História Meu Príncipe Desencantado - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bulma, Personagens Originais, Trunks, Vegeta, Yamcha
Tags Romance, Saga Androides, Três Anos
Visualizações 92
Palavras 1.893
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Científica, Literatura Feminina, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sempre fiquei imaginado como Vegeta e Bulma começaram o seu relacionamento nos misteriosos três anos e como tudo aconteceu. E como foi difícil para ambos aceitar o que estavam sentindo um pelo outro haja vista, que um relacionamento não estava nos planos de nenhum dos dois naquele momento. Baseado nisso será minha versão.

Capítulo 1 - Incógnita


Fanfic / Fanfiction Meu Príncipe Desencantado - Capítulo 1 - Incógnita

Se ela pudesse se definir em uma única palavra com certeza seria louca apesar de que de médico e louco todo mundo tem um pouco. Mas, deve ser o mau dos cientistas, afinal os grandes nomes da ciência sempre foram considerados como loucos. Ela como cientista a mente mais brilhante da atualidade não seria diferente.

Seus amigos a definiam como uma mulher sem papas na língua, um pouco explosiva e com coração mole para diversos assuntos. Alem de ter uma opinião formada sobre muitas coisas e odiar ser contrariada de algo que tem razão.

Aprendeu desde pequena que guardar sua visão das coisas e pessoas é sufocante, por isso a melhor opção é expor o que pensa ou poderá morrer com suas próprias idéias e opiniões.

Um amigo lhe disse sobre ter um “coração mole” com certeza se referia ao fato de ter convidado o sayajin destruidor de planetas, ou melhor um extraterrestre psicopata, que se dizia príncipe de uma raça alienígena extinta para morar em sua casa.

Na realidade o convite não tinha nada a ver com coração mole na realidade o alienígena em questão de prenome Vegeta, despertava seu lado cientista, por isso decidiu que ele seria seu “projeto” particular.

Por isso decidiu aluda-lo em seu treinamento a fim de estudar sobre sua raça. Mas lá no fundo o que ela queria mesmo era provar para todos que ele era alguém alem de um vilão.

...

Mais uma semana se iniciava. Segunda-feira dia que para muitos era um temido, o dia da preguiça , do mau humor. Só para uma pessoa Bulma Briefs a segunda-feira era vista como inicio de uma semana de descobertas fascinante .

Talvez por ser viciada em trabalho principalmente agora que falta exatamente três anos mais precisamente 36 meses para chegada dos andróides fora seu projeto para paralelo denominado sayajin.

Algo que seu ex, atual namorado não compreendia muito bem, pra dizer a verdade nem ela mesma sabia se estava namorando se estava solteira, seu estado civil no momento , mas tinha esperança que Yamcha compreendesse que o que ela fazia era pelo bem da ciência. Mas ultimamente andava tão solitária sentia falta da companhia dele.

...

Respirou fundo, desligou o despertador, espreguiçou um pouquinho levantando-se da cama, seguindo até o closet separou uma roupa, o sapato os assessórios que usaria.

Seguiu até o banheiro despindo-se debaixo do chuveiro, onde aproveitou para lavar os cabelos. Não demorando muito para sair enrolada em uma toalha. Caminhando até a cama pegou uma calcinha vestindo-a ainda de toalha, se virou para o lado e vestiu o sutiã, enrolou a toalha no cabelo e colocou uma saia lápis preta uma camisa branca e um terno branco, fez uma maquiagem leve com um pouco de rimel,lápis de olho base, blanche e finalizou com um batom vermelho. Deixando seus cabelos soltos e por fim calçou seu sparpin preto de verniz, conferiu sua bolsa Prada.

E pensou estou para arrasar afinal de contas tinha que esta elegante não era todo dia que participava de uma reunião com o comandante do exercito da cidade para discutir uma possível parceria com Corporação Cápsula para produção das cápsulas de armazenamento alem de apresentar suas novas invenções no quesito armamento.

Desceu as escadas para tomar café, onde seus pais estavam reunidos.

 

- Adoro reunião em família, a qual não sou convidada. Sorriu Bulma sendo irônica.

Sua mãe como sempre riu, e seu pai apenas abaixou o jornal e sorriu também.

