História Meu Querido Aluno (Imagine Park Jimim) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Park Jimim
Visualizações 25
Palavras 3.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Harem, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii meu povo!! Tudo bem com vcs? Demorou mas taí mais um capítulo, e me desculpem se está grande, é pq acabei me empolgando enquanto escrevia😶😆😅 mas espero q gostem, boa leitura😘😍😙😚

Capítulo 5 - Capítulo 4


       Karrie On

       Karrie- eu não acredito!- digo enquanto  dou pequenos pulos pela sala.

        Min- parabéns Karrie!!- diz enquanto me abraça.

        Karrie- obrigada Min!- digo enquanto retribuo o mesmo, hoje de noite recebi a ligação do senhor Kiung dizendo que eu consegui o emprego, e que já poderia começar a trabalhar amanhã, o que me deixou infinitamente feliz- mas não teria conseguido sem você- ela me mostra um sorriso.

          Min- agora vai dormir logo criatura, já são 23:50, já se esqueceu que você já vai começar a trabalhar amanhã?

          Karrie- tabom, já to indo- falo fazendo bico- boa noite Min!- digo com a mão ja na maçaneta do meu quarto.

          Min- boa noite Karrie- entro no mesmo e me deito na cama.

           Amanhã finalmente vou começar a trabalhar, não vejo a hora de ter meu dinheiro e minhas coisas, mas, espero que consiga logo meu emprego como professora, pois esse ainda é meu sonho, e não pretendo desistir dele tão fácil assim.

          Já vai fazer exatamente duas semanas que estou trabalhando na cafeteria, consegui me adaptar aqui, fiz amizade com meus colegas de trabalho e até com alguns clientes que frequentam diariamente a cafeteria, mas uma coisa ainda não me sai da cabeça, depois daquele dia da festa, nunca mais vi o Jimim, nem mesmo nos esbarramos novamente pelo elevador ou nos encontramos pelo condomínio, não sei porque, mas isso me incomoda um pouco, eu queria reencontra-lo, conversar com ele, eu achei muito boa a conversa que tivemos, e olha que foram poucas palavras, mas parecia que ele me entendia, e eu o entendia também, não sei como, mas ele conseguiu mexer comigo de uma forma que não sei exatamente como descrever.

             ???- Karrie, oi, terra chamando Karrie- vejo alguém estalar os dedos na minha frente- acorda Karrie!

              Karrie- hã? O quê?!- quando olho para o lado vejo a So Yon me olhando enquanto dá risada- o que aconteceu?

             Yon- omo, você estava completamente no mundo da lua, ficou parada com a vassoura enquanto olhava o nada por pelo menos 7 minutos- sinto minhas bochechas ficarem quentes- mas tudo bem, você estava com um cara engraçada- dou uma pequena risada junto com ela e depois voltamos a fazer nossos afazeres.

            Eu estava limpando o balcão até um grupo de 4 garotos entrarem na cafeteria, eu acho que acabaram de sair da escola, porque ainda estão de uniforme, mas pelo jeito que eles entraram, pareciam que não eram coisa boa, eles se sentaram em uma mesa ao lado da janela, e ficaram conversando por um tempo, já que todo mundo estava ocupado, decido ir atende-los.

            Karrie- boa tarde- digo me aproximando e me reverenciando- o que desejam?- pergunto enquanto pego um pequeno caderno e a caneta para anotar, todos eles me olham e começam a se decidir.

            ???- um caputino por favor- diz o de cabelos preto.

            ???- um café normal- diz o mais alto ao lado do de cabelo preto.

             ???- pra mim também- diz o que esta na frente do alto, enquanto eu anoto tudo.

            ???- e pra mim uma cerveja- diz o outro que está na frente do de cabelo preto, o que? Cerveja? Será que ele é cego? Aqui é uma CAFETERIA!!

            Karrie- me desculpe senhor, mas... aqui não tem cerveja, aqui é uma cafeteria- digo o mais educado possível.

             ???- como assim não tem?- pergunta com os braços cruzados- deve ter em algum lugar ai- diz enquanto cruza os braços, dou um pequeno suspiro de frustação.

            Karrie- senhor, como eu havia dito, e novamente repito, aqui é uma cafeteria, e não um bar, não vendemos bebidas alcoólicas, apenas CAFÉ- cruzo meus braços- e tem mais, eu tenho certeza de que você não TEM idade pra beber- o garoto me olha assustado.

             ???- como assim?- ele se levanta- quem você pensa que é noona?- pergunta enquanto chega perto de mim, algumas pessoas que estavam em volta começaram a nos olhar.


