1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Psicólogo Jeon Jungkook ( Imagine BTS HOT) >
  3. Amigos eternos

História Meu Psicólogo Jeon Jungkook ( Imagine BTS HOT) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uma vez vou ter que dizer:

ESTOU REESCREVENDO A ESTÓRIA

Leiam as notas por favor

Beijos da NamSou ❤️

Amo vocês ❤️

Tenham uma ótima leitura ❤️

FIQUEM EM CASA! LAVEM AS MÃOS! PROTEJA-SE DO CORONAVIRUS!

Capítulo 3 - Amigos eternos


Fanfic / Fanfiction Meu Psicólogo Jeon Jungkook ( Imagine BTS HOT) - Capítulo 3 - Amigos eternos

_____ On


Terminei de lançar as notas no diário online, em seguida sai do sistema e desliguei o notebook o deixando sobre a mesinha de centro.

Me levantei com muita dificuldade, minhas pernas doíam por ter ficado muito tempo sentada na mesma posição, peguei as provas e avaliações que estavam do lado do meu PC e levei para o meu quarto, onde guardei dentro da bolsa preta de couro que uso para levar meus matérias para a escola.

Assim que voltei pra cozinha me alonguei, olhei ao meu redor e vi que ainda tinha uma louça suja pra lavar e ainda fazer uma janta decente. Na noite passada comi lamem, no almoço comi lamem, e agora, se eu quiser encurtar mais a minha vida, é só eu fazer lamem de novo.

Mas como eu não quero que isso aconteça, vou fazer alguma coisa, alguma comida de verdade. Talvez carne, uma salada, um frango.

Peguei minha xuxinha que estava no meu braço e amarei parte do meu cabelo.

Voltei a sala e peguei os copos sujos de suco, e catei os farelos de pão. Levei tudo pra cozinha, e quando voltei pra sala já trouxe a vassoura para varrer o cômodo.

Depois de varrer o que foi bem rápido, arrumei o sofá, e limpei algumas coisinhas na sala, apenas tirando a poeira.

Voltei para a cozinha onde limpei o balcão e o fogão rapidamente, enchi algumas jarras de água, fiz mais suco de uva, pois não vivo sem, tomei um pouco e coloquei o resto na geladeira.

Agora só faltava lavar a louça, tomar um banho e depois fazer a janta.

Ou, eu poderia tomar um banho primeiro, lavar a louça depois e só então...

A campainha tocou.

Franzi o cenho confusa, eu não estava esperando ninguém.

Fui até a porta, assim que cheguei na mesma me aproximei do olho mágico para ver de quem se tratava.

Jungkook!

Mas, o que ele está fazendo aqui?

Abri a porta rapidamente.

— Oi ____. — sorriu sem graça — Está sozinha?

— Oi Jungkook. Estou sim.

— Servida? — levantou uma sacola com algumas garrafas de soju. Sorri de canto.

— O que você aprontou agora? — dei espaço para que ele entrasse.

— O de sempre. Eu sou o culpado pelo casamento esfriar e blá blá blá. — ditou sentando no sofá.

— Por que você não se divorcia? — fechei a porta — Está mais que claro que vocês dois não dão mais certo. Mas digo pensando no seu bem, não quero te ver infeliz.

— É, mas... — pegou uma garrafa na sacola — Eu não quero mais falar disso. — me aproximei sentando no sofá — O que acha de bebermos até esquecer nossos nomes como nos velhos tempos?

— Velhos tempos? — ri — Jungkook, foi apenas uma vez, e você vomitou tudo.

— Eu era iniciante, agora não, agora eu sou a lei. — abriu os braços todo metido.

— A lei? — ri alto — Até parece. — me levantei indo até a cozinha onde peguei dois copos para bebermos — Jungkook, você se importa se eu sair um momento para tomar banho? — coloquei os copos sobre a mesinha na sua frente — Acabei de corrigir algumas provas e estou me sentindo cansada e sonolenta, preciso despertar um pouco.

— Ah, claro que não me importo, vai lá. Eu espero aqui.

— Obrigada, não demoro, e sinta-se em casa. — sai o deixando sozinho.

Assim que entrei no meu quarto, peguei uma lingerie vermelha e deixei separada sobre a cama, tirei a roupa mais rápida que um ninja e joguei no cesto de roupas entrando toda apressada no banheiro.

[...]

Sai do meu quarto fechando a porta, assim que coloquei os pés no corredor, senti o cheiro de carne pairar sobre o ar.

E era maravilhoso.

Andei perdida seguindo o aroma gostoso da comida e me surpreendi quando vi Jungkook de avental colocando os pratos sobre a mesa.

— Uau.

E não sabia se esse uau era por ele está perfeitamente lindo nesse avental, ou se era por ele ser perfeitamente lindo usando esse avental.

Eu só sabia que era UAU.

Suas coxas grossas estavam bem desenhadas na calça jeans, sua cinturinha muito bem evidente.

Seu corpo inteiro é uma escultura.

— Senta aqui, já vou te servir.

— Jungkook, não precisava.

