História Meu querido Alfa - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Neji Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Alfas, Cio, Naruto, Nejihina, Sasuhina, Supremo
Visualizações 121
Palavras 2.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Notei que gostaram bastante do primeiro capítulo, então aí vem o segundo ❤️❤️❤️

Capítulo 2 - Capítulo II


Oito anos depois...

- Eu fico muito satisfeito em saber que conseguimos realizar o trabalho com veemência. - O líder da alcatéia sorriu - Agora mudando para assuntos mais interessantes aos jovens. Como sabem a cada geração temos uma lua de sangue, que por sua vez será esse ano. - a animação com o fato era eminente em todos os jovens entre dezesseis e vinte cinco anos - E como ritual de nossas raças realizaremos a caçada.

- O que é caçada senhor Joseph? - um garotinho de seis anos perguntou.

Ele sorriu, adorava explicar sobre suas origens.

- Ora meu jovem... - ele se levantou da cadeira que estava - Quando a lua de sangue sobe aos céus os lobos correm livremente entre os salgueiros. - a frase só deixou o menino mais confuso.

- Permitimos que nosso coração encontre sua outra metade. - uma cabeleira negra surgiu de um canto puxando o garoto para um colo - Caçamos ao lado de todas as alcatéias do país em busca de encontrar nossos companheiros.

- Hina! - o garotinho gritou a abraçando.

O alfa riu. De fato sua filha era a alegria da alcatéia, sempre os protegendo com unhas e dentes, seria uma ótima líder quando ele se fosse.

- Onde será esse ano pai?

- Floresta nacional de Fremont, Oregon. - Ela abriu um sorriso radiante - A lua atingirá seu esplendor em três dias. Todas as alcatéias já foram comunicadadas. O supremo aguarda vocês.

Os mais velhos olharam em direção a perolada que pareceu um pouco vacilante.

- Partirão amanhã, apenas os que não tem companheiros. - suspirou, sabia como a filha sofreu quando foi rejeitada - No entanto, não poderei acompanhar vocês, manderei então minha filha... Como única alfa do bando.

Ela sorriu orgulhosa, não deixaria que um pequeno detalhe comprometesse seu papel de líder. Ela viveria até os fins de seus dias com aquele vazio no peito, era inevitável, mas não morreria a não ser que fosse por suas irmãs e irmãos.

Hinata

Sorri para minha linda moto Harley Davidson.

A alcatéia Whiteprey não era apenas uma família, éramos uma tribo de motoqueiros. Por onde passavamos deixavamos nossos roncos eminentes.

- Preparada morena? - Meu melhor amigo se jogou no sofá da garagem.

Kiba e eu crescemos juntos, no decorrer dos anos uma amizade foi inevitável. Não nos separamos nunca. Kiba é um omega e ainda não achou sua companheira.

- Não sei... - O moreno era um dos únicos que eu me permitia mostrar minhas inseguranças.

Me joguei no sofá sobre ele, ficando assim deitada de barriga para cima.

- Vou ver meu companheiro que me rejeitou provavelmente rodeado de cadelas. - rosno só de imaginar.

- Deixa de ser idiota Hinata. O supremo pode até ser seu companheiro, mas não é burro. Ele vai ficar louco quando ele te ver. Mesmo que você tenha sido negada ainda tem atração entre os lobos.

Ele me virou para ficar deitada entre suas pernas com s cabeça recostada em seu peito.

Kiba era o tipo de cara que toda garota gostava, era forte, bonito e engraçado. Fazia de tudo por mim. Confesso que se ele tivesse sido rejeitado por sua companheira talvez eu me permitiria continuar minha linhagem com ele.

- Eu decidi uma coisa. - ele enfiou o nariz no meu cabelo e respirou fundo me apertando mais em seus musculosos braços. Ouvi seu lobo rosnar - Quando encontrar minha companheira eu vou rejeita-la.

Arregalei os olhos e olhei ele.

- Você está louco? Não pode fazer isso!

Ele segurou meu rosto com as duas mãos.

- Eu não vou deixar você viver sozinha Hina, você é minha melhor amiga e fora que... - ele enfia o rosto no meu pescoço inalando meu odor - Puta merda seu cheiro é bom pra caralho.

- Sabe que só é assim porque sou uma alfa e você um omega.

- Porra garota, você tem um cheiro que eu nunca senti. - ele lambe os lábios olhando fixamente para mim - Não vou mudar de ideia. Vou negar a vira-lata e investir em você.

Ri da sua decisão, um lobo só negava sua companheira se fosse extremamente controlado, coisa que Kiba não era.

- Deixa de ser idiota, quando você ver ela vai ficar de quatro. - ele fecha a cara.

Em um movimento rápido inverte nossos corpos.

- Não vai ser eu que vai ficar de quatro. - ele fala em meu ouvido.

Merda, mesmo sendo Kiba ele ainda era um lobo macho. Sinto minhas bochechas arderem e meus olhos nublarem.

- A lobinha se animou. - ele ri.

