História Meu querido albino. - Capítulo 95


Escrita por: e Vick_Jeevas

Postado
Categorias Death Note
Personagens Beyond Birthday, L Lawliet, Light Yagami, Matt, Mihael "Mello" Keehl, Nate "Near" River, Watari
Tags Death Note
Visualizações 70
Palavras 3.883
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olááá meus amores, saudades de vocês, gente me perdoe por essa demora toda, durante esses dias eu estive muito ocupada, e também estava sem muita criatividade, não queria vim aqui e escrever de qualquer jeito para vocês, eu gosto de qualidade, e uma história sem qualidade ou coerência não é uma história em minha opinião, espero que vocês gostem do capítulo, me perdoe se houver algum erro ortográfico, bom, tenham uma ótima leitura! 😍😘❤👌

Capítulo 95 - Preparação do sacrifício!


Fanfic / Fanfiction Meu querido albino. - Capítulo 95 - Preparação do sacrifício!

Autora pov,s on


~ Uma semana depois ~


A semana havia se passado rapidamente, todos estavam angustiados e com medo, estavam muito temerosos, Near se mantinha indiferente a tudo que o lembra-se do sacrifício, aproveitou a semana bastante com seu marido e sua filha, ele estava odiando ver o sofrimento do loiro, muitas das noites acordou com barulhos de choro, odiava ver o maior assim, debulhando-se em lágrimas, não queria fazer Mello sofrer, o amava tanto que só de pensar que as lágrimas de dor do mesmo era por conta dele, sentia vontade de chorar e gritar ao mesmo tempo, Mihael Keehl, seu marido, pai da sua filha, o grande amor da sua vida, ele queria o ver feliz, sorrindo, até mesmo agarrado com aquelas incontáveis barras de chocolate, teria que agradecer a Mello por sua filha ser uma mini chocolátra, deixou uma leve risada escapar diante de tal pensamento. Desde o início da semana, o albino percebera que Mello estava fazendo-se de forte, tentando passar pra Near que estava tudo bem, suspirou, ele sabia que o loiro não estava bem.

Levantou-se da cama onde estava assentado, caminhou em direção ao banheiro em passos curtos e delicados, tinha que ser forte... Precisava ser forte por Mello, por Milly, e por sua família principalmente. Tirou o pijama branco que vestia, peça por peça, entrou no box do banheiro totalmente despido, ligou o chuveiro na água fria mesmo, sempre gostou de tomar banho assim, até combinava com sua personalidade, a qual Mello sempre dizia odiar, sua até então 'frieza', sorriu de lado lembrando-se das brigas dos dois, brigavam muito, mas logo estavam os dois em cima da cama se amando da forma mais despudorada possível. Sentiu a água fria cair sobre seus ombros, espalhando-se sobre seu corpo pálido, causando um pequeno choque térmico por seu corpo ainda está um pouco quente, já que o mesmo estava enrolado em meio aos finos lençóis da cama de casal deles, mordeu o lábio inferior de um jeito um tanto sexy, ao lembrar-se da noite quente que teve com seu loiro, olhando-se melhor agora, constatou que seu corpo estava completamente marcado, por ser muito branco, era possível visualizar marcas arroxeadas embaixo dos seios, barriga, coxas, Mello adorava marca-lo, dizia que era pra que todos soubessem que ele era somente dele, conhecia muito bem o ciúmes do loiro chocolátra. Fechou os olhos deixando deixando-se navegar nas lembranças da noite passada, na sensação de ter Mihael Keehl dentro de si, totalmente unidos, tornando-se um só.


Lembrança on: 


Near tinha acabado de chegar da rua com Mello, o loiro segurava a pequena Milly, que se encontrava adormecida em seus braços, tinham se divertido muito, forrou a cama da crianças, com um edredom quentinho, logo Mello deitou-a delicadamente na cama, Milly mexeu-se levemente, abrindo os olhinhos azuis escuros, mas fechou-os em seguida com um lindo sorriso infantil nos lábios, os papais babões sorriram, sentindo uma chama quente, mais conhecida como amor, invadir seus peitos e corações. 

__ Ela é tão linda. - Near sorriu sentindo pequenas lágrimas, não queria morrer, não queria deixar sua filha e seu marido sozinhos. Mello o abraçou forte, tentando consola-lo, mas o mesmo se encontrava do mesmo jeito que o albino.