 

- Não vai perguntar pelo jovem Vegeta querida? Indagou sua mãe.

 

- Mamãe eu tenho coisas muito mais importante do que me preocupar e eu acho que ele é bem grandinho para precisar de uma babá.

 

- Calma querida não quis te aborrecer. - Disse sua mãe um tanto confusa.

 

 Eu não estou irritada, mas se a senhora continuar com isso ai eu vou ficar.

Deu tchau a seus pais e saiu da mesa, dando um leve aceno ao chegar à porta. Praguejando ainda os comentários de sua mãe. Enquanto caminhava em direção ao anexo corporativo onde se reuniria com o comandante do exercito da cidade.

Enquanto caminhava  respondia alguns e-mails pelo celular entre eles do seu amado Yamcha.

 

“Oi bonitão! Estou olhando a minha agenda e talvez eu tenha um tempinho livre para te ver. Se alegre querido, não vou recusar seu convite”.

 Sem perceber acabou trombando na parede de músculos e quase caindo do chão.

 

- Olha por onde anda terráquea. - Disse Vegeta ao se bater com Bulma no meio do caminho.

 

- Você me assustou. - Disse ela colocando a mão no peito.

 

 Ele simplesmente deu de ombros seguindo seu caminho, chamando-a de patética.

 

Ela parou no caminho olhando para trás e disse:

 

-  Eu não vou cair nas suas provocações Vegeta, você não vai conseguir estragar o meu dia. Dizendo isso seguiu seu caminho terminado de responder a mensagem de seu namorado.

Podemos nos encontrar a noite? Estou pensando em um jantar, o que você acha? Passe aqui em casa por volta das 20h vou ficar te esperando.

 Com amor Bulma

 

 Ela sorriu imaginando uma noite divertida, pensando nos possíveis lugares que ele poderia levá-la. Bufou ao lembrar-se da chatice que a esperava.

...

Finalmente chegou ao anexo onde foi recebida por um de seus assistentes enquanto caminhava pelos corredores da empresa. Desfilando elegância e sensualidade causando admiração e cobiça nos homens e inveja nas mulheres.

Segui para a sala de reunião onde analisaria os últimos relatórios do projeto para a reunião que aconteceria dentro de meia hora.

...

 

Na residência um sayajins furioso esbravejava pelos quatro cantos da casa a procura da terráquea.

- Se você esta procurando a Bulminha ela foi para uma reunião e provavelmente não voltará tão cedo. - Disse a Srª Briefs sorrindo como sempre. E continuou - Aproveitando que você está aqui jovem Vegeta por que não fica para tomar um chá e comer alguns doces enquanto espera ela chegar.

 

Ele rosnou como uma fera em resposta a fala dela. E saiu marchando pela casa soltando fogo pelas ventas.

- Os jovens de hoje em dia são tão estressadinhos. - Comentou a Srª Briefs.

 

- Querida o que foi que aconteceu eu ouvi um rosnado tão alto? Algum animal saiu do nosso zoológico. Perguntou o Sr. Briefs.

 

- Não querido era só o Vegeta bonitão que estava um pouco nervoso procurando nossa Bulminha. Eu  o convidei para tomar um chá, mas ele não quis. - Disse ela fazendo bico.

 

- O que ele queria com nossa filha?

 

- Não sei querido, será que ele  ia chamar ela para ir ao cinema?

 

 

- Oh querida! Acho pouco provável. E nossa Bulma tem namorado esqueceu?

 

- È verdade como sou esquecida. Mas o Vegeta é tão viril daria um ótimo pai para nossos netinhos o que você querido? Vou sugerir isso a nossa filha.

 

- Que a Bulma não te escute. Disse o Sr Briefs sorrindo encerrando o assunto.

...

 Bulma estava concentrada em seus relatórios, até ouvir um barulho de pessoas correndo e vidros sendo quebrado, parecia que um tumulto estava se formando. Tentou dispersar um pensamento que lhe veio à cabeça sobre algo, ou melhor, alguém.

Não querendo acreditar que a sua suspeita fosse verdadeira, não seria possível ele não se atreveria ou será que sim. E ao ouvir um grito estrondoso que parecia uma tempestade se formando seu pesadelo parecia está se concretizando.

