1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Primo -Jeon Jungkook >
  3. Primos

História Meu Primo -Jeon Jungkook - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


UM POV SÓ DO JEON? SIM, UM POV SÓ DO JEON

Surtem comigo!

Boa leitura!

Capítulo 32 - Primos


O Min me ajuda a sair da cama e com isso ele me guia até o banheiro e me ajuda com o que eu preciso. Não demorei muito e logo depois de acabar o banho eu volto para o quarto com a ajuda de Min, que me ajuda a vestir uma roupa e me coloca encostado na cama logo se jogando na poltrona ao lado da porta do banheiro.

-Quando poderá colocar o pé no chão? –Min pergunta e eu o encaro, tirando os olhos da televisão.

-Amanhã eu já posso começar a colocar o pé no chão. Se der eu já começo a andar com o gesso amanhã e não irei precisar mais daquela cadeira de rodas. –Eu explico e ele assente com a cabeça em positividade.

-Sobre te matar eu não estava falando sério. –Ele diz e eu acabo rindo de sua fala.

-Tudo bem. –Eu digo aliviado e ele sorri.

-Eu acho. –Ele completa e ri em seguida, eu o acompanho.

-Filho da puta. –Eu falo cessando o riso e ele joga a almofada em mim.

-E aí... Como anda ficar com a minha irmã vinte e quatro horas? –Ele pergunta e eu o encaro confuso. Ele quer falar dela comigo?

-Ah... É bom. Ela cuida bem de mim, está disposta a me ajudar a qualquer horário. –Eu digo e ele assente. –Min... Eu gostaria de entrar em um assunto com você, mas tenho medo de apanhar nesse estado. –Eu falo e ele sorri.

-Eu não vou te bater, relaxa. –Ele diz e eu assinto me sentindo menos tenso.

-Eu estou me sentindo diferente em relação a S/n. - Eu começo e Min me encara, se levantando. –Acho que eu vou parar de falar. –Eu digo colocando as minhas mãos na orelha, envergonhado.

-Eu não vou fazer nada, feio. –Ele diz rindo e se senta na ponta da cama. –Continua. –Ele fala e eu assinto um pouco tenso, com medo dele querer me bater.

Eu não nego briga, mas nesse estado nem pensar, se eu entrar em uma, eu não melhoro tão cedo.

-S/n está sendo completamente diferente em meus olhos... Antes ela era da família. –Eu digo e Min me encara confuso.

-E agora ela não faz parte da família? –Ele pergunta e eu nego com a cabeça.

-Eu não queria que fosse... –Eu digo e Min arregala levemente os olhos.

-Você quer dizer que...

-Eu gosto da S/n. - Eu completo e Min se levanta da cama e eu levo um pequeno susto ao achar que ele iria me bater.

Eu estava na defensiva, eu iria apanhar com certeza. Não é medo, porra. É prevenção.

-Eu entendo, mas não vou me meter. –Min diz e eu assinto. –Esse assunto é de vocês dois e eu não quero me meter nisso. Se resolvam entre si, mas quero que saibam que eu estou com vocês. Você sofreu bastante depois do término com a sonsinha, já a S/n se machucou mais ainda por entrar nesse meio te ajudando. –Ele diz e eu fico cabisbaixo, eu não queria que ela entrasse nessa briga com Jisoo.

-Eu não queria meter ela nisso. –Eu falo meio para baixo e ele assente.

-Não, isso eu sei, não se preocupa. –Ele diz e eu abaixo a cabeça assentindo varias vezes. –Só quero que saiba que ela se preocupa com você, então não a machuque com isso. Deixe claro suas intenções com ela, ela é preciosa demais para se machucar. –Min dia e eu assinto.

Jamais eu iria querer machucar S/n, igual Min disse, ela é preciosa demais para se machucar.

Eu respiro fundo e encaro meu primo que estava encarando a tela do celular, logo ele sobe o olhar para mim.

-Eu queria entrar em um assunto, mas acho que eu não preciso saber. –Min diz e eu rio, imaginando no que ele queria falar.

-Pode falar, somos quase irmãos, nada de segredos. –Eu falo e ele assente, mas parecia relutante em falar.