__ Desiste disso Near, não faça isso com nós meu amor. - Mello apertou-o forte, como se a qualquer momento Near fosse desaparecer dos seus braços, de fato ele sentia que sim, que Near iria sumir dos seus braços, como da sua vida. 

__ Não posso Mello, eu preciso fazer isso, tenho que ajudar nossa família. - Fitou os olhos azuis do loiro determinado, por mais que tivesse doendo dentro dele, ele não poderia voltar atrás, não mais. 

__ Se acontecer algo com você, eu não sei do que sou capaz, eu te amo muito Nate, minha vida não tem sentido sem você, você é a minha vida Near. - Disse sério, sentindo seu estômago revirar, com o pensamento de perder seu albino. 

__ Te amo tanto Mihael Keehl, você não vai me perder meu amor, nem a morte será capaz de nos separar, porque eu te amo além dela, além da morte Mells. - Sorriu dócil, fazendo o coração de Mello palpitar bem forte, o loiro rapidamente puxou-o para um beijo intenso e lascivo, necessitava sentir a boca do seu pequeno na sua, precisava ter o corpo esguio de Near junto ao seu, precisava certificar-se que Nate River Keehl nunca iria sair dos seus braços. Delicadamente segurou nas coxas de Near, erguendo-o, fazendo o mesmo circular sua cintura com as pernas pálidas, sem romper o beijo, que já estava bem mais que intenso, em passos rápidos Mello adentrou o quarto dos dois, fechou a porta com o pé, e jogou Near em cima da cama, o mesmo olhava pro albino de forma selvagem, como um predador, que estava pronto para devorar sua presa, Near devolvia o olhar na mesma intensidade, causando vários arrepios pelo corpo de Mello, gemeu ao sentir seu membro duro como pedra, sendo precionado pelas várias camadas de roupa que o mesmo vestia, em passos lentos e cautelosos, andou até o albino, subindo na cama, se colocando por cima do mesmo, apressadamente começou a tirar peça por peça do corpo de Near, logo o mesmo encontrava-se despido, sem nenhum tecido sobre seu corpo, mordeu o lábio diante o olhar de seu marido, Mello parecia uma fera selvagem. Levou os lábios até o pescoço do mesmo arrancando vários suspiros e leves gemidos dos lábios de Near, apertou a coxa pálida fazendo o albino arquear o corpo levemente.

__ M-Mells... - Deixou um baixo gemido escapar por entre seus lábios róseos. Fazendo o membro ereto de Mello pulsar com sua melodia, ouvir Near gemer enquanto faziam amor, era como escutar uma bela e melodiosa música clássica. Desceu os lábios para os seios do mesmo, chupando o bico eriçado, desceu a mão até o membro do albino, masturbando-o lentamente, Near abria a boca e fechava, tentando controlar os sons dos seus gemidos, coisa que não estava agradando ao loiro, Mello queria escuta-lo gemer, e vendo que o mesmo estava tentando reprimi-los, tratou de aumentar o ritmo da sua mão no pênis do mesmo, sorriu grandemente ao ouvir os gemidos de Near saírem livremente dessa vez, desceu com a boca para o abdômen lisinho do pequeno, deixando várias chupadas e mordidas no local, gemeu ao sentir Near apertar seu membro ereto entre os dedos finos.

__ Mells... Hummm... e-eu q-quero, eu quero você... - Falou entre gemidos, enquanto apertava o membro do mais velho entre os dedos. Mello levantou-se tirando as peças de roupas rapidamente, logo estava completamente nu, Near mordeu o lábio inferior, olhando descaradamente para o corpo do loiro de cima a baixo. Mello sorriu de canto, adorando ser analisado pelo seu pequeno anjo.

__ Gosta do que ver, Near ? - Perguntou em tom de malícia, fazendo o albino corar levemente, deixou uma risada escapar.

__ Amo o que vejo Mello. - Tratou de devolver no mesmo tom malicioso. Mello riu e pulou em cima do mesmo, atacando seus lábios logo em seguida, Near abriu mais a boca dando passagem para a língua de Mello vasculhar cada canto de sua boca, logo uma guerra de línguas foi iniciada, sem nenhum vencedor a parte, Mello pegou o lubrificante dentro do criado-mudo. Passou um pouco em seu pênis, deixando-o bem lubrificado, levou dois dedos a entrada de Near, penetrando-o lentamente e lubrificando  sua entrada.