 Kami sama pode ser cruel essa era a única explicação lógica naquele momento. Ele me odeia só pode ser. O que eu fiz para merecer esse sayajin xucro na minha vida. Pensava ela enquanto massageava as têmporas já se preparando para o furação que estava se aproximando.

A quem queria enganar ela mesma se colocou nessa situação. Pego a corda colocou no pescoço e subiu no banquinho esperando somente ele chutar ela morrer enforcada.

- Eu deveria esta louca ou usando algum remédio controlado no dia em que eu convidei aquele príncipe sem planeta para minha casa. Como eu me arrependo. Se não fosse pela ameaça dos andróides eu manda aquele sayajin para o quinto dos infernos. Se bem que eu acho que Enma Dai Oh me mataria por mandá-lo para lá com certeza o Vegeta causaria algum problema por lá. Pensava ela já se preparando para uma interminável discussão.

Com um chute na porta ele anunciou sua entrada. – Você sabia que eu estava aqui por que deixou a porta trancada? - Resmungou ele revirando os olhos e adentrando na sala de reunião.

 

- O que você quer Vegeta não vê que estou trabalhando? Não sou desocupada e acredite manter o palácio que é a minha casa, na qual  você vive custa dinheiro. E para manter todo o conforto que você usufrui eu preciso trabalhar. Então por favor, me deixe trabalhar. - Disse ela já se levantando da cadeira onde estava sentada.

 

-  Quem você pensa que é para falar comigo desse jeito sua mulherzinha vulgar e insolente. Eu vou deixar essas peças metálicas que você chama de robô e em uma hora eu vou voltar e para sua segurança e dos vermes malditos que estão aqui acho bom você ter consertado caso contrario... Disse ele de forma tão aterrorizante que até o bicho papão faria xixi nas calças de medo do olhar assassino dele.

 

- Quem você pensa que é para falar comigo assim você! - Silabou ela e continuou. Eu sou a mulher mais inteligente, bonita e rica do planeta terra. Eu não tenho tempo para suas grosserias e saiba que eu não tenho medo de você. Agora saia da minha sala. - Ordenou apontando a saída.

 

Os funcionários que ouviam a discussão já imaginavam o pior e começara a rezar para que Kame Sama interviesse e os salvasse de uma possível morte precoce.

 

-  E se eu não sair o que você vai fazer ?- Falou ele já se aproximando dela de forma ameaçadora.

 

Bulma por sua vez esticou o braço com a mão aberta, levantou o pé e com  a mão livre tirou o sapato e o encarou sorrindo perigosamente mordendo o lábio inferior .

 

- Eu não sei o quanto esse salto mede, mas adoraria saber se ele vai atravessar sua garganta se você não sair da sala em cinco segundos. - Apontando o sapato para ele. Observando que os olhos dele pareciam ter um brilho diferente.

 

 

Ele surpreendentemente se dirigiu em direção à saída. - Mas antes respondeu quinze centímetros, sorrindo de canto. Percebendo que ela não entendeu disse:

 

- O seu salto tem quinze centímetros e tenho certeza que não atravessaria minha garganta caso você realmente fosse me acertar.

 

 

- Talvez eu devesse mesmo voltar e acabar meu trabalho.- Ela brincou rindo.

 

- Também acho terráquea – Disse ele antes de sair da sala marchando para fora, muito de diferente do furação que era ao chegar na empresa. Deixando todos surpresos e boquiaberto com aquilo.

 

Quando ele saiu, ela pensou consigo mesma:

 

- Realmente Vegeta você é uma incógnita. E definitivamente te entender não é uma questão apenas de inteligência.

...

Naquele manhã Bulma se reuniu com o comandante e fechou negocio. Mas antes pediu que os robôs fossem consertados e encaminhados para a sala de gravidade.

 

Deixando um bilhetinho sugestivo para Vegeta: Da próxima vez  vê se não faz escândalo príncipe alienígena vulgar e escandaloso.

Deixando um Vegeta furioso rosnando feito um leão raivoso enjaulado .

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Como esse foi o primeiro capitulo provavelmente eu não conseguir expressar tudo o que queira aqui, porem meus caros leitores se vocês puderem deixem seus comentários eu ficaria feliz em saber suas primeiras impressões em relação a história.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...