1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Professor Favorito >
  3. Capítulo 5

História Meu Professor Favorito - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei como se não tivesse praticamente "abandonado" a fic.
Mas na verdade é que eu escrevi esse capitulo e o próximo umas 5 vezes e simplesmente não ficava legal, são capítulos mais chatos de escrever mas são muito importantes para historia.
No final deixei assim mesmo já que a fic está a quase um mês parada.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Da cozinha eu podia ouvir as gargalhadas da sala, Jun já havia chegado a algumas horas e tinha me ajudado a preparar o almoço e até mesmo trouxe um bolo de chocolate, cortesia do Minghao que não pode nos acompanhar hoje, e no final sobrou a louça pra mim já que meu amigo se ofereceu par trocar o roupa do Jae que tinha se sujado de bolo.

Eu meio que entendo meu amigo e o namorado dele, ambos gostam muito do Jae e sempre que podem enviavam presentes e faziam chamadas de vídeo ou ligações, mesmo não podendo visitar, tanto pelo tempo corrido como por terem ficado na China até inicio desse ano. Essa proximidade resultou no desejo dos dois de terem um filho também, assim os dois estão na fila de espera da adoção a um pouco mais de um ano, infelizmente tudo fica complicado quando levamos em consideração não só a nacionalidade deles como também a o fato de serem um casal gay, coisas que fazem demorar cada vez mais.

Quando finalmente terminei de limpar tudo encontrei os dois prontos me esperando na sala, e antes de sair ditei algumas regras como: Não sair correndo na frente e sempre estar perto de mim.

Claro que todo esse discurso de bom comportamento e regras servia também para Jun.

Depois de aguentar os dois cantando músicas da Disney o caminho todo, eu não sei mais quem é a criança, finalmente chegamos no shopping, Jun tinha me falado muito bem de uma loja do terceiro andar e sempre comenta que as roupas lá são de “velho" exatamente como eu gosto.  

- Appa, queio sovete – falou o pequeno logo quando entrou no local.

- Você acabou de comer um pedaço de bolo que o tio Jun trouxe, então vamos deixar para tomar sorvete mais tarde –  respondi para a criança e indiretamente para meu amigo que também estava animado.

Subimos até o terceiro andar onde ficava a tal loja, Jun e Jae brincavam e riam o caminho todo, no final parecia que eu estava na verdade cuidando de duas crianças. E realmente Jun me conhecia, porque mesmo pela fachada e as roupas na vitrine a loja realmente me agradou.

- Jae você vem comigo, vamos escolher uma roupa bem legal para o appa – falou Jun animado saindo correndo com a criança pela loja, loja que era grande por sinal.

Eu foquei na seção de casacos, tinha uns moletons bem lindos também, mas como eu já tenho três enormes e normalmente não uso eles para sair de casa optei apenas por ver alguns casacos, no final acabei ficando em duvida entre dois até bem parecidos, porem um era caramelo e o outro cinza.

- O cinza é melhor – Falou Mingyu surgindo atrás de mim e consequentemente me matando de susto.

- Homem, como tu consegue chegar assim do nada despercebido, mesmo tendo quase dois metros de altura? – perguntei enquanto ajuntava as roupas que derrubei com o susto.

- Desculpa, não foi minha intenção te assustar - falou ele sem jeito – mas o casaco cinza é realmente melhor, porque você já tem um marrom, mesmo que marrom e caramelo sejam cores diferentes – falou meio atrapalhando mas eu entendi.

Então quer dizer que ele repara no que eu visto.

- Tem razão, vou optar pelo cinza mesmo, obrigado pela dica – o mais alto sorriu mostrando as presas fofas – mas afinal, você também veio comprar algo?

- Não, minha irmã trabalha aqui e eu vim trazer umas encomendas dela que chegaram no meu apartamento – respondeu ele enquanto olhava comigo as roupas nos cabides.

- Ata, entendo, eu nem sábia que você tinha uma irmã- respondi, na verdade eu não sabia quase nada nada sobre ele.

- Sim, ela está fazendo faculdade agora e trabalha meio período aqui -  ele parecia feliz em falar da irmã, podia-se ver o carinho que ele tinha por ela – então já se acostumou com as mudanças da cidade?