Após tirar os dedos, se posicionou entre as pernas do albino, delicadamente o penetrou, fazendo o pequeno arranhar suas costas com as unhas, leves gemidos escapavam de seus lábios, ia entrando devagar, até ter seu membro por completo dentro de Near, era delicioso sentir as paredes internas do pequeno lhe precionarem, a forma quente e aconchegante que era acolhido pelo mesmo, fazia Mello delirar diante tal prazer. 

__ Mells... P-pode se mover. - Near incentivou movendo seu quadril levemente, acatando o pedido do mais novo, logo o loiro começou a se mover, estocando-o lentamente, fazendo Near gemer languidamenta, Mello queria ir mais rápido, mas também queria fazer Near implorar por isso, queria ouvir seu pequeno pedindo por mais, coisa que não demorou acontecer.

__ M-mais r-rápido, m-mais rápido... M-Mello... Ahhhh... - Sorriu de canto; aumentando ainda mais o ritmo das estocadas, sentiu Near circular as pernas em torno de si, obrigando-o ir ainda mais fundo dentro do mesmo, os dois gemiam no mesmo ritmo, o ranger da cama, junto com o barulho dos seus corpos se fundindo, fazia-os ficarem ainda mais loucos de tesão, uma fina camada de suor escorria por entre as costas de Mello, misturando-se ao cheiro de sexo que impreguinava no quarto, o som erótico de seus corpos, misturando-se com seus gemidos podiam ser ouvidos do corredor do quarto, mas claro que todos  já estavam acostumados, afinal, eles não eram os únicos. 

__ Ahhhh... N-Nate... - Mello gemeu ante o ouvido de Near, fazendo-o gemer junto com o mesmo. Logo trocaram as posições, Mello sentou-se na cama, fazendo Near sentasse em cima dele em seguida, logo o albino começou cavalgar rapidamente no colo do outro, trocavam beijos e carícias, Mello segurou a fina cintura, ajudando na intensidade dos movimentos, levou a mão até o membro de Near, masturbando-o com força, fazendo o albino quase gritar, os dois já estavam perto de seus limites. Near colocou a cabeça na curva do pescoço de Mello, o loiro começou a gemer mais forte, apertou a cintura de Near com mais força.

__ N-Near ahhh... E-eu v-vou... Ahhhhh... - Tentou avisar, mas acabou gozando fortes jatos dentro de Near, que também se desfez em suas mãos. 

Os dois caíram deitados na cama, Near estava por cima de Mello, suas respirações estavam ofegantes, seus batimentos cardíacos totalmente acelerados, sorriram um para o outro de maneira amorosa, se amavam mais que tudo. Near se aconchegou nos braços de Mello, que roubou um selinho do mesmo, pegou o lençol e os cobriu, dormiram com grandes sorrisos no rosto. 


Lembrança off;


Desligou o chuveiro, pegando seu roupão branco e vestindo-o, andou até a pia do banheiro começando a fazer sua higiene matinal, assim que acabou saiu do cômodo entrando dentro do quarto, andou até seu closet, pegou uma calça branca jeans, uma blusa social igualmente branca, um conjunto de lingerie preta, vestiu-se e penteou seus cabelos brancos pérola, calçou uma sapatilha na cor creme, e saiu do quarto, estava pronto. Desceu as escadas, encontrando Vick e Matt deitados no sofá.

- É hoje né ? - Vick refiriu-se ao sacrifício. Suspirou.

- É sim Vick, e-estou, estou preparado. - Disse incerto, a loira percebera que o mesmo estava com medo, não tinha certeza de suas próprias palavras, isso era tão peculiar, e tão surreal ao mesmo tempo, Near sempre foi ótimo em tudo o que faz, ou fala, mas agora ele parecia incerto de tudo, sabia que havia uma guerra travada dentro do albino, de um lado sua vontade de querer seguir as vontades de Mello, e de outro sua vontade de salvar suas amigas e consideradas famílias. Vick tinha noção de como era complicado, sentia-se um pouco mal por não conseguir ter uma visão do que aconteceria depois com Near, sabia que o albino tinha pouquíssimas chances de sobreviver, mas ele é forte, e Vick, como todos sabem disso.


Autora pov,s off


Victória pov,s on


Passei a semana tendo que ver várias vezes Mello chorando pelos cantos, era deprimente, eu queria tanto poder fazer alguma coisa, não queria ver meus amigos sofrendo desse jeito, Near é meu melhor amigo e comadre, Mello meu amigo e compadre. Argh... Como eu realmente queria ajudar vocês, me sinto péssima sem poder fazer nada, isso não é justo.

