História Meu primeiro encontro - Capítulo 1


Escrita por: e shouto-

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Park Jimin (Jimin)
Tags @tsukkie, Fluffy, Minjoon, Nammim, Slash, Sorrybae
Visualizações 94
Palavras 2.586
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aaaaaaaaaaaaa eu to tão animado por finalmente estar postando a fic, depois de tanto sufoco acabou acontecendo sdjskdjskds
Gente, eu super amo esse projeto e amo muito minjoon, olha que união maravilhosa! Eu amei escrever essa one e eu espero que vocês gostem dela! Quero já deixar um agradecimento a minha beta maravilhosa e a capista, elas são incríveis, de verdade mesmo! <3333333333333333
Enfim, é isso

boa leitura

Capítulo 1 - Único.


Suspirei entediado enquanto encarava o quadro negro a minha frente com questões de matemática, já tinha terminado tudo e não tinha absolutamente nada para fazer, nem com a porcaria do fone de ouvido eu estava! Mas a culpa era toda minha mesmo, já que acabei o quebrando quando quis concertar... não se assuste, é apenas um dos meus charmes. Ok, parei.

Enfim, não tinha mais nada ‘pra fazer na sala de aula, eu estava em um dos primeiros períodos de aula, infelizmente era matemática e eu estava tendo que aguentar aquelas conversinhas chatas daquele povo. Eu não sei como aguento, é muito barra ser eu.

Jimin, meu melhor amigo estava do meu lado. Entretanto, ele nem olhava na minha cara, estava focado demais naquela tarefa. Apagava e refazia toda hora, sempre mordendo a ponta do lápis depois de apagar, olhando com dúvida para o caderno.  

― Jiminie, está com dúvidas? – Perguntei baixinho para o ruivo que me encarou e assentiu rapidamente. – Quer ajuda?

― Mas o professor não reclamaria? Ele já não vai com a minha cara, não quero se prejudique.

Eu apenas sorri e meneei com a cabeça negativamente. Conheço o Jimin desde que me conheço por gente, ele foi meu melhor de todas as horas, claro que nossas mães serem amigas e ele morar praticamente ao lado da minha casa ajudou... mas né, continuamos aqui firmes e fortes.

Jimin é o cara em quem eu confio ‘pra contar as piores das coisas, como quando pequenos, tínhamos por volta de cinco ou seis anos, sem querer acabei quebrando um dos brinquedos favoritos do meu primo Yoongi – vamos esconder a parte em que Yoongi tentou quebrar o resto do brinquedo na minha cabeça –, Jimin até tentou me ajudar na época e ele não contou nadinha, na verdade até quis assumir a culpa por mim, mas acabei me entregando.

Parando pra pensar no quanto Jimin me ajudou até agora e o quanto ele ainda ajuda, acho que posso considerar Jimin bem mais que um melhor amigo... romanticamente falando.

Mas também tem aquele negócio de: ‘Ah, você é o meu melhor amigo, não vamos estragar nossa amizade. ’ Isso sempre atrapalha e deixa a gente com aquele medinho insuportável, né, não?

Por essas e outras coisas que eu tenho medo de chegar no Jimin e simplesmente dizer: ‘Hey Jiminie, eu gosto de você, gosto do jeito que você sorri, do jeito que ri e principalmente como me protege mesmo sendo tão pequenininho! ’  

Mas quem sabe eu não conte a ele algum dia né?

Quer dizer, se aquele tal de Jungkook parar de insistir nele e ir atrás do Hoseok que é caidinho por ele desde a sexta série.

― Então, você vai me ajudar? – Ouvir a voz de Jimin me fez voltar pra realidade.

― Claro, claro. Vou sim. – Soltei um risinho envergonhado assentindo rapidamente.

Jimin sorriu e puxou a carteira para mais perto da minha.

Ah, como eu amo aquele sorriso!

(...)

Eu e Jimin estávamos sentados nos bancos de madeiras do refeitório. Estava me preocupando mais se aquele negócio não quebraria de tão velho, do que prestando atenção em minha comida, Jimin, no entanto, remexia sua comida parecendo tristinho.

Ok, me preocupo com o banco depois.

― Minnie. – Toquei seu ombro e ele me encarou. – Tá tudo bem?

― Tá, tá sim. Só to com a cabeça cheia. – Jimin sorriu.

