História Meu professor de matematica (imagine) - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Colegial, Imagine, Jungkook, Professor, Romance
Visualizações 70
Palavras 1.514
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura
Comentem ❤️

Capítulo 40 - Reunião


Fanfic / Fanfiction Meu professor de matematica (imagine) - Capítulo 40 - Reunião

---------------Gustav on---------------

Heitor:  aonde você está indo Gustav? Não vai fazer nenhuma besteira imprudente não é?  - ele tenta me acompanhar até meu carro mas sou mais rápido .

Eu : não ! Eu só preciso descansar um pouco . Isso foi de mais para mim  - dou a partida no carro  e rapidamente acelero para longe da li .


-------------------  Lucios on --------------------

Faz praticamente uma semana que não consigo dormi mais de  3 horas seguidas . Tudo isso é culpa minha , eu não deveria ter sido tão egoísta .

Vou até a pia para lavar o meu rosto  , fico ali me olhando no espelho alguns estantes " deplorável . Ridículo." Nunca estive tão derrotado . Meu celular começa a tocar e a vibrar em meu bolso .

( Heitor )

- alô? 

- Oi Lucios . . . As notícias não são nada  boas . . .

( Conta tudo oque aconteceu na loja )

Respiro fundo numa tentativa falha de me acalmar , tento ficar calmo .

Eu : - s/n vai se casar? - grito do outro lado da chamada .

- Lucios . . . Calma .

Eu : - calma ? Como assim calma? Ela vai se casar  com aquele monstro , depois disso não poderemos fazer mais nada ...

- bem... Eu também vou . Mas depois te explico.

( Desligo )

O ódio passeia por  minhas veias  , estou com tanta raiva que poderia matar alguém , qualquer um , eu ao preciso disso... 

Soco a minha mesa , não paro quando minha mão começa a sangrar , apenas continuo até a mesma ceder e quebrar .

Gustav : que merda você está fazendo? 

Observo Gustav adentrar no cômodo  e tentar me impedir de quebrar o restante da minha casa , ele me acertar um murro no queixo que faz com que eu caia no chão  meio tonto , quase desmaiando.

Gustav : Eu tô tão puto com essa história quanto você  , mas temos uma diferença ! - ele grita mas sua voz volta ao normal e ele continua : - eu estou fazendo algo para salva-la  , não chorando como o filhinho de mamãe que você sempre foi ! .

eu : oque quer eu eu faça então? - rosno com o fundo da minha garganta.

Gustav : me ajude a invadir aquela igreja , matar o noivo e roubar a noiva .


Depois disso nós nos reunimos e planejamos quando e como faríamos isso  , Gustav me contou que tem uma informante naquela casa e já sabe que dia e onde vai ser o casamento .

É só esperar . . . 


 ------------------------S/n on--------------------------

Eu é aquele homem ficamos em silêncio o resto  do caminho até o covil  , quando finalmente chegamos eu estava prestes a sair do carro ele me segura com força 

Carl: vá direto para o seu quarto ! Seu jantar será servido lá . Não saia de lá até eu mandar que saia , entendeu?

Eu : . . .

Carl : você entendeu ? - ele aperta meu braço com mais força ao ponto de me fazer  implorar para ele parar 

Eu : sim , sim , sim.

Ele solta  me braço e sai antes de mim 

Faço como foi ordenado , tomo meu banho e coloco meu pijama  , espero deitada em minha cama " será assim para sempre?   Receber ordens de um marido tirano? Para sempre . . . "  Meus pensamentos são atrapalhados por j-hope entrando pela porta com uma bandeija 

Carl:  Olá querida . Aqui está seu jantar ! 

Ele deixa a bandeija com um prato que me era muito atrativo e cheirava muito bem ao meu lado 

Eu : obrigado...

Carl : está  se lembrado do que eu mandei ? - ele põe a mão em meu rosto e acaricia minha bochecha.

Eu : sim .

Carl : ótimo ! 

Ele sai do quarto , porque esse vazio? Eu só queria alguém para me dizer que isso vai acabar ou que é só um pesadelo  .

Término de comer e uma mulher vem recolher as louças  , ela chega mais perto do meu pescoço e coloca uma de suas mãos no bolso do meu pijama e depósita algo ali e diz :

Servente : Gustav mandou isso para a senhorita , seja consciente , se descobrirem disso eu e você morremos .

Eu : como?? - eu não tô acreditando , não consigo parar de sorrir e pensar que eles estão comigo . Vão me salvar eu tenho fé 

O rosto da mulher não era amigavel.