Me sentei no sofá, chamei Near com a mão, ele sentou-se ao meu lado me olhando de forma doce.

- Sinto muito Near, sei que está fazendo isso por obrigação, eu queria tanto te ajudar. - Tentei controlar as lágrimas, mas estando grávida é inútil. Não consigo ter controle sobre meu próprio corpo. Near sorriu com os olhos marejados e me abraçou, fechei os olhos chorando baixinho.

- Está tudo bem Vick, isso teria que acontecer de qualquer forma certo ? Não podemos mudar uma profecia, todas as profecias tem que se cumprir, é a lei da natureza lembra ? M-mas s-se acontecer algo c-comigo, por favor cuide da Milly pra mim, cuide do Mello M-Matt. - Meu ruivinho nos abraçou forte, beijou minha testa e a de Near.

- Eu prometo Nate, mas não vai acontecer nada com você, você ficará bem. - Disse com um leve sorriso, fazendo Near sorrir.

- Isso aí, eu sei que tudo ficará bem, eu não vou deixar ele te machucar Near. - Assegurei convicta, não ia permitir ninguém machucar meu melhor amigo.

- Obrigado Vick. - Sorriu, acariciando minha barriga saliente logo em seguida. - Já está aparecendo, que fofinha. - Disse, me olhando meigo.

- Estou ficando gorda. - Choraminguei, fazendo o mesmo rir.

- Ah, eu também ficava assim as vezes, isso quando os meus hormônios me deixavam a flor da pele. - Near riu, lembrando-se.

- Mas era hilário, se você tivesse vindo antes Vick, você tinha acompanhado a gravidez do Near junto com nós. - Meu noivo disse, sorrindo.

- Bem que eu queria, iria adorar ver o Near barrigudinho. - Ri alto ao ver Near corar com o meu comentário.

- Vick. - Falou com as mãos no rosto, em sinal de vergonha.

- Woonts, que fofo Matt. - Provoquei, puxando levemente suas bochechas.

- Deixa ele quieto, ele está vermelho. - Meu ruivinho falou, segurando o riso. Ouvimos a porta da frente abrir, e logo uma cabeleira loira aparecer em nosso campo de visão.

- Mello. - Near exclamou com um sorriso, ao ver o amado. - Onde estava ? - Perguntou-o, em seguida sério.

- Eu fui no centro, deixei um bilhete no criado-mudo avisando. - Justificou-se, puxando Near para si.

- Hm. - O albino murmurou desconfiado, acabei deixando uma risada escapar, fazendo os dois me olharem.

- Que ? - Perguntei, segurando o riso.

- Do que está rindo loira ? - Mello perguntou-me, com uma das sobrancelha arqueadas.

- De vocês ué, Near-chan também é ciumento, mas nem percebe o ciúmes dele, e pelo jeito nem você. - Disse, me segurando para não rir de novo.

- Eu não sou ciumento. - Cruzou os braços me olhando, sério.

- É sim, é muito ciumento também. - Provoquei-o, não sei se falei, mas eu adoro provoca-lo, ele fica vermelhinho, Near é muito kawaii, ovelhinha.

- Diz pra ela que eu não sou ciumento, diz Mells. - Fez carinha de anjo pro loiro, que deixou uma risada escapar diante da cena fofa!

- Vick o meu pequeno não é ciumento. - Fez uma pausa. - É pior que ciumento. - Finalizou entre risadas, esquivando-se de Near que tentou dá-lhe um tapa no ombro. Ri junto com Matt.

- Mentirosos. - Murmurou emburrado.

- Oh, não fique assim Nearzinho, você é muito kawaii. - Abracei-o afagando seus cabelos branquinhos.

Logo ele sorriu! Ficamos conversando por alguns segundos, até meu celular começar a tocar. Peguei-o vendo um número desconhecido no visor.

- Quem é ? - Matt perguntou-me, olhando sério.

- Não sei. - Dei de ombros, atendendo.


Ligação on:


__ Sim ? - Perguntei. 

__ Vick, sou eu Vinny. - Arregalei os olhos surpresa, fazia duas semanas que eu não sabia de nenhuma notícia dele.

__ V-Vinny ? - Minha voz saiu falha, vi Mello fechar a cara junto com Matt, Near baixou o olhar pro chão, nós sabíamos o porquê dessa ligação, mesmo que não quiséssemos acreditar, essa ligação iria acontecer.

