História Meu Professor. - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Agust D, Bangtan Boys, Bts, K-pop, Min Yoongi, Suga
Visualizações 59
Palavras 3.754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 23 - Capítulo 23


Fanfic / Fanfiction Meu Professor. - Capítulo 23 - Capítulo 23

Estava esperando o Richard e o Toni chegar pra poder ir para hotel.

Vejo eles de longe e caminho na direção deles.

- Por que demoraram tanto seus idiotas?

- Chefe desculpa, mas do nada começou uns tiroteios.

- Tiroteios ? Tá foda se. Conseguiram alugar o galpão ?

- Sim, mas ele é pequeno chefe.

Coloco a mão na testa não querendo acreditar.

- Vocês dois são muito burros. Pra quanto tempo alugaram?

- 5 meses

- Pra uma coisa vocês pelo o menos servem. E o park? E aquela filha da puta da Sun he?

- O Park? Não o achamos até agora, nada de sinal dele, assim que a gente foi atrás da Sun foi quando achamos a S/N. Elas estavam fazendo compras, ouvi a S/N dizer que ia em uma boate.

- Não sabe qual boate?

- Não, foi nessa hora que o tiroteio começou e parou, a gente continuou atrás dela mas na mesma hora que a senhora falou pra gente sair de perto dela voltou o tiroteio. Parecia que alguém sabia que a gente estava seguindo ela.

- Que porra viu.

- A gente não entendeu o por que a senhora mandou a gente sair.

- Estavam apontando uma arma pra ela.

- E dai?

- E dai Toni ?

- Luce, relaxa, ele não sabe, ele chegou ontem.

- Relaxa o caralho tira ele da minha frente agora se não eu mato ele. -falo gritando e já querendo socar a cara do filha da puta. - mas uma coisa, não cite o nome da S/N. Se não eu te mato.

- Quem é a S/N só pra mim entender.

- A morena com o cabelo cumprido.

- A sim, a gostosona.

O Richard põe a mão no rosto.

- Seu filha da puta. - Dou um chute forte no membro dele

- Você mereceu. - o Richard da risada.

- O que eu falei de errado? -ele fala gemendo de dor.

- A S/N e a Luce namoram.

Ele faz um O com a boca e me olha surpreso.

- Mas por que ela não esta com você?

- Richard. Tira ele da minha frente. AGORA OU EU MATO ESSE DESGRAÇADO.

- Eu vou ficar calado eu prometo. - O Richard não parava de dar risada.

- Vamos logo pro carro Luce. Você não pode ficar muito tempo exposta.

Yoongi*

Aluguei um carro no mesmo lugar que os seguranças da Luce. E já aproveitei e os segui. Estava dentro do carro e vi a Luce brigar com um deles e dar um chute bem no saco do mesmo.

- Puta que pariu essa doeu em mim. - coloco a mão no meu membro como se tivesse sentido a dor realmente. - Vamos la Luce entra na merda do carro e vai pra algum lugar.

Vejo eles andar e ir para o carro. A Luce continua a discutir com ele.

- O que será que esse cara tá falando pra Luce ficar desse jeito?

Eles dão partida no carro e eu vou atrás. Eles demoram mais de 15 min pra estacionar o carro. Eu passo reto e dou a volta no quarteirão pra não ficar muito na cara. Assim que dou a volta no quarteirão estaciono o carro na outra rua e vou até o carro deles

- O que será que eles vão fazer nesse galpao? - falo olhando eles entrarem.

- PARA DE FALAR DA S/N SEU DESGRAÇADO. ELA É MINHA.

- Como assim ela sua? Ela é minha! Por que todos falam que a S/N é "deles" mais que caralho. Odeio ouvir isso. Será que isso que chamam de ciúmes? -Fico pensativo. - Estou com tanta saudade dela que eu não vejo a hora de beijar aquela boca gostosa.

Vejo o Richard sair do local e mostrar pra ela por fora.

- Vai dar pra fazer as divisões como você pediu. Ela não vai ter problema algum de ficar aqui.

- Tem que ficar do jeito que ela gosta, até eu conseguir uma casa ou voltar pra Coreia.

- Quem vai ficar aqui meu Deus? Esse lugar é podre. - resmungo.

- Luce eu acho melhor você procurar logo uma casa.

- Eu sei Rich, eu sei. Mas como vou fazer pra alugar sem ter o visto pra tanto tempo?