-Se eu não tivesse entrado no banheiro, vocês teriam... –Ele para na hora desviando o olhar.

-Não, isso eu não posso te responder, porque nem eu sei. Mas eu não faria nada que ela não queira, pode ter certeza disso. –Eu falo e Min assente ainda envergonhado por tocar no assunto. –S/n me disse que te contou sobre o ocorrido, pode acreditar, não aconteceu nada. –Eu digo e ele me encara um pouco ruborizado. –Você está muito vermelho. Uau, Min Yoongi está com vergonha, tragam as câmeras. –Eu falo tirando sarro e ele ri, dando um soco em minha coxa direita, a sem gesso.

-Babaca. –Ele fala mostrando o dedo do meio em minha direção. Sorrio para ele.

-Eu também te amo. –Eu falo e ele ri.

-Gay. –Ele diz e eu coloco a mão no peito me sentindo ofensivo por isso, apenas brincando.

-S/n não acha isso. –Eu falo o nome dela e instantaneamente ele me encara.

-Você é um baita filho da puta cara. –Ele diz sorrindo e ri em seguida e eu o acompanho. –Fala mais uma vez pra ver se eu não enfio minha mão nessa tua cara e te arrebento. E eu não ligo pro seu estado. –Ele diz e eu rio de sua cara, esse é meu primo.

-Isso, mostra o verdadeiro Min Yoongi. –Eu falo e ele ri ainda mais.

-Filho da puta, babaca. –Ele diz e eu rio.

-Velhos tempos. –Eu acabo por soltar e ele me encara.

-Eu prefiro como está. Antigamente eu e você éramos piores, tenho que concordar, mas não quero mesmo voltar naquela época, não é algo que eu gostaria de reviver. –Min diz e eu assinto.

Eu não era o único que tinha um passado ruim, Min me acompanhou nisso. Mas isso é algo que nós dois não gostamos de tocar.

-Obrigada pela ajuda. –Eu falo e meu primo assente se levantando e limpando as calças.

-Vamos descer? –Min pergunta e eu assinto. Assim ele se espreguiça e vem em minha direção me ajudando a levantar.

Ele me apóia em seus braços e me ajuda a sentar na cadeira de rodas, assim seguimos para fora do quarto. Chegamos à frente da escada e ele me desce primeiro, logo depois subindo novamente e pegando a cadeira, me colocando sentado nela novamente.

-Demoraram. –Meu pai diz assim que nós aparecemos na sala. Min se senta no sofá e me coloca ao lado dele.

-Min estava me contando da vida amorosa dele em decadência, eu estava rindo e ajudando ele a “superar” - Eu digo e Min me encara, mostrando o dedo do meio disfarçadamente e eu sorrio. Babaca.

-Oh, já desceram. –S/n fala e Min assente se levantando.

-O que estão fazendo? –Min pergunta e S/n encara seu irmão.

-Estou ajudando a titia a estender algumas roupas. –Ela diz e Min assente.

-Vou fazer um lanche. –Min diz caminhando até a cozinha, ficando apenas eu e papai na sala.

-Filho, S/n é um anjo não é? –Ele diz e eu assinto apenas com a cabeça. –Se ela não fosse da família, eu a adoraria como sua namorada. –Ele diz e eu engulo em seco.

Meu pai é bem preconceituoso com alguns assuntos, e um deles é esse. Ele abomina relacionamentos entre familiares e eu não faço a menor idéia de como entrar nesse assunto com ele, sem parecer grosso e sem ele se exaltar com esse assunto.

Droga.


Notas Finais


UM CAPÍTULO SÓ DOS GATOS EEEH

O que acharam? Ainda acham que Min gosta da irmã? Jeon vai se confessar? E o pai de Jeon, o que ele vai achar? Me dizem!

Espero vocês nos comentários meus lindos.
@wosa
https://www.spiritfanfiction.com/perfil/dulipi
Clica em um dos dois aí em cima para entrarem no meu perfil e darem uma olhada.

Saiu att em My Life, deem uma olhadinha e deixem o feedback de vocês nos comentários!

Biejoz e até amanhã!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...