__ O Near tem que está aqui durante as 18:30, estou preparando o holocausto,  a partir das 22:00 acontecerá o eclipse, durante a lua de sangue deverá acontecer a transição, eu sinto muito por isso. - Suspirei, ele também parecia não querer fazer isso. 

__ Tudo bem, estaremos aí no horário combinado, Vinny me passe o endereço por favor, estamos preocupados. - Pedi, sentia meus nervos tremendo um pouco.

__ Vou te enviar uma notificação pelo celular, como ele está ? - Sua voz transmitia preocupação.

__ Tá bom, o Near está bem. - Suspirei, segurando a mão de Near firmemente. 

__ Até mais tarde, espero que tudo fique bem. - Disse, sincero.

__ Até mais Vinny. - Disse, finalizando a ligação. 


Ligação off:


- Então ? O que esse miserável disse ? - Matt Perguntou-me, bravo. Suspirei, passando as mãos em meus fios loiros.

- 18:30 é pro Near está no terreno de ritual, Vinny já está preparando as coisas por lá, todos os mutantes de ambas as partes do mundo vão está lá também. - Disse, entre suspiros. Dava para ver o medo de Near de longe, Mello estava sofrendo com tudo isso, Matt estava apreensivo, todos nós estamos tristes, mas não podemos perder a fé, a esperança tem sempre que está de pé.

- Eu... Vou pro quarto. - Mello levantou-se, e subiu em direção às escadas cabisbaixo.

- Mello... - Ouvi Near murmurar, ele me olhou com lágrimas. Segurei sua mão com força, eu não sabia o que dizer pra ele, ou para Mello. - V-Vick, não me deixe morrer. - Pediu-me entre lágrimas, abracei-o chorando também.

- E-eu não vou deixar, prometo Near. - Abracei-o com mais força, tentando arrancar a dor que ele estava sentindo por dentro. Matt nos olhava tristemente.

Sequei as lágrimas que escorria por seu rosto, ele precisava se acalmar e ir conversar com Mello.

- Sente-se melhor ? - Perguntei, um pouco incerta, vendo-o assentir com a cabeça.

- Melhor, melhor eu ir lá conversar com o Mello. - Levantou-se secando as finas lágrimas, tentei lhe dá um sorriso de conforto, mas eu não consegui.

- Vai lá Near, mais uma vez eu te digo, vai dar tudo certo. - Sorri, vendo-o concordar com a cabeça, logo ele subiu as escadas. Senti Matt me abraçar com mais força.

- Ele ficará bem Vick, você sabe que ele é forte. - Matt disse sorrindo, mas tinha uma incerteza nas suas palavras.

- Me abraça ruivinho, bem forte. - Pedi com voz de choro, Matt me abraçou carinhosamente, depositando um selar em meus lábios. Ouvi o barulho da notificação chegando em meu celular, o endereço que pedi a Vinny.


Victória pov,s off


Near pov,s on


Subi as escadas apressado, entrei no quarto procurando por Mello, mas ele não estava ali, saí do nosso quarto e vi o de Milly com a porta aberta, rapidamente entrei no mesmo, senti meu coração aliviado ao vê-lo com a nossa filha nos braços.

- Não me assuste assim, Mello. - Respirei fundo, ele me olhou com o rosto levemente vermelho, constatando minhas suspeitas, Mello havia chorado. Cautelosamente andei até ele, suspirei sentindo meu coração doer, me sentei ao lado do loiro, Milly sorriu ao me ver.

- Mamãe, mamãe. - Estendeu os bracinhos em minha direção, com cuidado peguei ela de Mello.

- Minha vida. - Olhei em seus olhinhos, tão idênticos aos meus.

- Te amo mamãe. - Senti meus olhos encher de lágrimas, Milly me olhou com seu rostinho preocupada. - Mamãe, por que você está chorando ?

- Porque eu estou feliz, você me ama, eu te amo, o seu papai te ama, nós nos amamos. Isso é lindo e emocionante. - Disse, em meio a sorrisos, ela sorriu secando minhas lágrimas com seus dedinhos pequenos.

- Eu também amo o papai mamãe, muitão assim. - Abriu os bracinhos, fazendo eu e Mello rir.

- Também te amo filha, amo infinitamente. - Mells disse, sorrindo.

Ficamos brincando com ela por um bom tempo, aproveitei que era cedo, e dei um banho em minha princesa. Mello trouxe a mamadeira, e logo tratou de dar para ela. Em segundos Milly dormiu em seu colo. Arrumei seu bercinho, acho que já está na hora de comprarmos uma caminha para ela, esse berço daqui uns meses não servirá mais. Com cuidado Mello deitou ela, cobriu seu pequeno corpinho com o lençol, se virando pra mim logo após.