- Aluga pros três meses e depois vemos o que faremos com ela.

- Ela quem meu jovem? - falo ansioso.

- Será que ela vai gostar da surpresa? -a Luce fala animada.

- Claro que vai. Ela gosta de você. Todos gostam de você chefe. - ele fala sério.

- Eu sei - ela se gaba.

- Ai que bosta de conversa, por que não falam algo interessante? -reclamo baixo.

- Mas por que tem tanto lixo aqui do lado?

- O dono disse que são as coisas dele e que não é pra mexer já que a gente tirou de dentro pra fazer os cómodos.

- Certo, eu vou falar com aquele idiota do park pra saber onde eles estão. - pego o celular assim que ia discar o número dele.

- Mas o que vamos fazer com a Sun he?

- Agora sim algo que me interessa. - volto a olhar pra eles.

- Eu vou matar ela não tem muito o que fazer.

- Ela é sua filha Luce. Pense direito.

- Qual é Rich, na hora de fuder a garota você não se importava o que ela era.

-Mas você quer matar... Tudo bem. Assim que eu a encontrar eu trago pra você.

- Perfeito. - ela fala satisfeita.

- A cada hora que passa essa mulher me da mais nojo. - olho incrédulo pra Luce.

Eles passam pra dentro do galpao e ficam conversando. Chego perto da janela que tinha com vista pra dentro mas ela era muito alta, a único jeito que eu tive foi subir encima das caixas sem fazer barulho.

- Já posso ser um ninja. - falo orgulhoso de mim mesmo assim que subo nelas.

- A S/N vai em uma balada como tinha te falado mais cedo. Ainda não descobri qual, mas vamos procurar em cada uma delas até encontrar com ela.

- Me fale como ela esta. - a Luce se senta na cadeira com as pernas cruzadas e quase consigo ver a bunda dela aparecer de tão curto o vestido dela era. 

- Ela é uma filha da puta que merece morrer. Mas é muito gostosa. - penso em voz alta.

Vejo o cara que apanhou da Luce ficar boquiaberto e começar a olhar pra cima. Abaixo rápido a cabeça.

- Opa que quase sou visto. - falo baixo.

- Bom Luce eu posso ser direto?

- Seja. Sem faltar a educação com ela.

- Minha cabeça esta dando um nó, eu não consigo entender porra nenhuma do que a Luce fala quando se refere a S/N.

- Ela esta mais magra do que da última vez que nos a vimos. O cabelo dela esta maior também. E ...

- E... ?- a Luce o encara

- E...? - e eu falo junto com ela.

- A Luce, não tem como, ela é muito gostosa. E ela esta mais agora.

- Você ficou olhando pra bunda dela? - ela fala nervosa.

- E tem jeito de não olhar? - eu e mais os dois seguranças falamos juntos.

- Eu não quero saber. - ela atende o telefone. - Quem é?

- Vamos la pra fora pra ela ficar sozinha.

- Eu não tenho mais a Sun he. A filha da puta fugiu.

Ela se levanta e começa a andar de um lado para o outro sem parar.

- Eu sei mas o que posso fazer? Ela não queria mais. Não tinha como eu obrigar ela a mais nada.

- Vai dar uma de boa mãe a essa altura Luce. - fico nervoso.

- Vou matar ela.

Escuto o BPI tocar baixo e o atendo.

- 109 falando. 179, eu ainda estou aguardado sua resposta. - a Sun me pergunta.

- 179 falando. Ela esta dentro de um galpao e disse que vai construir cómodos dentro do mesmo até conseguir uma casa.

- 345 falando. Quanto tempo esta seguindo ela?- um homem com voz bem grossa fala.

💭Puta que pariu o Scott esta na central com a Sun. A Porra ta ficando muito seria. 💭

- 345 faz mais de duas hora que estou os seguindo.

- 109 falando. Quanto tempo que as vitimas estão sendo vigiadas pela 201?

- Assim que a 201 chegou no hotel, por volta das 16hrs. 109 quantos tem na escuta?

- Mais de 15.

- Vou te mandar o comando e dizer onde eles estão. Cambio, desligo.

- 179?

- 179? Sua função foi atualizada, você vai ficar de vigia da vitima principal.

- S/N. -falo sem apertar o botão pra que eles não me escute. - 109 ela ja esta sendo vigiada.