Servente :  seu namorado sequestrou meu filho ! Ele está o fazendo de refém até ele conseguir oque quer . Você! - ela se afasta e vai embora mas eu a seguro 

Eu : oque está acontecendo? Porque eu não posso sair do quarto hoje?

Servente : é o concelho , todos os chefes mais velhos da Máfia desse país estão lá em baixo , você é carl vão se casar ele precisa dar uma desculpa , depois que vocês casarem  se algum mafioso tentar te roubar ele é morto . 

Engulo em seco  .

Servente : tenho que ir ... Boa sorte

Agora eu tinha um celular  , vejo os contatos e procuro alguém , ali tinha todos os meninos , tento mandar mensagem para algum deles , primeiro Heitor .

Eu : Oi gente , são vocês mesmo? Vocês conseguiram como trazer isso até aqui?

Heitor : s/n , você está bem? Nós vamos te tirar daí .

Ver que ele respondeu fez com que algumas lágrimas ameaçarem cair

Eu  : não acredito , estou tão feliz  , eu soube de uma coisa 

( Conto sobre a reunião)

Heitor : filho da puta , ele está agindo rapidamente .

Eu : eu vou la tentar arranjar mais informações

Heitor ; não , essas pessoas são perigosas 

Ignoro e abro a porta de vagar  , as meias faziam com que  meus pés não fossem barulhentos , desço os degraus lentamente , caminho até o salão é lá ouço as vozes  . Dou um passo em falso , quase torço meu pé , foi inevitável soltar um barulhinho de dor .

???? : Escutaram isso?  - meu corpo todo congela , não mecho um músculo

???? 2 : sim , tem alguem aqui carl?

Carl: não ! Mas deixe me ver   - ouço o barulho de arma sendo carregada e seus passos chegando mais perto 

Ele fica de frente para mim e olhando nos meus olhos diz 

Carl: não pessoal , não tem ninguém , talvez seja alguma criada . - ele me olhava com raiva mas logo voltou a se sentar na mesa .

Vou o mais rápido e sem fazer barulho possível . Chegando lá eu deito na minha cama , meu corpo está tremendo trato de esconder o celular em um lugar seguro.

Eu não consigo dormir , algumas horas se passaram e ouço alguém subir as escadas " fodeu"

A porta de abre e ouço alguém caminhar até mim e sentar do meu lado.

Carl: eu sei que você está acordada , levante antes de eu te forçar a fazer isso .

Levanto de vagar , temerosa , tento não olhar em seus olhos.

Carl : oque eu mandei você fazer?

Ele põe a mão no meu rosto e acaricia minha bochecha.

Eu : ficar ... No quarto.

Carl : e oque você fez?

Não respondo e recebo um tapa no meu rosto que me deixou meio tonta , minha face estava ardendo .

Sinto ele me levantar e fazer com que eu sente no seu colo de frente para ele , o mesmo coloca uma faca em meu pescoço

Carl : essa é a minha faca favorita. . . Ela corta muito bem , sabe ... Eu quero muito te beijar  , eu vou fazer isso é se você ousar recusar ou se mecher eu deixo ela se afundar no seu pescoço.

Seus lábios encontram os meus e sinto sua língua adentrar minha boca .

Carl: você não quer ficar marcada não é? 

Eu : n-não . . .

Carl : então retribua meu beijo , quero sua língua com a minha , me beije eu sei que você me ama.

Ele envade minha boca e sua língua procura a minha , retribuo minimamente . Sinto seu membro ficar cada vez mais duro em baixo de mim . Ele retira a faca  de meu pescoço , troca de posição. Ele rasga meu pijama  deixando meu corpo semi nu

Luto contra suas mãos e ele  volta a pegar a faca  e mantém no meu pescoço enquanto retira oque restou da blusa com a outra mão

Carl: eu vou marcar você . . . 

Ele destribui beijos em mimha clavícula descendo e dando mordidas pela minha pele chegando aos meus seios onde ele aperta e começa a morder 

Eu : P-para , para porfavor

Carl: cala a porra da sua boca !

Ele continua  as mordidas até minha barriga , ele me levanta e faz com que eu deite sobre seu colo . Sinto sua mão em meu bumbum , logo deu um tapa muito forte , logo deu outro é outro é outro . 

Quando não estáva mais aguentando ele me joga de novo na cama e volta a me beijar 

Carl: bom dia amor , já deve estar na hora do café , vamos levantar










Notas Finais


Oque acharam ?
Comentem ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...