            Karrie- eu? Que tal alguém que acha que você não pode fazer o que bem intende por ai? Faça me favor, olha pra você, um garoto de 16 ou 17 anos agindo como uma criancinha de 5 anos, você não tem vergonha na cara não?- ele e os outros garotos me olham chocados, mas ficam em silêncio- então, vai pedir algo que NÃO seja cerveja?-pergunto, ele volta a se sentar.

        ???- um... caputino... por favor.

        Karrie- ótimo- me viro e vou em direção da cozinha para mandarem fazer o pedido, volto para perto do balcão para esperar os cafés, enquanto observo os meninos que estão  com o garoto que eu bati boca, começarem a dar petelécos na cabeça e brigar com ele, dou uma pequena risada dessa cena, até a Yon chegar perto de mim.

         Yon- Karrie, você é completamente maluca- diz enquanto dava risada.

          Karrie- o que foi?- pergunto sem entender.

           Yon- você estava brigando com um cliente?

             Karrie- não era exatamente brigando, eu só estava dando uma lição de moral nele.

             Yon- mas o que aconteceu pra você precisar dar lição de moral nele?

              Karrie- ah, ele veio me falando que queria cerveja, e eu com toda calma do mundo, disse que não tinha, pois aqui é uma cafeteria, mas ele teimou dizendo que tinha, e veio dar uma de valentão pra cima de mim, então falei algumas coisas que fizeram ele calar a boca- digo sem me importar muito.

              Yon- entendo, mas ainda bem que isso não acabou dando problema.

              Karrie- pois é.

              Yon- esse tipo de coisa acontece mesmo de vez em quando.

               Karrie- mas olha pra esse garoto, ele parece ter sei lá, uns 16 ou 17 anos, e já age desse jeito? Coitada da mãe dele.

               Yon- pois é, mas fazer o quê?- confirmo com a cabeça, depois de alguns minutos os cafés ja estavam prontos, pego a bandeja com os cafés e vou para a mesa dos meninos e os entrego com calma, já estava me retirando quando eu senti alguém segurar minha mão, era o menino com quem eu havia discutido.

              ???- me desculpe noona, eu agi que nem um idiota.- diz enquanto coça a cabeça meio constrangido, o encarei em duvida, mas depois deixei pra lá.

               Karrie- ah, tudo bem- digo com um sorriso e ele me olha aliviado.

               Depois de um tempo os garotos foram embora, mas pareciam mais quietinhos, eu em, será possível que por eu ter só falado aquilo, terem os deixado constrangidos? Ah, até parece Karrie, até parece...

               Estou no ponto esperando o ônibus para poder ir pra casa, estava olhando algumas mensagens no celular, até um senhor se aproximar de mim, no começo achei normal por estarmos em um lugar público, mas depois de um tempo, notei que ele estava me observando, já estou começando a ficar encomodada.

                Karrie- desculpe- digo e ele me olha- mas... o senhor tem algo a tratar comigo?- ele me olha com um sorriso.

               ???- que bom que finalmente perguntou senhorita Karrie- como é? Ele me conhece?!

               Karrie- desculpe mas... eu te conheço?- pergunto enquanto me afasto um pouco.

                ???- calma, não precisa ficar assustada, meu nome é Young Soo- diz enquanto se reverência.

                Karrie- ah, entendo, mas, como você sabe meu nome?

                Young- eu sou um dos coordenadores da secretária de educação das escolas de Seul- diz e com isso, sinto meu coração acelerar, perai, ele disse escolas?- e soube esses por sua amiga Kim Min que você está em busca de emprego como professora, então eu gostaria de lhe fazer uma proposta.

              Karrie- que tipo de proposta?- pergunto já meio ansiosa pela resposta.

              Young- eu gostaria de saber se você gostaria de trabalhar em uma escola como professora por um ano- com essas simples palavras, meu mundo parou por um minuto, pra mim pareceu surreal, não sei como não desmaiei- senhorita Karrie? Você está bem?

              Karrie- ah, sim, estou sim- digo enquanto recupero o folego- mas eu escutei direito? O senhor me perguntou se eu queria trabalhar como professora em uma escola?

              Young- sim- quase dei um grito de felicidade, mas consegui conter tampando minha boca- sabe, estamos desesperados,   não conseguimos achar mais um professor disposto a dar aula para uma certa... sala...- senti sua voz sair meio desconfortável com sua última palavra, mas não me importei muito- não consegui achar ninguém nesses últimos dias, mas teve uns dias atrás que a Min me contatou, eu a conheci no ano passado, e ela havia me perguntando se não havia alguma vaga como professora em alguma escola.