- Ela esta bêbada. Você precisa ir agora encostrar com ela.

- Onde a 201 esta? - pergunto sobre a mina.

- Junto das duas vitimas.

💭Que buceta viu, a mina não presta nem pra cuidar da S/N.💭

Vejo a Luce sair do galpao e entrar no carro. Desço das caixas enormes que estava encima e espero eles saírem pra poder ir atrás.

- 109? Alguma coisa aconteceu. Estou indo atrás.  Cambio, desligo.

Assim que entro no carro dou partida e vou de encontro com o carro da Luce.

- Pra onde eles estão indo? - me pergunto.

Jay*

Precisava arrumar briga com alguém pra poder ficar longe da S/N. Aproveito que ela estava ja bêbada e faço ela dançar no meio da pista pra que todos vejam.

💭Eu me odeio por isso, me perdoa S/N. 💭

E la estava ela, dançando muito sexy olhando pra mim. Até que um imbecil pega na cintura dela e ela começa a dançar com ele. Dou um murro na cara do rapaz.

- Ela esta comigo.

- Então você acabou de perder ela. - ele me da um murro bem forte no peito.

- Filha da Puta eu te mato. - passo a rasteira no cara assim que ele cai no chão e dou murro atrás de murro nele.

- Jay para com isso.

- Mina tira ela daqui agora.

- Eu não vou sair daqui. Me solta - a S/N derruba a mina no chão com tudo.

- S/N ! - olho pra mina que chama a S/N e a mesma fica boquiaberta.

- Desculpa Mina eu não quis te machucar.

O cara tenta se levantar mas acabo pegando no pescoço dele o fazendo desmaiar.

- Mina vaza com a S/N daqui. Ela daqui um pouco vai ficar sabendo da briga e vai correr pra cá.

- O que aconteceu ? Por que a Mina esta no chão? E por que você esta encima de uma cara desmaiado.

- Sua mãe esta vindo. Vaza vocês três daqui agora.

Mas era tarde demais vejo a Luce entrar e logo atrás os seguranças dela.

- Vão se esconder ela chegou.

-S/N, vamos, a Luce esta aqui.

Me levanto do cara fingindo que nada aconteceu. Não vi segurança da boate e nem ninguém vir falar merda pra mim. Estico a mão pra mina fazendo ela se levantar assim que pega em minha mão.

- Vamos pra saída dos fundos. - pego a S/N no colo.

- Ué aquele cara parece muito com o meu bolinho.

- Seu bolinho? - olho pra trás e vejo o Yoongi entrar indo atrás da Luce. - Não é ele S/N, você deve estar vendo coisas demais.

- Não Batman aquele parece meu bolinho. - ela fala mole.

- Desculpa baixinha. Mas não é hora de você ir atrás dele. - aperto o pescoço dela e a faço desmaiar também.

Ela se desmancha em meu peito e saio do local com ela. Ainda la dentro a Mina e a Kim estavam tentando sair, mas era muitas pessoas. Escuto a Kim gritar falando pra mim correr com a S/N pq a Luce nos viu sair.

- Que porra.

Vejo só a mina fazendo o sinal pra gente vazar e as duas saem correndo pra outra direção. E se escondem enquanto, eu levo a S/N para um lugar bem longe correndo.

- Park filho da puta, tira a mão da minha S/N.- Escuto a Luce gritar assim que os seguranças dela empurra mais de 7 pessoas pra fora da boate.

O Richard corre até a gente minha pernas não aguentavam mais carregar a S/N. Até que ela se mexe e quando abre o olho começa a atirar no Richard. Mas pelo jeito não acertou.

- Que droga Jay, por que me desmaio.

- Você disse que estava vendo um bolinho.

- Não estava vendo um bolinho era o bolinho, o Yoongi. Ainda estou bêbada.

S/N *

- Consegue correr?

- Acho que sim. Me desce. -ele para rápido e me põe no chão e começamos a correr

- Por que tentou atirar no Richard?

-Pra ele parar de correr atrás da gente.  Mas não vai dar certo oppa. Ele corre muito mais que a gente.

- S/N não para de correr ele não pode atirar por que você esta aqui então apenas corre.

- Ta bom. - respiro fundo e começo a correr.

Mas minhas pernas ficam bambas e eu acabo caindo.

