1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido amigo imaginário >
  3. Fria

História Meu querido amigo imaginário - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Oie ❤️
Eu pensei que eu não conseguiria posta nenhum capitulo antes de me mudar mas consegui!
Tenham uma boa leitura ❤️

Capítulo 10 - Fria


~ Expectativas,avaliações,

Saem voando de mim

como poças de sangue de

uma ferida.~

Sinto um vazio na minha alma, algo como uma cova profunda, como se algo fosse tirado de mim, como se eu estivesse caindo em um poço sem fundo.

Em uma fração de segundos a imagem muda me mostrando algo que me destruiu ainda mais. Sasori fazendo amor com a mesma garota de antes. E muda novamente, ele estava fazendo a mesma coisa só que com outra mulher.

Assim foi a imagem seguinte e a outra, depois outra e mais outra. Eu já não estava aguentando mais.

_ Para por favor! Para! Para eu não aguento mais!_ falo caindo de joelhos desabando em lágrimas e colocando minhas mãos na frente dos olhos recusando-me ver todas aquelas cenas.

#P.O.V de Zetsu#

Acordo assustado com os gritos da rosada ao meu lado. Ela está gritando, chorando e se debatendo.

Eu me sento na cama e começo sacudi-la para a tirar do sonho.

_ Hã... Zetsu?_ diz ela acordando_ O que aconteceu? Era um sonho?_ ela diz chorosa.

_ Sim, era um sonho.

Ela me abraça apertado, eu devolvo o abraço deixando-a chorar.

_ Zetsu, ele me usou, ele só queria me levar para a cama! Ele mentiu para mim!_ diz a mesma voltando a seu debater.

_ Calma. Se acalma tá?_ digo fazendo carinho em seus cabelos róseos.

_ Você acha que ele me usou?_ diz saindo do abraço e me olha com o rosto inchado e os olhinhos vermelhos.

_ Sim.

Isso é tudo o que eu respondo, sei que ela está falando do ruivo e realmente acho que ele só queria a levar para cama.

Ela para de chorar e limpa seus olhos dando a entender que iria superar e não o daria outra chance. Ela sai do quarto mas eu não ligo, pois já sei o que ela vai fazer.

#P.O.V de Sakura#

(Por que Sasori? Por que me enganou?)

Saio em disparada procurando pela a saída, quando a encontro vejo um lindo jardim colorido, entro no jardim e corro ainda mais chegando a uma fonte d'água.

Quando chego caio de joelhos e desabo novamente me entregando ao desespero e a dor, ouço uma voz vinda de atrás de mim.

_ Não chore pequena, ele não merece, nenhum homem merece as lágrimas de uma mulher. Você não depende dele para viver não é?_ diz a mulher loira também de olhos verdes. Minha mãe.

_ Não._ olho para trás.

_ E então?

_ Eu não vou mais chorar por ele e nem por nenhum outro homem.

_ Isso mesmo minha menina.

Ela some assim que o ruivo chega perto de mim.

_ Sakura o que aconteceu?_ ele diz parecendo preocupado colocando as mãos em meu rosto.

_ Nada que seja da sua conta_ falo em um tom frio e tiro suas mãos de meu rosto.

Saio dali sem expressão alguma mas com o coração partido.

( Você partiu meu coração mas eu não irei me vingar. Não me importo mais nem com você e nem com ninguém.)

Um tempo depois de tudo o que aconteceu, me pego andando sem rumo de canto a canto e encontrando uma porta prateada com esmeraldas formando um K perfeito e elegante.

Eu abro a porta sem nem sequer pensar nas consequências, descobrindo uma área de treinamento, quase como uma academia só que com instrumentos diferentes .

Olhando em volta tudo é muito bonito, bem cuidado, tinha luz e cheiro de flores. Percebendo o saco de pancada perto de mim vou até ele o observando de perto.

*Vamos lá Sakura... Soque... Extravase... Despeje toda essa sua raiva neste objeto... Vamos... Ele não irá sentir dor.*_ ouço uma voz aguda na minha cabeça.

(Quem é você?)

*Eu sou você. Mas de um sexo diferente*

(Mas como?)

*Um dia você descobrirá. Agora... Se livre... Deste rancor... Desta raiva... Que tanto te sufoca... Use-a ao seu favor.*

De repente o ódio e a adrenalina tomam conta de mim. Me afasto e olho para trás, assim descobrindo que a porta está fechada, tiro meu casaco e prendo meus cabelos com o elástico que havia no bolso do shorts. Me volto para o saco de pancada diante de mim.

O soco uma vez, depois outra, assim me deixando descontrolada, o soco diversas vezes. Quando volto a lucidez o ouço novamente:

*Muito bom Saky-chan! Impressionante!*

(Você por acaso é gay?)

*Não por que?*

(Seria mais divertido se fosse.)

Ele me ignora. Parece que posso senti-lo na minha cabeça, ele está se movendo, andando eu acho.

