1. Spirit Fanfics >
  2. Meu princípe voltou. >
  3. Pequena Audiência

História Meu princípe voltou. - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Meu Deus, espero que gostem. Ta saindo no improviso

Capítulo 6 - Pequena Audiência



Vitani estava na pastagem de algumas zebras. A presença imponente dos carnivoros amedrontava alguns filhotes de zebra que andavam pela primeira vez, era instintivo o medo pra correr do perigo. O dia estava incrivelmente quente e a missão da líder não era tão problemático, se não fosse pelas jovens leoas que queriam caçar os filhotes recém nascidos a todo custo.
- Vocês não são hienas, respeitem a vida. - Disse ela andando de um lado para o outro.
Aquele era o primeiro dia de treinamento militar das leoas. A vantagem delas sob os machos era justamente a ausência da juba, a força de vontade e, principalmente, preguiça zero. Adymu, Anaina e Aziza estavam alinhadas entre as outras leoas inspirando-se na ex exílada e suas novas tecnicas. O treinamento nas terras do reino consistia em silêncio furtivo, ataques em pequenas árvores finas até abrir um buraco com as garras, trabalho em equipe e caçada. O que mais Vitani poderia fazer?
- Jejum! - Aquele grito soou como a morte - Por três dias! Começando por hoje...
- O que? Como vamos atacar o inimigo em jejum? Não teremos força... - Todos diziam isso.
"Bando de mimadas" esse era o pensamento de incrédula que ela tinha sobre as jovens guerreiras do reino. No exílio o sol era quente todos os dias por causa da ausência de árvores, fazendo um sítio de calor quase insuportável. Quando criança, ela e Kovu brigaram com o Nuca por conta de um mísero inseto. A água que a seperava dos privilegiados era disputado o tempo todo, sem falar que era censurada por muito pouco. As grutas pequenas mal tinha espaço para seis leoas o que forçava algumas ficarem do lado de fora.
Foi em uma dessas noites sem abrigo que a mãe dela morreu, e acabou sendo a infortunada filha de Zira, seguidora de Scar e de todos os seus "mandamentos".
Um único rugido e uma patada no fucinho de uma das alunas as fizeram ficar quietas e temerosas. Era óbvio que a paciência daquela leoa era muito pequena, principalmente quando se tratava de alunas tão desobedientes e ridicularmente sem noção.
- Em uma guerra não existe tempo pra comer, dormir ou se aliviar! As batalhas são intensas e o mínimo de resistência e diciplina são a diferença entre vencer ou perder. Agora, parem de choramingar na minha frente e façam pares! Hora de treinamento físico.
- Um arranhão pode virar uma febre e podemos morrer - Disse Adymu pondo-se a frente sem medo.
- No exílio não tinhamos o Rafick. Mesmo assim treinamos.
- Você é louca...
- Seguir o treinamento de Scar e Zira tem suas vantagens e uma delas é ser louca o suficiente pra treinar, combater e defender a qualquer custo.
- Senhora! - Disse Aziza - seja minha dupla.
- Lindo pedido de morte, aceito.
- Sinistro - Adymu correu em direção a Anaina que estava mais pasma do que nunca.
As zebras se dissiparam de um lado para o outro com medo daquele possível massacre. Aziza se pôs a frente de Vitani com um olhar cativante e muito amável, estranhamente amável. Aquela visão provocava a líder da guarda que estava mais impaciente do que nunca "Pare de sorrir" era a unica coisa que pensava. O treinamento começou.
Impaciente Vitani atacou sua adversária pulando por cima dela com as garras de fora e um olhar assassino, mas ainda sorrindo Aziza se abaixou e se esquivou para frente pra evitar as unhas da mestra, virando-se para o bote de costas em direção ao pescoço de Vitani. Mas aquela insana previu o movimento de sua aluna e correu para frente com sabgue nos olhos. "Por que ela ainda ta sorrindo?!" Aquele pequeno sorriso a estava irritando além da conta. Aziza avançou e bateu no rosto de Vitani com as garras a mostra, desfigurando um pouco a mandibula dela. A batalha corpo a corpo havia começado. Vitani mordeu a jugular de Aziza, estranhamente tomando cuidado pra só coloca-la no chão. Nesse momento a aluna parou de sorrir e deferiu um golpe pesado em Vitani que ela não esperava. Deitou no chão e com as patas trazeiras jogou Vitani para longe, fazendo ela bater com força numa árvore.