           Karrie- entendo.

           Young- por favor senhorita Karrie, eu te peço, mesmo que você seja inexperiente por nunca ter dado aula há alguma turma, ou escola, eu te peço, trabalhe como professora, não só por nós da secretaria de educação, mais sim pelos alunos- diz e se reverência com total respeito.

             Karrie- não se preocupe senhor Young- digo enquanto pego em seu ombro- eu aceito com todo o prazer, aliás, esse sempre foi meu grande sonho- digo convencida, e com isso, vejo seus olhos brilharem.

             Young- obrigado, nós a agradecemos muito!!

              Karrie- que nada, eu que agradeço.

             Young- amanhã você poderia passar lá na secretaria de ensino para debatermos mais sobre isso?

               Karrie- posso sim.

              Young- está bem, ah, e aqui está o cartão com nosso endereço- ele me entrega o cartão- e mais uma vez, muito obrigado!- ele se reverência novamente.

               Karrie- não tem de que- me despedi dele e depois entrei no meu ônibus, que depois de alguns minutos, já estava no condomínio.

       Fui para o elevador novamente, mas não sei porque, hesitei em colocar meu andar, talvez porque eu pense que o Jimim vai aparecer novamente colocando a mão na porta do elevador... ah Karrie, deixa de pensar besteira, você não está em nenhuma novela ou filme, aqui é a vida real, nem tudo tem que ser do jeito que a gente quer, é, isso mesmo! 


               Coloco meu andar e logo sinto o elevador subir, quando parou no mesmo, sai do elevador e fui para meu apartamento, estava abrindo a porta do mesmo tranquilamente, quando uma coisa me paralisou, saindo de um apartamento a 4 portas ao lado do meu, o Jimim! Ele estava com uma senhora que lhe entregou algo que parecia uma torta, me desesperei, comecei a abrir a porta mais rápido para que ele não me veja, abri a mesma e entrei praticamente correndo no apartamento fechando a porta, ainda com as mãos na porta, decido olhar pelo olho mágico, pra ver se ele já passou por aqui, mas não vi ele, até que algo me surpreendeu, ele estava prestes a passar pela minha porta, quando ele parou e ficou a encarando, como se esperase alguém, ele ficou assim por alguns minutos, até soltar um pequeno sorriso e depois sair do meu campo de visão.

              Karrie- Jimim... o que será que você estava pensando?- murmuro para mim mesma, perai, porque eu corri dele novamente? Ai, eu sou um imbecil mesmo, não fez nenhum sentido eu ter fugido, eu poderia ter o comprimentado com um simples "oi" ou "como você está?", ai, as vezes eu acho que tenho demência...

              Já que a Min chega mais tarde do que eu, decido fazer alguma coisa para ela comer, eu acho que vou fazer aquele tal do soondae, aquela maravilhosa sopa, eu não sei fazer, mas tenho certeza que consigo com a ajuda da internet...

               1 hora depois...

              Min- cheguei- diz enquanto entra em casa- oi... Karrie?!- ela corre em direção da cozinha.

              Karrie- oi Min- digo meia sem graça enquanto pego um balde de água com um pano e um rodo.

              Min- o que aconteceu aqui?!- pergunta enquanto olha o estado da cozinha, que está cheia de pedaços de legumes e macarrãos espalhados pelo chão.

             Karrie- Min, você não vai acreditar no que aconteceu- digo enquanto me seguro pra não dar risada- há alguns minutos atrás, eu tinha acabado de fazer um delicioso soondae, então o coloquei em uma tigela e o deixei em cima da pia, para mim poder fazer algumas coisas, mas ai quando eu fui pegar a tigela pra levar pra mesa, eu escorreguei no tapete e derrubei tudo no chão, e o pior, em CIMA de mim também- ela também não acaba segurando e ri junto comigo.

              Min- omo Karrie- ela se aproxima de mim enquanto limpa as lágrimas- vem, deixa que eu te ajudo a limpar o chão- eu confirmo com a cabeça.
 
          Karrie- desculpa não ter limpado antes, mas é que precisei tomar um belo banho, e me desculpa pela tigela também.

         Min- tudo bem, mas quem dera eu estar aqui pra ter visto essa cena, seria muito engraçado- diz enquanto volta a dar risada.

          Limpamos o chão inteiro, e decidimos apenas comer um miojo mesmo, depois desse meu desastre, seria melhor fazer algo simples mesmo.

           Karrie- Min- digo enquanto comemos o miojo- você por acaso conhece um senhor chamado Young Soo?