Eu e Kiba tinhamos uma amizade estranha, já tínhamos ficado algumas vezes, mas nada que passasse de beijos ou algumas mãos bobas.

Ele chocou sua boca contra a minha e resmungou em satisfação logo enfiando sua língua sem o menor pudor.

Era sempre assim, uma brincadeira sempre acabava em ambos se beijando pelos cantos. Não que eu reclamasse.

Abri minhas pernas no intuito de acomodar seu corpo naquele sofá de couro antigo.

As mãos ásperas logo adentraram minha blusa pousando em minha cintura. Ele apertou seu corpo no meu no objetivo de sentir melhor meus peitos, ele amava meu peitos.

- Caralho Hinata. - ele beijou meu queixo, passou pelo maxilar e começou a beijar e desferir chupões pelo meu pescoço - Você é tão gostosa.

Soltei um gemido em satisfação. Minha loba adorava ser mimada.

- Deixa eu te tocar. - ele grunhiu no meu ouvido jogando seu quadril mais forte na minha virilha. Ele estava tão excitado quanto eu.

Deus a quanto tempo eu estava tão melada?

- Sim! - eu falei manhosa.

Nunca tínhamos ido tão longe geralmente eram carícias sempre por cima dos tecidos, mas eu sentia meu corpo queimar em brasa ardente. Merda eu logo entraria no cio.

Abri mais as pernas e ele voltou a maltratar minha boca com beijos agressivos e mordidas.

Sua mão deslizou pela minha barriga e entrou no short jeans passando por dentro da peça íntima.

Ômegas tinham um prazer enorme em agradar alfas.

Ele tocou minha intimidade e adentrou um único dedo. Arqueei as costas e soltei um gemido de satisfação. Caralho aquilo era bom.

- Você está tão quente. Tão molhada. - ele mordeu meu ombro e chupou meu pescoço.

Seus dedos não me deram trégua, logo passaram a me estimular com veemência.

- Porra Kiba! - rosnei um pouco alto - Mais rápido. - ordenei, meu lado alfa se fazia mais mandão naquela situação.

- Você está me deixando louco Hinata.

Ele rapidamente desabotoou meu short e jogou por qualquer canto.

- Não vamos foder Kiba. - ouvi ele choramingar.

- Me deixa te sentir só um pouco então. - Eu não estava raciocinando, os dedos dele em meu clitóris me faziam tremer em aprovação.

Ele desabotoou a calça e abaixou só até conseguir retirar seu membro.

Arranhei sua costas quando ele voltou a me beijar. Senti ele puxar minha calcinha para o lado e acariciar minha carne com a glande.

Rosnei. Rosnei alto. O cheiro dele está me embriagando.

Ele gemeu alto.

- Você é tão quente. Esta molhada assim para mim?

Ele lambeu meu pescoço e gemi em satisfação. Porra Kiba você vai acabar comigo assim.

Ele parou de me estimular e passou a deslizar seu pau para cima e para baixo. As vezes se concentrava apenas no meu ponto de sensibilidade, outras passava pela minha entrada.

- Deixa eu colocar Hina... - ele choramingou com um cachorro em meu ouvido - Eu quero... Por favor...

Porra, assim não iria aguentar. Eu queria tanto quanto ele, sentia toda minha intimidade pulsar a cada passada de sua glande em mim.

- Me foda Kiba. - murmurei enlaçando seu quadril.

Ele quase uivou, quase...

Ouvi a porta da garagem abrir com força

- Hinata, você disse que ia... Caralho me desculpa... - tentem gritou fechando a porta rápido.

Empurrei Kiba para o chão... Acho que fui salva pelo gongo.

- Caralho, eu mato essa Pucca desgraçada. - Kiba rosnou.

- Acho que estou entrando no cio. - resmunguei.

- você acha? - ele se levantou abotoando a calça jeans - Seu cheiro está pior que cocaína da boa. O seu primeiro cio vai endoidar até os lobos acompanhados. 

Joguei uma almofada nele.

- Ridiculo, não era eu que tava implorando para me foder.

- E eu teria fodido você todinha, se não fosse essa Omega metida.

- Eu já perdi o bv com você, não perderia a virgindade também. - debochei.

- Eu não me importaria de perder com você.

Eu não sabia que Kiba era virgem, ele sempre foi um homem tão bom com as garotas que achei que já praticava isso a muito tempo.

- Vou tomar um banho, se eu chegar na alcatéia com seu cheiro pode dar merda. Temos umas dezoito horas de viagem. - sai andando.

Sasuke

Minha enorme residência nunca esteve tão barulhenta, já haviam chego cerca de três alcatéias. Acredito eu que mais duas e as contas estariam fechadas.

- Sasuke... - Kakashi entrou no meu escritório - Joseph me enviou uma carta, ele é o lider da alcatéia Whiteprey, disse que não poderia vir, mas mandou um alfa da alcatéia no lugar.