- Que porra.- olho pro Jay que para de correr e vem me ajudar. - Não Jay corre. Corre. - ele continua vindo em minha direção. - o que você pensa que esta fazendo Jay? Eu disse pra você correr.

- Se der mais um passo eu te mato. - o Richard fala ofegante mas o Jay não para de andar.

Me levanto rápido e começo a andar em direção ao Jay.

- Vamos Jay. - começo a mancar por ter batido o joelho com força no chão.

- Você esta machucada S/N para. - a Luce grita pra mim quase chorando.

A ignoro e continuo em direção ao Jay.

- O que esta fazendo S/N? Para. - chego perto dele e o abraço. 

- pega minha arma. Agora Jay.

Ele passa a mão em minha cintura e aproveito para beija lo.

- S/N? Por que esta beijando ele ? Para S/N. - a Luce chega perto de nos dois e puxa meu cabelo pra trás e me encosta na parede. - eu não deixei você fazer isso. Richard mata ele. - a Luce ordena.

- Se ele der mais um passo eu me mato.

Mostro pra ela o canivete que segurava em uma mão bem em cima da veia principal no braço esquerdo.

- Você não é capaz. - ela me olha desacreditado.

- Luce, sabemos que eu sou. - ela solta meu cabelo- se relar um dedo nele eu me mato.

- Que droga S/N, você esta estragando tudo, por que faz isso? - ela começa a chorar. - eu fiquei 5 meses indo atrás de você. Te procurando pra gente poder ficar juntas.

- Você matou a Nanaka. Você matou ela. - bato no peito dela.

- Matei mesmo, e mato de novo e de novo se for pra ficar com você S/N. Eu fiz isso por você.

- Por mim? - começo a chorar. - você a torturou Luce. Você matou a mulher que eu amava. Você fez nos duas se separar. Por causa da merda do seu orgulho. Você fez isso por causa de você.

- Eu fiz pela gente - ela fala mais alto. - eu fiz pela gente S/N. - ela vem chorar em meu peito. - eu te amo. Por que faz isso comigo?

- Se me ama realmente me deixa em paz Luce. Nunca mais me veja, não corra atrás de mim, finja que eu não existo. - empurro ela mas ela volta.

- Isso nunca S/N, nunca. - ela se afasta e pega em meus braços. E tira o canivete a força da minha mão torcendo meu pulso. - me desculpa S/N mas você não vai se machucar.

- Agora não Luce, mas depois eu posso muito bem fazer o que eu quiser. Ou agora. - vou pra bater a cabeça na parede mas ela põe a mão. E geme por causa da dor.

-S/N para. - o Jay me olha quase chorando.

- Se der um passo eu mato você. - a Luce olha pra ele e quase o mata só com um olhar.

- Nos deixe em paz Luce. Quantas pessoas vai matar pra tentar ficar comigo?

- Quantas entrar no meu caminho S/N.

- Eu nunca vou ficar com você.

- Então nunca vai ficar com ninguém também.

Ela me apertava tanto na parede que eu mal conseguia me mexer.

- Esta me machucando Luce.

- Eu não vou te soltar. Não posso te soltar.

- Então deixa o Jay ir. Esquece tudo o que ele fez. Eu fico com você.

- Você vai ficar comigo de qualquer jeito S/N.

- Se deixar ele ir eu vou te amar Luce. Pro resto da vida. - estava quase vomitando com nojo dela.

- Não faz isso S/N. - o Jay da dois passos que chega perto da gente.

- Me beija então. Me beija S/N. Como da primeira vez.

- Me solta primeiro.

- Por favor S/N. Para.

A Luce pega em meu cabelo com força e me beija.

- Me beija de verdade S/N. - ela reclama.

Assim que sinto ela folgar meus braços, eu pego em sua cintura e a beijo com vontade, mas na realidade estava com nojo dela.

- Não era o que eu queria S/N. Não faz isso. Por favor, para. - o Jay quase implora pra mim.

- Deixa ele ir. Agora Luce.

- Vaza. - ela mal olha pra ele e volta a me beijar. E passar a mão em meu corpo me colocando mais perto dela.

Vejo o Jay ir pra cima do segurança dela assim que ele da de costas. Empurro a Luce e vejo o Jay cair no chão de costas em camera lenta.

- Jay. - corro até ele. - Jay, olha pra mim. - começo a chorar desesperada. - Jay olha pra mim.