- Na verdade não, muita coisa mudou, tive que arrastar o Jun comigo hoje para poder achar esse lugar.

- Então era o Junhui, eu sábia que tinha visto alguém conhecido lá atrás – ele ria de novo mas dessa vez sem jeito porque derrubou algumas peças no chão – então vocês são amigos ainda.

 - Sempre fomos, já faz 18 anos.

- Pensávamos que vocês tinham se separado depois que foi embora, principalmente porque ele sempre desviava o assunto quando era perguntado de você – comentou o mais alto.

- Isso foi um pedido meu, eu estava bem na outra cidade – respondi – apesar disso, mesmo só sendo 3 horas de carro daqui até lá nos encontramos poucas vezes, quando adultos fazíamos chamadas de vídeo e jogávamos online, mas quase nunca batia o nosso tempo livre para podermos nos encontrar, principalmente que Jun passou uns anos na China.

- Que bom que vocês ainda mantém contato, um pouco depois que você foi embora eu deixei de lado o time de basquete e as líderes de torcida, fiz alguns amigos quando cheguei na faculdade e esses são os que tenho comigo até hoje.

- Eu nunca perguntei muito do pessoal do ensino médio, então fiquei muito surpreso quando Jun me contou que você terminou com  a Yunah.

- Olha Wonwoo, sei que não vai acreditar em mim,  mas eu juro que não sabia o que ela fazia contigo, nunca notamos, não vimos o bullying que ela praticava e muito menos sabíamos que ela ia fazer aquilo – ele parecia falar a verdade, falava como se o peito tivesse pesado.

- Tudo bem, isso já passou – respondi com um sorriso, era a verdade, aquilo já tinha passado e eu já tinha superado tudo.

- Eu realmente gost...

- Appaaaa – Mingyu foi interrompido pela voz infantil da criança que chegou correndo – olha só o que eu e o tio Jun achamos.

Ele me mostrou uma blusa de lã amarela, bem linda por sinal e aparentava muito confortável, realmente fiquei tentado a levar.

Nota mental nove: meu filho tem bom gosto para roupas, provavelmente o Jun o ajudou, mas isso vamos relevar.

- Que lindo filho – falei me abaixando e pegando a peça de roupa que o pequeno tentava manter estendida para me mostrar, mesmo que ela seja bem maior que ele.

- Jae falei para não sair correndo na frente – falou Jun chegando correndo, logo notando a pessoa atrás de mim – Ah, oi Mingyu.

- Oi Junhui – respondeu ele.

Pude ver os olhinhos do meu filho se virar para figura mais alta atrás de mim, que antes ele não tinha notado.

 Pelo visto é de família não perceber o Mingyu no local.

- Ah Jae, esse aqui é o Mingyu amigo do appa – falei, para o pequeno.

O garotinho, acenou com as mãozinha pequenas dizendo um oi baixinho, culpa da vergonha, a mesma que fez com que logo em seguida ele se virasse pedindo colo.

- Esse é meu filho Jaehyun – fale agora para o mais alto que olhava a criança num misto de surpresa com algo como “iti nenê que criança mais fofa, posso apertar?"

- E quantos aninhos esse moço tem? – perguntou ele para o pequeno no meu colo.

- Teis – falou levantando quatro dedinhos, que gerou risadas no local logo depois do Jun ter abaixando um dos dedos do pequeno.

- Então ele já é um homem grande – pronto, agora ele acordou a fera que é o ego inflado com elogios que meu filho puxou de mim (palavras da  própria mãe dele), e a criança começou a falar e não parava mais, Mingyu e Jun obviamente falavam juntos com a criança, eu imagino que ao entrar em uma creche é esse tipo de cena que encontramos.

- Gyu, pode me ajudar com algumas caixas por favor? – falou umas das funcionárias da loja que eu julguei ser a irmã dele.

- Tenho que ir – o mais alto se despediu mas não foi embora sem um high five do menor, que gargalhou ao bater a mãozinha na do mais velho.