― Não mente pra mim que eu conheço teu sorriso! – Inflei minhas bochechas num ato infantil e birrento. – Me diz!

O ruivo soltou um risinho baixo, empurrando seu prato para longe e enfim se virando para mim e me encarando.

― Eu to gostando de uma pessoa aí... mas acho que ela não percebeu e tá afim de outra... – O menor disse me encarando.

Só naquele olhar deu pra notar toda a tristeza que ele tinha. E logo eu estava triste também, doía ouvir Jimin falando que gostava de outra pessoa... era quase sufocante, sabe?

― Mas você já tentou falar com ela, Jimin? – Perguntei, tentando manter meu tom normal.

― Não, acho que ela iria querer manter distância de mim... – Jimin baixou o olhar, todo tristinho.

― Ah, para com isso, Jimin! Quem iria conseguir ficar longe da fofura de Park Jimin?! Sinceramente, só se a pessoa for muito burra pra ficar longe de ti, porque você é maravilhoso! – Eu disse sorrindo abertamente, fazendo Jimin levantar o olhar e me encarar.

― Sério, hyung?

Jimin sorriu bobo e me abraçou com força, eu só pude soltar um suspiro com isso.

Logo depois Jimin me soltou e pegou seu prato, começando a comer e falar sem parar de como a tal pessoa era fofa, um amor de pessoa. Eu só sabia rir e observar como ele era fofo, mesmo falando de uma pessoa por quem estava apaixonado e que infelizmente não era eu.

Bem, até Jungkook chegar já beijando e abraçando o meu melhor amigo. Minha expressão de felicidade foi para uma carranca. Eu já tinha deixado claro que não era muito chegado naquele pirralho, talvez só porque eu morria de ciúmes.

― Jimin-hyung, senti sua falta, você não foi na minha sala me ver. – Jungkook ficou com um bico enquanto abraçava Jimin.

A vontade de espremer foi grande, e nem no sentindo bom...

― Desculpe, Jungkookie. Eu fiquei ocupado conversando com o Namjoon-hyung. – Jimin disse e JungKook me encarou, eu só soube sorrir forçado.

― Hm... enfim, você vai sair comigo hoje? – Jungkook encarou Jimin, ainda agarrado nele.

― Não vai dar, eu já tenho planos com um certo alguém. – Jimin me encarou e deu um sorriso.

E bicho, eu fiquei boiando. Sem brincadeira. A gente nem tinha nada planejado hoje.

Jungkook pareceu irritado porque inflou as bochechas, eu não estava nem aí, só me importei quando Jimin o abraçou e beijou sua bochecha.

Respirei fundo e me levantei, resolvendo sair.

― Eu vou ir falar com o Yoongi.

Assim que falei isso, tratei de andar mais rápido só para sumir de vista de uma vez. Eu odiava ficar no mesmo ambiente que aqueles dois, não me leve a mal... só que... Ah, machuca ver a pessoa que você ama agarrada com outra.

Fui até a sala e me sentei no meu lugar. Disse que iria falar com o Yoongi só pra poder sair, já que o cabelo de chiclete estava ficando lá em casa porque os pais foram viajar a respeito de negócios da empresa ou algo assim.

Suspirei e deixei minha cabeça bater contra a mesa. Eu não sei porque me iludia.

(...)

Quando o sinal da última aula bateu para todo mundo sair, eu e Jimin saímos caminhando juntos. Grande parte da aula eu fiquei calado tentando imaginar quem era a pessoa que Jimin estava gostando. Tinha grandes chances de ser o Hoseok ou o próprio Yoongi, já que Jimin vira e mexe está conversando com um deles. Mas não sei...

― Hyung... – Jimin chamou e eu o encarei. – O que acha de a gente sair?

― Claro, onde vamos?

― Se você quiser ir comer alguma coisa e a gente ir ver um filme depois... – Jimin disse num tonzinho baixo. – Mas eu queria que você entendesse uma coisa... Não é uma saída de amigos, ok?

― Como assim, Minnie?

― Eu queria... b-bem... e-eu... – O rosto de Jimin começou a ficar vermelho e ele sem jeito.

Eu não tava entendendo mais nada.

Ele olhou para o chão todo envergonhadinho.

Céus eu queria apertar ele e aquelas bochechas gordinhas! Mas primeiro queria entender o que tava acontecendo.

― Jimin, você está me deixando preocupado.