- Vamos S/N. - a Luce tenta pegar em meu braço mas tiro a mão dela rápido e abraço o Jay no chão.

- S/N, faz ela levar a gente até onde ela esta. Por favor. - meu coração quase sai pra fora de alegria ao saber que ele estava bem.

Finjo que ele estava morrendo.

- Por favor Jay. Fica comigo. - coloco a cabeça dele no chão e o beijo. - Luce. -me levanto indo até ela. - por favor. Salva ele, eu faço tudo que você quiser.

- Qualquer coisa?

- Qualquer coisa, mas pra isso ele não pode sair de perto de mim, eu quero ver ele sendo tratado.

- Vamos. Pega essa imundice do chão. Precisamos sair daqui. - ela pega em meu braço com força e me puxa pra dentro do carro enorme preto.

Assim que o outro cara que eu não conheço põe o Jay "desmaiado " dentro do carro abro espaço pra ele fique do meu lado.

- Ele vem aqui comigo. - falo com autoridade.

Ele joga o Jay no banco como se fosse um lixo. Ajeito ele no banco para que me abrace.

- Jay? - Beijo o rosto dele e passo a mão em seu rosto. - olha aqui pra mim. - volto a chorar por que penso no tanto que a Nanaka sofreu.

- Não chora. Eu to bem. - ele sussurra no meu ouvido. - vai ficar tudo bem. - ele acaricia minha perna

- Esta colada demais nele. Sai de perto dele e vem aqui comigo.- ela me puxa mas volto pro meu lugar.

- Não. - falo seca. - ele esta machucado assim que a gente chegar no hospital eu fico com você.

- Não vou levar essa merda pro hospital S/N. A gente esta indo pro galpao. 

- Esta louca? Ele precisa de medico.

- Temos você princesa. Ele não precisa de outra coisa. Você sabe muito bem até como fazer uma cirurgia, vai saber cuidar desse ai.

- Luce. Para na farmácia e compra as coisas então.

- O que esta fazendo? - ele sussurra no meu ouvido de novo. Deito ele no banco.

- Ganhando tempo. - passo a mão no rosto dele. Me levanto e vou até a Luce.

- O que foi? - ela fala seca.

- Não estava com saudade de mim? - me sento ao lado dela.

- Muita - ela passa a mão em minha perna até minha intimidade e me beija.

- Quer me chupar? - rebolo assim que sinto os dedos dela me tocar.

- Agora. - ela me faz deitar no banco e ergue meu vestido.

Ela segura em minhas pernas me faz ficar exposta pra ela. Assim que ela tira minha calcinha e me chupa um carro bate no nosso. O Jay cai no chão do carro, termino de tirar a calcinha e vou até ele.

- Jay? - ele estava com os olhos fechados.

Olho pra Luce que estava desesperada.

- Onde o carro foi? Ele sumiu. - o cara careca forte fala.

- Toni. Olha la fora. - a Luce fala pra ele e o mesmo por a metade do corpo pra fora.

- Não tem nada la fora Luce. - ele olha pra trás assustado.

Ainda tento acordar o Jay.

- Jay me responde.

Passo a mão na nuca dele que estava com sangue.

- A não Jay. Luce pra farmácia agora.

- Esquece esse desgraçado S/N.

Vou até ela e pego em seu pescoço.

- VAMOS PRA PORRA DA FARMÁCIA AGORA. - Grito com ela.

- Richard para na primeira farmácia que ver e compra coisas de primeiro socorro.

- Brigada. -solto o pescoço dela e volto a ajeitar o Jay no banco.

- S/N. - ele acorda assustado.

- To aqui. - tento acalmar ele.

💭Ele só desmaiou rápido. Menos mal. 💭 respeito fundo.

- Esta doendo em algum lugar?

- Minhas costas.

- Só?

Olho pra minha mão que ainda tinha sangue. E olho pra Luce que estava de costas a perna dela estava sangrando e ela nem percebeu.

- Sim.

- Você bateu a cabeça?

- Sim, mas não forte.

- Esse brutamontes me paga.

- EU QUERO SABER AGORA QUEM BATEU NA PORRA DO CARRO. - a Luce fala muito desesperada.

- Alguém fecha a gralha dessa mulher? Ela só grita. - dou risada baixinho assim que o Jay fala



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...