Quando terminamos todas as compras, coisa que demorou mais algumas horas já que os outros dois pareciam inspirados na hora de montar um look, e até me fizeram experimentar alguns, fomos até a praça de alimentação onde paguei um sorvete para cada.

- Não imaginei que você estava amiguinho do Mingyu – falou Jun.

Estávamos sentados em uma das mesas da praça nesse momento, eu e Jae comíamos sorvete de chocolate em um potinho enquanto Jun tinha uma casquinha de creme.

- Não estamos amigos, ele simplesmente surge do nada – respondi.

A verdade era que eu estava estranhando a aproximação do Mingyu, para alguém que me ignorou o ensino médio inteiro, ele falava comigo como se fossemos velhos amigos.

- Ele me procurou quando você foi embora, parecia muito preocupado.

- No final isso não importa mais.

- Você era apaixonado por ele, obvio que importa – Jun falava de forma séria.

- Eu nem sabia que aquilo era paixão, para mim aquele sentimento era raiva e eu não sinto absolutamente mais nada por ele – respondi.

O que era verdade, depois que o Jaehyun nasceu ele se torno tudo para mim, e apesar de eu ter reconhecido finalmente o que eu sou e que não era errado ser assim, eu ainda não me apaixonei profundamente por ninguém, e todos meus relacionamentos até então são bases de uma “quedinha” ou as vezes só tesão mesmo.

- Uma pena, vocês formariam um casal bonito, e também não gosto de te ver sozinho.

Era só o que me faltava, já não basta os alunos estarem me shippando com o outro professor, e olha que estou apenas a uma semana dando aula, agora meu melhor amigo também, poxa Jun, vou rever minhas amizades.

- Eu estou muito bem sozinho – falei firme – vamos que daqui a pouco vai escurecer e não quero dar banho no Jae muito tarde, o clima está frio para isso.

- Se tu diz – respondeu ele já se levantando da cadeira e recolhendo o lixo da mesa.

Depois de tudo organizado, Jae no colo do meu amigo (acho que ele é um tio mais babão do que eu pensava, mas não julgo, demorou quase 3 anos para esse encontro acontecer) e as sacolas comprar divididas entre os braços desocupados fomos até o estacionamento em seguida o Chinês nos acompanhou até em casa, mas só entrou para ajudar com as sacolas e para se despedir do bebê.

- Mandei todas as fotos que tirei com vocês hoje para o Hao, e agora ele está te xingando porque você marcou isso justo no dia em que ele não podia vir – Falou Jun já na saída enquanto olhava o celular.

- Jae vai vir outros finais de semana, vocês podem nos visitar sempre que quiserem – respondi parado na porta.

- Nós viremos, também podemos marcar um café, com o Jae ou sem, chamamos o Cheol e o Woozi para matarmos a saudade.

- Claro – sorri

A ideia me animou bastante, sinto que seria muito divertido, já que na antiga cidade eu só conseguia sair as vezes com um amigo que eu tinha lá.

Conversamos por mais alguns minutos, enquanto Jae bagunçava as sacolas que deixamos em cima do sofá, e logo o Chinês foi embora.

Por algumas horas passei arrumando o meu armário e separando as roupas novas, comecei a achar que comprei coisas demais, pura influência do Jun, e claro que Jaehyun estava me ajudando, na verdade atrapalhava mais que ajudava mas vamos relevar isso. Depois tomei banho ao mesmo tempo que dei banho no menor que estava animado com a banheira (eu não tinha intenção de tomar banho logo agora mas Jae fez questão de me molhar), fiz o nosso jantar e por ultimo deixei o menor assistindo scooby-doo enquanto eu terminava de limpar a cozinha para depois ir colocar ele para dormir, assim cedo porque o processo de começar até fazer o menor dormir demora quase uma hora.

Eu estava feliz, querendo ou não os finais de semana com meu filho eram o paraíso para mim, mas o clima complicou um pouco quando a aquela mensagem apareceu na tela do meu celular.

Yurin: Woo, precisamos conversar.

 


Notas Finais


Esse capítulo na verdade era maior, mas preferi dividi-lo em dois, então o próximo sai em no máximo dois dias.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...