndo até a cozinha. Eles estavam comendo e rindo.


S/n - FINALMENTE FÉRIAS! 


Notas Finais


Estão gostando da Fic? Por favor sejam sempre sinceras, no que eu puder melhorar eu melhoro.
Espero que tenham gostado 💜 Obrigada por todo o carinho de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...