— E deixar você comer lamem de novo? — olhou para o canto da cozinha, segui seu olhar e ri sem graça.

O cesto de lixo só tinha embalagem de lamem.

— Certo. — me aproximei da mesa e me sentei confortável — O cheiro dessa carne está ótimo.

— Espero que o sabor também esteja do sei agrado, ah, e eu lavei a louça.

— Sério? Obrigada. — olhei para a pia e a vi limpinha, só faltava brilhar. — Certo, agora me conta, o que você está aprontando? Presente você não quer, seu aniversário é só em Setembro. — ele riu.

— Quero apenas alguém para me ouvir. — se aproximou e deixou a comida sobre a mesa.

— Jungkookie... — fiz bico — Por que você é fofo assim? Aish, aquela bruxa não te merece.

— _____! — me repreendeu.

— Ok desculpa. — peguei o talheres e comecei a comer.

O engraçado é que eu poderia falar qualquer coisa da Yora, menos xinga-la. Jungkook não gostava.

Logo ele também sentou a mesa e começou a comer.

— Me conta as boas novas. — pedi.

— Vou abri um novo consultório.

— Verdade? — me animei

— Sim.

— Que maravilha! — bati palminhas — Parabéns Jungkookie. Tenho certeza que vai dar tudo certo, e você vai continuar brilhando e iluminando o caminho de todos!

— Acho tão fofo quando você diz isso. — riu pequeno

— São os meus mais sinceros desejos. — desviei o olhar da comida o encarando — Vai ser aqui no centro também?

— Não, e esse será em outra cidade.

— Outra cidade? Onde?

— Busan.

— Busan? — soltei os talheres — Mas Busan é tão longe. Por que lá? Por que não aqui?

— Foi onde surgiu, além disso, a ideia foi do Yugyeom, ele será meu sócio.

— Ah. — lamentei — E...quando você vai?

— Nesse final de semana.

— Tão rápido assim?

— É, mas só vou organizar umas coisas, voltou no domingo.

— Hm.

— Por que ‘Hm'?

— Hm, legal. — terminei de comer e levei o prato pra pia.

Na verdade, nem terminei, deixei metade no prato, mas, essa notícia me tirou todo o apetite.

— Já terminou?

— Perdi a fome. — abri a geladeira pegando a jarra do suco de uva.

— ____, está chateada?

— Claro que não. É uma ótima oportunidade, você vai crescer profissionalmente e ainda irá ajudar várias pessoas. — enchi o copo — Eu não gostar por ser em outra cidade não quer dizer nada — bebi todo o suco de uma vez — Você deve fazer o que gosta e o que quer. Deve realizar os seus sonhos, mesmo que eu fique com muitas saudades, e que fique dias sem te ver. — funguei.

— Não seja boba — riu — Eu só irei pra lá na quinta, e no sábado já estarei aqui.

— Verdade? — o olhei surpresa

— É claro. — se levantou — Tenho o meu escritório aqui, não irei abandona-lo — se aproximou de mim — Além disso — tocou meu rosto — Eu não conseguiria ficar muitos dias longe de você. — pronunciou baixo — Eu enlouqueceria.

Ok. Por que ela está dizendo isso? Jungkook? Você tá bêbado?

Por favor não brinque com meu coração iludido!

— Eu.. — sei nem o que dizer, certeza que já virei um pimentão — Então vamos beber pra comemorar! — me afastei dele indo até a geladeira, peguei todas as garrafas de bebidas — Não fica parado aí, vamos.

Entrei na sala sem olhar para trás.

Meu corpo estava todo arrepiado, assim como meu coração estava acelerado, não sei explicar nada do que acabou de acontecer.

Só pode ter sido uma alucinação, ele deve ter dito outra coisa e meu cérebro maluco projetou outra.

Voce está ficando louca ____!

Ou, ele pode ter dito isto com uma intenção inofensiva e eu estou aqui pirando.

É isso!

Eu não estou normal hoje.

Abri a garrafa de soju, enchi meu copo, virei de uma vez, seguida de outro, e outro, e outro.

— Ei — entrou na sala — Vai com calma aí — riu se aproximando — Nunca ouviu falar de beber com moderação?

— Estamos na minha casa, não há problema nenhum em enchermos a cara.

— Tem certeza? — perguntou se sentando no tapete ao meu lado.

— Claro. — enchi o meu copo, em seguida o dele — Somos melhores amigos, nada de errado vai acontecer.

— Então...um brinde — levantou o copo — A nossa amizade — sorriu

— A nossa amizade que durará anos! — levantei o meu.

— E dessa vez, nada irá nos separar.

— Se depender de mim, ficaremos pra sempre juntos!

— Que assim seja!

Brindamos e logo viramos os copos.

O olhei em seguida o vendo encarar o objeto vazio.

Tão lindo...

Eu devo ter atirado pedra na cruz por desejar a única pessoa que nunca poderei ter.

Do nada, ele virou o rosto e me encarou sorrindo pra mim.

Sim, eu atirei.

Continua...


Notas Finais


Amigos? Eu conto ou vocês contam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...