- Tão fácil provocar, não é Vitani?
- Desequilibrar o oponente... Esperta - Uma lembrança vaga estava surgindo na mente... - Kopa.
- O que disse, senhora? - O sorriso de Aziza sumiu.
- Nada, onde aprendeu esse truque?
- Kabir, o tigre. Ele disse que havia aprendido com um amigo enquanto se recuperava.
- Você foi visitar um estranho? - Se aproximando de Aziza com olhar estranho.
- Fui interrrogar a mando de sua majestade, Kovu.
- Fez bem. Continuem o treino.
- Aonde vai, senhora?
Com os olhos fixos na pedra do rei, Vitani respondeu.
- Interrogar o forasteiro.
********************************************************* Gruta da guarda do leão******************************************** ****************************
Kabir andava de um lado para o outro pensando no que fazer. Estava há anos longe de casa e ansiava sentir o cheiro de cominho vindo da aldeia dos humanos, como lembrava na sua infância. Quando apenas um filhote, conheceu Sherikan como chefe de uma matilha de lobos. O que por si só muito estranho... Sua mãe dizia quase que o tempo todo "todo tigre é solitário por natureza. É apenas você por você e mais ninguém pode interferir, nem mesmo eu". Kopa provara o contrário dentro daquele abrigo dos sem pelo.
A gruta da guarda estava arejada apesar do clima quente, quase escaldante do lado de fora. A pequena água servia pra refrescar as memórias que o pobre leão tinha da Índia, as pequenas folhagens misturado com as estrelicias estavam fazendo ele sentir-se em casa. Por sua própria conta decidiu explorar as pinturas da gruta, quando Vitani apareceu?
- Mais um interrogatório? Eu sei que isso faz parte do teste pra me fazer ficar nas terras do reino, mas sinceramente só estou de passagem.
- O que tenho pra perguntar é sobre Aziza. - Disse ela se aproximando respeitosamente - você ensinou a ela algo que há muito tempo um amigo havia me ensinado.
- Ah, foi um amigo que conheci no abrigo. Pensei que todos do reino já soubessem, pelo visto ainda é segredo a existência dele.
- Como assim "a existência dele?"
- O nome do meu amigo é Kopa, pelo visto é o primogênito do antigo rei. Simba não é?
- Ele está vivo?!
- Claro que está vivo - disse ele olhando pra ela intensamente - como você pode ser amiga dele? Tive tempo pra ler essas imagens e, pelo que entendi, no tempo em que Kopa era criança e tido como morto você já estava no exílio.
- É uma longa história, que não importa mais! - Ela estava realmente muito feliz com a notícia e ousou um sorriso - meu Kopa está vivo!
Vitani contou a Kabir como ela e Kopa se conheceram, ao que parece Kiara não foi a única a se aventurar no exílio. Quando criança ele ia visitar ela periodicamente na divisa. Conversavam sobre quase tudo, inclusive as ideias de Scar, Mufasa e os outros reis desde Ahadi. Por causa disso, Simba havia matado o próprio filhote porque não tolerava desobediência. Mas na verdade tinha sido Zira, quando soube que a enteada estava brincando com um dos filhos do rei, aquela morte foi a vingança dela, o início dela.
- Vocês pareciam muito mais que amigos!
- O primeiro amor a gente nunca esquece...
- Vitani, ele está indo em direção a Índia nesse exato minuto. Quanto mais tempo se passa, mais longe ele pode estar de nós.
- Quem mais sabe sobre isso?
- Rafick, Scar e Kiara.
- Por que não convocaram uma audiência para uma missão de resgate?
- Eu não sei, pergunte à Rafick e a Kiara.
- É exatamente o que vou fazer - Disse ela pondo a pata no ombro de Kabir - Muito obrigada, que Mufasa te ilumine.
- Shiiva seja contigo.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...