1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido assassino- Taekook >
  3. Um monstro a solta

História Meu querido assassino- Taekook - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Um monstro a solta


Kim Taehyung, estava dormindo bem tranquilo em sua cama, até que seu celular começa a tocar aquela música irritante que Taehyung tinha como toque, mas o mesmo tinha muita preguiça de mudar.

-alô?

Falou Taehyung com a voz sonolenta, logo recebendo uma notícia de seu chefe, que iria investigar uma morte de uma menina que foi encontrada lo lago, no interior.

Taehyung apenas suspirou, trocou mais algumas palavras com seu chefe e foi se arrumar para ir investigar o tal crime.

....

Chegando lá, Taehyung saiu de seu carro, olhou em volta, colocando luvas.

Senhor, ainda bem que chegou, quero que me siga.

Falou um velho pescador, enquanto segurava seu chapéu, ele parecia assustado, estava tremendo, certamente não estava acostumado a ver um tipo de cena de homicídio.

Fomos até o corpo, ele estava coberto, então eu apenas tirei aquele negócio de cima do corpo da jovem. Observando tudo, enquanto tinha guardas, pessoas pra se meter aonde não devem, e alguns tirando fotos da cena do crime

Eu até diria que foi suicídio, mas.... Há marcas de luta, ela provavelmente lutou pela vida, olha.

Falei com outro detetive, ele me ajudaria no caso.

Havia marcas de enforcamento, causadas por mãos, e sinais de socos, e facadas na barriga da jovem.

Vamos ter que levar o corpo para o laboratório, fazer alguns exames, para ver se não tem outro Dna nela, que possa ser do assassino, e ver se nao há sinais de estrupo.

Kim Taehyung começou a andar pelo local, para ver se achava mais alguma coisa.

Hm, o corpo parece que foi arrastado.

...

Jeon passava tranquilamente pela ponte que dava em sua casa, um pouco afastada da cidade.

Enquanto passava, vou carros de polícia e ambulâncias, logo dando um sorriso de lado.

Acharam ela.

Falou simples, Jeon estava feliz com o seu assassinato, nunca tinha gostado daquela mulher, Doyeon, realmente a mesma era insuportável para Jeon, e ele quis acabar com ela de uma vez por todas.

Jeon resolveu ficar naquela ponte mesmo, enquanto bebia e olhava para o lago que tinha debaixo da mesma.

...

Kim Taehyung estava em um restaurante, enquanto via alguns papéis de testemunhas que a viram na noite de 10 de janeiro, em volta de umas 23:00 a 00:00.

Kim também conseguiu a identidade da menina, por ela estar em seu bolso, e seu nome era Doeyon, uma jovem de 21 anos.

Kim teria que descobrir aonde sua família morava, para dar a péssima notícia.

....

Depois de um bom tempo, achei a casa da senhora Kim, mãe de Doeyon.

Bati na porta, logo sendo atendido por uma senhora de no máximo 40 anos.

-olá senhora, me desculpe o incomodo, você não me conhece, Sou Kim Taehyung, um detetive!

Falei com um sorriso fraco, e ela retribuiu o sorriso.

-Oh! Meu jovem, o que deseja?

Falou a mais velha com um sorriso meigo no rosto

-olha senhora, você conhece Kim Doeyon?

-sim, ela é minha filha.

Falou a senhora sem entender.

-me desculpe lhe dar essa notícia, mas... O corpo de sua filha foi encontrado no lago, sem vida.

A mais velha rapidamente não estava mais com aquele sorriso meigo nós lábios, seus olhos estavam vermelhos, certamente de segurar o choro.

-Eu realmente sinto muito, mas preciso fazer algumas perguntas pra você.

Ela apenas confirmou, e me deixou entrar .

Depois de um tempo, consegui alguns suspeitas, pessoas que não gostavam dela. Tinha ex's e um amigo de trabalho, Jeon. Foi o que mais me chamou atenção pelo que a mais velha me disse. Jeon não escondia seu ódio por Doeyon,e isso estava claro para a senhora Kim.

...

Já estava anoitecendo, então Taehyung resolveu procurar um hotel.

Passando por uma ponte, Kim viu um moço que estava ali, bebendo, enquanto olhava para o céu.

Com licença, você pode me dizer aonde fica um hotel?

Olhei para o moço, que me olhou bem, antes de falar qualquer coisa.

Hm, tem um por perto, segue reto, e entra em uma rua aonde tem bastante carro, lá no final da rua é aonde tem um ótimo hotel.

Kim apenas agradeceu.

Olha, aconselho você a não ficar na rua muito tarde, tem um assassino a solta, volte pra casa, é mais seguro. Mas não se preocupe tanto, eu estou cuidando do caso.

Kim falou com um sorriso meigo, logo saindo dali com seu carro, em direção ao hotel.

...

Jeon olhou para o carro que desaparecia, com um sorriso sádico nos lábios

Eu sou o assassino, bobinho.

Jeon deu uma risada fraca, negando com a cabeça, continuando a beber.

-Ele até que é bonitinho, posso até me aproveitar disso, me fingir de amigo, e depois o matar, o que acha?

Falou com ele mesmo, dando outra risada.

Jeon tinha escolhido o hotel mais próximo, para ficar de olho no detetive



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...