- Temos que conversar Near, precisamos. - Concordei com a cabeça, claro que precisávamos conversar.

Saímos do quarto da nossa filha, e entramos no nosso, fechei a porta por precaução, não queria ser interrompido, eu e Mello teríamos uma conversa séria. Olhei pra cama constatando Mello já está lá. Andei até ele, sentei-me ao seu lado, um rápido silêncio se alastrou sobre o quarto, nem eu e nem ele queríamos falar, não sabíamos por onde começar na verdade.

- Er... - Tentei puxar assunto, mas desisti ao ter o olhar de Mello sobre mim. O mesmo suspirou, abrindo uma barra de chocolate, logo tratou de dar uma mordida no doce, após degusta-lo, me olhou sério novamente.

- Então Near, hoje é o dia da sua morte... - O mesmo franziu a testa ao falar 'morte'.

- Eu não vou morrer Mello, eu te prometi. - Disse convicto. Ele me olhou de lado, com zombaria.

- Você sabe que vai. - Olhei-o irritado, não queria brigar com ele, mas Mello está falando isso para me fazer desistir, e eu não posso desistir, não vou voltar atrás com a minha palavra, isso está doendo tanto nele, como em mim, argh... Que raiva de mim mesmo.

- Nada me fará desistir Mello, sinto muito, mas eu não aceito morrer. - Olhei-o sério, com a voz firme dessa vez.

- Ainda da tempo de você desistir dessa loucura, isso é uma missão suicida, está irritado porque sabe que é a verdade. - Cruzou os braços irritado, me olhando feio.

- Não vou desistir. - Disse, decidido.

- Tsc. - Estalou os lábios irritado. - Você é irritante Near, sabe que eu não quero te perder.

- Você sabe que nunca vai me perder Mello, eu te amo. - Sorri, tentando aliviar o clima tenso que estava no quarto.

- E-eu sei que já fiz muita merda, Near eu sei, sei que já te machuquei muito, mas eu te amo Nate. - Senti meu peito se contrair, ao ver Mello chorando novamente, abracei-o fortemente.

- Te amo Mihael, te amo mais que tudo nessa vida.

- Também te amo Nate, é por te amar que eu não aceito isso, mas a decisão é sua minha ovelhinha.

Sorri, juntando nossos lábios logo em seguida, Mello beijava-me desesperado, suas mãos apertavam meu corpo com força, senti seus lábios descerem para o meu pescoço, onde ele chupou e mordiscou lentamente, subiu até o lóbulo da minha orelha, e mordeu devagar, fazendo-me gemer baixinho, Mello era tão insaciável quanto eu.

- Mells... Hummm... - Tentei chama-lo em meio ao beijo, mas ele me beijava ainda mais forte, reunindo um pouco de força, empurrei-o devagar fazendo-o se afastar um pouco de mim.

- Near ? - Perguntou, sem entender.

- Quero aproveitar o dia com você, Mello.

- Mas vamos aproveitar. - Disse maliciosamente. Revirei os olhos, corado.

- Não me refiro a isso besta, me refiro a passear, eu, você, Milly e a nossa família, aproveitarmos o dia entendeu ? - Tentei explicar, Mello assentiu com um biquinho inconformado, acabei rindo.

- Tá bom, tá bom, vamos então. - Disse sorrindo, levantando-me em seu colo.

- Mello. - Abracei seu pescoço, roubando-lhe um beijo de língua.

- Se eu jogar você em cima dessa cama e te fazer meu, não reclame. - Disse sério, me fazendo rir.

- Bobo. - Beijei-o delicadamente dessa vez. - Te amo. - Falei sorrindo. Mello sorriu, mostrando-me todos os seus belos dentes brancos e perfeitamente alinhados.

- Também te amo minha ovelhinha, meu pequeno anjo. - Sorri, beijando-o.



Near pov,s off


Notas Finais


Foi isso aí pessoal, espero que tenham gostado, me perdoe se houver algum erro ortográfico, até amanhã, o próximo capítulo será de certeza o penúltimo, e o tão esperado sacrifício. Será que o Near vai sobreviver ? Bom só lendo o próximo pra sabermos, bjss de chocolate para todos! 😍😍😘😘❤❤❤👌🌷


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...