Aquela barulheira estava me irritando, cheiros de fêmeas e machos se misturavam e e me davam dor de cabeça e a dor só aumentou quando ouvi aquele nome. Whiteprey.

Suspirei.

- Não achei que ele viria mesmo. Fique de olho na alcatéia deles, podem causar problemas.

Ele apenas concordou.

A última pessoa que eu queria ver naquele momento entrou no meu escritório. O maldito furacão loiro gritou um bom dia irritante.

- Porra eu to muito animado Sasuke!

- Cale a boca Naruto, já tem barulho demais na minha casa.

Naruto era um dos alfas que trabalhava pra mim e meu melhor amigo em alguns momentos da minha vida, em outros a gente tentava se matar.

- Por que a animação Naruto? Você já tem uma companheira. - Kakashi disse.

- Mas o Teme ainda não!

Suspirei. Eu não havia contado.

- Eu não tenho companheira. - disse apenas.

Voltei a ler o mapa lunar. Precisava saber a angulação perfeita para que a caçada fosse possível.

- O que? - o loiro irritante gritou - Todos tem.

- Não se reijata-se. - O platinado concluiu, ele era de fato inteligente.

- Por que fez isso idiota?

- Naruto... - o olhei, aquela conversa eu evitei por oito malditos anos - Eu sou um Supremo, minha companheira quando conheci era uma criança. - passei a mão no rosto estressado, meu lobo se tornou muito mais hostil e problematico depois de Hinata - Mesmo sendo uma criança eu vi a influência de uma companheira. Era perigoso demais. Ela me tornaria fraco. Eu tenho uma alcatéia para cuidar e fora que... Ela já deve estar morta, uma menina de dez anos não sobreviveria a rejeição.

Meu coração se apertou. De fato era doloroso meu lobo uivar por ela, mas meu posto era mais importante.

- Sabe que toda essa influência quando você a marca some não é? É só seu instinto de proteção. Você não é Madara.

Kakashi sabia bem o que dizia.

- Exatamente por não ser ele que não aceitei minha companheira. Sou um supremo, convivo muito bem com a ausência dela.

- É por isso que todos os dias você se afunda em mulheres diferentes? Para suprir a ausência dela? - Naruto só podia ser um imbecil.

Me levantei e servi uma dose de whisky para mim. O líquido desceu queimando, não era hora de repensar minhas atitudes. O que tinha sido feito já não havia volta.

Um zumbido irritou meu tímpanos.

O barulho se assemelhava a besouros.

- Não dedetizaram a merda da casa de campo? - olho ao redor.

O barulho se torna mais difícil de ignorar, virando um ronco mais agressivo. Motos.

- Deve ser uma das alcatéias. Vamos recebê-los Supremo. - Kakashi diz saindo.

Caminhei de forma preguiçosa até o hall de entrada. Os barulhos só se tornavam mais forte e altos, que baderneiros. Os lobos presentes dentro da casa já olhavam pelas vidraças curiosos.

Quando pisei na varanda da casa avistei a organização de motos pretas. A brisa dançou e de forma zombeira com minha cara trouxe até mim o cheiro que eu achei que nunca mais sentiria. Aquele maldito cheiro estava mais forte do que a primeira vez.

O calibre de minhas veias aumentaram, minha pupila dilatou, senti o formigamento característico na gengiva. Meu sangue ferveu como lava. Rosnei alto e notei Naruto olhoar alarmado. O maldito cheiro estava mais tentador, mais forte. Mais excitante.

Foi quando ela tirou o capacete e a cabeleira negra desmanchou do coque, caindo até a base de sua coluna que eu notei estar fodido. Ela está magnífica naquela roupa. O coturno de salto, a calça legging preta, a cropped de renda vermelho exibindo aquele par de peitos enormes, tudo contrastava muitíssimo bem com a jaqueta de couro preto. Aquala pirralha se tornou o diabo encarnado em luxúria. E aquele maldito cheiro... O cheiro de um cio próximo. Porra, eu estava fodido demais.

Ela removeu o capacete e cheirou o ar. Vi todo seu corpo tencionar, seus hormônios se tornarem mais intensos, juro que ouvi sua loba uivar em satisfação. Ah... Eu não era o único fodido naquela situação.

Ela olhou pra mim e os olhos perolados que achei nunca mais poder ver me atingiram com uma bala de prata. Magnífica.

Notei não ser o único a se atiçar, os dois lobos ao meu lado se tornaram mais atentos. Os que estavam no pátio olharam com maior interesse. Até mesmo Naruto que já tinha sua companheira apertava sua mão firme como eu fazia. Aquela garota iria ser minha ruína.

- Minha... - Rosnei fincando as unhas na palma da minha mão.

- Uma pirralha... - o Hatake debochou - Se isso pra você é uma pirralha eu adoraria ser um professor do jardim...

Continua...


Notas Finais


AI AI AI HINA!!!
Sera que o Kiba deixou marquinhas de mosquito no pescoço dela?
Como será que Sasuke vai reagir quando um novo clã surgir nessa bagaça?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...