*Você precisa se hidratar e se alimentar*

Eu não digo nada apenas saio do quarto encontrando Sasori, Storm, Minato, Kushina, Zetsu e O Caproto desesperados correndo de um lado para o outro. Quando eles me vêem suspiram aliviados colocando a mão sobre o peito.

_ Rosada! Até que enfim! Onde você estava?_ perguntou Sasori.

_ Eu já disse uma vez e vou dizer novo._ falo friamente e sem expressão alguma_ Não é da sua conta. Quer que eu simplifique? A minha vida não é da sua conta._ falo a última frase com total ênfase.

Ele me olha assustado assim como todos a sua volta.

_ Eu estou bem, estava naquele cômodo ali_ aponto para a porta com esmeraldas_ Agora alguém me diga onde fica a cozinha.

*Vá para a direita*

Não espero ninguém responder, vou para a direita.

*Esquerda eeee chegamos.*

Entro na cozinha achando os copos em cima da mesa. Pego um e o encho d'água, bebo e sinto o líquido descer pelo o meu corpo.

_ Querida, está tudo bem com você?_ diz Minato entrando na cozinha.

_ Sim._ digo no meu novo tom de voz. Frio.

_ Nós estávamos preocupados com você. Você sumiu durante 5 horas.

Não posso evitar de ficar surpresa, afinal, não sabia que eu tinha ficado tanto tempo naquele cômodo.

_ Perdi a noção do tempo, mas agora vocês me viram não é? Por tanto não tem com o que se preocuparem.

_ Na verdade te sim. Você está distante. Fria. O que aconteceu?

_ Não me leve a mal mas eu não devo satisfações da minha vida a vocês.

_ Toma._ ele me entrega uma garrafa d'água e salgadinhos.

_ Valeu.

*Essa gente é muito folgada.*

Rio internamente do seu comentário.

(Qual é o seu nome?)

*Eu não tenho um.*

(Jake.)

*Gostei desse nome. Me chame de Jake.*

Volto para o cômodo com outra salgadinhos e a garrafa d'água. Volto para o meu quarto pegar o meu celular, mas encontrou aquele ruivo insistente sentado na minha cama.

Eu o olho com indiferença, ele me olha tristonho, eu pego meu celular na pequena cômoda ao seu lado, mas o filho de quenga me pega pela cintura e me joga na cama me prendendo na mesma.

_ O que eu fiz?_ pergunta o ruivo, mas como fico em silêncio ele continua_ Por que eu não entendo o porquê de tu estar me tratando assim!

Eu continuo em silêncio já que não quero entrar numa briguinha infantil. Estou usando rua a paciência que eu tenho para não quebrar a cara dele.

O mesmo me beija com fervor.

*Não Sakura, não se controle! Use sua força ao seu favor!*

Eu consigo o empurrar para fora da cama, o mesmo voa em direção, com uma velocidade impressionante paro atrás dele e seguro sua nuca o empurrando para o chão.

Pego o seu braço e o inclino ameaçando o quebrar, o forço mais contra o chão apoiando meu joelho em suas costas.

_ SEU BABACA DE MERDA! PARA DE ME PERSEGUIR! AINDA NÃO ESTÁ NA CARA DE QUE EU NÃO O QUERO VER? FIQUE LONGE, BEM LONGE DE MIM!_ grito com o ruivo.

_ EU NÃO SEI O QUE EU FIZ MAS EU NÃO VOU DESISTIR DE VOCÊ SAKURA.

Eu o largo e pego o meu celular voltando para onde eu nem deveria ter saído.

Por sorte havia um rádio ali, conecto ao meu celular e coloco a música Autonomia do supercombo

"Vou começar a mentir.

Fingir que está suave e sorrir.

Isso foi tema nas palestras semanais

Que tenho na minha cabeça.

Quero ser um ante-depressivo para poder

Me medicar

Total autonomia sobre mim e demitir

Quem não me respeitar

Vou começar a mentir.

Fingir que não bateu na trave e

Comemorar.

Quero ser um ante-depressivo para poder

Me medicar, não depender de

Mais ninguém.

Total autonomia sobre mim e demitir

Quem não me respeitar.

Ouço a música em silêncio, levanto-me e volto a socar o objeto do mesmo jeito que antes.

*Por que não o matou?*

(Pelo o mesmo motivo que eu não matei o Kizashi.)

*Mas o seu tão amado Ki-za-shi te matou 12 vezes.*

(Como!?)

*Você é imortal para as armas humanas, mas é mortal para as armas Angelicais. Ele te matou com armas Angelicais.*

(Então como eu estou viva?)

*Você assim como a sua espécie só é permitido morrer após os 5.000 anos de vida. Se te matam você volta a vida 24 horas depois.*

 (Aquele filho da puta!)


Notas Finais


Bom isso é tudo obrigada por lerem até aqui ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...