            Min- ah sim, eu me esqueci de que eu havia comentado com ele sobre você.

            Karrie- ele veio me procurar enquanto eu estava no ponto de ônibus.

            Min- sim, eu havia conversado com ele esse dias, porque acabei me lembrando que ele faz parte da secretaria de educação, então perguntei se ele tinha alguma vaga como professora em alguma  escola.

            Karrie- obrigada Min, por ter falado de mim pra ele.

             Min- ah, que isso, você não deveria me chamar de amiga se eu não fizesse isso, pois sei que sempre quis dar aula.

              Karrie- mas, você acha que eu deveria ir mesmo? Eu aceitei, mas nem sei direito se foi o certo, e também tem o assunto da cafeteria, eu não posso simplesmente sair.

             Min- olha, eu acho que você tem que abraçar essa oportunidade, porque não sei se outra vai aparecer tão rápido, e o negócio da cafeteria, você poderia conversar com o senhor Kiung.

              Karrie- é, você tem razão- depois que terminamos de comer, ficamos assistindo alguns filmes e doramas, e quando deu 10:30, decidimos ir dormir.

              Hoje fui trabalhar tranquilamente, mas ainda com a idéia de que posso mesmo ir trabalhar como professora, depois do trabalho, fui para a tal secretária de ensino, onde já vi o senhor Young na porta me esperando.

             Karrie- boa tarde senhor Young- digo enquanto me aproximo.

             Young- ah, boa tarde senhorita Karrie- diz enquanto se reverência.

              Karrie- ah, só Karrie está bom senhor Young- digo e ele confirma com um sorriso, ele me levou até uma sala onde nos sentamos.

              Young- então Karrie, o negócio é o seguinte, como já sabe, nós queremos MUITO que trabalhe conosco, por conta de uma certa sala, ou melhor, "escola", muitos profissionais da educação se recusão a dar aula lá- diz enquanto suspira- já tentamos vários outros profissionais, mas todos se recussaram, até alguns inexperientes- nossa, que tipo de escola será essa que todos se recussam a dar aula?

             Karrie- entendo, mas não se preocupe, eu ainda quero dar aula nessa tal escola.

              Young- que bom, fico muito feliz por isso, vou Informar a secretaria e a escola- diz enquanto ia digitar algo no computador, mas derrepente hesita- mas antes, preciso te informar algo MUITO importante- sua face sorridente simplesmente mudou para uma séria- essa tal escola não é qualquer uma, ela é apenas para meninos, e também conhecida por só ter deliquentes- diz enquanto junta as mãos e apoia o queixo nelas- por isso muitos professores mantém distância dela, e até outras pessoas por conta de seus alunos, então por isso... você tem certeza absoluta de sua decisão?- agora me bateu uma certa indecisão, não sei o que fazer, eu deveria não aceitar, mas eu quero MUITO dar aula, mas como ele acabou de dizer, na escola só a delinquentes, e o pior, todos são meninos... mas quer saber, eu não me importo, eu vou sim dar aula, nenhum adolescente revoltado vai me abalar ou me botar medo, não vou deixar eles fazerem o que bem entenderem, e se precisar, vou dar uma ENORME lição de moral neles, pra ver se eles enfiam na cabeça que eles não podem fazer o que bem entenderem, depois de pensar um pouco, tomo minha decisão.

             Karrie- sim, eu aceito senhor Young- digo e ele me olha surpreso, mas depois sorri.

             Young- está bem- ele novamente voltou a digitar no computador- ah, e o nome da é Myung Dae, esse era o nome do fundador da escola- confirmo com a cabeça.

               Fiquei lá com o senhor Young por mais ou menos uma hora, ele ficou passando documentos e informações sobre a escola, e depois fui embora, já estava no elevador que estava me levando para meu andar, quando o mesmo parou e abriu as portas, fui para a porta do meu apartamento, quando noto um papel grudado na porta, pego o mesmo e vejo que está "para Karrie", pra mim? Começo a ler, e está escrito "foi divertido na noite da festa, mesmo que só com algumas trocas de palavras, mas nem podemos nos conhecer melhor, e também nem nos vimos mais pelo condomínio, espero que nos encontremos novamente por ai, PS: Jimim" quase não acreditei no que li, o Jimim também estava querendo me ver? Então não era só eu... acabo soltando um pequeno sorriso, dobro a carta e a guardo na minha bolsa e entro no apartamento.