― A-ah, hyung! É difícil. – Ele resmungou. – E-eu gosto muito de você, hyung... como um namorado gosta de outro... eu queria ter um encontro com você.

Jimin fechou os olhos com força, e eu continuei o encarando.

Sabe quando sua mente para de funcionar? Sabe quando ela fica branca e você fica encarando a pessoa como se sua mente tivesse na tela da morte igual aos computadores? Eu estou assim no momento.

Não sabia o que responder, como responder, eu só sabia sorrir feito um grande idiota que era.

― Isso é sério, Jimin?

― Não me odeie... – O ruivo pediu baixinho, parecendo triste.

Ele finalmente abriu os olhos e eu pude ver eles brilhando por causa das lágrimas, aquilo apertou meu coração. Fui até ele e o abracei, beijando sua bochecha.

― Eu aceito ter meu primeiro encontro com você, Minnie. – Murmurei, sentindo as mãozinhas dele apertarem minha camiseta. – Você é muito fofo, eu vou morder.

Jimin soltou uma risadinha e eu acabei rindo junto. Céus, ía ser o casal mais estranho de toda a Seul. Mas como dizem, se formos felizes, o resto nem ao menos importa.

(...)

Eu fiquei mais de meia hora na frente do espelho do meu quarto, com Yoongi tirando sarro da minha cara por estar tão desesperado. Ele falava isso porque na primeira oportunidade já saiu agarrando o TaeHyung – que era o seu atual namorado – e eles nem saíram pra encontro nenhum, só se comeram mesmo.

― Yoongi, se você rir de novo eu vou enfiar esse travesseiro na sua goela! – Ameacei, olhando para o garoto estirado na cama pelo espelho.

Yoongi em compensação apenas gargalhou.

― Mas caralho, cê fica passando a mão no cabelo a cada quinze segundos! Isso aí ‘tá pior que o cabelo do Zé Bonitinho!

Bufei e encarei meu reflexo no espelho. Nem feio eu tava, eu tava até ajeitadinho com uma camiseta branca e um casaco xadrez preto e vermelho de mangas arregaçadas, uma calça preta colada e os meus converse high vermelhos. Eu tava bem clichê filme americano adolescente. Só o cabelo que não combinava...

― Me ajuda ao invés de ficar rindo desgraçado! – Yoongi se levantou da cama, ainda com um sorriso besta na cara.

― Parece que nunca se arrumou na vida. O que o Jimin viu em você mesmo, seu pirralho? – Apenas revirei os olhos.

― Calado.

No fim Yoongi só bagunçou meus cabelos, deixando eles numa bagunça cor de rosa.

― Parece até um algodão doce. Deu fome... vou ir comer. – Ele encarou meu cabelo e em seguida saiu normalmente.

Nunca entenderia Yoongi, e eu nem queria na verdade. Sei que ele me ajudaria caso precisasse, assim como vise versa, e eu estou bem satisfeito com isso.

(...)

Acabei indo uns dez minutos mais cedo, por puro nervosismo. Fiquei sentado na praça de alimentação encarando meus dedos e batendo os pés no chão.

Eu nunca tinha ido num encontro em toda minha vida, pensar que o primeiro encontro é com meu melhor amigo me deixa de estômago embrulhado, na verdade, é com aquelas borboletas no estômago. Isso nunca fez tanto sentido como agora, céus!

Se acalma, Namjoon! Respira fundo e se acalma! Não é como se o Jimin fosse sair correndo agora, ele te conhece a tanto tempo... né?

Baguncei meus cabelos e suspirei. Eu ia ficar louco só de pensar nisso!

Enquanto eu estava afundando em pensamentos, nem notei que um serumaninho apareceu e colocou as mãos nos meus olhos, tampando minha visão e em seguida sussurrando no meu ouvido.

― Adivinha quem é!

― Chimchim! – Mais resmunguei do que respondi.

Jimin só soube rir e ficou na minha frente, beijou minha bochecha e se sentou na minha frente. Eu rapidamente corei e abaixei o olhar envergonhado. Senti a mãozinha de Jimin entrelaçando na minha, encima da mesa.

― Eu to tão feliz, Nam-hyung! Quero muito me divertir com você hoje! – O ruivo sorriu de maneira doce enquanto seu polegar acariciava minha mão.

― Eu também Jiminie, essa tarde vai ser a melhor!

― Então, você quer o que pra comer?

