1. Spirit Fanfics >
  2. Meu professor, Kakashi (Kakahina) >
  3. E agora? O que fazer?

História Meu professor, Kakashi (Kakahina) - Capítulo 11


Escrita por: Lobinha_Hatake e Yasmim2712

Notas do Autor


Oi amores, estamos de volta! Não se preocupem, agora que eu peguei a fic já escrevi uns capítulos na frente pra vcs <3

Boa leitura!

Capítulo 11 - E agora? O que fazer?


" Em um dia frio de inverno, os dois se viam sozinhos na plenitude da noite. O que poderia dar errado? Ao certo, nada; contudo, ela não sabia como reagir. " 


Era domingo, quase seis da tarde e Hinata se encontrava em um ciclo vicioso de pensamentos paranóicos. O romance que normalmente lia era lindo demais, perfeito demais. Kakashi era um professor e um homem mais velho, deveria arriscar? Não, não poderia. 


Hinata tinha medo. Não de Kakashi, nem do que ele poderia fazer, mas de como as coisas seriam. Um primeiro beijo, um primeiro abraço, uma primeira vez… Seria tudo novo e tão diferente. A verdade é que a jovem tinha medo da realidade, medo do presente. Sempre foi insegura na questão romântica, mas Kakashi realmente conseguia mexer com todos os seus sentidos — inclusive, o emocional —. E agora, tremendo na base do receio, viu o homem como algo negativo.


Ele não seria nenhum tipo de príncipe, amor da sua vida ou um sonho realizado. Havia medo de se apaixonar, de acreditar nas tolices de livros e não se encontrar mais na realidade. Medo de ser enganada, da primeira vez e do que os outros pensarão. 


" — O que acha de ser representante?" 


Essa era uma proposta que Hinata estava disposta a recusar. Não, não deixaria as coisas tão fácil para ele. Havia algum sentimento? Sim, mas o medo permanecia na personalidade da jovem. Ele parecia cauteloso, era errado e Kakashi sabia! Não, não podiam. 


[...] 


Para o homem, o fim de semana se passou rápido mas entediante. Não tinha nada para fazer, ao menos nada mais do que morar no sofá junto ao companheiro, Pakkun. Contudo, o professor aproveitou o tempo para adiantar trabalhos e corrigir provas. 


Segunda-feira havia chegado e com o foco em ter uma representante, ficou desmotivado quando entrou na sala e não viu os cabelos compridos da moça. 


— Aconteceu alguma coisa com a Hinata? — O prateado perguntou, sem querer demonstrar interesse. 


— Preocupado, professor? — Sakura indagou, rindo junto às demais amigas. 


— Sim, ela nunca é de faltar. — Com as sobrancelhas juntas e mostrando seriedade, ele justificou. 


Elas riram e sabiam que, por trás da máscara, havia uma grande insatisfação. O gosto amargo foi degustado por Kakashi por 12 horas, enquanto ficou na escola. Quando finalmente saiu, foi obrigado a passar a mão no telefone e ligar para a Hyuuga. 


Estava incomodado, angustiado. Naquele mesmo momento, se viu completamente viciado na presença feminina. Para Kakashi, chegava a ser estranho tal pensamento. Nunca foi de demonstrar sentimentos, muito menos nutrir alguma espécie de romance. 


Em instantes, achou o número da aluna em meio aos registros da escola, no seu computador. Foi rápido, ainda dentro do carro e ligou no número que diziam ser dela. 


Do outro lado da cidade, Hinata se distraia em mais uma das suas leituras românticas. Em plena segunda-feira, não havia muitas coisas para fazer além de ler. Seu celular tocou insistentemente, em número desconhecido. Não quis atender, receosa. Mas depois de desligar uma vez e ligarem novamente, decidiu atender. 


"— Alô? 


Ah, como era bom ouvir a voz dela mais uma vez. Era relaxante, mas ao mesmo tempo trazia a angústia de não poder vê-la. 


— Hinata, por que não foi para a aula hoje? Fiquei preocupado, você nunca falta… — Ele comentou, sendo sincero.


Do outro lado, a garota respirou fundo e não aguentou as lágrimas, mas tentou não demonstrar o choro. Tinha o coração bom demais para desligar, não tinha coragem de fazer isso. 


— Hinata? — Sem respostas, Kakashi insistiu. — Hinata, aconteceu alguma coisa? 


— Por que você não pode agir como um professor normal e me perguntar isso quando eu for na sua aula? — O professor se assustou quando ouviu a menina soluçar. Havia feito alguma coisa? 


— Eu só me preocupei, você é uma aluna aplicada e não imaginava que seria um incômodo. 


Apesar da voz rouca ser calma, passava a tensão do homem e tudo pareceu piorar quando ela caiu em prantos, do outro lado da linha. 


— Hinata, está me deixando preocupado. O que aconteceu? 


O choro abafado da menina foi a única coisa que conseguiu ouvir, antes do telefone ser desligado. " 


— Se ele te fez alguma coisa juro que mato ele — A voz do irmão foi sucedida pelo som do celular da Hyuuga sendo deixado no criado mudo, depois da porta ser aberta. 


Neji sabia como apoiar a irmã, mas também era protetor e não falhava na hora de consolá-la. Sem uma resposta ao certo da mais nova, a abraçou como pôde e deixou o choro cessar para saber o que havia acontecido.


A verdade é que não era culpa de Kakashi, ao menos não como motivo da aluna chorar. Contudo, ele, do outro lado, se viu internamente desesperado depois que a ligação encerrou. O que ele fez? Por acaso o que rolou na noite de sexta havia mexido com ela? Ou talvez ele disse algo de errado? Ele não sabia, mas que ficou atordoado, ficou.


O caminho de volta para casa não foi melhor. Estava tão aéreo que quase passou no sinal vermelho, mal conseguia pensar direito. O choro de Hinata ainda vinha em seu ouvido, trazendo angústia e confusão. Atordoado, ele chegava em casa exausto, afinal, não era todos os dias que precisava dobrar seu turno para cobrir as aulas do amigo de atestado. 


E mesmo se desdobrando no trabalho, não conseguia tirar a Hyuuga da cabeça. O que estava acontecendo com ele?! Era demais para um homem só, ainda mais alguém tão ocupado quanto. 


Hinata, por outro lado, se viu obrigada a conversar com o irmão. Sabia que ele insistiria, se via o dobro de preocupação nele do que no professor — pelo grau parentesco —. E para a jovem Hyuuga, foi bom, serviu como desabafo. 


Sem experiência nenhuma em sentimentos, ela se via num beco sem saída quando a última opção era falar sobre com os amigos. Sendo assim, se sentiu confortável na conversa do irmão. Tudo tinha a sua hora entre eles e agora, era a dos conselhos. 



Notas Finais


Tá pequeno de início, mas vamos aumentando conforme passa 👻❤

E aí, o que acharam? Nada de fantasminhas, hum? Até os comentários ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...