              Consegui pedir demissão da cafeteria, o senhor Kiung disse que estava tudo bem por eu sair da cafeteria, já que tinha um amigo que estava precisando de emprego e ele podia entrar no meu lugar, fiquei feliz por isso, eu falei pra Min que eu daria aula na Myung Dae, no começo ela ficou meio contra, por ter medo de que algo aconteça comigo, pois ela sabe da fama da escola, mas depois consegui convence-la de que eu ficarei bem, e cá estou eu, depois de 2 dias, no portão da escola, o portão é enorme, assim como a escola, também tem uma bandeira da coreia e de Seul na entrada, mas o que mais me chamou a atenção, foi os diversos grafites que tem nos muros, ou simplesmente na escola inteira, além de vários sons de pessoas conversando, discutindo ou simplesmente gritando.

           Karrie- eu em, que loucura que estou fazendo...

           ???- é, também concordo, mas acho uma iniciativa boa vindo de uma jovem.

            Karrie- aahhh meu deus!!- dou um pulo para o lado quando vejo um homem bem vestido ao meu lado- moço, quem é você?!

           ???- bom dia, eu sou o diretor dessa escola, Hyun Shik- diz com um sorriso, paralizo na hora, ele disse diretor?

             Karrie- ah, me desculpe diretor Hyun Shik, eu não sabia que o senhor era o diretor, me desculpe pela ignorância- ele começa a rir.

            Diretor- não se preocupe minha querida, não foi nada, mas mudando de assunto, você é a professora Karrie Lambert não é?

             Karrie- sim, sou eu.

             Diretor- bem, eu vim aqui lhe dar as boas vindas a nossa escola, espero que sua estada aqui seja boa- diz enquanto aperta minha mão.

             Karrie- obrigada.

              Diretor- bem, hoje não vou poder te mostrar a escola inteira, mas vou mostrar apenas os lugares realmente importantes- confirmo com a cabeça.

               Ele me  guiu até dentro da escola, tem um enorme corredor com vários outros com algumas portas, eu acho que me perco rapidinho aqui, ele me mostrou a enfermaria, o refeitório, a diretoria e a sala dos professores.

              Diretor- os professores estão todos nas salas de aulas agora, por isso a sala está vazia- confirmo com a cabeça, e me alegro por ter visto uma maquina de doces perto da janela, eu acho que eu vou ficar dura de tanto que vou comprar doces dessa máquina.

               Agora ele estava me levando para o andar de cima da escola, tinha mais andares, mas esse que estou indo é o que está minha sala,  sinto meu coração já se acelerando, quando terminamos de subir as escadas, vejo o estenso corredor cheio de salas, mas o pior, a maioria estava barulhenta, com pessoas falando muito alto, e tinha até alguns alunos na porta das salas discutindo com outros que nem eram da sua sala, fomos para o corredor, mas parece que a presença do diretor nem faz tanta diferença assim, eles só ficaram mais quietos, mas os alunos que estavam fora das salas, começaram a me encarar e cochicar, ai, que desconforto, fomos até a ultima sala do corredor, era o terceiro ano, nós paramos na frente da sala.

            Diretor- preparada?- pergunta com a mão já na maçaneta da porta, confirmo com a cabeça- está bem, eu vou entrar primeiro, e depois você pode entrar.

         Karrie- ta- o diretor entrou primeiro, mas eu consegui ver a parte da frente da sala, tinha alguns alunos em cima da mesa, outros desenhando na lousa, e outros brincando de luta, o diretor foi para o centro da sala, os alunos não foram se sentar, só manteram o silêncio.

           Diretor- bom dia pra todos, como eu havia informado, vocês não teram mais aula com o professor Kwan- diz e todos comemoram gritando e jogando os materiais pra cima- mas terá outra que substituirá ele, alunos, quero que conheçam sua nova professora- ele faz um movimento com a mão para que eu entre, dou um longo suspiro para manter a calma e entro na sala, quando entro na mesma, vejo uns 30 ou 40 garotos, todos me olhando, mas não deixo que isso me faça querer desmaiar de nevorzismo (pois é o que estou prestes a fazer) e vou para o lado do diretor- turma, está é sua nova professora, Karrie Lambert.

             Karrie- é um prazer conhece-los- digo meia nervosa, logo escuto a sala inteira começar a falar, mas, algo me intriga, lá pro fundo da sala, estou vendo um cabelo que parece que conheço, loiro, espera um pouco... derrepente meus olhos se encontram com o do garoto, que quase me fez ter um enorme de um piripaque aqui no meio da sala, meu deus, mas esse... esse é... o JIMIM!!

Continua...

           

            

        

            

              

              

      

       


Notas Finais


Oiii de novo!!!
Curiosos(as)? Então até o próximo capítulo😙😚😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...