― O de sempre ué, não é porque estamos saindo que eu vou querer parecer saudável na sua frente. – Brinquei ouvindo Jimin rir.

― Olha ele, vai comer igual um louco hoje de novo.

Nós dois rimos da nossa própria idiotice. O nosso de sempre era um x-burguer e batatas fritas, o menos recomendável. Ainda fazíamos questão de ficar com aquelas brincadeiras nojentas de criança. Acho que um dos motivos de eu e Jimin sermos tão próximos assim são essas coisas idiotas que fazíamos juntos.

Fizemos nosso pedido e logo começamos a comer, conversando sobre coisas banais.

― Ei, Nam. – Jimin chamou e eu desviei o olho da minha comida para encará-lo.

Mas me arrependi, Jimin abriu a boca cheia de comida mastigada e eu o olhei assustado.

― Credo, que nojo garoto! – Falei começando a rir.

Jimin fez uma careta e em seguida fechou a boca, começando a rir também. Nós éramos retardados, certeza.

― Você faz pior que eu sei! – Jimin disse, mordendo novamente seu sanduíche (pode chamar aquele monstro de sanduíche?)

― Capaz... – Sorri arteiro, mastigando a minha e abrindo a boca num gesto infantil.

Jimin desatou a rir apertando seu copo de refrigerante, quase quebrando o coitado.

Realmente, nós éramos retardados.

(...)

Jimin tinha escolhido um filme de ação e comédia pra gente, nós dois estávamos vidrados no filme. Eu com a cabeça no ombro dele e a cabeça dele sobre a minha.

Parecíamos um lindo casalzinho, real e oficial.

O ruivo estava com a mão entrelaçada na minha, enquanto prestava bastante atenção no filme. Era bem engraçado, mas eu admito que ouvir a risadinha gostosa do Jimin era bem melhor. Eu só conseguia suspirar apaixonado ao ver ele todo feliz e gargalhando.

Pra que outros motivos pra viver, se não ouvir a gargalhada gostosa de Park Jimin? – Futuramente Kim Jimin.

Quando o filme acabou nós saímos conversando sobre. Eu até prestei atenção porque sabia que quando Jimin se empolgava com uma coisa, ele falava sem parar dela. Nem nego que amo ver ele tão animado, é fofo.

― Você não achou aquele Bob idiota? Meu deus do céu, ele fez cada coisa. – Jimin riu, enquanto abraçava meu braço.

― Sim, sim, eu concordo. Só não entendi porque a mocinha fica com ele, muito ilógico, ela deveria ficar com o John. – Resmunguei e Jimin riu.

― Você tem toda razão, muita besteira. Mas eu gostei das manobras loucas e tal...

E foi assim a conversa até eu chegar em casa com Jimin ainda agarrado em mim. Quando paramos na frente da porta, o loiro me encarou e sorriu todo fofo.

― Eu acho esse seu sorriso muito lindo, principalmente com covinhas. – Jimin disse e eu acabei sorrindo abertamente. – Olha que fofo.

Ele apertou minhas bochechas e em seguida me deu um selinho. Eu só consegui corar enquanto ficava sem graça. Jimin passou a mão na minha bochecha e ergueu meu rosto para que eu o encarasse, quando ele fez isso, ficou nas pontinhas dos pés para enfim conseguir me beijar.

Eu não reclamei, só retribuir.

Um dos melhores beijos, sem brincadeira. Park Jimin poderia ser baixinho, mas ele tem pegada. Ok, não foi um bom momento.

Quando nos separamos, Jimin sorriu e eu o abracei com força.

― Eu te amo, Minnie. – Murmurei em seu ouvido.

― Eu também te amo, NamNam, muito.

Jimin se separou de mim e deu um beijinho na minha bochecha.

― Nós nos vemos amanhã no colégio? – Ele perguntou e eu assenti.

Ele saiu andando, eu apenas fui o seguindo com o olhar. Até que ele parou na metade do caminho, quase atravessando a rua.

― Nós vamos ter mais encontros como esse, né?!

Eu só soube rir e afirmar, porque se fosse ‘pra mim ter mais encontros assim eu só queria que fosse com Park Jimin, o baixinho que eu amo mais que o ursinho Ryan.

 


Notas Finais


aaaa
gostaram? eu espero que sim <3
Comentem e favoritem caso tiverem gostado, e gente mais importante, deem muito amor a esse projeto maravilhoso <3
amo muito vocês
bjss #FLW


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...